MENU

sexta-feira, 22 de agosto de 2008 - 10:39Pequim 2008

O OURO DA MAURREN

PEQUIM (a história dela) – “Fazer história” é expressão que se usa muito na crônica esportiva, deu uma banalizada, como “sentiu a pressão” ou “o time precisa de uma referência no ataque”.

Mas no caso específico de Maurren Maggi, agora há pouco no Ninho, fez história mesmo, porque desde que Pedro Álvares Cabral descobriu o Brasil uma mulher brasileira nunca havia conquistado uma medalha de ouro em prova individual de Olimpíada.

Outra moça já havia, vá lá, feito história aqui, logo no começo dos Jogos, Ketleyn Quadros, com um bronze no judô. Foi a primeira brasileira a ganhar medalha, qualquer medalha, em competição individual.

Assim, temos a história sendo escrita por duas moças, Maurren e Ketleyn, nomes pouco comuns e de trajetórias idem. Maurren passou um bom tempo suspensa por doping, um caso esquisito atribuído, por ela, a uma pomada para depilação. Em muitos casos, eu diria que na maioria deles, atletas pegos em exames antidoping, em qualquer modalidade, têm enorme dificuldade para voltar a competir em alto nível. Não bastasse o tempo parado, há também a desconfiança dos colegas, a lembrança que sempre vem à tona, essas coisas.

Maurren voltou a saltar há pouco tempo e pouca gente acreditava nela. Foi, saltou e ganhou. Isso é bem legal, a menina está de parabéns. E só precisou pular uma vez, a primeira, 7,04 m. Foi o bastante. Ganhou da russa por um mísero centímetro.

Curiosamente, dos 277 atletas da delegação brasileira que vieram a Pequim, Maurren era a única com quem eu já tinha conversado na vida. Não que eu seja um seguidor xiita de provas na pista do Ibirapuera, ou especialista em Troféu Brasil. É que Maurren foi casada com Antonio Pizzonia, piloto da Jaguar pelos idos de 2003, quando ela estava suspensa. Sem nada para fazer, ainda namorada já acompanhava o amazonense a todos os GPs. Mulher muito bonita, mas calada e desconfiada, Maurren aparecia no mesmo ponto do planeta que eu, em média, a cada 15 dias. E nessa convivência acaba nascendo, no mínimo, um conhecimento mútuo — dei toda essa volta para dizer que somos o que se chama de “conhecidos”

Curiosamente, também, Maurren está na galeria de atletas que, algum dia, já pisaram no meu modesto escritório na avenida Paulista. De vez em quando um ou outro piloto aparece por lá para uma entrevista, coisas assim, e quando o Pizzonia foi mandado embora da Jaguar, quebrou o silêncio depois de alguns meses indo à sede da minha holding de uma sala só para contar o que havia acontecido na sua temporada de estréia na F-1.

A Maurren foi junto. Ela não estava dando entrevistas, depois da história do doping. Perguntei, ao final da conversa com o Antonio, se queria dizer alguma coisa. Ela falou que não, e os acompanhei até o elevador e, depois, ao térreo para me despedir, desejando a ambos boa sorte.

Lembrando daquele dia, eu poderia dar uma cascateada ótima aqui, hoje. Vejam se vocês não acreditariam:

“Maurren é uma das poucas atletas que conheço, e a única sobre quem posso dizer que vi nos olhos, um dia, a gana e a vontade de dar a volta por cima fazendo aquilo que tiraram dela: o direito de competir. Há cinco anos, esteve no meu escritório acompanhando o namorado, Antonio Pizzonia, e ficou em silêncio ouvindo a entrevista do piloto. Vi aquele brilho no seu olhar, apesar da quietude. Tenho uma poltrona retrô amarela em meu escritório. Amarela como o ouro que está no seu peito agora. Foi ela que Maurren escolheu para se sentar e esperar Pizzonia falar sobre corridas e sobre F-1. Naquele momento, olhei para ela e tive a certeza absoluta de que aquela carreira não tinha terminado, não. Seria retomada mais dia, menos dia, e com o brilho do amarelo daquela poltrona. Lembrei disso ao vê-la no pódio hoje, e me senti um pouco dono daquela medalha.”

