BA-XI! | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

terça-feira, 19 de agosto de 2008 - 12:31Pequim 2008

BA-XI!

PEQUIM (em 15 minutos, esvaziaram o estádio!) - Só agora, meia hora depois de terminado o jogo, me senti num estádio de futebol de verdade. Foi quando um cara à minha esquerda, nas cadeiras amarelas, com uma peruca ridícula, se virou para o gramado, antes de ir embora de vez, e gritou: “Dunga filho da puta!”. Tornou a se virar e se mandou.

Até então, apesar da presença de brasileiros e argentinos entre as mais de 50 mil pessoas (52.968, para ser preciso) que viram o time do Messi (hoje, do Aguero) golear o time do Ronaldinho por 3 a 0, me senti numa espécie de circo de focas amestradas. Os chineses torcem de um jeito muito particular. Torcem para os dois times. Tanto que mesmo depois de a Argentina confirmar a tunda com o gol de pênalti de Riquelme, eles continuavam gritando “Ba-Xi!”, porque falar Argentina daria um nó em suas línguas (a foto abaixo, a melhor que vi deste jogo, é de Nara Alves, do iG).

“Ba-Xi” é o nosso querido Brasil. Que não jogou nada. Na primeira partida difícil da Olimpíada, levou um coco e ainda teve dois jogadores expulsos. Foi aquilo que os críticos chamarão de “vexame” nos pasquins de amanhã e nas análises de TV e rádio hoje, durante todo o dia.

Aguero foi o nome do jogo, com dois gols e ainda sofrendo o pênalti no terceiro. A Argentina jogou como sempre, comendo grama, como eles costumam fazer em todos os esportes. Argentino tem muito orgulho de seu país.

Já o Brasil… Bem, não nutro grande simpatia pelo técnico da seleção, muito menos por aqueles que comandam o futebol no país, seja nos clubes, seja nas federações. Acho-os todos uns retrógrados, ultrapassados e mal-vestidos. Dunga, para mim, não é técnico. E seria ótimo se deixasse o cargo. Eu, se me perguntassem algo, iniciaria agora mesmo a campanha “Mano Menezes já”, gosto do estilo dele, um discípulo de Felipão — este, um cara que se isolou da CBF para formar sua “família” na Copa de 2002, e conseguiu.

Essa patota da seleção brasileira me é, na verdade, muito antipática. Quase todos jogam fora, não têm identificação com o futebol que se pratica e se vive no Brasil, são meio distantes, dândis da bola, sei lá… Olhando a seleção jogar, não sinto que ela representa o futebol que vejo de quarta e domingo no Canindé, se é que vocês me entendem.

Por isso, esta derrota aqui me doeu menos do que a picada de mosquito que tomei no início do jogo (matei o mosquito, mas não sei se matei o certo; os mosquitos são muito parecidos entre eles, aqui). Espero, apenas, que os jogadores tenham a dignidade de lutar na decisão do bronze contra a Bélgica, porque Olimpíada é um negócio diferente do que eles estão acostumados a disputar. Uma medalha tem valor, cada vitória representa algo, espírito olímpico é algo que existe, embora não pareça a distância.

“Dunga filho da puta!” foi o que gritou o cara que a esta altura já deve estar na rua, à procura de um táxi. Eu também já xinguei muitos técnicos na vida, e juízes e jogadores e torcedores dos outros times, e um de meus orgulhos pessoais é ver meus filhos fazendo a mesma coisa quando os levo ao estádio (só pode no estádio, é o combinado).

Chamar alguém de “filho da puta” é algo que deveria ser obrigatório em qualquer jogo de futebol. Creio que os jogadores da seleção perderam o costume de ouvir essa manifestação específica das arquibancadas, porque andam longe demais do rame-rame de nossas vidinhas, cuidando das suas em Milão ou Barcelona, e talvez por isso não façam mais em campo aquilo que gostaríamos de ver, aquilo que gostamos de ver os nossos times fazerem. Ninguém mais chama jogador da seleção de filho da puta simplesmente porque a seleção não é mais o nosso time.

Por isso foi bom o cara dar uma xingada antes de ir embora. E terá sido melhor ainda se alguém da seleção tiver escutado.

