PAIS & FILHOS (SEM FOTO) | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

terça-feira, 25 de novembro de 2008 - 21:10Automobilismo brasileiro

PAIS & FILHOS (SEM FOTO)

SÃO PAULO (direito concedido) – Está há algumas horas nos comentários do post “Recado para a FASP”, mas como nem todos lêem os comentários, acho justo abrir um novo post sobre o assunto para que o missivista tenha o mesmo espaço de que disponho para expor suas idéias.

Trata-se da mensagem de Hailton Castro, pai do piloto Felipe Castro, do Passat #50, que quase causou gravíssimo acidente sábado em Interlagos, em nossa prova da Superclassic (quem não viu pode ver no link).

Mais abaixo, a resposta que coloquei ao seu comentário, que igualmente reproduzo aqui.

O que eu tinha a dizer sobre o assunto, já disse ontem. Portanto, me abstenho de mais comentários, deixando-os para vocês.

A mensagem do pai de Felipe Castro está publicada na íntegra, sem revisão ortográfica.

*******************************************************

“Prezado Sr. Flavio Gomes

Inicialmente, permita-me apresentar.

Sou Hailton Castro, pai do Felipe Castro piloto do Passat #50 que participou da prova da categoria Carros Antigos no último sábado 22 de novembro no Autódromo José Carlos Pace.

Com relação aos fatos ocorridos naquela prova, tenho a esclarecer ao Sr. o seguinte:

O Felipe errou em sua pilotagem ao perder o ponto de frenagem do carro para o contorno da primeira perna da curva e errou novamente quando ao retornar à pista, colocando em risco a sua integridade física e à de terceiros.

Eu estava assistindo à corrida no “S do Senna” acompanhado de minha esposa e de minha filha e presenciamos toda a cena. Creio ser desnecessário descrever os nossos sentimentos naquele momento. Espero sinceramente que o Sr. jamais tenha de passar por este tipo de emoção com os seu filhos.

Na terceira passagem, o Felipe errou novamente no mesmo local porém em menor escala. Daí em diante, ele conseguiu recuperar a concentração e não mais cometeu erros maiores, completou todas as voltas, fez ultrapassagens com segurança e classificou-se em 4o. lugar em sua categoria.

Terminada a prova e já em casa, discutimos exaustivamente o ocorrido, não somente entre família mas também com a participação da equipe, de amigos e de pilotos de nosso relacionamento que também presenciaram a tudo.

Os devidos alertas e ”puxões de orelha” foram levados à cabo com a energia merecida e, o mais importante, com a devida aceitação pelo Felipe, ou seja, ele assumiu o seu erro.

Declarou que estava tenso no momento da largada embora também reconheça que isto não justifique o erro cometido. Não é segredo para ninguém de que aquela foi a primeira participação do Felipe em uma prova.

Importantíssimo salientar, que desde os treinos da 5a. feira o Felipe foi alvo de perseguições e pressões por parte de vários pilotos da categoria, sob a alegação de que o Passat #50 estava equipado com motor fora do regulamento. Acredito que este fato não lhe tenha sido revelado.

Um verdadeiro clima de terrorismo instalou-se nos boxes da categoria e o Felipe teve de se submeter a tudo isto.

Disponibilizamos o carro e o motor nos boxes para que qualquer mecânico o abrisse e verificasse.

Sabe o Sr. quantos pilotos tiveram a hombridade e a coragem de fazê-lo?

Resposta : NENHUM!

Na verdade, trata-se de um motor VW AP 1.6, preparado ainda nos moldes da antiga categoria “Turismo N” e equipado com um velho carburador mini-progressivo.

O Sr. Luiz Finotti, a que o Sr. conhece bem, poderá atestar-lhe sobre a verdade deste motor. O Sr. Luiz conhece muito bem ao Felipe e à mim.

Claro que estes pilotos que protagonizaram esta atitude lamentável, não o fizeram pelo regulamento mas sim pelo cronômetro, afinal, com esse motor o Felipe cravou 02’09” nos treinos, ou seja, muito abaixo daqueles que usam carburação Weber, etc.

Houve até o caso de um piloto que retirou-se do treino, revoltado que estava.

Para ele também o motor continua à total disposição para qualquer verificação.

Este assunto está encerrado para mim e para meu filho.

