FARNEL, 3 | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

quarta-feira, 10 de junho de 2009 - 22:36#96, Superclassic, farnéis

FARNEL, 3

SÃO PAULO (antes que dê meia-noite) – Me escreve o impagável Comendatore Ceregatti para lembrar que hoje faz três anos do primeiro Farnel de Interlagos, como batizamos os encontros da blogaiada para assistir às nossas corridas de carros antigos.

Tudo começou em meados de 2006, quando o blog tinha seis meses de vida, graças ao grande Roberto Brandão, matusa de primeira hora que anda meio sumido, mas vive no coração de todos nós. Aliás, ele escreveu sobre esse primeiro farnel num aniversário desses, um lindo texto.

E tudo, na verdade, girava em torno de um carrinho simpático e valente, o #96, que hoje descansa tranquilamente no museu do Paulo Trevisan em Passo Fundo, aguardando um chamado para berrar de novo em algum circuito infinito. A ele, antes de mais nada, nossas lembranças. Afinal não é qualquer carrinho que consegue juntar tanta gente, e levar de volta a Interlagos tantos loucos por gasolina que passaram anos longe de tudo que acelerava.

Aliás, procurando algumas imagens na net para ilustrar este post (não estou no meu computador pessoal, mas uma “gugada” com “DKW #96″ no sistema de busca traz um monte de coisas) acabei caindo neste post de fevereiro de 2006, quando ficou pronta a pintura do carro, criada pelo Bruno Mantovani. Deu saudades…

Como saudades, muitas, tenho de muitos blogueiros que, por uma razão ou outra, não têm ido a Interlagos. Um deles, porém, está sempre com a gente. Com sua indefectível jaqueta de couro da Honda, seu sorriso franco, sua sabedoria automobilística, suas lições de vida. Fez uma viagem no sedã branco, é verdade, mas todos nós faremos um dia, então é só questão de tempo para que nos juntemos em outros farnéis, em outros lugares.

48 comentários

  1. Roberto Brandão disse:

    Pessoal,
    Demorei alguns dias para digerir as emoções e a bela homenagem do Flávio, lembrando daquele 10 de Junho de 2006.
    Ando com saudades de montar um novo Farnel, reencontrá-los, abraçar os velhos amigos formados há apenas três anos.
    Tenho saudades também das colunas e dos comentários de vocês.
    Muito breve poderei enviar novidades a vocês. Acredito que muito boas.
    Abraços a todos e muitas saudades do Flávio e de nossos papos inconsequentes nas pizzas das sextas feiras.

  2. Rogério Magalhães disse:

    É, neste Farnel #1 não tive o prazer de estar, afinal de contas, só fui começar a me aventurar em Interlagos no ano seguinte, no Clássicos de Competição. Mas mesmo tendo chegado tarde à tropa, mesmo não sendo assim um grande expert como muitos dos grandes matuzas, fui recebido no meio da fuzarca e hoje tenho o prazer de ter tantos e tantos como bons amigos. Fora o aprendizado de automobilismo com tanta gente boa, os mestres Ceregatti, Joaquim, Regi, Romeu, o doido do Du Cardim, Saloma, Belair, Vitão, Jonny’o, Guerra, Eric, Bianchini e por aí vai… conhecer ainda e ouvir histórias daqueles que fizeram a coisa dentro da pista, sobretudo dois caras super acessíveis como Luizinho Pereira Bueno e Chico Lameirão… e mesmo de longe, tendo mais o ouvido do que propriamente falado com, ainda tive o prazer de conhecer a grande figura que era o Veloz (e depois apareceu outra grande figura, a irmã Marilis)…

