A solução para nossos problemas | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

segunda-feira, 20 de março de 2006 - 14:39Vídeos

A solução para nossos problemas

SÃO PAULO (a cidade-monstro) – O blogueiro Umberto manda esta interessante propaganda americana de sei lá quando (tem cara de anos 50). Sem dúvida, a solução ideal para congestionamentos nas grandes cidades. Duro era montar a bagaça e arrumar espaço para decolar.

Esses homens maravilhosos e suas maluquices idem…

16 comentários

  1. Thiago disse:

    Bela maquina.
    Gostaria de pilotar um desses….
    Apesar de que , helice na configuração pusher é complicado.
    Mas ainda assim uma excelente ideia.

  2. William disse:

    Pow quero um desses pra mim!!…rssssssss

  3. Marcello disse:

    Retificando, onde se lê “ouve”, leia-se “houve”, êta sujeitinho burro!!!

  4. Marcello disse:

    Zanon, o capacete não tá pronto não, não me pergunte como eu sei, só posso dizer que ouve um imprevisto no resultado final e uma pequena mudança de planos, ih, Flávio, quase contei o segredo!

  5. Sucrilhos disse:

    melhor que o aerocar é o aerotrem que o levi fidelix ia pôr em sp :P

  6. Pedro Jungbluth disse:

    Bem, a união entre aviões e carros é um sonho antigo…
    Hoje em dia ainda seria possível, um ultraleve que pudesse dobrar as asas.

  7. Marcelo Q. disse:

    Rememorando

    Amanhã, Ayrton Senna faria 46 anos. Deixou a vida em uma curva de Ímola há 12 anos e um currículo invejável na Fórmula1: 41 vitórias, 65 pole positions, 2.982 voltas na liderança, 610 pontos, três campeonatos mundiais. Que saudade dos tempos em que a gente comemorava as vitórias do garoto Beco.

  8. Rui Gomes disse:

    Primo, essa é diretamente pra vc:

    20/03/2006 – 17h13
    Assinante não ‘paga’ pela fusão DirecTV-Sky, diz executivo

    Veja o programa em vídeo

    Ricardo Feltrin
    Colunista do UOL News

    Presidente da DirecTV, diretor da gestão de fusão e futuro presidente da DirecTV/Sky, Luiz Eduardo Baptista, 45, falou com exclusividade ao Ooops! a respeito do processo de união das empresas. A fusão já recebeu ‘ok’ da Anatel e agora aguarda aprovação do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). A expectativa é de que a aprovação ocorra em maio.

    “Os assinantes da Sky e DirecTV nada tem a temer. Não haverá custos adicionais para ninguém com a fusão”, declara Baptista. As duas empresas juntas têm cerca de 1,4 milhão de assinantes (DirecTV, 400 mil; Sky, 1 milhão).

    Algumas questões apresentadas ao executivo foram enviadas por internautas do UOL News. O executivo antecipa agora algumas decisões já tomadas e que serão implementadas assim que o Cade aprovar a fusão. A saber:

    1) O satélite a ser usado na nova empresa será o da Sky, bem como a plataforma tecnológica. A avaliação é que o sistema Sky é mais moderno e menos custoso em termos de manutenção que o da DirecTV. A qualidade de imagem da Sky também é superior. As transmissões terão como sede Tamboré, na Grande SP, onde já está instalada sede da DirecTV. Até a troca definitiva, que ocorrerá em até um ano após a fusão, os dois satélites seguirão funcionando normalmente, como ocorre hoje.

    2) Os 400 mil assinantes da DirecTV terão, sim, de trocar seus aparelhos decodificadores. A troca de todos os assinantes deverá durar cerca de um ano após a fusão. Segundo Baptista, a capacidade de atendimento é em torno de 50 mil domicílios/mês. Os aparelhos já foram encomendados, declara.

    3) Hoje a maior diferença entre as operadoras é que o assinante Sky é obrigado a comprar o aparelho, enquanto o da DirecTV o tem por comodato (empréstimo). Ou seja, não paga nada por ele. O novo sistema, diz Baptista, será o de comodato.

    Nesse caso, é justo pensar que muitos assinantes da Sky se sentirão prejudicados, porque dirão que gastaram para adquirir um aparelho que agora está sendo “distribuído” gratuitamente. Como será a reação a isso, não se sabe. Um caminho seria “descontar” o custo do aparelho nas parcelas mensais do pacote do assinante. Por outro lado, a compra do aparelho já fez parte de um contrato (um instrumento jurídico perfeito e já ocorrido), de forma que, juridicamente, a nova empresa dificilmente será obrigada a ceder tal benefício. Mas sempre é possível uma negociação.

