MENU

segunda-feira, 18 de agosto de 2008 - 14:01Pequim 2008

FERNANDA, ISABEL…

PEQUIM (tchau) - O mesmo raciocínio fotográfico serve (servia, as fotos voltaram a entrar) para as escassas palavras, agora, que serão dedicadas às gatíssimas velejadoras brasileiras Fernanda Oliveira e Isabel Swan, bronze na classe 470, a primeira da vela feminina para o país.

Resultado que faz deste esporte, novamente, o mais medalhado na história olímpica brasileira. O judô tinha passado, 15 x 14, mas agora o pessoal da água empatou de novo. E a vela ganha no desempate porque tem seis ouros, duas pratas e, agora, sete bronzes (contra dois ouros, três pratas e dez bronzes da turma do tatame).

Para um país que tem 8 mil km de litoral, faz até algum sentido ter um iatismo forte. Mas todos sabemos que não é bem a extensão de nossas praias que faz da vela uma modalidade tão bem-sucedida em Olimpíadas. O Brasil não é propriamente uma “pátria sobre barcos”, são poucos os praticantes, não há uma vasta massa de navegadores para se tirar da quantidade a qualidade.

Há, porém, uns caras e umas meninas muito bons nisso. Na sua maioria, gente de grana, que tem possibilidade de comprar os barcos e praticar muito. O que não faz deles nem um pouco menos merecedores de aplausos do que atletas que vêm da pobreza total. A dedicação é a mesma.

24 comentários

  1. Esse esporte é demais, so não é tao demais quanto eu!!!

  2. Bullitt Kowalski disse:

    Porquê o pessoal do iatismo sempre tem que vestir esses uniformes cinzas? Algum praticante me responderia?

  3. Marcelim disse:

    Pelo menos o pessoal do iatismo não fica enchendo o saco e reclamando de falta de apoio enquanto embolsa generosos contratos publicitários como um certo cara que apesar de badalado, não ganhou nada mas reclamou por outro que ganhou…

    hehehehe(evil grin)

  4. vitão disse:

    o esporte olímpico, ainda que reste toda a pataquada de nikes e outros mafiosos do esporte , ainda é a prova acabada que a meritocracia funciona, apesar de ser tão desprezada e desconfigurada.

  5. Eric disse:

    E o sobrenome de uma delas não deixa dúvidas….Swan….que lindo!!!!

  6. Ubaldir jr. disse:

    O comentário final merece aplausos. Enquanto o povo brasileiro não deixar pra trás essa convicção de fundo estritamente religioso de que ter dinheiro é crime, o Brasil não tem a menor chance de deixar pra trás o estigma de nação subdesenvolvida.

  7. disse:

    Mérito das Gatas.
    Mas gozado, depois que fecharam o Bingo Augusta, que bancava a moçada, a coisa degringolou.
    De quem era ou é o Bingo Augusta?
    Nada contra, só quero entender.

  8. Guy Barroso disse:

    Caro Flávio,

    A razão do sucesso é outra, é climática. a maior parte dos paises que tem a vela avançada sofrem com invernos extremamente rigorosos. Assim para velejar o ano todo fica ainda mais caro pois trem que viajar para climas mais amenos.
    Numa cidade como Rio ou SP, velejamos o ano todo, isso nos dá uma vantagem enorme.

  9. Marcos Micheletti disse:

    É isso mesmo Flávio ! Não devemos ter preconceito contra as riquinhas do iatismo. Além do mais elas são muito simpáticas e pareceram, ao receberem as medalhas, tão ou mais emocionadas do que muitos outros atletas.

  10. regi nat rock disse:

    Outra vez assino o post.. Se esse esporte é – em tese – pra quem tem grana, louve-se o ideal a ser perseguido. Poderiam estar só nas baladas gastando a grana da familia e ao invés estão ralando e muito… Muitos parabéns a elas. Belo exemplo de dedicação.
    Se fosse moleza, qq um numa piroga se sairia bem.

  11. Luis F. disse:

    a lógica de que tamanho de litoral faz campeões é furada …

    é só vermos nos livros de história que os maiores navegadores foram os ibéricos, com destaque para os Portugueses. Se comparassem o litoral Portugues com o tamanho dos mares , a lógica não lhes seria favorável …

  12. Pé de Chumbo disse:

    Curioso o sobrenome de uma delas ser “Swan” (cisne, em inglês).
    Só não gostei muito da falta de consideração de uma delas, dando entrevista com o celular na orelha.
    Não podias ligar depois não?