    Graças aos farnéis, peguei o gosto de estar em Interlagos, sempre na minha, fazendo, como disse o Bianchini aí prá cima, “a maior reunião de torcedores da Lusa fora do Canindé” junto com o Nipo e o FG. E isso para um cara que sempre se acostumou a gostar de ver corridas do lado de fora, de longe, porque nem dirigir eu dirijo. Mas que hoje até dá vontade de dar umas aceleradas um dia, a bordo quem sabe de um BR-800 anabolizado e pintado como o famoso carro dos Irmãos Rocha da Corrida Maluca, hehehehehe… No entanto, foi graças a essas boas amizades que não só pude aprender a andar pelo “Parque Muncipal José Carlos Pace”, mas até voltas pela pista eu já dei, a primeira a bordo de um certo Celta que anda sorrateiro pelas frias e escuras madrugadas de sábado das corridas do Paulista. A inesquecível, claro, uma volta dentro da minha verdadeira paixão motorizada, um exemplar dos ônibus que tanto amamos (o vídeo está aqui: http://www.youtube.com/watch?v=yjYT3_AdpCA), junto com os fanáticos pelas corridas na terra, capitaneados pelo Francis Henrique que postou também lá prá cima, loucura essa patrocinada pelo verdadeiro “síndico” de Interlagos, Commendattore Cláudio Ceregatti…

    Tomara que muitos outros farnéis possam vir, para que essa chama acesa por quem fez história em Interlagos, dentro ou fora da pista, possa continuar sempre firme e forte. Para que essa união de gerações que surgiu desse primeiro farnel nunca se rompa. Para o bem de todos que curtem automobilismo.

    E Ceregatti, só quero ver mesmo os carrinhos andando um dia pelo Templo Sagrado. O mestre Raul Seixas já ensinava (e tu tá aplicando ao pé da letra nesse projeto seu junto com o Luca): http://www.youtube.com/watch?v=AyWV4wBo7L4

  3. Max Mosley disse:

    Confesso que gostava muito dos antigos posts referentes ao automóvel (cof, cof) lada. Desde que eles minguaram (tanto os submetidos pelo Veloz quanto os que vieram depois) eu até perdi o costume de vir aqui pra te zombar. Favor abrir o canal de psicografia novamente.

  4. Jorge Costi Knoll disse:

    Errata: – leia-se Diamantina e não como constou, Fiamantina no comentário anterior.

  5. Jorge Costi Knoll disse:

    - Meu pai teve dois(02) DKW, um branco igual da foto, 1965, primeiro ano dos motores 4 tempo, zero kilômetro que comprou em Santa Rosa, terra da Xuxa, e depois, já em Santa Maria,RS, um DKW bordô 1967 – Belcar, a frente toda com grade cromada. Eram lindos e ótimos carros para sua época. Aliás, com o primeiro DKW, saímos de Santa Maria-Bento Gonçalves-, viajando junto conosco outro DKW branco tb, mas 1966, pertencente ao meu tio Saul, e fomos, Lajes, Curitiba, São Paulo, Santos, voltamos a São Paulo e fomos a Belo Horizonte, fizemos o interior de MG Mariana, Fiamantina Ouro Preto, Três Marias (Barragem de Três Marias) de lá a Brasília. De lá fomos a Goiânia, Anápolis, estava em construção a Base Aérea, depois descemos pela região pobre interior de MG, depois Uberaba, Uberlândia, Triângulo Mineiro, e Ribeirão Preto, onde visitamos o Zoológico, e fomos posar e Curitiba, depois Passo Fundo, minha terra e do Cláudio Ricci, da modeloe atriz Letícia Birkheuer, depois Santa Maria. Forram 23 dias de viagens. Eu tinha 12 anos na época, e já gostava de automóvel. Na viagem de ida, os 300kms que separam Belo Horizonte de Brasília, só havia um posto no caminho, era só um descapado, sem sinal de uma viva alma, e a um km deste Posto de Gasolina estourou a bobina do nosso DKW 1965, e conseguimos chegar ao Posto, e lá não havia peças para o DKW, mas tinha uma Rural Willis abastecendo, e deu causalidade ele ter uma bobina sobresalente, de 12volts, que era o mesmo do DKW, pois os com motorres dois tempos como assim os primeiros fuscas eram 6volts, eu mesmo me animei, e adaptei ao lado da antiga bobina, usando o mesmo parafuso, a bobina da Rural Willis. Fizemos toda a viagem com a bobina da Rural-W., e só em Santa Maria fomos colocar a bobina original. Não me esqueço que a original era vermelha Bosh, e havia estourado, saindo a tampa de cima com toda a força que chegou a machucar a parte interna do capo. Tem coisas que marcam nossa infância, e a gente não esqueçe jamais.

