MENU

quarta-feira, 7 de dezembro de 2005 - 8:54F-1

Toro Rosso com carro próprio

Antes de ir, notícia que será publicada daqui a pouco no Grande Prêmio: a Toro Rosso vai fazer um carro próprio em Faenza. A idéia inicial era usar o modelo da Red Bull deste ano, o RB1, antigo Jaguar, com Cosworth V10. Mas se a Super Aguri não pode usar o último BAR, por que a Toro Rosso poderia?

O fato é que o Pacto da Concórdia diz que cada equipe tem de ser responsável pela construção de seu próprio chassi. Usar carros velhos, feitos por outros, não pode. O que crava um punhal nas costas da Super Aguri de novo, na sua anunciada intenção de usar os chassis da Arrows de 2002.

Formidável frescura da F-1, essa história de não permitir o livre tráfego de chassis. Ainda mais agora que temos times A e B da Honda e da Red Bull. De qualquer forma, fica a pergunta: se a Toro Rosso pegar o chassi da Red Bull, der um tapinha aqui e ali, quem é que, na FIA, vai ter condições de afirmar que não é construção própria? Oras, é só arrancar o selo de homologação. Eu enganaria a FIA fácil, fácil.

O problema é que sempre tem um dedo-duro.

20 comentários

  1. Jorge disse:

    pra mim essa aguri é palha,,, essa coisa de compra de chassi é duvidosa, assim como time a e b, quem viu o Norberto Fontana, com Sauber, se intromentendo na briga Schummy e Ville em 1997 sabe o que eu to falando

  2. Valim F1 disse:

    A Sauber já fez esse esquema de pegar um carro da Ferrari (se eu não me engano, foi a Ferrari de 2003) e deram uma modificada, adequaram ao regulamento, e falaram que um chassi novo. Inclusive teve alguma discussão sobre isso na época, mas depois morreu o assunto. Por mim, a TR deveria fazer isso mesmo. E a Super Aguri também, com a BAR de 2005. Pq se os japas entrarem com a arrows de 2002, vai ser patético.

  3. wanderson ricardo ma disse:

    só p’ra ter certeza, você não gosta do Nélson Piquet? por quê? E também porque estende isto ao filho?! Gosto do tu escreve, esta a razão das perguntas.

  4. Josue Solino disse:

    Sinceramente, acho que que deve estar adorando esta notícia é a Midland e acho que a BMW/SAUBER, porque a Toro Rosso com o RB1, já mostrou nos poucos teste que fez, que estaria abandonando a lanterna para ir para o bloco intermediário. Agora a pergunta: Quem ficaria com a rabeira do grid, hein?

  5. Sucrilhos disse:

    O que é considerado chassi na F-1 atual? É como antigamente, que tinha uma chapona onde se grudava a suspensão, se montava o motor e todo o resto? Não né! Hoje em dia poderia se alegar que o motor é chassi também, tal é a integração das coisas. Câmbio também é chassi. Bico do carro, é aerodinâmica ou é chassi? Suspensão é suspensão? Radiador é aerodinâmica, motor ou chassi? Ou chassi é só o monocoque e pronto?

  6. Eduardo S SP disse:

    Poderiam até mesmo urilizar o RB2 (o que ajudaria no desenvolvimento) com algumas mudanças “de fachada” só para passar na inspeção, e aí ao longo da temporada vão incorporando atualizações (afinal tem a justificativa de que na categoria tudo se copia) e aí pronto, carros muito parecidos

  7. Eduardo S SP disse:

    Pode até parecer sacanagem da FIA e das demais equipes (e até é, afinal seria uma a mais para dividir o bolo das cotas de media) mas talvez por ter o perigo de se usar um chassi largamente usado (por exemplo da Arrows) no qual a fadiga de material na fibra já deve ter sido intensa, vide aquela F399 que rachou ao meio numa pancada a menos de 250 km/h em Laguna Seca (num evento da marca)

  8. Rangel disse:

    Como já foi dito o jeitinho sempre existe, alguns detalhes nem tão importantes assim podem fazer um projeto diferente, é só usar a imaginação.