Porém, cabe-me aqui como Pai (com P maiúsculo mesmo) esclarecer-lhe e alerta-lhe do seguinte:

Li atentamente aos 2 artigos publicados pelo Sr. e às dezenas de comentários de seus visitantes em seu “Blog” à respeito do ocorrido. Estão todos devidamente arquivados em CD.

A única conclusão que posso chegar é a de que o Sr., através do seu “Blog” está submetendo meu filho menor à execração pública.

Até consumo de drogas foi sugerida nos comentários dos visitantes e, saiba o Sr. de que os comentários veiculados em seu “Blog” também são de sua responsabilidade.

Dezenas de comentários, de pessoas que sequer conheço, atingem a integridade de minha família e à minha particularmente, uma vez que fui taxado de irresponsável publicamente por pessoas que não se identificam, usam apenas iniciais ou alcunhas.

O Sr. tem alguma noção do que isto significa? Tem o Sr. alguma noção das terríveis conseqüências que estes comentários geraram em minha família? Tem alguma noção do clima que estabeleceu-se em minha casa? Creio que não.

Lamentável para alguém como o Sr. que se diz “jornalista” utilize de palavras tão chulas e de baixo calão em seus artigos. Esta atitude realmente denuncia à que categoria de “jornalista” o Sr. pertence.

Com relação às autoridades desportivas (FASP e CBA), a quem o Sr. tanto odeia, quero informá-lo de que a pressão que o Sr. está fazendo para que estas tomem providencias é totalmente desnecessária. Eu pessoalmente e o Felipe iremos à FASP, independentemente de qualquer convocação, prestar os esclarecimentos que nos forem solicitados e acataremos com total resignação à quaisquer penalidades que aquele órgão entender necessárias.

Faremos isto pois, em minha família assumimos integralmente por nossos atos e não precisamos de opiniões como as suas, aliás, dispenso-as todas. Sabemos e assumimos nossas responsabilidades.

Com relação ao aprendizado do Felipe como piloto, cursos, habilitação e às dezenas de treinos feitos desde 2007, não lhe devo satisfações. Isto não lhe diz respeito.

Em seu primeiro artigo o Sr. declara que irá procurar o Felipe para conversar com ele. Peço-lhe que não o faça. Não procure à ele nem à mim. Não queremos falar consigo, não temos tempo para o Sr. Nós o ignoramos totalmente.

A única atitude que espero do Sr., se é que terá a dignidade para tal, é a de publicar esta mensagem na íntegra na página principal seu “Blog”, pois, tem esta a finalidade de exercer o meu direito de resposta.

Para finalizar, quero que saiba que falo como homem, como Pai e como um apaixonado pelo automobilismo. Este mesmo automobilismo que, lamentavelmente, abriga gente como o Sr. que, apesar dos meios de que dispõe, nada faz pelo seu engrandecimento.

Atenciosamente

Hailton Castro”

*************************************************

RESPOSTA DO FG:

Caro Sr. Hailton,

Incialmente, permita-me apresentar-me.

Sou Flavio Gomes, jornalista há 26 anos, 20 deles no automobilismo. E sou o criador da categoria que seu filho escolheu para iniciar sua carreira no automobilismo.

De tudo que o senhor escreveu, as únicas coisas que realmente importam estão nos primeiros parágrafos. Folgo em saber que o senhor percebeu que o Felipe colocou em risco sua integridade e a de terceiros. E folgo mais ainda em saber que nada de grave aconteceu, nem a ele, um garoto de 16 anos, nem a ninguém. Imagino, sim, os sentimentos seus e de sua família diante da possibilidade de um acidente grave. Não, não passarei pelas mesmas emoções porque jamais permitirei que meus filhos participem de corridas de carros aos 16 anos.

O resto, me desculpe a franqueza, é um amontoado de bobagens. Se o Felipe, como o senhor disse, assumiu seu erro, demonstrou mais maturidade que o senhor, com seu discurso virulento e destemperado. Porque seu destempero é típico de quem não aceita críticas, nem o confronto com a realidade. Algo que, felizmente, parece que o Felipe aceitou.

O senhor alega que Felipe foi alvo de “perseguições” por parte de “vários pilotos da categoria”. Dê os nomes, talvez seja interessante saber quem foi que o “perseguiu” e “pressionou”. Era uma corrida amistosa, duvido que alguém tenha feito isso. Não vi “clima de terrorismo” nenhum. Eu, por exemplo, nem sabia que seu filho iria correr. Fui vê-lo na pista. O carro. Nem sabia quem estava ao volante. Lamento, mas nossa categoria não é formada pelo tipo de gente que o senhor imagina que dela participa.