  6. Milton disse:

    3 anos de farnéis… e 2 anos e meio que faço parte desse mundo que sonhei frequentar desde criança pequena em São Caetano.

    Realizei verdadeiros sonhos, conheci pessoas que são verdadeiramente amigas, e ví idolos que , apesar de serem monstros sagrados ao volante, são tão humanos quanto nós.

    Nunca me esquecerei de ter visto ao vivo Bird, Lameirão, Peroba… e de poder compartilhar dessa paixão que eu tenho com camaradas como Cerega(esse é Hour Concour…), Vitão, Eric, Nat Rock, Du, jackie e Edmar Della Barba; e, mais que isso, nunca mas nunca mesmo, me esquecerei de um cara em especial, que foi o sujeito que me abriu as portas e me mostrou tudo isso: Luis Finotti, ou Nenê. Não fosse essa “vera scuderia”, provavelmente não teria realizado pequenos, e grandes, sonhos.

    E, devido a uma baita sorte, dia 20 estarei com vocês!

  7. foi muito legal,
    sou daqueles que fala pouco e escuta muito,
    e é claro que gostei muito de conhecer a turma que fala muito,

    agora para reviver um pouco daqueles primeiros
    precisamos além de organizar mais um farnel
    que o Flavio coloque o #96 na pista novamente.

    abraço a todos

  8. Vane disse:

    um LADA, digo…

    …as cervejas dominaram meus pensamentos e minha coordenação

    Sorry.

  9. Vane disse:

    Eita!

    Meu marido acabou de me contar a história do 96.
    Com todo respeito ao 69, mas puta DKW lindo!

    Independente de ser uma LADA®, companheiro, fico na dúvida qual carro eu prefiro…

  10. Rodrigo Duarte disse:

    Infelizmente, não conheci o VELOZ, mas parecia muito querido e merece o respeito de todos nós.
    Farnel eu não compareci em nenhum, mas já estive presente em algumas corridas e é como muitos aí em cima falaram, nós nos sentimos parte disso tudo. Isso é muito legal, é como se pudessemos participar, mesmo que com pequenos gestos.

  11. Miguel disse:

    Fui na despedida do 96, dia inesquecivel.
    Dia 20 vai ter farnel pra comemoração de tres anos???

    um abraço a todos

  12. Bianchini disse:

    Lí o texto e um filminho começou a rebobinar na minha cabeça… a primeira vez fui em Interlagos para encontrar pessoas com a mesma paixão por carros que eu tenho, um Farnel que aproveitei muito pouco devido à minha enorme timidez, e só fui falar com o Flávio Gomes por insistência da minha esposa, que viu que eu estava louco de vontade mas sem coragem de chegar perto. Foi onde conhecí pessoalmente essa fantástica figura chamada Comendattore Ceregatti, senhor de todos os portões do Templo Sagrado. Foi onde pude conhecer – e começar a me espantar – com a prodigiosa memória do Mestre Joaquim. Onde ví mais torcedores da Lusa reunidos fora do Canindé. Onde conhecí tantos blogueiros com tantas boas histórias para contar. Vitão, Tohmé, Rogério, Nipo-Luso, Zuquim, Arquimedes “Highlander”, entre tantos outros cujo nome ou apelido infelizmente não me lembro no momento, mas cujos rostos e sorrisos de estar em Interlagos sempre me lembrarei. Demorou mais alguns farnéis para conhecer o saudoso Veloz-HP, cujo humor e rapidez de raciocínio fazem muita falta.
    Depois disso, muitas visitas à Interlagos aconteceram, e posso dizer que me sinto orgulhoso de ter feito uma minúscula parte dessa história dos farnéis da Torcida #96.
    Meu enorme muito obrigado a todos!