    3) Além da troca de aparelho, as antenas dos 400 mil assinantes da DirecTV terão de ser redirecionadas. Segundo Luiz Baptista, o trabalho dos técnicos para trocar um aparelho e redirecionar uma antena demorará em torno de 30 minutos. Podem ocorrer problemas isolados, admite ele. Algumas regiões poderão ter problemas na hora de sintonizar o novo satélite. Por exemplo: locais que hoje captam muito bem a DirecTV podem não captar também o sinal da Sky. “Mas esse número deve ser ínfimo em relação ao universo de assinantes”, afirma o executivo.

    4) Os pacotes atuais de programação serão mantidos para os assinantes das duas operadoras. Ou seja, quem quiser continuar recebendo a programação atual, sem mudar nada, pode continuar. Afinal, uma das premissas para aprovação por parte do Cade é que o consumidor possa manter seu contrato atual, seu pacote atual, sem qualquer ônus, até pelo menos o vencimento. Após o vencimento, é lógico supor que haverá novos pacotes já integrados entre as atuais operadoras. O custo disso em relação aos preços atuais ainda é uma incógnita.

    5) No entanto, enquanto a fusão estiver ocorrendo, serão oferecidos novos pacotes, ou então poderão ser feitas trocas “intra-pacotes”. Por exemplo, o atual assinante da DirecTV pode querer receber os canais Globosat, como Globonews, GNT e Multishow. Nesse caso, terá de pagar um extra. O mesmo ocorre com o assinante Sky, que pode querer os canais Animax ou Disney ou Vênus, por exemplo. Nesses casos, haverá custo adicional.

    6) O hoje criticadíssimo atendimento ao consumidor feito pela Sky será integralmente substituído pelo sistema DirecTV, garante Luiz Baptista. A DirecTV foi premiada nos últimos três anos como uma das empresas que melhor atendem seus clientes no país. Segundo o presidente, há condições de aumentar “imediatamente” a plataforma atual de atendimento da DirecTV dos atuais 400 mil para 900 mil assinantes. Em um ano (prazo para completar a fusão) seria possível atingir os 1,5 milhão de assinantes.

    7) A transmissão de canais abertos na nova plataforma ainda depende de negociações isoladas, mas sabe-se que o SBT continuará não sendo transmitido por ninguém. Silvio Santos não autoriza redistribuição do sinal de sua emissora por ninguém.

    Cabe relembrar que todas essas informações e “promessas” estão sendo fornecidas pelo principal executivo de uma empresa que agregará 1,5 milhão de assinantes, ou cerca de cinco milhões de pessoas.

    Se as promessas não se realizarem, ou houver insatisfação, os consumidores terão direito de pedir o cancelamento do serviço, ou ingressar com ações junto ao Procon ou outros órgãos de defesa econômica ou mesmo o Judiciário.

    No bate-papo com os internautas, Feltrin respondeu a mais dúvidas sobre a fusão (leia as perguntas e respostas).

  9. Rafael Ramos disse:

    ô Flavio, me tira uma duvida..
    Uma vez voce comentou sobre uns filmes legais sobre corridas. Acho que eram filmes antigos, da década de 70. Voce pode nos dizer quais eram ?

  10. Rafael Ramos disse:

    Bem interessante do ponto de vista histórico. Mas parece mais coisas dos Jetsons. Aquele “futurismo dos anos 60″

  11. marcos vale disse:

    PAI RICO FILHO POBRE

  12. Carlos disse:

    Bem interessante, mas solução para trânsito engarrafado? Sem change, com se vê, precisa de uma boa pista pra decolar.

  13. Rozen disse:

    Bom, essa eu posso contar. O nome do treco é Aerocar e seu inventor um cara bem legal chamado Monty Taylor. É o próprio que está montando as asas. Esse é o Areocar I, e ele foi aperfeiçoando o modelo até o Aerocar IV. Depois de uma matéria na revista Popular Mechanics o Lee Iacocca, que era chefão da Ford na época (isso era no começo dos 70) mandou dois caras ver a trolha: um era o vice e outro um engenheiro que tinha brevê. Voltaram com um relatório: vamos produzir essa coisa… infelizmente foi bem na época da crise de petróleo e início da invasão dos carros japoneses no mercado americano, e a Ford acabou desistindo do projeto por falta de grana.

  14. Rikho disse:

    Hehehe, divertidíssimo o vídeo. Nao era muito prático o, digamos, autoplano (ou, quem sabe, planauto? ;-) mas era engenhoso, sem dúvida.

  15. Alexandre Reis disse:

    Maneiro, pelo que mostrou o cara conseguia montar o avião sozinho.
    Como chamariamos isso ai aqui no Brasil, podiamos aqui arrumar um nome pra coisinha.

  16. Silvestre Zanon disse:

    Esse video é realmente demais…isso chegou a ser frabicado em quantidade?
    A propósito,Flavio, o capamug já tá pronto?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>