Ao infinito e além | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

quinta-feira, 30 de março de 2006 - 1:23Brasil

Ao infinito e além

RIO DE JANEIRO (Canopus, Aldebaran…) – A esta hora Marcos Pontes está a mais de 200 km de altitude, bandeira do Brasil no braço, a bordo da Soyuz e a caminho da Estação Espacial Internacional. O lançamento da base de Baikonur pode ser visto no seu site oficial.

Quando eu tinha 12 para 13 anos fui fazer um curso de astronomia no Planetário de SP, que inexplicavelmente está desativado há um tempão. Meus primos eram diretores e cheguei a fazer sonoplastia em algumas sessões de sábado à tarde.

Adorava o cheiro de mofo do carpete puído e o silêncio na abóbada à meia-luz, o Zeiss imponente no centro, como uma aranha gigante. Passava horas ali, vendo maquetes primárias do Sistema Solar, painéis de cartolina explicando nossa pequenez diante do universo.

Meu professor, Acácio, era cego. Mas me fez ver muito mais do que qualquer outro. Meu pai, acho que naquele ano mesmo, 1977, me trouxe um telescópio dos EUA. Eu, que sempre quis ser jornalista, cheguei a pensar em ser astrônomo. No fundo, queria apenas entender o espaço, saber mais sobre as estrelas e constelações que meus primos descreviam com tanta intimidade e reverência. Queria ver um disco-voador e viajar com alienígenas. Até hoje o filme que mais me comove é Contatos Imediatos.

Ainda hoje olho para o céu e identifico o Centauro, Órion, Escorpião, as Plêiades. No auge da paixão, fiz até observações de explosões solares com meu telescópio e um anteparo de papelão. Meu primo dizia que iria mandar os dados para o INPE. Acho que foi a coisa mais importante que fiz na vida, embora eu mesmo não me convencesse da importância daqueles números, horários e desenhos.

Fui ser jornalista na vida, e durante uns três anos atuei num incipiente jornalismo científico, primeiro pela SBPC, em rádio, depois na “Folha”. Convivi de perto com pessoal do IA, do INPE, do Instituto de Física da USP. Visitei observatórios, li Carl Sagan, confrontei ciência e religião, pirei.

Descontada a babaquice nacionalista (na Band, o apresentador chegou ao cúmulo de chamar a base de “Baiacu”, gritando como se o Brasil tivesse tomado posse de Saturno), o feito de Pontes é notável e merece o destaque que a mídia está dando, embora sua “missão” lá em cima não seja propriamente heroica: plantar feijão num copinho com algodão, algo assim.

De qualquer maneira, ele verá o que nenhum de nós jamais terá a chance de ver. Aqui embaixo, ver os olhos vermelhos de seu pai numa casinha em Bauru, de certa forma, é um consolo.

66 comentários

  1. eu disse:

    importante destacar, que acima d tudo e de todas as criticas, como esse cara tem orgulho do país dele.. putz.. agente ver tanta q qdo atinge um certo patamar, esquece das raizes, etc.. esse cara nao, a todo momento destaca seu país, sua terra, faz questao de SEMPRE mostrar a bandeira… enfim, parabens!

  2. Carlos Piazza disse:

    Caro Kleber, não pretendo questionar sua convicção mais do que o necessário mas, sinceramente, esta teoria é tão absurda e ficcional quanto insustentável. Naquela época estáva frequentando o colegial e tive a felicidade de visitar os EUA exatamente durante o célebre voo da apollo 11 juntamente com o pessoal da escola. Visitamos a NASA e acompanhamos toda a odisseia ´´in loco“. Fatos são fatos, existem provas documentais, físicas e registros visuais inquestionáveis. Sugiro uma visita aos diversos centros de documentação, museus, laboratórios, simuladores etc.
    Hoje em dia, é possivel inclusive observar visualmente as marcas deixadas na superficie lunar pelas tripulações que lá estiveram. Gostaria de mencionar um célebre ditado que neste caso vem muito a propósito:
    ´´pode-se enganar a todos durante algum tempo, pode-se anganar alguns durante todo o tempo mas, não se pode enganar a todos durante todo o tempo“.