  13. Alan Bandeira Preta! disse:

    3 anos! Nossa, me pareceram uns 10! Também tive minaha vida completamente mudada neste tempo! E graças a Deus muito bem temperada com borracha, gasolina, velocidade e amigos. Ter mudado para Florianópolis, me tirou grande parte desse gostinho, já que ficou um pouco inviável voltar todos os meses ao Templo. Não apenas isso, me faz muita falta as pessoas que sempre estavam lá. É um pouco desconfortável ser louco sozinho. Essa paixão que em pessoas como o Veloz, o Cerega, o Reginaldo, o Joca, o Brandão, é tão latente e que nos enfeitiça durante estes três anos é o que devemos comemorar. Pois sem pessoas assim, o Templo não passaria de um monte de piche e pedra. Tanto quanto as areias do Guarujá! Selebremos a amizade, pura e desprovida de ganância e malícias, premeada com cheiro de gasolina e borracha queimada.

    Muito obrigado a todos. Obrigado por me viciarem em amizade!

  14. Jonny'O disse:

    A gente nem se dá conta do tempo mesmo ,parece que foi onten .

    O Ceregatti já disse com sua grandiosa capacidade de transformar em palavras o sentimento de todos .

    E o primeiro farnel é mesmo inesquecivel e as amizades feitas durante este tempo são muito especiais , a cada corrida rodo mais de 400 km ,mas vale a pena !

  15. Fernando Mello - Chevette 58 "The Shark" disse:

    Participei somente do último farnel, o da despedida. A camiseta eu uso por aí e aqui onde moro já me perguntaram se eu conhecia algo sobre o #96.

    Fica aqui o meu agradecimento por conhecido a Super Classic através do seu blog (ou blig) e ter entrado na pista de Interlagos como “piloto”, algo antes tido como inatingível. A pista sempre fez parte daqueles sonhos impossíveis cultivados na infância. Eu ia sempre a Interlagos como espectador na época do stock car Opalão, pois meu pai era amigo do Coruja (opalão 44) e também do pessoal da oficina do Gato (na Mooca. A oficina ainda existe, mas a equipe não). Eu ia para o autódromo dentro dos Opalas. Não tinha essa de guincho não. Era pneu no asfalto, da Mooca até Interlagos. E não é que o sonho impossível tornou-se realidade? E lá fui eu me aventurar nessa turma de apaixonados por automobilismo da Classic Cup.

    Farnel do #69?

  16. Samuca - Puma GTI disse:

    Meus amigos, eu tenho agora a honra de tambem pertencer a estes farneis. Gracas ao 96, e agora ao Meianov, quem diria que este cara de 58 anos iria pela primeira vez andar de Puma em Interlagos ? E levar o meu filho Rodrigo, que ficou de olhos arregalados ouvindo as historias do Cerega, e as licoes de como andar bem na regularidade. Muitos amigos feitos, encontros no Templo, encontros nos GPs da F1, quanta coisa boa !!! Hoje me lembrei de todos, estou em Stuttgart e visitei a Mercedes, ontem a Porsche,,, um show de automoveis. Dia 20 ainda estou aqui, fica pra proxima. Obrigado Flavinho, por unir tanta gente boa.

  17. Petrus Portilho disse:

    Flavio, estou sempre devedor a toda Bloggaida, eu sou um dos que faz tempo que não vou a Interlagos, Caio, você também está devedor não é??? Bem… dia 20 seria legal comemoramos 3 anos. Vamos ver. Cerega, obrigado por lembrar!
    Abração a todos, falta o Veloz HP, sempre vai faltar!!!

  18. vitão disse:

    O tempo passa, o #96 voa e a blogaiada continua numa boa ! Muito legal ter frequentado muitos desde o # 1 ( Ceraga, esse é aquele em que assinei a lista como no. 1?) e conhecido tantas pessoas de outro planeta ( o meu) . E quem diria que eu iria torcer por carro russo, nem acredito que esto uescrevendo isso !
    Mocinho , veja a sua responsabilidade ! Pé no porão, que queremos ve-lo no podio dia 20 !