  9. REGINALDO SILVA disse:

    Retificando
    Toro Rosso…

  10. REGINALDO SILVA disse:

    Será que termos em breve na Fórmula 1 um briga de marcas de outros produtos que não seja de motores???
    Toro Rosa é mais uma para atrapalhar o Alonso e o Shumi…

  11. Leão disse:

    Acho que depende um pouco do ponto de vista. Pela questão do desenvolvimento, realmente se deve proibir e fazer com que cada equipe pesquise e desenvolva suas tecnologias. Mas a F1 vem com uma discussão muito grande quanto ao custo, se esta é a preocupação, comercializar chacis não seria uma boa solução? Até porque estes desenvolvimentos nunca irão acabar, com a entrada das montadoras competindo entre sí dentro e fora da F1, a venda de componentes será feita para parceiros e não para concorrentes, acredito que os desenvolvimentos podem até diminuir, mas não penso que seja tão prejudicial.

  12. leonardo - curitiba disse:

    Flávio porque na numeração dos carros de fórmula 1 não tem o nº 13?

  13. Karol disse:

    Bom, não é Brasil, mas vira e mexe sempre dá-se um ‘jeitinho’ na F1… não é assim que a Super Aguri vai correr? rs

  14. antonio purri disse:

    eles estão certos ! a compra de chassis geraria uma tendencia de aperfeiçoar ao invés de inovar . pra que criar se é possivel comprar ? até porque comprar deve ser bem mais barato do que criar . grid cheio é bom , mas contrariar a essencia da F1 ( palco de pesquisas inovadoras tecnologias impensadas ) é , a longo prazo , perigoso . Pensem o que faz da F1 algo tão legal , e o que a diferencia das demais : é o charme dos rios de dinheiro , é o glamour proprio de se torrar milhões por um pedaçinho de plastico diferente que muda o fluxo de ar em 0,5 graus, uma mola feita de ziriquidum bicarbonado que é 0,001% mais eficiente e por aí afora…. Sou contra compra de chassis

  15. Andre Dias disse:

    Precedentes existem. E a Ligier e a Benetton de 95? Quem monta miniaturas de F1 sabe que é so pegar o modelo da Benetton e pintar de azul que sai uma Ligier. Se o tio Bernie deixar é só dar umas marteladinhas mesmo.

  16. Herbert Antunes Roch disse:

    A FIA tem que acabar com essas frescuras de poder ou não, isso ou aquilo, pois ela é responsável por deixar a F1 cada vez mais monotona e sem competitividade o suficiente em relação aos velhos e bons tempos de Senna, Prost, Mansell…mas é isso aí ainda continuo sendo um apaixonado pelo esporte, mesmo sem ter um grande ídolo brasileiro como foi Piquet e Senna.

  17. Aliandro Miranda disse:

    Não é bem assim, Flavio. Deixa correr o dia pra vc acordar, hehehe ;-)

    Vc disse tudo, os dedos-duros estão por aí e, além disso, Aguri e STR (Toro Rosso…) estão na mira dos fiscais da FIA. Eles olharão com mais “carinho” para estes carros na hora da inspeção.

  18. Flavio Chinini disse:

    Você está enganado, ou se enganando… Imagina que acontece uma catástrofe, que os pilotos destruam os chassis, e outros precisem ser construídos… Como é que faz? E o projetista, será o mesmo que desenhou o carro anterior… Além do crash-test da FIA, onde com certeza seria tudo inspecionado… Mas, com certeza, esta não é uma regra legal, eu preferiria as os grids inchados, com a baba, e a qualificação com uns montes de carros. Se esta regra não existisse, facilitaria este sonho.

  19. feltrin disse:

    Patocida desalmado. Vou retaliar com uma campanha pelo Fim das Kombis (principalmente a diesel).

    :o(

  20. Rogerio BH disse:

    E a Super Aguri
    vai ou nao vai?
    esse grid tem que aumentar…
    até

Deixe uma resposta para feltrin Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>