Bom, o que aconteceu, na verdade, é que de fato ela ficou esperando o Pizzonia na poltrona amarela. Primeiro, porque é uma dama e a poltrona é confortável, de fato. E a única que temos. No mais, algumas poucas cadeiras de escritório, feias e sem graça alguma. Me lembro também que tirei minha jaqueta da poltrona, que serve de cabide na maior parte do tempo, para a Maurren se sentar.

E não lembro mais nada.

99 comentários

  1. Harry disse:

    OI FG,

    “Dono da medalha” é ótimo. Um dia antes dela embarcar para Pequim eu a vi na pista do Ibira (onde eu treino)…poxa será que que eu tenho % também.

    No jornalismo tem micos como esses lugares comuns e frases prontas..

  2. Magnum disse:

    Ola Maurren,
    Quero te dizer, que sempre acreditei em você, quando te acusaram de doping, só em olhar em seus olhos, nao tive dúvida, vc é Brasileira, tem garra, isso que falta em muita gente em nosso país.
    Obrigado pelo Ouro, menina…
    … mas o verdadeiro ouro é VC

  3. diovan disse:

    Pois é Maurren, você dá um bom Caldo MAGGI….

  4. RIBAMAR disse:

    PARABENS MAURREN,

    VC É O OURO MAIS BONITO QUE O BRASIL POSSUI HOJE.

    MUITA SAUDE PARA VC SUA FAMILIA E SUA FILHA.

    RIBAMAR

  5. Antonio Seabra disse:

    Naquela epoca da poltrona eu achei que ela tiha sido a “asa negra” na vida do Pizzonia. Agora vou começar a achar que foi ao contrario…

    Parabéns a Maurren, por ter dado a volta por cima e ter voltado ao topo. a medalha foi só o coroamento do esforço !
    Antonio

  6. nilson disse:

    FANTÁSTICA, A VOLTA POR CIMA DE UMA MULHER QUE FOI ESQUECIDA POR UM BOM TEMPO. ESTA AI FUTEBOL MASCULINO, UM BOM EXEMPLO A SER SEGUIDO, JÁ QUE ONZE HOMENS NÃO TIVERAM TAL COMPETÊNCIA.

  7. GERSON JUNIOR disse:

    FLAVIO, PORQUE VOCE NÃO PASSA A CHAMAR A MAUREEN DE ” MAUREEN MAGGICA” ?

  8. Galdencio disse:

    Torço para o brasil ganhar as competições e trazer o maior numero possível de medalhas, de preferência de ouro, torci muito também para a Maurren, mas nesta olimpíada onde quebrou-se muitos recordes no atletismo, tivemos muita sorte de que na prova do salto em distancia feminino o nível da competição foi muito baixo, levando em consideração que a melhor marca ficou quilometros distante do recorde mundial (7,52 mts) e Olímpico (7,40 mts)

  9. jorge roberto alves pereira disse:

    Depois de ler o texto do Sr. Carlos Alberto, me lembrei de duas coisas:
    1º – eu tenho este jornal guardado até hoje, uma inexplicável mania que eu tenho de guardar certas coisas, tenho até ( pasmem ) uma revista inglesa, dos idos de 1998, em que os ingleses já davam como certa a chegada de Lewis Hamilton à F-1 de forma vitoriosa. Vou escanear e postar para vocês.

    2º – Como sou ex-atleta do ciclismo, sou muito ligado às notícias de esportes. Não lembro o nome do atleta, só lembro que é alemão e do atletismo ( acho que dos 400 m ou 800 m ) bi-campeão olimpico, mundial, etc… que também foi pego em um anti-doping já no final de carreira, pelo uso de uma substância que na verdade até prejudicaria sua performance. O atleta jurava até o ultimo fio de cabelo inocência. Vistoriaram tudo que ele ingeria de alimentos e líquidos. Para surpresa dos médicos, descobriram que realmente ele era inocente.Ele e a família foram reexaminados, pois a substância que foi encontrada na análise estava na fórmula do creme dental, que eles e mais da metade do povo alemão usava. Sem constar na fórmula!!!!!
    Realmente, tem hora que as regras são absurdas demais.