O que tem no carro de seu filho não me interessa minimamente. Se ele tem a intenção de participar de nosso campeonato, caberá aos comissários da FASP constatar se o carro está no regulamento ou não. Isso é irrelevante. O senhor está desviando o assunto de seu tema central, que descrevi com a maior clareza possível no que escrevi — o despreparo de alguém com 16 anos para enfrentar uma pista com um carro de corrida. Abstraia que é seu filho. Estou falando genericamente. Há alguns anos escrevi a mesmíssima coisa sobre crianças de 9 ou 10 anos que disputam campeonatos de moto. Parte da comunidade motociclística me odeia por isso. Paciência.

O senhor brande “o cronômetro” como motivação para a tal “perseguição”, o que é uma sandice. Eu e todos meus colegas dispensamos tais demonstrações de virilidade. Não quero ensiná-lo a educar ninguém, mas creio que elas não sejam um bom exemplo para um adolescente que está agora formando sua personalidade.

Não submeti seu filho a execração alguma. Apenas mostrei o que aconteceu numa corrida. Ele, como piloto inscrito numa prova pública, está sujeito a julgamentos públicos — de outros pilotos, de jornalistas, de espectadores. O senhor não “julga” pilotos quando os vê pela TV? Tratei da manobra de Felipe exatamente como devo ter tratado as manobras desastradas de Alex Yoong quando ele estreou na F-1.

Quanto a ser tachado de “irresponsável”, bem… Todos temos direito a opiniões, não? Eu acho uma irresponsabilidade um pai permitir que um garoto de 16 anos participe de corridas sem ter preparo para tal. O senhor pode achar que eu sou irresponsável, por exemplo, por levar meus filhos a estádios para ver jogos de futebol. É tudo questão de ponto de vista.

Se isso criou um clima ruim em sua casa, lamento. Mas pode ter certeza que o clima estaria muito pior se seu filho tivesse sido acertado em cheio pelo Fiat de meu colega Marcelo Giordano. Muito pior. Talvez o senhor estivesse agora chorando ao lado de um leito de hospital, ou de um caixão.

Dispenso, igualmente, suas considerações sobre “a categoria de jornalista” à qual pertenço. E não me importo muito com o que o senhor acha disso que chama de “pressão” de minha parte para que as autoridades esportivas tomem providências. Acho que têm de tomar, mesmo. Se o senhor não se importa com a segurança de seu filho, tomara que alguém se importe. Nesse caso específico, são as autoridades esportivas. De fato, o senhor não me deve satisfações sobre os treinos e aprendizado de seu filho. Deve-as aos órgãos que regulam as corridas. Pelo que se viu na pista, o aprendizado de Felipe foi falho e quase causou um acidente gravíssimo. Isso, sim, me diz respeito. A mim e a todos os pilotos que correm na nossa categoria.

Não mais procurarei o Felipe para conversar, se é de seu desejo. Mas se ele quiser conversar comigo, estarei à disposição. Ao contrário do senhor, que pretende me ignorar, não vou ignorar a presença dele, nem a de qualquer piloto, em nossas corridas. Queira o senhor ou não, ele terá de se submeter a julgamentos e regras, se quiser seguir no automobilismo. Regras e julgamentos aos quais terá de se submeter também na sua profissão, no seu convívio social, na sua escola, na sua faculdade, na sua vida.

Vida que, felizmente, não acabou de maneira trágica sábado passado em Interlagos. Como disse no início, essa é a única coisa que importa: ele saiu ileso, assim como todos os outros. O resto — sua ira, seu inconformismo, seu histrionismo, suas demonstrações de “macheza” — pode guardar para si. São características que, de fato, não me dizem respeito.

246 comentários

  1. Lucas Mera disse:

    Fala Gomes!!! Alguem tem que falar para o “PAIZÃO” ai que mim é índio!!! rsrsrsrs!!! No mais concordo com vc Gomes!!! Grande abraço!

  2. Getulio disse:

    espero que aceite minha opinião e não apague….acho que foi um erro de ambas a parte…um erro do blogueiro em colocar uma pessoa que de fato não é pública a amostra e principalmente do pai de julgar um jornalista de responsábilidade comprovada pelo lado emocional e pacional….

