CADÊ ELES? | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

quinta-feira, 24 de julho de 2008 - 23:08DKW & cia., Turismo

CADÊ ELES?

ZWICKAU (em pílulas) – Já é bem tarde, mas aos poucos vou pingando aqui algumas gotinhas do Leste. Como essa aberração aí do lado! Tem coisa mais sem sentido? Essa lanchonete era a encarnação do capeta capitalista até outro dia e os caras têm a manha de pintar seu M demoníaco numa station wagon (quem rir apanha) Trabant?

Gozado como os sinais da velha e boa DDR estão sumindo. Estou por aqui há dois dias e não vi quase nada interessante rodando, tirando os DKWs, claro, que acorrem a este ponto do planeta para o maior encontro mundial da marca. Depois explico direito. Mas meu espanto se dá pelo fato de que nas outras vezes em que bati perna por estas bandas, e não faz muito tempo, Trabants, Wartburgs e Barkas alegravam as ruas de Leipzig, Dresden e Berlim.

Estou em Zwickau, onde ficava a fábrica dos Trabis. E sabe tudo que achei até agora? Uma pequena escultura numa pracinha aqui do lado! Muito pouco. Amanhã vamos apurar o que está acontecendo. Temos uma programação extensa, com uma visita ao August Horch Museum e, depois, um pulinho a Chemnitz para ver umas coisas interessantes.

Hasta luego, porque a madrugada se faz alta.

24 comentários

  1. Luiz Eduardo disse:

    Acho que estou merecendo levar uma surra daquelas. Trabant SW…Não consigo parar de rir. Me perdoe.

  2. Théo do Palavrão disse:

    Putamerda, eu ri…

  3. disse:

    Antonio Jose.
    Sâo dois loucos que foram arrancar azulejos da Fábrica da DKW.

  4. Roberto disse:

    A nova Europa quer estar de cara nova.
    Carros antigos e poluentes ficarão em museus.
    Além de conservar os carros, terá menos incidência de carbono no ar.
    Carros mais novos, velozes e menos poluentes nas ruas.
    Na maioria dos países ricos e nas capitais do nosso Brasil você vê mais carros novos. Raro você ver carros dos anos 70 e 80. Fusca, aí nem se fala.
    Nova política dos governo do mundo.
    Carro velho no ferro velho ou num museu.
    Concorda comigo Gomes?

    RESPOSTA DO FG

    Claro que não.

  5. Lucas Carioli disse:

    Nem liga Gomes. Os dias do americanismo estão contados. Muito em breve, os Ianques terão que aprender Chinês no colégio, hehe!

  6. Antonio Jose disse:

    Para a maioria dos ‘ricos’ consumidores Brasileiros, o Trabant é motivo de piada. Mas, para essa gente do Leste Europeu, o carrinho mereceu até monumento em homenagem. Acho que isso demonstra o nível de respeito que um povo possa ter em relação à sua historia e consequente cultura. E o nosso, qual é?

  7. MSM disse:

    Periga o FG encontrar carros “patrocinados” pelo Bobs, Habibs e Girafas também. Se achar coloque uma foto de cada também para eu completar a minha coleção.

  8. Luis Rossi disse:

    “Velha e boa DDR”?! Será que os alemães também pensam assim?E quem vai sentir saudade de um Trabant poluidor se pode ter uma BMW?

  9. luis disse:

    a fabrica ta de pe…mas abandonada. da uma passada la

    as vezes ta que nem a do gurgel, cheia de carros abandonados…e o melhor o plastico nao se deteriora…

    a nao ser com insetos especiais, e assim(ou foi) o geito encontrado pelo governo pra destruir os trabi que nao prestavam mais quando da epoca da uniao…

  10. disse:

    Vitão, que se dane a KGB, quero meu Delivery!

  11. @lemao disse:

    hehehehhhehhee…mas eu gosto tanto da station wagon quanto da lanchonete demoníaca!

  12. Roberto disse:

    Com a derrubada do muro de Berlim, muitos alemães que viviam na parte oriental, atravessavam a pé, de bicicleta e milhares de trabants atravessaram para o lado ocidental causando grandes engarrafamentos. E muitos abandonavam os carros nas ruas depois. Mas, o carrinho pegou mal fama. Virou símbolo de uma época e é disputado a tapa por colecionadores do mundo inteiro. Talvez vire um mito como o fusca, se é que eu estou enganado.
    Abraço Gomes

  13. Rodm disse:

    Este é um representante legítimo de um lieferung auto.

  14. Regi Nat Rock disse:

    Pô cara.. não me viu por aí não? a poucos minutos estava teclando com o Dú falando do seu passeio e eu entrei no link do museu, antes de ler por aqui que uma ida até lá, faz parte de seu programa. Legal. Aproveita o passeio.

  15. vitão disse:

    Diretamente da Chechenia
    hhahahaaaahhaa, station wagon , huaahahaha (desculpe FG, pode mandar a KGB me espancar) .

  16. disse:

    FG, pede para entregaram aqui 2 Big Mac, uma torta de banana e um shake de chocolate. Isso que é delivery.

  17. Fernando Carvalho disse:

    “FG, é por causa do protocolo de Kyoto que vc não acha mais as trapizongas..Cuidado que nem nas fotos existirão mais!!!!!
    Quanto a “maxi-limousine-perua staion wagon ” (deve ser para transportar os artistas de “Circo de pulgas de Praga ” em sua turne pelo leste europeu) vermelha da foto , ficou até muito bonita com os M (de M%#@ ) ….Deve ser para Delivery ( ou delírio ) …..

  18. Acarloz disse:

    Desculpe Gomes, pelas suas convicções, mas a explicação é bem simples: Acordaram prá vida !

    Um abraço

  19. Gustavo disse:

    Hilário a “station” comunista travestida de diabo ocidental. Investigue a fundo o sumiços dos carrinhos Gomes!

  20. Roberto Martinez disse:

    Não tem como não rir…
    Um carro do leste, no leste, com o “M”, símbolo do capitalismo !!!

  21. Sergio SP disse:

    Estive por essas bandas há um mês e percebi a mesma coisa, vi meia dúzia de Trabis rodando e só. A Alemanha faz um esforço para esquecer a divisão pós guerra, o sumiço desses carros é mera conseqüência. Nos países mais para o leste ainda tem mais desses carros rodando.

  22. Ricardo disse:

    O mundo mudou muito mesmo….Vá para o leste imediatamente!!!

  23. Lubacris disse:

    Acho que é um processo natural a renovação da frota.

    Sendo possível fazer a troca acho que ninguém prefere um carro antigo alemão a qualquer alemão novo (todos com uma qualidade muito boa!)

    a escolha racional é pelo carro novo, dai os que gostam podem ter um carro antigo apenas para andar no final de semana…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>