  10. Eduardo Cruz disse:

    Estava tentando ler todos os comentários, mas quando cheguei no do Luiz Fernando, que dizia que o Brasil é um celeiro de atletas… Não sei porque, mas, na hora, meu foco fugiu totalmente da conquista da Maurren, e só conseguia me lembrar da associação do celeiro com as bestas que dirigem nosso tão maltratado esporte, e da mula que dirige a seleção de futebol.
    Rebobinando de onde tinha parado, quando cheguei no blog: Parabéns para a Maureen. Foi a melhor coisa que ela fez na vida, depois de se livrar do Pizzonia…

  11. L.A. Pandini disse:

    Flavio, estou preocupado com você. Espero que o espírito do Armando Nogueira (sim, eu sei que ele está vivo) já tenha sido desalojado do seu corpo. Você reproduziu direitinho o estilo “babão-que-cria-grandes-odisséias-a-partir-do-nada”, do qual AN é o maior representante na crônica esportiva brasileira.

    Sensacional! Abraços. (LAP)

  12. Luiz Carlos Duarte disse:

    Flavinho,

    Sensacional a cascateada. Um tapa de pelica na cara das oportunistas e egocêntricas “crônicas patrióticas de ocasião”.

    Vê se leva o time da Lusa para sentar na poltrona amarela!

    Abraço

  13. João Flora disse:

    Hoje desisti. Mesmo sabendo da melhor estrutura técnica e da qualidade da imagem da Globo, resolvi assistir pela Bandeirantes. Nãó consigo mais ouvir o Galvão Bueno falando. É pedante e arrogante demais. Pensa que sabe de tudo e “castra” todos os comentaristas de sua equipe, seja no futebol, no volei, natação. Se duvidar até em transmissão de jogo de bocha ele se mostraria insuportável. A “gota d´água” foi nas transmissões do volei de areia. Mesmo querendo disfarçar, ele já se mostrara tendencioso no jogo entre brasileiros nas semifinais. Para completar, na própria decisão do ouro ele ficava se referindo com exagerada frequência na qualidade de Ricardo e Emanuel, com claro desprestígio a quem estava decidindo, com méritos, o ouro olímpico. Daí ele inventou uma expressão que repetia a todo momento, a tal de “força mental”. Só os que a possuiam poderiam vencer. É muita baboseira. Essa expressão deveria estar pronta hoje com as meninas do volei para detonar, caso perdessem. Como elas ganharam, então elas agora tem “força mental” . PQP, é muita petulância…

  14. Mario disse:

    FG

    parabéns!!! seu texto está excelente, tem uma sensibilidade e sinceridade incomum nos dias atuais, nossos jornalistas esportivos tem a idiosincrasia de escrever ou falar como se fossem poetas mas a falta de sinceridade os trai em cada palavra , quando alguem perde foi o atleta que perdeu quando alguem ganha foi o Brasil, acho isso ridiculo, como também os que se aproveitam para querer passar uma intimidade com os vencedores que a gente sabe não existir é o interesse comercial acima de tudo, por isso cada vez que leio algo com a sinceridade esplicitada por voce fico esperançoso, nem todo jornalista é babaca, salve o FG

    abraços

    Mário

  15. Roberto Torres disse:

    Fg
    Quanto a vc, o texto foi bom e hilário.
    Quanto a Maurren, é um exemplo da volta por cima e de que só se dá bem no esporte brasileiro, quem luta só. Fora o vôlei.

  16. Jonathas Nascimento disse:

    Lindo texto!
    Se alguém merecia ganhar uma medalha nessas olimpiadas, era Maurren! Sua gana, sua força de vontade, sua volta por cima, isso é um mérito que só os campeões possuem! Uma lição de vida pra gente que acorda cedo, rala, rala, e muitas vezes perde. Mas acho que como Maurren não devemos nunca desistir, pois o não de hoje poderá ser um sonoro sim amanhã! Fé e perseverança sempre!! parabéns Flávio, o texto é tocante!