216 comentários

  1. É, meus amigos, sir Ricardo Teixeira só quer saber da Copa de 2014… Por ele o Brasil nem iria para a Copa de 2010… Ou melhor, por ele nem tinha Copa de 2010. Não me surpreenderia se o Brasil não se classificasse para 2010…

    E Dunga, sem exageros, é o técnico que eu mais abominei na seleção em toda a minha vida…

  2. Fabiano Matheus disse:

    Lógica linear

    Se levado em consideração as seleções principais, foi um resultado que demorou a acontecer. Porque não existia mesmo maiores explicações para justificar que, repetidamente, campanhas superiores e o futebol melhor praticado pela Argentina não tivessem sua recompensa em campo, estampada no placar. Foi assim na Copa América em 2004, onde nenhum esforço analítico encontraria motivos para aquele empate agônico de Adriano e a vitória brasileira nos pênaltis, depois de um domínio argentino asfixiante. Foi assim de novo em 2007, na mesma Copa América, quando então já sob o comando de Dunga, o Brasil surpreendeu na final após uma campanha claudicante e demoliu os velhos rivais. A explicação? Talvez aquela antiga de que o futebol não é uma ciência exata, possui uma lógica nem sempre linear ou, enfim, que por vezes tem a sua lógica desmentida.
    Contabilizando alguns dos principais nomes de sua seleção, incluindo aqueles ainda em idade olímpica, mais uma vez a Argentina chegou para o confronto em melhores condições e a esperança brasileira parecia residir numa espécie de escrita recente, reforçada pelo bom desempenho de Dunga, como técnico, no clássico, mas desta vez a lógica foi inapelavelmente linear. Se em 2007, na Copa América, o Brasil havia experimentado um mínimo de evolução no decorrer da competição, mesmo que não parecesse o suficiente para o título, desta vez não foi possível observar nada semelhante desde a estréia diante da Bélgica até a sofrível vitória sobre Camarões. Os compromissos contra Nova Zelândia e China nem servem como avaliação, porque foram seleções que mais pareciam se dedicar a provar que ainda existem bobos no futebol, contrariando o chavão. Enquanto isto, a Argentina fazia jogos bem mais atraentes contra Costa do Marfim ou, notadamente, Holanda, talvez o melhor até aqui do futebol nestas Olimpíadas. Uma Holanda que, pela resistência oferecida, poderia, inclusive, disputar uma medalha de bronze, não fosse o emparelhamento das chaves. Foi o peso destas atuações que a semi-final no estádio dos Trabalhadores não pôde reverter.
    A princípio, o Brasil ainda se empenhou por um desempenho diferente, equilibrando forças e tomando iniciativa. Contou com boas aparições de Rafinha, várias vezes livre no apoio pela direita, ou mesmo com a habilidade de Marcelo pela esquerda, combinando boas tabelas com Ronaldinho Gaúcho, hoje muito mais um homem de distribuição do que de criatividade, mas foi só o princípio. Que se esgotou quando a Argentina começou a marcar a saída de bola, assumiu o controle do terreno e só não impôs um domínio maior porque o Brasil esteve bastante atento na marcação e quase não permitiu finalizações. Lucas roubando bolas de Riquelme, o talento de Messi combatido em bloco, porque Messi tem por hábito fazer a fileira: receitas para evitar o pior. Na frente, Rafinha ainda aparecia oportunamente no apoio, mas pouco aproveitado. Marcelo ainda oferecia seus dribles, mas esporadicamente. Sobis ficou absolutamente isolado, sem ter a quem recorrer, incomunicável, recebendo lançamentos perdidos à própria vista, e se os argentinos chutaram pouco, muito menor perigo oferecia o Brasil.
    Talvez não se possa definir isto como contundência. Talvez seja mais um reflexo natural do jogo do que qualquer outra coisa, mas o certo é que a Argentina definiu o encontro em poucos minutos na segunda etapa. Logo aos seis, Aguero desviou com o peito, na pequena área, um chute cruzado de Di Maria e abriu a contagem. Rafael Sobis ainda respondeu dois minutos depois com um chute de fora da área que acertou o pé da trave, mas aos 12, Aguero repetiu a fórmula e, novamente na pequena área, apenas empurrou para as redes um cruzamento rasteiro da linha de fundo.
    Só então Dunga resolveu mexer naquilo que não funcionava: o sistema ofensivo. Colocou Alexandre Pato e mais um meia – Thiago Neves –, sacando um volante – Hernanes. Aos 19 minutos, Ronaldinho acertou a segunda bola na trave de Romero, cobrando falta. No rebote, o gol de Pato foi anulado por impedimento, mas a tarefa brasileira, àquela altura, já se revelava bastante improvável. Ainda mais concedendo espaços para contra-golpes. Aos 30 minutos, Aguero foi derrubado por Breno e Riquelme selou a contagem deslocando Renan e cobrando o pênalti no meio do gol. As expulsões diretas de Lucas e Thiago Neves, sem cartão amarelo precedente, poderiam até proporcionar uma contagem maior, mas tudo o que a Argentina fez foi insinuar um olé, que mesmo assim não se configurou. Nem precisava. No futebol da lógica linear, foi superior como nunca e vai defender o título de Atenas refazendo a final de Atlanta. O Brasil segue esperando sua vez.