  3. Marquito disse:

    tá bom kléber, então uma pergunta que não quer calar, porque diabos então se tudo não passou de uma armação dos EUA, porque a URSS concorrente ferrenha deles, na corrida espacial, não botou a boca no mundo denuciando a farsa ?
    para eles provarem deve ser fácil afinal ele chegara lá antes com a sonda não tripulada lunakod (ou isto tambem seria uma farsa?) ou a Urss não denunciou por pena, ou será que eles não eram competentes o suficiente para perceber a farsa ?
    tanto o Lunakod quanto as missões apolo vieram carregadas de amostras, e seria fácil comparar o resultado das amostras.

  4. Carlão disse:

    Gente, esse livro eu quero ver….o cara “provou” que o homem não foi à Lua…puxa…. Sabe, existem certos elementos por aí, que “provam” em seus livros, que o “holocausto” foi uma farsa dos aliados contra os nazistas….é fácil se provar algo, quando só se vê um lado da moeda…..um dia, os anti-Schumacher, vão provar que os Sete titulos nunca existiram….foi invenção da FIA, da midía, da Ferrari etc….

  5. Kleber disse:

    Caros amigos…

    Não estou de sacanagem não… não estou rindo da cara de ninguém… tampouco escrevendo asneiras…
    Peço que respeitem a opinião de cada um, assim como respeito à de todos…
    Citei o livro, porque este tem muuuito mais argumentos que eu… porque o cara estudou muito isso… entre outras coisas…
    Não estou aqui para mobilizar o mundo contra os americanos (apesar de não suportá-los), com esta história de ir ou não na Lua…

    De verdade mesmo… respeito cada um, mas espero respeito também…

    [ ]s

  6. Marquito disse:

    esse cara é engraçado ele fala que não tinha tecnologia na época que foi tudo montagem, então foram os melhores efeitos especiais que eu já vi, pelo menos então as tecnologias para efeitos especiais estava bem avançadas HAHAHAHA

    esse cara tá é de sacanagem gente, vai fica nessa lenga lenga só pra fazer todo mundo ficar aqui escrevendo, rebatendo as besteiras dele enquanto ele fica em casa rindo e escrevendo mais besteira.

  7. Tríglicerídio alto disse:

    Kléber chegou, acabou !!!!
    vc acredita que o homem foi a lua blz, eu acredito que foi e não vai ser um livro de sei lá quem que vai me fazer mudar de ideia, pois para cada livro que diz que não estivemos na Lua há outros 30 dizendo que fomos, na verdade nada exoiste estamos dentro da Matrix e nada disso é real, fomos todos enganados.
    Sendo assim, já o que eu disser não vai fazer mudar a sua ideia e vc não vai mudar a minha, então que tal cada um continuar com suas convicções e seguir frente em vez de cada um tentar doutrinar o outro , acho que é melhor e poupa espaço e tempo de cada um.

  8. Kleber disse:

    À todos que acreditam que o homem foi à lua!!!!

    Seguinte,
    Eu sei bem que estes caras estão à frente da população… não sou tão ingênuo assim..
    Eu sei que não existe São Jorge e o Dragão na lua… foi uma brincadeira (vide kkkkk)
    Existe um livro em que o autor, prova por A + B que o homem não pisou na lua… ele até dá um prêmio para quem encotrar uma foto, que não sei qual é…
    Prometo que vou encontrar o livro e envio o nome à todos… depois que vocês lerem, acredito que boa mudará de opinião, e deixará de acreditar nesta invenção americana…
    Gomes… se quiser e tiver interesse, coloque mais sobre o assunto aí… porque dá pano para manga isso aí… e se alguém souber o nome do livro, eu aceito ajuda…

    Grande abraço…

  9. Troll disse:

    Poxa Kléber,

    vc é a prova viva que o homem foi a lua, tu já vive no mundo da Lua !

    HAHAHAHA

  10. Tríglicerídio alto disse:

    putz Kléber voce tá incorrendo no mesmo erro que tentou explicar no seu post anterior, essas tecnologias que vc diz não existirem na época, a maioria delas poderia não existir para a 99,9% população, pois seriam experimentais e de pesquisa ponta, que com o tempo passaram a se difundir, ficando mais baratas e acessiveis, existem várias tecnologias atuais avançadíssimas que estão sendo pesquisada em laboratórios no mundo todo, que não estão disponíveis para nós neste momento, e nem por isso elas não existem, algum dia farão parte da nossa vida, mas vc fala de uma maneira que seria como afirmar que um acelerador de pártículas não existe pq vc e a maioria da população não tem um em casa, ou vc acha que tudo que nós temos em casa e nós vemos por ai é o top de linha, qualquer coisa que chega até nós os caras já estão pensando muito mais lá pra frente.