  17. nilton disse:

    muito antes de ser uma menina de ouro, muito antes de ser sra pizzonia, ela já acompanhava o pai, kartista do interior de são paulo, parabénsss

  18. Carlos Alberto disse:

    LEIAM ISSO:

    Maurren Maggi nunca se dopou. Eu provo!

    A medalha de ouro de Maurren Maggi representa uma volta por cima de uma atleta exemplar. Espero que ela receba todas as homenagens a que tem direito e um pouco mais. Maurren merece – até porque carrega a dor de uma acusação injusta.

    Em 2003, às vésperas dos Jogos Pan Americanos, Maurren Maggi foi punida e afastada das pistas, num processo anti-dopping. Ela foi acusada de ter feito uso de clostebol, substância proibida pela medicina esportiva. A maioria das histórias de dopping envolvem roteiros cabeludos e explicações incoerentes, mas o depoimento de Maurren sempre foi claro. Ela não se dopou.

    Sem saber, no final de uma sessão de depilação numa clínica de São Paulo, recebeu a aplicação de uma pomada cicatrizante chamada Novaderm. Entre outras substâncias, a pomada continua clostebol – em doses mínimas para afetar o desempenho esportivo, mas suficientes para serem apanhadas num exame médico.

    Eu era diretor do Diário de S. Paulo, naquele momento. Com auxílio de Carlos Alencar, o editor de esportes, decidimos fazer uma reportagem para afastar qualquer dúvida. Escalamos uma repórter, Luciana Ackermann, para ir à mesma clínica de Maurren, fazer a mesma depilação, receber a aplicação da mesma pomada – e depois submeter-se ao mesmo exame médico que ela fizera. O resultado foi o esperado: deu dopping na repórter que, como Maurren, apenas fizera uma depilação.

    Este teste não prova que o exame médico estava errado mas mostra que aplica-se rigor demasiado em quem não merece –e muitas vezes deixa escapar quem não devia, não é mesmo?

    Também prova que Maurren tinha uma qualidade que só faz bem a uma grande atleta – caráter.

    http://paulomoreiraleite.com.br/colunaepoca/2008/08/22/maureen-maggi-nunca-se-dopou-eu-provo/

  19. Flávio disse:

    Xará, os textos continuam muito bons, aliás, como todo mundo aí pra cima já disse.

    Tava lembrando aqui de um tempo muito longínquo, quando nós fomos colegas no CEl-LEP da Brigadeiro e você ainda não tinha migrado para a área de esportes. Ainda bem que o fez, porque muitos jornalistas dessa área são ruins de doer, começando pelo medalhista de ouro, o Galvão. É bom saber que tem gente boa trabalhando, como você e vários colegas da ESPN, porque pra gente que é maluco por esportes, dói profundamente ouvir a quantidade de asneiras que os grandes comentaristas produzem a torto e a direito.

    Quanto a Maurren, parabéns é pouco, por tudo que ela passou. Valeu pela luta, por acreditar, por não desistir. Ainda que seja por um centímetro!

    Apenas continuo achando que as pessoas criticam demais a maioria dos atletas, como se fosse fácil ganhar uma medalha olímpica. Ainda mais quando se vê que muitos favoritos de outros países também chegaram lá e “amarelaram”.

    A minha dúvida é: se por um azar nosso, a russa saltasse um centímetro a mais do que a Maurren na sua última tentativa e a nossa campeã tivesse que acertar o seu último salto e não o fizesse? Aí ela seria amarelona também? Por um mísero centímetro?

    Acho que não, né?

    Ainda bem que só os atletas é que tem que dar explicação sobre suas falhas. Já imaginou se fôssemos nós, tentando justificar os tropeços que já tivemos nas nossas vidas?

    Bom, melhor deixar pra lá. Agora, vamos comemorar, torcer pelo volei, pela Natália e pelos maratonistas.

    Ah, e Nigéria desde criancinha …..

