O VELHO MAX ESTÁ CERTO | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

quarta-feira, 29 de julho de 2009 - 7:50F-1

O VELHO MAX ESTÁ CERTO

SÃO PAULO (ainda me fazem madrugar!) - Foi confirmado agora no começo da manhã o que ontem à noite já parecia certo, como dá para ver no post aí embaixo. A BMW anunciou que no final do ano deixa a F-1. A cobertura completa está no Grande Prêmio. É uma “decisão corporativa” para “realinhamento da empresa” em nome de “projetos de sustentabilidade”, essas baboseiras de sempre.

É uma covardia, e uma total falta de comprometimento com o esporte.

A BMW, que fazia os motores da Williams desde 2000, comprou a Sauber no fim de 2005 e como time próprio entrou no Mundial de 2006 com planos bem razoáveis. A ideia era ganhar a primeira corrida em três anos, o que aconteceu de fato, com Kubica no Canadá/2008, e lutar pelo título logo depois. Mas foi só fazer uma bomba de carro para esta temporada, marcando apenas oito pontos em dez corridas, e pronto. A má campanha justificou aquilo que muitos diretores e acionistas queriam, tirar o time de campo. Ou da pista.

A BMW diz que a decisão foi tomada ontem. Ui. Que coisa intempestiva, não? Ontem alguém acordou, abriu o jornal, viu a classificação do campeonato e falou: “Que merda, vamos sair desse negócio e fazer carrinhos elétricos, ou movidos a óleo de linhaça”. Sei. Na verdade, é algo que vem amadurecendo desde o fim do ano passado, quando a Honda deu início à fase de deserções no automobilismo/motociclismo usando a crise econômica como desculpa.

Vamos ver se não esqueço ninguém: Honda (F-1), Audi (LMS), Suzuki (WRC), Subaru (WRC), Kawasaki (MotoGP), Mitsubishi (Dacar), agora BMW. Todo mundo pulando fora. Qual será a próxima? Renault? Toyota? Max Mosley está coberto de razão. Não se pode deixar categoria alguma nas mãos dessas empresas hoje em dia, já que elas são comandadas por conselhos de administração que cagam e andam para o que não é balanço financeiro. Não são confiáveis.

E agora? Agora, o mercado tem um ótimo piloto dando sopa, Kubica, e outro experiente e útil para essas equipes novas, Heidfeld. E uma vaga sobrando para o campeonato do ano que vem. E um time que terá um fim de ano melancólico. O que é realmente uma pena. Comprar uma equipe independente, sólida, voltada para o esporte, como era a Sauber, para fechá-la três anos depois é uma canalhice sem tamanho.

335 comentários

  1. Flavio disse:

    Até parece que nossa opinião vai interferir na decisão do comando da BMW. Pô eles não vivem de corridas e os acionistas devem estar em 1º lugar. Porque eles continuariam jogando dinheiro fora se o projeto (F1) esta sendo um fracasso.
    Decisões são tomadas pla empresa para resguardar o interesse dos sócios e não de nós meros espectadores.

  2. Mario Mesquita disse:

    Uau! Vou botar o meu disco do Titãns…

    “Porrada!”
    “Porrada, porrada!”

    Acho que alguns não entenderam o que é um blog. Tem dia que vem otário criticar o uso do idioma, outro dia vem gente cercear o direito das pessoas se expressarem. Outros falam coisas sem pé nem cabeça…

    Ora, aqui é um espaço de livre-pensamento acerca do tema carros, motos, esporte-motor e quaquer coisa que o cara que escreve achar relevante.

    Quem não gosta, vaza, ora bolas! Se eu não gosto de boxe, por exemplo, eu não vou entrar num espaço dedicado a esse esporte e ficar escrevendo “o boxe devia acabar, é muito violento…”

    Se o moço aí acha o espaço de um tremendo baixo nível, procura algo ligado a sociologia aplicada, historia da arte, a influencia das begonias no clima do hemisfério norte, e vá com Deus e as pulgas!

  3. Silly Nick disse:

    O Max tem um ego desproporcional ao seu valor. A única coisa boa que ele fez na FIA nem tem a ver com corridas, mas sim com os carros de rua, com o aumento de exigência dos testes de segurança rodoviária (crash tests e outros) antes dos carros entrarem no mercado.
    - Quanto às marcas na F1, o Max mudou de idéias. Há 5 ou 6 anos dizia que elas eram prestigiantes para a categoria.
    - A BMW fez o que os construtores fazem: chegam com dinheiro e “compram” alguém; como não são “racers” não sabem como ganhar. Depois, o marketing diz que andar pouco faz queimar imagem e dinheiro. Vão embora e deixam um rastro de destruição atrás. As marcas só querem vender carros, mais nada.
    - Renault e Toyota vão pelo mesmo caminho, e vão sobrar a Ferrari (que nasceu nas pistas e depois é que veio a construir carros), e a Mercedes, o único fabricante que compreendeu a F1 moderna: associou-se a uma equipe vencedora (McLaren) como parceiro tecnológico, deixando à McLaren a responsabilidade por “correr”. Deu certo, o casamento é longo e sem fim à vista.