  3. Abreu disse:

    Ah. tem o tal do Mamede, Joaquim Mamede sei lá, do Judô. O Aurélio Miguel quase adotou a cidadania espanhola por causa desse sujeito. Mudando um pouco de assunto. Alguém ouviu falar da aprovação ” por debaixo dos panos ” pelo congresso do fim do 13º salário, e da divisão do terço das férias em 12 suaves prestações ? Com a CPI da pedofilia servindo como lençol ?

  4. Rogério Magalhães disse:

    É por essas e outras que faz muito tempo que não tenho mais tesão de torcer pela seleção masculina de futebol do Brasil… a última que ainda me fez ter algum orgulho e ao menos gritar gol a cada tento foi a “família” do Felipão…

    É por essas e outras que hoje eu tenho muito mais gosto de seguir minha descendência e torcer e vibrar por Portugal… para ver como são as coisas: prefiro uma seleção estrangeira (mas da qual tenho o sangue) do que a seleção de meu país…

    Porque a seleção do meu país virou estrangeira como qualquer outra…

    E na verdade, essa derrota foi apenas a crônica da morte anunciada. Falta de planejamento, desdém na preparação, manutenção de um treinador (?) incompetente, uma confederação que não tá nem aí com nada a não ser doletas no bolso…

    3 a 0 foi até pouco… e quando até Maradona reclama, dizendo que nunca viu um Brasil tão pequeno e defensivo, a coisa chegou no limite do aceitável !!!

  5. a impressão é que os estrangeiros foram orientados pelos clubes para nao colocar suas canelinha$ em risco e que o Ronaldinho ficava a todo tempo querendo fazer um lance bonito, tipo chapeu, tocar de 3 dedos, driblar cinco adversários, para se promover e aparecer naquelas edições de melhores momentos olímpicos sem se preocupar com o conjunto.

  6. Arnaldo disse:

    Olha só…

    http://globoesporte.globo.com/Esportes/Pequim2008/Noticias/0,,MUL730125-16060,00-IMPRENSA+BRASILEIRA+CULPA+DUNGA+POR+FIASCO+NAS+OLIMPIADAS.html

  7. Karen-SP disse:

    1) Rogério Leonardo: você sintetizou tudo! Ótimo comentário.

    2) JCesar: sem bairrismo, mas a sua seleção de gaúchos é um fiasco. E pára com esse recalque de xingar os paulistas, nós, paulistas, somos a força motriz deste Brasil, chega de ressentimento, deveríamos é somar e não ficar medindo forças.

    3) O nome do único atleta na Canoagem é Nivalter de Jesus, sergipano, humilde, simples, e está devendo o aluguel onde mora com a família.
    Em que categoria se encontra a canoagem: em esporte aquático? Se for, o patrocínio milionário dos Correios deveria incluí-lo em sua listra de beneficiados.

    Ah, e ele é bem bonitão! Musculoso e forte e gostosão.

  8. JEPeres disse:

    Maravilhosa as Olimpíadas. Quanto ao futebol não entendo por que tanta indignação, quando tudo caminhava para isso. Flavio Gomes, mais uma vez meus elogios pela sua lucidez, por não fazer parte da BANDA PODRE da imprensa brasileira, aquela que enfia pela goela abaixo de alguns brasileiros ingênuos que se submetem, que éramos candidatos a ouro, que temos a melhor seleção(?), que um tal dentuço foi recentemente o melhor do mundo e que pasmem, usou a seleção para se recuperar porque foi rifado na Europa, e que ora voltou à alegria de jogar! No fundo o brasileiro médio esqueceu que foram enfrentadas seleções medíocres na preparação e mesmo assim foi salva pela repescagem para disputar as Olimpíadas. Teve até um blogueiro acima que declarou “com saudade do Parreira”! Tenha dó! Os argentinos também jogam no exterior e no entanto se entregam de corpo e alma quando vestem a camisa da seleção dêles, camisa esta cada vez mais gloriosa! A nós resta o desprêzo por esse bando de mercenários, incluindo Robinho, Cacá, que apenas enxergam $$$$$$, chegados em prepotência, batuque, cachaçada e brinquinho de brilhantes próprio de afetados (porque ostentar o ouro olímpico no peito êles não tem competência). Ninguém leva nada a sério (ouvimos sempre……é só ter tranquilidade que a gente vencemos…), sic, como se apenas isso suplantasse a raça, determinação, trinamento duro, dedicação, comprometimento, já que se dizem profissionais. É porisso que a seleção(?) se tornou freguês , da França, Paraguai, Equador, México, para os argentinos é uma seleção de galinãs. Estávamos em 4o. no ranking da FIFA, antes dessa presepada, já que a seleção olímpica se confunde com a principal em tudo. Nosso problema é cultural, que nenhum govêrno conseguirá combater, talvez as próximas gerações, mesmo porque dispomos atualmente de poucos GRANDES HERÓIS para um país de 190 milhões de habitantes, tão bem ilustrados no Brasil de A a Z do FG. Como diria Confúcio “o que vale é sonhar”. Mas como senhor? diria o Gah-Fang-Yotong, “êste sonho brasileiro está mais para pesadelo”!