  11. Marquito disse:

    Kleber,

    Não vamos a Lua hj por um motivo muito simple$$$ , grana, só valia a pena na cabeça dos manda chuvas, tanto da urss quanto dos eua, gastar os tubos e mandar gente pro espaço, mandar pra lua, marte e o escanbau, só para não ficar atrás do outro, por causa da Guerra fria, quando a guerra fria acabou e a polarização eua x urss se dissipou os eua , não tinham mais como justificar o investimento, ” – ir de novo a lua pra que se nos já chegamos lá antes dos russos e eles sairam da partida ?”
    “- ganhamos acabou issso é caro demais e ainda tem a conta da guerra do vietna pra pagar !”

    então o motivo pelo qual vc acha que não vamos mais a Lua pq mesmo com a tecnologia atual ainda não voltamos então naquela época não poderia ter tecnologia e erronea, tecnologia nós temos, so que ninguem se dispõe a bancar a brincadeira, a volta a Lua tem de apresentar um resultado prático, algum ganho pois só naquela época é que se justificava ir só para não ficar atrás do outro, mesmo que não houvesse ganho algum, só na propaganda.

  12. Carlão disse:

    Se tu acredita em Dragão e São Jorge, para querer ver as fotos, então não tem como tentar fazer você ver como as coisas funcionam…Como diria o notável Albert Einstein, “é mais fácil quebrar o núcleo de um átomo do que um conceito…”.

  13. Kleber disse:

    Caros amigos…
    Rikho, Carlão, Troll, DC Nava,

    Questiono, e vou questionar sempre a ida do homem à Lua em 1969… na MINHA OPINIÃO, isso é impossível…
    Realmente, o homem não precisava de tel celulares, Injeção eletrônica, mouse, Circuitos integrados, entre outras coisas… mas, retornamos as corridas, como um de vocês citou… existia uma cronometragem digital em 1969… controle de tração, suspensão ativa, etc… mal havia um rádio para o piloto se comunicar com o pit stop… o câmbio era completamente manual… agora pensem, se para se falar com um carro que está correndo em volta num raio máximo de 3 km, imagine comunicar-se à + de 1000 km… se não haviam as transmissões ao vivo de um lado ao outro do mundo, como haveria com algo fora do mundo… …se foi possível filmar na lua, porque não seria na terra… se eles foram uma vez em 1969, porque não vão de novo em breve, porque tem que programar para daqui uns 20 anos????
    Pedra lunar??? deve ser de Itu!!! kkk!! Solo lunar??? dever ser areia ou terra de algum outro lugar???

    Para finalizar a sexta-feira numa boa… cadê as fotos / filmagens de São Jorge e do Dragão…

    Grande abraço à todos…

  14. astronauta disse:

    O mais inacreditável, é que a rede plin-plin está fazendo o maior carnaval, com o ato do simpático Pontes, claro que de acordo com o combinado com nosso digníssimo presidente, e sua laia do PT: nós lhes damos uma porr.ada de grana, dos cofres públicos, pr’a voces sairem da mer.da financeira em que estão, e voces promovem nosso pseudo-governo em tudo e mais alguma coisa.
    O interessante, é que falta verba pr’a tudo ligado à saúde, educação, e pesquisas centíficas (de verdade, não o passeio turístico do inocente Pontes).
    E vem esse calhor.da vomitar nos nossos ouvidos, que seu governo (?) cuida dos pobres e necessitados… Vai ser cara de pau assim lá nos quintos, deixou o Maluf longe…

  15. Elaine disse:

    Por mim o Rubinho poderia ir para o Espaço!!! Ele é um chorão medíocre. Ótimo em explicar como não dá certo, mas pra mostra resultado……

  16. Cedar disse:

    Antes de tudo parabens ao nosso astronauta. Com um pouco de sorte ele deve achar lá no espaço a nossa “taxa de juros” que é pra lá de estratosférica … Esta suspeita de que o homem nunca foi a Lua é antiga, deve ser reforçada pelo pessoal que acreditava que a Ferrari sacaneava o Rubinho …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>