  19. regi nat rock disse:

    Pois o tempo passou.
    Foi ontem né não?
    E nesse hiato de tempo, ínfimo, quanta coisa aconteceu.
    Quanta gente de reencontrou ou se encontrou .
    Novas amizades, incrivelmente desinteressadas, alimentadas apenas pela paixão comum, floresceram.
    Eu demorei um pouco a me enturmar, arisco de tudo e de todos.
    Perdi o receio no farnel da praia.
    Daí em diante, faltei a uns poucos, bem poucos e que fazem falta pro meu equilíbrio interior.
    22 anos sem pisar no Templo.
    Encontrei meus amigos, um deles que anda sumido daqui, mas que encontro com alguma frequencia; outro sonhador bom de pena; Roberto Brandão que faz falta pros farnéis.
    Assim como os que o sedan branco levou.
    Ô Veloz, faz falta sua lingua e pena afiadíssimas.
    E o resto da gangue capitaneada pelo Ceregatti, incansável “fazedor” e “contador” de tantos causos.

    De minha parte fico feliz em ter provocado encontros entre os bons amigos que fiz, amizades que vão se solidificando ao longo do tempo.

    Ter reencontrado nossos heróis, poder privar de suas intimidades, ouvir as suas histórias, algumas publicáveis, a maioria não….

    Penso que todos nós estamos com grandes vantagens.

    Todos, portanto, merecemos os parabéns.

    Fazemos parte disso tudo, de uma forma ou outra,

  20. Aliandro Miranda disse:

    O Veloz-HP deve andar chateado com o blogueiro, que ultimamente não lembra mais dele nem das histórias dos farnéis.

    Já repararam que ele não aparce mais por aqui, contando como estão as coisas depois de sua viagem no sedã?

  21. Eric disse:

    Eu cheguei um pouco depois….acho que no terceiro farnel…e fiz uma turma de amigos fantastica.

    Desde entao,nunca mais perdi nenhum.

    Parabens a todos por tornar isso realidade.

    Forte abraco.

  22. Nico Contreras disse:

    Parabéns a todos !!!
    Repetindo o Comendador Cerega, depois de vários anos sem visitar o templo, voltei estimulado pelo farnel e fazendo planos para o retorno daquilo que sempre sonhei, levando meus filhos para entender o que significava o sonho de andar em Interlagos.

  23. Romeu disse:

    Pois é, tambem fiz parte desse inesquecivel dia.
    E acho que temos que agradecer ao Flavio e ao #96, que proporcionaram essa aproximação entre esses malucos apaixonados.
    Afinal não é todo dia que se pode encontrar alguem como o Commendatore Ceregatti.
    O maluco-mor dessa quadrilha.
    Isso só foi possivel por causa dos fanéis.
    E eu me orgulho de fazer parte desse bando de malucos.
    Vida longa aos farnéis e parabens pra todos nós.

  24. Renan Veronezzi disse:

    Como devo enviar uma foto para você?

  25. Acarloz disse:

    Momento inesquecível, guardado com carinho entre os momentos que mais marcaram minha vida.

    Foi muito interessante juntar o saudosismo de um grupo de aficcionados por automobilismo, com a tecnologia de última geração, que permite a conversa virtual entre pesssoas que geralmente nunca se veem, mas que no nosso caso se materializou, e serviu de ferramenta para consolidar em um único momento um grupo enorme de amigos, por assim dizer.

    Ando meio ausente, porque tenho compromissos demais e isso está me incomodando muito, mas meu coração estará sempre entre as curvas do templo.

    Abraços

    Acarloz

  26. Roberto Zuquim disse:

    FG, Cerega e Blogaiada,
    Boa parte do texto do Comendatore eu subscrevo.
    Também renasci com os farnéis, a Deka #96, Interlagos, os manos da blogaiada.
    Infelizmente não tenho comparecido (o meu último farnel também foi o último do #96…)
    Saudades, sim, mas daquelas boas, como as da infância e juventude.

    Ao FG e ao Comendatore, um grande abraço do
    Zuquim, extensivo à Blogaiada.
    Como dizem alguns muitos paulistanos, “é nóis!”

  27. Três anos.
    Cacete, isso envelhece qualquer MatBoy!
    Máximo, um dos primeiros, por onde será que anda?
    Até padrinho de casamento me tornei, de um outro MatBoy…

    É, já tive boas ressacas!

    3 anos???
    Que diabos, como passa rápido!!!

  28. Pablo - Vitória/ES disse:

    Flavito,

    Dia 20 é aniversário de casamento e a mulher quis comemorar com uma viagem “rápida e cultural” para SP. Aceitei na condição de visitarmos no sábado o Parque Municipal José Carlos Pace. Ela, meio sem entender, concordou. Então dia 20 estarei lá assistindo o neo-GM Meianov fazendo figuração na pista atrapalhando os outros.