  20. Claudio Ceregatti disse:

    Vicaria:
    Se o Bruno Senna e a Mauren já sentaram na tal poltrona amarela… Vê se pede pro FG sentar, quem sabe aprende alguma coisa…

  21. Abreu disse:

    Rapaziada, a pureza do coração das crianças é uma das coisas que mais me alegram e me faz literalmente ganhar o dia. A pequena Sophia, dizendo a mãe ao celular que queria a medalha de prata por simplesmente achar mais bonita que a de ouro foi algo como dizer: ” Cambada de adultos sem-noção, repensem seus valores, e minha mãe é de ouro de qualquer jeito… “. Parabéns ao Fábio Luiz ( meu conterâneo ) e ao Márcio pela medalha de prata, bem como ao Ricardo e Emanuel pelo bronze. Não fizeram pouco não, podem acreditar. E Londres 2012 tá logo ali.

  22. antonio cardoso disse:

    Maurren o mundo é melhor porque existe pessoas como voce!
    você é um exemplo vc fez a diferença na nossas vidas Jesus te ama e nós tambem.

  23. Valdinei da Cruz disse:

    Maurrem, por tudo que passou e lutou pelo seus sonhos dourado ai tá o seu lindo resultado em Pequim. Vc foi uma querreira e que precisava de apenas um salto para coroar a sua grandeza como atleta. Parabéns pelo seu feito brilhante e com sua humildade só tenho agradecer de vc ser Brasileira e que nos deu muito orgulho. Continue saltando e irradiando esta simpatia, humildade de uma querreira nata. Vc mereceu este teu feito porque tem um Deus que olhou lá de cima e disse:

    VC É OUROOOOOO MAURREM!!!!

  24. Belair disse:

    FG : pô Maurren, você tão bonita, namorando esse mala ? Nessa você Pizzonia bola …
    Maurren : esquenta não Flávinho…Vou me redimir chutando o cara e trazendo um ouro p/ você na minha próxima olimpíada. Ah! se você não fosse casado….

    Eric, a idéia do Fernando do Recife é genial. E é só rebaixar o assoalho da Deka sob a cadeira…

  25. Phelps disse:

    O ouro dela começou a brotar quando ela largou o “Bizonha” (o verdadeiro apelido dele aqui no Amazonas, essa história de “Jungle Boy” foi ele mesmo quem criou)

  26. Carlão disse:

    Há cinco anos essa moça chamaria mais a atenção pela sua beleza, hoje pela garra, dedicação e conquista histórica; e você FG, você é o maior gaiato, no bom sentido. Excelente texto.

  27. Tibúrcio Barros disse:

    Para a cascateada, vai algumas sugestões, para aumentar as lágrimas dos leitores.

    “Lembro dela na holding/escritório admirando a minha coleção de fotos e miniaturas de calhambeques rusos. Perguntei se gostava destes museus de 4 rodas, mas não, ela respondeu que esperava um dia estar acima da campeã olímpica de atenas. Por isso, sei que ela está me reverenciando, pois sabendo da minha paixão (do FG) e lembrando daquele dia revelador, queimou os pulos seguintes apenas para incentivar à competidora daquela ditadura pseudo democrática a fazer parceria no pódio.
    … Ao beijar o pódio antes de subir, que também é amarelo, vi uma referência àquela poltrona amarela, fonte de inspirãção. Mas também, por saber que amarelo é a cor da bandeira do Brasil, é do Brasilsilsilsilsil ! ! ! ! ! ”

    Abraços,

    Tibúrcio Barros
    indo para Tailândia

  28. Edson Naga disse:

    Boa Tarde Flavio Gomes.

    Parabens Maurren.

    Vc foi brilhante!!!!!

    Vc soube superar as adversidades do esporte e da vida.

    Vc é uma vencedora dourada!!!!!!

    Pra vc eu tiro o meu chapéu!!!!!

    Ta aí o resultado de quem trabalha e compete com determinação para chegar a um objetivo…

    Ta aí, chegou levoooouuuu!!!

    Muito obrigado.

    Ate logo Gomes.

  29. Milton disse:

    e retificando o post do amigo reginaldo acima, acho que só Confucio explica…

    agora, sinceridade: acho que até campeonato de xadrez o GB deve narra de forma burlesca…com berros e etc…(e achando-se o melhor narrador do mundo.. tsc tsc…)

  30. Ronald disse:

    Ouro para Santa Bárbara D Oeste e para São Carlos, a capital do clima!!!! Eita interiorzão!!!