  3. RODRIGO RAS disse:

    GRANDE FLÁVIO!!!!!!!!
    É POR ISSO QUE TENHO ORGULHO DE CHAMA-LO DE JORNALISTA E DE SER SEU FÂ TAMBÉM.
    EXCELENTE RESPOSTA. É POR EXISTIREM ESSES PAIS QUE DEFENDEM OS FILHOS ATÉ QUANDO ESTÃO ERRADOS QUE ESSE PAÍS ESTÁ CHEIO DE BANDIDOS.
    UM ABRAÇO DA GALERA DO RIO.

  4. Renato Bezerra disse:

    Pensei que ia ter um repeteco do Sperafico. Se o 147 pega na porta do Passat #50 matava o garoto e o piloto do 147 se não tivesse o Hans Device, ia ter complicações muito sérias…

    Lamentável episódio, não só pelo “incidente” mas pior pela arrogância dos ” #50″.
    Renato.

  5. HÉLDER AGUIARI disse:

    SR HAILTON, PREZADO FELIPE.
    SÓ UM ALERTA….
    VI, LI E NÃO ENTENDI!
    JURO!
    SOU PAI DE UM GAROTO DE ONZE ANOS – JOGADOR DE FUTEBOL (VOLANTE OFENSIVO) – APAIXONADO POR CORROS; FÃ DE UM GAROTO QUE AOS TREZE ANOS ERA “TUTELADO” POR UMA GRANDE EQUIPE DE FÓRMULA UM.
    BOM MAS O ASSUNTO NÃO É ESSE. OUTRO DIA, EM UM JOGO CONTRA DO TIME ONDE ELE JOGA (BONFIM RECREATIVO E SOCIAL) CONTRA O GUARANI (AQUI DE CAMPINAS). EM UM LANCE NUMA ENTRADA MAIS DURA, MAS UM LANCE NORMAL DO JOGO, COM UM GAROTO (BEM MAIOR E MAIS FORTE QUE A MAIORIA DOS DE MESMA IDADE) E QUE A IDENTIDADE (RG) ERA UMA CÓPIA MAL FEITA EM QUE O REFERIDO HAVIA NASCIDO EM 1996; MEU FILHO, REALMENTE NASCIDO NESSE
    ANO QUASE EM 97, POIS É DE DEZEMBRO, GANHOU A JOGADA MAS SAIU MANCANDO E SENTINDO MUITAS DORES…
    COMO PAI… APÓS O JOGO, TRATEI DE LEVÁ-LO AO PRONTO SOCORRO, ONDE UMA ORTOPEDISTA, ME DISSE O SEGUINTE: “HOUVE UM DESLOCAMENTO DO FÊMUR PARA FORA DO QUADRIL(…) VAMOS OPERÁ-LO (…) COLOCAR UM OU DOIS PARAFUSOS PARA FIXAR O OSSO NO LUGAR”
    ONZE ANOS DE IDADE SR HAILTOM… UM OU DOIS PARAFUSOS…
    MINHA PRIMEIRA REAÇÃO FOI IDENTICA A DO SENHOR…FUI AO GUARANI… ESBRAVEJEI…BRIGUEI…XINGUEI !!!
    MAS…COMO NORMALMENTE FILMAMOS AOS JOGOS, PARA ASSISTIRMOS E DEPOIS COMENTARMOS COM OS PAIS DE OUTROS JOGADORES, PERCEBEMOS QUE O MEU FILHO FOI “MALDOSO” NA JOGADA E ACABOU LEVANDO A PIOR…
    O QUE EU FIZ ? FUI NOVAMENTE AO GUARANI E HUMILDEMENTE PEDI DESCULPAS PELAS MINHA ATITUDES… ATITUDES DE UM PAI… QUE AOS 37 ANOS JÁ PERDEU UM FILHO (O QUE NÃO VEM AO CASO).
    SABE O QUE EU OUVI ? SR HAILTOM !
    “NÃO TIRAMOS A RAZÃO DO SENHOR, PAI É PAI, NOSSO MENINO TAMBÉM FOI IMPRUDENTE E NOSSO TREINADOR MAIS AINDA AO COLOCÁ-LO COM IDENTIDADE FALSA (…) VAMOS REVER OS EXAMES DE SEU FILHO E FAREOS O QUE ESTIVER AO NOSSO ALCANCE PARA AJUDÁ-LO”
    POR TER APRENDIDO COM MEU PAI A SER HUMILDE PARA RECONHECER MEUS ERROS E ME DESCULPAR SE NECESSÁRIO; NÃO FOI NECESSÁRIA A CIRURGIA (ERA SÓ UMA LUXAÇÃO LEVE – TRES SEMANAS DE REPOUSO E TUDO RESOLVIDO)
    PENSE UM POUCO…
    PRATIQUE A HUMILDADE….
    E PASSE ISSO PARA SEU FILHO !!!