  9. Guto disse:

    Seleção Brasileira, um fiasco, tanto a principal como a Olímpica. Será que ninguem enxerga o fracasso q estamos passando nas Eliminatorias e o chocolate argentina q tomamos hj e manter o Dunga lá. Pensando bem, a culpa não é só dele, pq dizer q Anderson, Breno, Rafinha e cia. são jogadores de futebol ???? Enquanto do outro lado temos Riquelme, Messi, Di Maria….. nunca q o Brasil ia ganhar.

    Qualquer competição q a seleção brasileira entre, eu torço contra pq eles só querem saber de passear e ganhar dinheiro. O Diego no fim do jogo disse q os jogadores vao dar tudo de si para honrar o país…… pergunto, agora ? Pro bronze…… para né !!!!

  10. Un argentino disse:

    No puedo creer lo que escriben. Tienen el mejor futbol del mundo. Tal vez nosotros, no lo comentamos mucho, pero admiramos a sus jugadores y los respetamos aunque no lo parezca. Cuando les ganamos, lo festejamos mucho, Porque siempre nos ganan.

    No exageren, tienen buenos jugadores que quieren a su país.
    Lo que si creo, que el fútbol en brasil, mueve mucho, mucho, mucho dinero. Y tal vez eso, este matando a un fútbol tan hermoso

  11. Fowler T. Braga Filho disse:

    Marcelo Costa e Marco, foram os únicos que li, dizerem da parte boa deste jogo. Ver o Galvão Bueno murchar a cada gol; ficar irritado com os comentários do Falcão que os argentinos estavam mandando no jogo; indignar-se com o Arnaldo dizendo que o juiz estava correto em todas as marcações contra o Brasil ( inclusive as duas expulsões): NÃO TEM PREÇO !!!!!!!!!!!
    Já deu para sentir em parte recompensado pelas péssimas transmissões da F1. Vambora torcer em Valência !

  12. Abreu disse:

    Prezados Zen e Josemar.

    Diálogo entre Felipão e Ricardo Teixeira, pós Copa de 2002:

    Teixeira: ” Fica Felipão… ”
    Felipão: ” Bahhhh… Fico se tiver carta branca pra escolher e escalar quem eu quiser e dirigir da minha forma, tchê. ”
    Teixeira: ” A porta da rua é serventia da casa. ”
    Felipão: ” Roda, roda, vira. Roda, roda e vem… TCHÊ “.

  13. Abreu disse:

    Engraçado que nota-se a presença cada vez maior de brasileiros com a camisa da Argentina, após jogos da seleção ( seleção ? ) brasileira contra os portenhos . Achava isso tempos atrás algo meio ultrajante mas, com o passar do tempo, passei a meio que entender o sentimento dessas pessoas. O argentino é um povo descaradamente metido a besta. Mas o grande lance deles é que aliado a arrogância, entram em qualquer competição a ponto de cuspir sangue se necessário para alcançar resultados. Torra o saco o Ronaldinho Gaúcho, sulista, gremista, pagodeiro, ou sei lá o que; unido a um bando de acomodados e fazendo pagode por onde passam. Deve haver uma sociedade secreta de Ricardo Teixeira, Scaglione, Coaracy Nunes, Família Gracie; dentre outros que agora não me vêm a mente, pois as atitudes de fins duvidosos e o desrespeito pelos ideais de honra desportiva, faz tempo que se nota. Se a seleção feminina de futebol ( essa sim aguerrida ), conquistar o ouro olímpico, será mais um motivo de vergonha para a ridícula seleção masculina. E dá licença que vou jogar um futebolzinho de areia lúdico.

  14. DINO disse:

    Povo entenda uma coisa o pensamento dos jogadores é :em primeiro ,segundo ,terceiro .quarto,quinto,sexto ,setimo,oitavo,nono,e decimo lugar o dinhero, decimo primeiro não esquecer dos dez anteriores.

  15. eleagah disse:

    Nao li todos os comentarios, alguem ja deve ter falado Quem achou a VARA foi o time do Dunga!!!!

  16. Roberto Zuquim disse:

    Caro Gomes,

    Parabéns pelos teus textos chineses.
    O blog continua bombando, apesar de estamos todos muito apressados e insones.

    - Tem F1 domingo, lembra?

    E você deveria ficar mais uns dias aí na Ásia e fuçar nas bagaças dos caras e fotografar e mandar pra Blogaiada.

    Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>