  31. Ronald disse:

    Bom, quanto ao penultimo parágrafo……que premonição!!! Já pode ser repórter da Globo!!

  32. Pedro Jungbluth disse:

    Hehehe, reconheci no seu texto entre aspas o estilo do RL, em suas colunas…

  33. Fowler T. Braga Filho disse:

    Acho que já falaram tudo que este texto merece, tanto para o FG como para a Maurren, que saiu do ocaso do doping, para uma vitória incontestável. Acho que ficou faltando apenas comentar que a atitude de ir cumprimentar(consolar) a russa foi muito legal. E quem assistiu a competição toda pelo Sport TV acompanhou a emoção do Robson “Boca Santa” Caetano que culminou com o abraço na Maurren na pista.

  34. Fabio Bandini disse:

    Hoje acompanhei a prova da Maureen na SporTV (que passou a prova toda) e terminei na ESPN Brasil.
    Na SporTV, um narrador com voz de pato rouco, Róbson Caetano e André Domingos gritando e torcendo a cada salto queimado da russa concorrente de Magi. Vibravam mesmo, às gargalhadas.
    Achei deprimente, principalmente se tratando de dois ex-atletas medalhistas olímpicos.
    Essas coberturas da SporTV/Globo/Band são de dar nojo. A única que se salva, na minha modesta opinião, é a ESPN BR e INT.

  35. disse:

    Regi, malhamos o Galvão, tipo dar cacete mesmo.
    O pior que são pitacos, pois não deve ser fácil tirar neguinho do sofá e fazer acreditar que o Ricardo Teixeira é o cara, ou então que o Senna fez isso e aquilo.
    Vejo F1 pela ITV, assisti as Olimpíadas pela CCTV5.
    Só tenho uma reclamação do Galvão Bueno,na minha vida, uma só.
    Do atendimento em julho de 2007 na Cervejaria dele, em Londrina.
    Galvão, vc. deve uma rodada de Cerveja para a Galera da Super Classic.

  36. Anderson disse:

    Gostaria que o time de futebol da seleção brasinheira, isso mesmo, brasinheira, não errei na escrita não, pois de brasileira só leva o nome, cujos jogadores “estrangeiros” pouco pensam em sua pátria mãe, ou nada pensam, assistissem ao salto da Maurren. De repente, quem sabe, o fervor e orgulho brasileiros, mexessem um pouco com eles..
    Maurren, parabens!!! Confesso que os arrepios de emoção ao vê-la recebendo a medalha de ouro, foram inevitáveis..

  37. Jungle boy disse:

    Muito bom o seu blog.

    Parabéns às simpáticas e hospitaleiras cidades do interioR de São Paulo, que sempre nos premiam com momentos felizes como esta conquista da Maurren Maggi.

    Acompanho a ESPN, que tem narradores, comentaristas e profissionais sérios e imparciais e que não afrontam a nossa inteligência.

    Fico contente por saber que este ouro veio do primo pobre, o atletismo.

    Vejo no atletismo a verdadeira cara do Brasil, simples, humilde, tentando ultrapassar toda sorte de obstáculos para tentar vencer na vida.
    É no altletismo que o homem/mulher se supera. É o momento mágico da Olimpíada. O resto é celebridade, e isso, o verdadeiro herói dispensa.

  38. Pastorello disse:

    Todas as glórias para Maurrem!

    Dava para ver no rosto dela a vontade de vencer quando pediu a platéia para bater palmas.
    Mereceu, e muito bem merecido.

    Essas histórias são as melhores coisas das olimpíadas, superação, vontade e tudo isso.

    Muito bonito, merece nossos aplausos, em pé!