  6. Max Christian Frauendorf disse:

    Eu iria mais adiante nas precauções. Além de recomendar o banimento de qualquer categoria do automobilismo será que não seria possível impedí-lo de obter uma hipotética carteira de habilitação comum ? Se na pista se comporta desta maneira, imaginem na rua !!

  7. Chico Bravo disse:

    Flávio, leio seu blog diariamente desde o post zero, como dizem. Nunca me surpreendi tanto com sua palavras como a resposta que deu ao pai do garoto. Parabéns e continue assim, é de jornalistas assim que precisamos. Quanto ao Bob Pai e o Bob Filho, prefiro não comentar…rs.rs.rs.rs.

  8. Marcelo - piloto do fusca 70 disse:

    Tudo normal, melhor sorte para todos nós na proxima corrida
    Abç

  9. João disse:

    Hailtão é mesmo o fodão… Fez questão de escrever que é pai com P maiúsculo. Pai com P maiúsculo tem conotação religiosa (o Pai, de todos nós, que está no Céu…).

  10. Marcelo - piloto do fusca 70 disse:

    FG, boa tarde

    acidentes podem acontecer pois quase bati na traseira do seu Lada pois ele “apagou” na largada ( coisa que acontece – nada intencional)
    Agora querer reeditar o que aconteceu com o Sperafico há um ano atras já é demais!!! “pilotos agressivos” devem competir da “Força Livre ” para cima, mas devem para isso treinar e se preparar muito!! Na minha opinião 95% dos pilotos da Super Classic e Speed ( que anda junta junto) são bastante tecnicos e experientes!

    RESPOSTA DO FG:

    Marcelo, apagou mesmo, e te devo desculpas por ter te atrapalhado um monte… Mas quem nos deve desculpas é o piloto do pace-car. Ele parou o carro na frente do grid, eu estava de olho nele. Tive de parar o carro, o giro caiu, ele demora a subir e engasopou tudo. O cara do pace-car quase foi acertado pelo Nenê, ele guinou à esquerda de repente, foi uma maluquice total.

  11. Sandra disse:

    Se conheço bem o automobilismo e as autoridades, sabem como vai acabar isso tudo?
    Em pizza…
    Sabe qual o sabor???
    Banana!!!

  12. Mário Faria disse:

    Apenas um adendo ao post anterior:

    Esse muleque e esse pai deveriam ser ignorados. Não sei o porquê de dar tanta platéia a esses palhaços (minha sugestão sobre o programa Limite foi uma brincadeira, caso não tenha ficado claro… hehehe)

  13. Mário Faria disse:

    Boa, FG!

    Nunca comentei aqui no seu blog (blig? hahaha), mas sou seu fã. Acompanho, além do blog, a coluna warm up e o programa Limite, na ESPN Brasil. Aliás, pq vc não levou este caso para o programa? Iria dar o q falar… hauahuahuaha

    Grande abraço, “Flavinho” (como vejo lhe chamarem na ESPN)!

  14. Toni Bonato disse:

    “automoblilsmo”

  15. Toni Bonato disse:

    Lamentável o português da geração atual. Não me venham com esta estória de MSN, Internet, etc. É na verdade uma geração onde a ignorância é cultuada.

    Quanto ao affair automobilístico. o moleque é mimado e idiota. Ponto.

    Mas, não faz sentido achar que ele não tem direito a começar a correr de carro. Em qualquer categoria para a qual for autorizado pela CBA.

    A implicação do FG e da maioiria tem um Q de inveja. Eu gostaria muito de ter iniciado no autobolismo cedo. Com ou sem o apoio do Velho.

    Ou então mudem o nome da categoria para SuperGeriatric.