    Ainda se pode visitar os boxes? Os horários estão mantidos (a partir de 8:30)? Reserva camisa e cartão de lembrança para mim?

    Bom feriado!

    RESPOSTA DO FG:

    Claro que sim, pode entrar e ser feliz! E apresente-se nos boxes, por favor! Fique ligado no blog para saber os horários mas, em princípio, é isso mesmo, 8h30 classificação, mais ou menos meio-dia a corrida.

  29. Tohmé disse:

    Tive a honra de estar no primeiro e em outros que se seguiram. Diversas amizades surgiram, muita coisa boa rolou … De tristeza, apenas perdas momentâneas.

  30. Felipassat disse:

    Chorei. Pena que o Rio seja tão longe, mas é como se eu tivesse ido a todos os farneis. Obrigado FG.

  31. Arquimedes P. Campos disse:

    É… estive nesse primeiro farnel também, assim como em vários outros.
    Nesse, que foi minha primeira vez em Interlagos, estive de muletas e sem poder colocar o pé esquerdo no chão.
    É impressionante como esse farnel mexeu com a vida dos blogueiros.
    Eu nunca havia feito isso, me envolver, acompanhar de perto.
    Além disso, meu Escort, que me levou até o Farnel, está comigo até hoje e não vai ser vendido por preço nenhum.
    Depois do farnel, e dessa loucura, comprei um fusca 66 e dou minhas voltas de kart.

    Obrigado a todos pelos momentos bons aí em Interlagos!!!

  32. Despingolada! disse:

    Nossa!
    Que velocidade da vemaguete!
    É alguma descida?
    Ou ribanceira, como se diz aqui na minha terra ?…

  33. Escrevo com lágrimas nos olhos, FG. Que texto!
    O tal “sedã branco” às vezes é cruel, aparece em momentos que a gente não espera, e por mais que essa “viagem” seja a única certeza na vida, é difícil entender e/ou aceitar algumas vezes.
    Sobre o que você escreveu, é simples e lindo.
    Sobre o que nosso “síndico” Ceregatti escreveu nos comentários, é simples, lindo e mescla a experiência de vida com um tesão jovial impressionante.
    É muto bom fazer parte dessa turma de “malucos e tarados” pela velocidade e pela vida.
    E que o “sedã branco” demore mais um bom tempo até passar novamente, pois graças a ele não tive o prazer de conhecer o Veloz HP.
    Ele também veio buscar cedo demais a pessoa mais importante da minha vida, que se foi de uma forma brutal e estúpida: minha MÃE!
    Abraços

  34. jovino disse:

    Nunca fui aos tão famosos farneis, mas tive o prazer de trocar muitos papos virtuais com o grande e saudoso Veloz HP, principalmente, sobre motos, sua grande paixão aqui neste blog e imagino como não deve ter sido trocar idéias com ele ao vivo e a cores, um cara de personalidade forte, inteligente e de uma vasta cultura. Mas porque vocês não voltam com os farneis? O que está faltando?
    Jovino

  35. Thiago Azevedo disse:

    Farnel? Eita trem bão, sô!
    3 anos? Caramba, como passou rápido! Não fui no primeiro, mas a data do primeiro que fui não dista muito.

    É uma pena que Sampa seja longe de onde estou e que, nesse momento, esteja ainda mais longe…

    Ceregatti!

    Cara, ler seus escritos é sempre muito bom!

  36. Guilty disse:

    ae pro pessoal q curte desenho e velocidade….um desenho japa….da uma olhada flavio gomes….abraço…

    http://www.mdan.org/projetos-sinopses/sinopses/capeta/

  37. disse:

    Ceréga, no lugar de uma camisa de força, para sua loucura um cinto de 4 pontos já te segura.

  38. Eduardo - SP disse:

    Grande Farnel! Proporcionou não só conhecer essa turma como os bastidores de Interlados.