  13. claudio gaspar disse:

    perfeito flavio, sou um fã do esporte mas fiquei muito chateado com a transmissão da ESPN no começo das olimpiadas, as vezes ate desmerecendo a vela. Mas vc foi perfeito em afirmar “O que não faz deles nem um pouco menos merecedores de aplausos do que atletas que vêm da pobreza total. A dedicação é a mesma.”

    Lembra isso ao trajano!!!

    sds
    Claudio gaspar

  14. Ary disse:

    Acho pertinente a sua observação. Eu também sempre questionei o fato de possuirmos milhares de quilômetros de praias e não nos destacarmos mais nos esportes à vela. Entretanto, a nossa carência vai muito mais além. Há muitas cidades no Brasil, algumas com mais de 60 mil habitantes, como a minha, que não possuem nem mesmo uma quadra poliesportiva pública para a prática de esportes. É um absurdo que alguns dirigentes esportivos brasileiros, aliados a alguns políticos, tenham a pretenção de gastar bilhões de dólares para realizar uma olimpíada em nosso país, enquanto não temos espaços apropriados em nossas cidades para a prática de esportes. É necessário descobrir a vocação de cada região do país para que se possa ofertar uma estrutura digna para a pratica de esportes, visando até mesmo o resgate da cidadania de algumas pessoas que vivem à margem da sociedade. Só assim o país irá se destacar no quadro de medalhas das próximas olimpíadas.

  15. Amancio dos Santos Medeiros disse:

    O Brasil com o litoral que tem deveria ter campeões de vela todos os anos, mas o governo nunca deu incentivo. Pelo contrário só rouba o povo.

  16. José Arimatéa C. de Araújo disse:

    Vejo com pesar algumas aparições dos nossos atletas que após sofrerem algum revés em qualquer modalidade de esporte se desculpam com o povo brasileiro. Com o que o país lhes oferece de estrutura nós é que devíamos lhes pedir desculpas por elegermos governantes acéfalos, que não percebem a importância do esporte e da educação na formação de um povo.

  17. Athos disse:

    O esporte da vela daria milhares de empregos: construtores de barcos, apetrechos marítimos, roupas, marinas, instrutores, manutenção,desenhistas.
    Temos petróleo que é a materia prima pra o casco,madeira…O que nos falta como sempre é ganância dos que querem manter baixa a produção para inflacionar os preços. De um governo que não se interessa de verdade pelo esporte.

  18. Mérito exclusivamente delas. Nada a ver com brasilidade ou afins.Parabéns pela conquista.

  19. marcelo disse:

    Nem nas Olimpiadas a TV mostra toda a diversidade de esportes. Nunca iremos gostar de esportes que nem sabemos que existe. E também não sabemos quantas medalhas cada esporte oferece. Assim fica difícil…

  20. S. Ferrari disse:

    Eu pratico 3 esportes diferentes (Windsurfing-Kitesurfing e Voo livre (Asa Delta) )recreativamente a varios anos e noto que so se ouve falar nestes esportes em canais pagos, e mesmo assim muito pouco pela capacidade esportiva de nossos representantes em competicoes mundo afora ,pois estao entre os melhores do mundo e muitas vezes campeoes mundiais. Isto é uma clara evidencia que os canais em geral só mostram mesmo aqueles esportes que lhes trazem retorno financeiro e suas açoes na verdade ficam longe de promover o esporte em geral.

  21. Eric disse:

    Alguém sabia que o meu patrão (ESR) foi ouro em 1984???

    Nem eu….

  22. "O Peixe" disse:

    Fico impressionado q mesmo após varias conquistas olimpicas a Vela/Iatismo é pouco falado na imprensa, nunca somos informados sobre competiçoes regionais ou nacionais, só ouvimos falar de um tal robert sheidt de 4 em 4 anos, ah, tem o grael também.
    acho q os velejadores mereciam mais destaque no noticiario esportivo. mas o povo daqui só quer saber de falar besteiras sobre tecnicos e dirigentes de futebol em mesas redondas chatas e desnecessarias, dpois nao sabem pq o Brasil nao é uma potencia olimpica…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>