  16. Acarloz disse:

    Tinha até algumas dúvidas quanto ao desequilíbrio do garoto, talvez motivado pela adrenalina do momento, 1ª corrida, etc, mas depois de ler seu post (acima), reconsiderei, ele não consegue nem escrever direito, imagina pilotar então…

  17. antonio stricagnolo disse:

    Em 1995 escapei da morte no transito de São Paulo,e fui capa do Jornal Diario Popular, aonde o culpado era um “piloto” de rua de 17 anos tirando racha na Av Salim S. Maluf com o carro emprestado do tio.O dito cujo piloto mais 2 amigos dele tambem menores de idade morreram no acidente.O pior de tudo é que acabou tudo em pizza e o tio dono do carro sai livre dessa,bastou alegar que o piloto pegou a chave do carro sem a devida autorização.Fico arrepiado quando vejo essas historias de adolecentes no volante de carros com espirito de “esporte” no lugar de “transporte”.

  18. Pacificador disse:

    Agora…apesar de todos os comentários, os amigos esqueceram de citar uma personagem que sofre com tudo isso….a mãe e esposa (que acredito ser a mesma) dos dois despotas….ter um filho assim (?) e um marido ainda pior…imagino as agruras que esta senhora aguenta em sua vida……

  19. Flávio Spinelli disse:

    E dá-lhe FG, é isso mesmo!!!!!
    Flávio Spinelli

  20. ferreirovitch disse:

    O paipai além de ser um arrogante e prepotente demonstra toda a sua falta de respeito para com a lingua portuguesa. Informar que “Não queremos falar consigo” é demais. Não sabia que eles falavam com eles mesmos.O correto seria usar o “contigo”. Eles se merecem de fato.Conheco vários e vários pais que agem da mesma forma. Pau neles.

  21. Fernando Grassi disse:

    Assino embaixo do que escreveram a Dri Greco e o Tortugo.
    É caso típico de pai tentando se realizar através do filho.
    Isso é muito comum, embora não recomendável tanto para o pai como para o filho.
    O problema neste caso é a irresponsabilidade do pai que, cego para realizar o seu desejo, pôs em risco a vida do filho que ama e de terceiros.
    Esta irresponsabilidade é agravada pela arrogância e a incapacidade de entender o que se passou, tentando através de subterfúgios transferir responsabilidade.
    Penso que este é um caso que deve agir, mas do que a CBA e a FASP, o Conselho Tutelar.

  22. Manoel "Ratão" Muniz disse:

    Felipe Castro,

    Quando vi seu texto fiquei consternado (não quero complicar a sua vida com palavras difíceis).

    Aí vai uma dica de amigo (cara, é pro seu bem, dá uma olhada nisso):

    http://www.cdbr.com.br/portugueseredacao/

    []

  23. Saulo disse:

    FG,

    Só tenho uma pergunta:

    A FASP e CBA já se manifestaram sobre o assunto ?

    Saulo

  24. Rodrigo Goulart disse:

    Que português o desse Felipe Castro hein…

    Caro Felipe, frequente mais a escola, acho que a carga excessiva de testes está prejudicando o seu aprendizado da língua portuguesa.

    Abraços a todos.

  25. Fabio Morais disse:

    Caramba, o moleque sabe ler?
    Escrever ele não sabe.
    Nem dirigir.

  26. Robsonles disse:

    Pessoal, sem defender o indefensável, e pelo amor de Deus sem qualquer tipo de comparação.
    Concordo com tudo que foi dito sobre o erro do garoto e tudo mais.
    Só não concordo sobre a idade.
    O Vettel não assombrou a F1 com 17 anos em um BMW?
    A questão não está na idade (embora eu tenha filho e nem morto ele vai guiar antes dos 18), mas sim no despreparo do adolescente em questão.
    Na minha opinião o maior erro dos dois foi, o primeiro entrar na pista nervoso e sem preparo e o segundo autorizar essa sandice.
    Mas a questão principal e mais um dos males do automobilismo no Brasil (que está uma porcaria, para não dizer outra coisa, na mão de quem está) é a existência de escolas de pilotagem que jogam garotos e nem tão garotos assim, sem condições, em um esporte de alto risco e que um erro pode ser fatal.

  27. disse:

    FG tem outro vitão postando, limpa a lista ou manda o Dú parar !!
    Já não basta piloto lesado, agora tem blogueiro “batendo um careta” também !!

    Vitão, me estranhando? Se fosse truta o FG não mandava a merda, ligava e me mandava a…………..

  28. Allan Cordeiro disse:

    Será que pai dele viu ou consentiu essa mensagem que ele postou aí?

    Será que ele viu a ortografia?

    Lamentável..

  29. Manoel "Ratão" Muniz disse:

    (Segunda tentativa de efetuar o post)

    Se ele moleque aparecer no kartódromo da Granja Vianna, e for correr na mesma bateria que eu, corro de armadura com uma carenagem de borracha.