  39. Jackie Fã do (O(###)O) #96 , Futura Ex- Fã do [O]===[O] # 69 Meianov LADARGH !!!!! disse:

    Ceregatti,

    “Os mais hábeis na arte de sonhar são sem dúvida também os mais hábeis na arte de realizar seus sonhos.”

    Se precisar de alguma coisa, já sabe !!

    Beijos

  40. D.Pierotti disse:

    Boa lembrança.

    Ps.: obrigado FG.

  41. Edison Guerra disse:

    Ops! Parabéns a todos nós!!!

  42. Edison Guerra disse:

    Já?? Boas lembranças,pois participei deste momento histórico.Lembro-me da expectativa gerada,pois acompanhando o blog desde os seus primórdios, vi crescendo o número de blogueiros e foi despertando a natural curiosidade de conhecer àqueles com quem debatíamos a cada novo post.Posso afirmar que o meu círculo de amizades aumentou considerávelmente e com qualidade,pois todos aqui nutrem o amor pelo automobilismo.
    Para béns a todos nós !!!

  43. Claudio Ceregatti disse:

    Tres anos, já.
    Parece que vivi mais intensamente esses tres últimos anos que os trinta anteriores, estranho.
    E não é um exagero, ou figura de linguagem. Foram tres anos de mudanças profundas, verdadeira revolução, uma volta às origens e a sonhos antigos.
    O longo período que fiquei afastado, mais de 20 anos, só multiplicou e intensificou meu tesão por esse mundinho: Boxes, carros, pista, pilotos, corridas, cheiros, sons e arrepios.
    No início, há tres anos, era uma alegria juvenil só por estar lá de volta, encontrar outros tarados anormais como eu, respirar aquele ar das competições que quase tinha me esquecido o cheiro e o gosto.
    Nesse tempo todo, Interlagos para mim era andar sozinho no escuro, meio escondido, quase sempre sozinho, saboreando a nostalgia de uma vida que não vivi.
    Estranho ser nostalgico por uma vida que não houve…
    Quase tão estranho como o circuito infinito, que virei milhares de vezes, uma visão que entendo tão bem. Por anos e anos aquela faixa de asfalto era sinonimo de solidão, de amor não correspondido, de prazeres furtivos e secretos.
    Mas logo depois do primeiro farnel, aquela ligação toda com a pista e as corridas veio à tona novamente.
    Amigos novos surgiram, novas oportunidades, novos desafios. Que combinaram com velhos sonhos desfeitos, agora renovados.
    Joguei tudo pra cima, reinventei minha vida aos 50.
    Dei vazão à minha paixão, com a habitual intensidade.
    Dei um nó na minha vida estável de antes. Chutei o trabalho chato, a grana boa, as coisas que apenas gostava.
    Me enfiei numa fábrica de motores, num projeto de carro de corrida, juntando forças ao Lucca em busca de um futuro incerto, ousado, revolucionário e criativo.
    Enfiamos na cabeça fazer algo que ninguem nunca fez. E estamos no meio do caminho.
    Costumamos dizer que tudo pode acontecer, inclusive nada.
    Mas quero deixar registrado que, caso pegue o sedã branco esta noite mesmo, caso não acorde amanhã como fez nosso amigo Leandro Veloz HP Alfonso, tenham certeza que estarei feliz.
    Como nunca estive antes desses tres anos loucos e intensos desde o primeiro farnel.
    Voltei, e é pra ficar.
    O FG é meio responsável por isso, e serei eternamente grato por ter ligado o botão da minha vida de novo. Mesmo sem querer.
    Agora é trade, enlouqueci de vez.

  44. Carlos José - Jaú disse:

    Flavio, da uma olha neste link, é o anúncio de um DKW 1953 Cabriolet Auto Union, original de fábrica, impecável,com belas fotos, duro é só o preço, R$ 150.000,00.
    http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-97283767-dkw-1953-conversivel-no-ford-chevrolet-volks-v8-hot-dodge-_JM

  45. Jackie Fã do (O(###)O) #96 , Futura Ex- Fã do [O]===[O] # 69 Meianov LADARGH !!!!! disse:

    Amém …

  46. disse:

    Sorrisos. Ainda bem que o sedã está por outras bandas.

  47. Sílvio - Cuiabá disse:

    first???

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>