  39. Helder-PE disse:

    Se fosse Galvão, teria mesmo mandado essa cascata: “Já ali eu senti que ela iria ganhar!” Putz, Galvão nas Olimpíadas é pior do que Galvão na Copa…

  40. regi nat rock disse:

    Bem, com a adrenalina em níveis normais, passado o estado de euforia pela espetacular performance da menina e relendo o seu post, fico me perguntando donde-é-que-voce-vai-buscar-tanta-criatividade ? Essa ‘viajada’ é um demonstrativo do que os ‘penas de ouro ou de língua’ que as utilizam a mãos cheias para se valorizarem como grandes jornalistas ou locutores ou críticos. Pela minha ótica o mais especializado nesse uso fraudulento, é o seu amigo GB que é malhado por todos e continua todo pimpão despejando uma quantidade inacreditável de informação inútil, travestidas de verdades universais definitivas. (Freud deve explicar eu acho).
    Enfim tua grande virtude é ser absolutamente honesto seguindo o seu código de ética retíssimo pacas!
    Eu agradeço demais à sua ética e o privilégio de poder me sentir também e modestamente seu amigo.

    Parabéns ao ouro da Maurrem. Mal podemos imaginar o tanto de sacrifício que essa medalha custou.

    E a vc, Grande Jornalista, saudações douradas, prateadas e bronzeadas… aos outros, no máximo uma medalha de papelão pendurada com um alfinete de fralda.

  41. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, escrevendo assim Flavinho, vc vai para Globo. Imagina esse texto sendo lido pelo babão(Galvão).
    Muito bom seu blog olímpico.
    Abração.
    BRASILLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL
    hahahahhahahhahahha

  42. Izac B disse:

    Antes de predestinada ao primeiro ouro olimpico individual feminino da terra tupiniquim a Maurren é uma atleta de alto nivel que treinou para vencer, como todos os atletas em todas as olimpiadas. Atualmente, ela é a melhor e é por isso que a parabenizo.
    obs 1. é muito pouco para o Brasilzao. So a emiisora do GB engrandece duas miseras medalhas douradas
    obs 2. parabéns pelos excelentes textos FG
    obs 3. nao tem nada a ver mas tenho que contar: apos o ouro brasileiro na nataçao, a emissora France 2 colocou a gravaçao do locutor brasileiro da Globo no momento da conquista. Tiraram o maior sarro do locutor. Nao sei quem era o locutor porque tinha mais o q fazer (estudar o dificil francês, por exemplo).
    obs 4. desculpem a falta de acentuaçao. O teclado francês é f…
    Grande abraço FG.

  43. Plínio disse:

    Agora só falta ela posar pelada para a Playboy…

  44. Léo Engelmann disse:

    Pra mim, Maurren é mais até que a Elena.

    Mais bonita, mais corpuda, mais vivida, mais humilde.

    Exemplo de superação, dando a volta por cima do dopping e fazendo o Brasil saltar, literalmente, no quadro de medalhas.

    Parabéns, Maurren. Você será a porta-bandeiras da delegação brasileira de 2012.

  45. Edgar SC disse:

    Ótima a cascata ai…
    Se fosse em alguma rede de TV ai garanto que iria ser isso ai mesmo…

  46. islene botelho disse:

    Parabéns querida…valeu
    adoro voc~e
    Islene de Manaus

  47. Nilson Duarte Monteiro disse:

    FG,

    Outra coisa que aconteceu de melhor para a Maurren, além desse ouro é claro, foi se livrar do Pizzonia.

  48. Karen disse:

    Viva a caipirada!!! Valeu Maurren!!!

    1) Qual a diferença entre 1 milésimo do Cielo e 1 cm da Maurren?
    Confúcio tem explicação?

    2) Porque a Maurren estava com uniforme diferente na cerimônia de premiação? O do Cielo e demais atletas são diferentes.
    Será que ficou sem uniforme também?

    3) O pior é ouvir a globo dizer que nossas únicas chances de ouro em Pequim é no vôlei – F e M.
    Acho que ele esqyuceu que ainda tem a maratona masculina, no último dia e tem dois brasileiros…que falta de respeito para com os maratonistas, heim, dona Globo?

    Ah, e o maratonista que emprestou a roupa para a Marili é o Frank Caldeira…já imaginou ele no pódio?
    Ou será que a maratona já aconteceu e eu não vi?

    Valeu Maurren! Parabéns.

  49. Eric disse:

    Só que a cadeira só faz efeito quando senta-se nela e encosta os pés no chão….então….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>