    E se o clima de corrida de verdade “é muita pressão” para o guri, pq o Hailtão (desculpe a intimidade, não pude evitar) não o defendeu antes, deixando-o fora disso tudo.

    Eu corro no Gran Turismo 4, no playstation, e a única pressão que sofro é a do pessoal querendo ver tv! rsrss
    Isso é que é corrida pra adolescente.

  30. Manoel "Ratão" Muniz disse:

    Pô, se esse moleque for correr de kart na Granja Vianna, e cair na mesma baetria que eu, vou correr de armadura e com uma carenagem de borracha no carrinho. rsrsrs

    Ah, Hiltão (desculpe a intimidade, não pude evitar), tenho 32 anos, e se eu fizer besteira e meu pai souber, a “coisa fica séria em casa”. Nunca teve essa de papai segurar a onda não, sempre assumi meus erros, e paguei por eles. Não faz isso (a defesa do erro) de novo pq pega mal demais.
    Aproveito pra pedir pra manter o guri longe da Granja Vianna.

    Abraços à todos (vale pro Hiltão tb.)

  31. Pedro disse:

    Concordo com o garoto quanto a eventuais erros, mesmo de grandes pilotos. Isso realmente acontece. Mas chamar o pai para se defender de besteira que fez é uma atitude que atesta a falta de maturidade e hombridade do menino.
    Defenda-se sozinho, rapaz. Não precisava do seu pai para fazê-lo se tivesse coragem e organização de pensamento.
    Só para trazer mais um elemento: Schumacher era considerado um piloto perigoso no início da carreira, quase foi às vias de fato com o Senna (que você, pela idade, mal viu correr). Ele foi defender-se. Não precisou de Briatore ou de ninguém.

  32. Alex Almeida disse:

    O paizão perdeu uma excelente oportunidade de mostrar ao filho como devem funcionar as coisas !

    Pena ainda ter gente assim por ai ! realmente um mal exemplo pro filhão !

    Pior pra mim é não querer conversar 1 Essa história de ignorar é ridícula !

    Divergir, discordar são prerrogativas importantíssimas de qualquer comunidade e sociedade civilizada, feito em alto nível, é de altíssmo proveito pra todas as partes envolvidas.

    No mínimo o pai deveria escutar os mais experientes na categoria. Desualificar o Flávio Gomes também é muita pequeneza !

    Espero que consigam no futuro entrar num acordo, pelo menos uma conversa mais tranquila !

  33. Marcelo Borges Araujo disse:

    Saber escrever está se tornando algo raro entre os jovens de hoje em dia.

    Elaborar um raciocínio lógico então, aí já é quase um milagre.

    É um cenário absolutamente triste.

  34. Eduardo Costa disse:

    o cara fala que o blog é inútil, mas pelo jeito não desgruda daqui… rsrs
    Vá entender…. rsrs
    Definitivamente esse não vai longe. Com esse senso de coletividade e responsabilidade, e todo esse apoio “moral” do papai.
    Uma coisa eu garanto. Não perto a próxima etapa por nada. rsrs
    vai ser divertido.

  35. Eduardo Costa disse:

    Felipe, Felipe…
    humildade, pimpolho.
    acredite !!! o que vou te dizer aqui pode te chocar !!!
    Você não é tudo o que acha, muito menos se parece com o que seu pai acha.
    Não precisa atacar as pessoas que te criticaram !!! Isso só mostra despreparo e completo desequilíbrio, coisas que seguramente herdou do pai.
    Errou ??? Fez besteira ??? Admita que ainda tem muito o que aprender e converse com o papai. É provável que ele entenda isso e te proporcione o brinquedo certo pra sua idade.
    é simples.

  36. Fernando Dalla Palma disse:

    FG, desculpe ia me esquecendo…
    Um grande abraço.

  37. Tudo correto FG.
    Concordo plenamente com vc.

  38. Nossa fiquei alguns dias sem ler o blog, e o mundo desabou e ninguém me avisou!
    Proponho o seguinte. No melhor estilo Salomão de ser.

    Considerando:

    1) O Gurizinho vai obrigatoriamente fazer um curso de direção defensiva, ou fazer novamente o teste para piloto. (existe isso?).
    2) Vai tomar uma dura, visto que a cagada foi perigosa.
    3) Não acho que ele deva ser banido do esporte, até mesmo na categoria em que sabidamente o FG ajudou a criar e é Pai.
    4) Pai nervoso, Jornalista nervoso também. Cada um defendendo seu filho…isso não é nada bom. (Coloquei os dois com letras maiúsculas para não dar briga).

    Decido:

    1) O gurizinho reconhece que errou (cagada das grandes), e isso é fato. Faz um mea culpa, e um curso novamente para avilar sua condição de piloto.
    2) Já entre os “Pais”… duelo às Duas horas na Ceilândia em frente ao Lote 14. (Sim eu gosto de legião)
    3) Aos sapos como eu, vamos nos preocupar com o Mundo, que dos filhos os Pais cuidam.

    PS. FG foi só uma brincadeira, pois daqui a pouco tem leitor que vai jurar o guri de morte, e vice-versa! (como vc mesmo diz …tem hífem?)

  39. Marcos Micheletti disse:

    Gostaria de saber em qual “Escola” o garotinho Felipe Castro está estudando. O português dele é notável… Se ele continuar correndo, Flávio, se essa FASP permitir isso, caia fora, você tem dois meninos pra criar e uma brilhante carreira de jornalista pela frente. Quero vê-lo velhinho e lúcido como o Carsughi.

  40. Fernando Mello - Chevettão 58 disse:

    Gostaria de reiterar que o problema não é a idade. O que levantamos aqui é a seguinte equação:

    pouca idade + nenhum preparo = vai dar merda

    O aprendizado minimiza o ímpeto natural de quem é adolecente. E não to falando de treino, poque em treino você não disputa posição. Aprendizado é competir em outras categorias.

    Eu já fui adolecente, todos aqui já foram. E se me dessem um carro de corrida eu provavelmente faria pior e mais um pouco.

    O preparo adequado te dá experiência na disputa com os adversários, te ensina respeito e principalmente te dá limites. A idade (família, vivência, responsabilidade) tem efeito parecido.

    Então, meus caros, ou você se prepara ou você só pilota quando tiver mais idade!!!

  41. Juan disse:

    Rapaz,

    se a base para o progresso de um país é a educação e esse moleque é um espelho dessa nossa educação, este país (com p minúsculo) não tem futuro (entenda-se educação não apenas por conhecimentos mínimos da nossa língua, mas também por princípios que nos são ensinados em casa, pela Família com f maiúsculo).

    Infelizmente esse rapaz é o retrato da sociedade do “sabe com quem você está falando” e do “quero levar vantagem em tudo”.

    Se a resposta do pai (com p minúsculo me deixou triste), a do seu rebento (com r minúsculo) me deixou aterrorizado com o futuro deste país.

    Juan

  42. Pé de Chumbo disse:

    Putz! O moleque além de ignorante e arrogante, é semi analfabeto…
    Concordo com o FG, o sr. Hailton deveria é processar a escola onde o fedelho estuda, ou estudou. A propósito, mentir a idade para se registrar no Orkut não caracteriza falsidade ideológica?

  43. Magno Amorim disse:

    Ê meu Brasil…
    Esse é o lugar onde você fala a verdade e depois tem de pedir desculpas pra não ser processado!!!!
    Francamente senhor Pai…

  44. Beto Guaraná disse:

    Sr. Hailton Castro procure outra categoria para seu filho correr, creio que uma categoria de amigos não seja o local ideal para alguem que cultiva como valores a intriga e a mentira.
    Encontre uma categoria, onde o senhor possa liberar sua agressividade de “manager” de sua estrela. Sim estrela, pois caso seu filho e o senhor tivessem o mínimo de humildade perante aos fatos (o seu filho de admitir o erro e o senhor de reconhecer que a manobra foi perigosa e que ele deveria buscar aperfeiçoamento antes de entrar em uma pista novamente) este caso já haveria se encerrado, mas o senhor preferiu atacar, ao jornalista que “postou” em seu blog, e aos internautas que comentaram o post.
    Lamentável ver um pai de família se comportar desta maneira, já que o senhor ao assumir esta postura mostra o tipo de educação dada ao senhor mesmo e ao seu “querido” filho.
    Como uma das reclamações foi quanto à comentários apócrifos, eu faço questão de me identificar.

    Robert Joseph Alves Nicolete
    Americana – SP

  45. Jefferson Lucena disse:

    Parece que o garoto teve a quem puxar. Com um exemplo desses em casa como é que nós poderíamos esperar coisa diferente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>