  4. Guga. disse:

    Quem diria, a Sauber é a ultima equipe legitima a chegar na F1, é comprada por uma marca tradicionalissima no quesito esportivo e na primeira temporada ruim, tudo é desfeito. Pra mim é tudo culpa do horroroso F1.09, com um monstro daqueles até o Tio Bernie larga o osso!

  5. Felipe Madsen disse:

    Não sei se alguém já questionou isso, mas será que eles também vão sair do WTCC onde vem obtendo bons resultados por conta da sustentabilidade?

    Vai saber…

    carrodecorrida.blogspot.com

  6. JP disse:

    A cúpula da BMW está certa. Negócios são negócios.
    Quem mandou os dirigentes da F-1 terem vendido a categoria a tais “gestores”?? Agora, não adianta chorar o leite derramado, Max.

  7. EWERTON disse:

    Tá, concordo que seja uma canalhice da BMW. Mas, será que se todos os direitos ( dinheiro ) da F 1 não fossem para Bernie Ecclestone e fossem rateados para as equipes certamente a F 1 seria mais lucrativa e atrairia mais empresas. Se todas elas, as empresas, estão saindo algo há de errado. Responda Flávio.

  8. MSM disse:

    Que falta de compromisso. Vc disse bem, comprou a equipe Sauber e agora dá adeus. Não se importou em dar continuidade com o esporte e nem com as pessoas envolvidas. E qt ao Kubica, o que vai acontecer com ele agora? Por isso que o carro vem se arrastando desde o começo da temporada. Já estavam com essa idéia a muito tempo, e duvido muito se os pilotos já não tinham algum conhecimento sobre isso.
    E a fila continuará andando, Renault e Toyota (com o orçamento fora de limites) estão aí, por enquanto.
    No fim o grid continuará com as 20 equipes.

  9. Eduardo Canalonga disse:

    FG desculpe as palavras ( e os palavrões) mas esse Mário Thiessem é um bosta! Um pau no c…! Um c…zão de mer…!
    O Flavio Briattore, com toda a arrogância e estupidês dele, ainda consegue ser melhor que este mosca morta do Thiessem… Que se F… a BMW, vá e não volte, que se F… o Thiessem, qua vá apertar parafuso.

  10. Paulo Barros disse:

    São uns vermes desprezíveis! Hipócritas! Batendo em retirada usando essa desculpinha esfarrapada. Ofendem o nome BMW!

    Em represália, não vou mais comprar minha M3….

  11. João Ferreira disse:

    Pois é, o véio sadomasoquista tinha razão, até que o vídeo dele era bacana, bem produzida até…..rsrs

    Mas tem toda razão…as montadoras brigaram tanto para não querer o tla teto orçamentário, que agora eles deposi desta briga, resolvem cair na lona de vez…..até lá a Renault também cai, não duvido nada se a Toyota também não caia….

    Até foi bom isso, assim possibilita que times, times de verdade, que metem a mão na graxa entrem no campeonato, fazendo carros caseiros, sem apoio ou regras ditadas destas montadoras que não entendem nada de esporte, mas só negócio, negócio, fez a F1 um balcão de negócio e esqueceram praticamente do objetivo dela…..vai com Deus BMW, já vai tarde, o véio tinha razão, tomara que a F1 volte com estes times independentes, assim voltará a ter emoção….

  12. Pedro Jungbluth disse:

    O Velho Max está certo, ou é um baita mentiroso. Chovem times falsos para entrar ano que vem, e empresas saudáveis não veem no esporte nenhum futuro… Estranho, né?
    Talvez Max esteja errado, e tenha se esforçado ao máximo para amnter a F1 num patamar político em nome do ego dele, afastando emrpesas responsáveis do certame. O Sonho de Max é a volta de milhares de timecos lavando grana pra encher grid.

  13. Pedro disse:

    o Commendattore e Colin Chapman em espirito deviam baixar no corpo de Peter Sauber, Eddie Jordan e de Giancarlo Minardi, e tocar o putero nesse teatro de fantoche capitalista que virou a F1…

    e até que nao seria uma louca ideia colocar o Jordan na presidencia da fia, porque ESSE SIM, iria pensar na dificuldade do esporte…tanto ele quanto Minardi

  14. Éverton Lucas disse:

    Flávio concordo plenamente, mas qual seria a solução viável para evitar novas saídas de equipes?

  15. Baú disse:

    acho que seria uma boa oportunidade para o piquet(pai)entrar na F-1.comprar a BMW,com patrocinio da “PETROBRÀS”,teriamos uma equipe BRAZUCA. Flavio acho que esse cara que muda sempre de nome e cria polemica no blog tem uma paixão recolhida por vc,aqui no Ceará a gente chama de “BAITOLA”.

  16. Marcio Henrique disse:

    Há! Isso foi uma jogada à la Honda feita pela BMW. O Peter Sauber reassumirá a equipe e desenvolverá um carro azul-calcinha-fosforescente na calada da noite que será a nova estrela da F1…

  17. Juan Gonzales disse:

    kkkkkkkkkkkk…hilario mesmo…kkkkkkkkkk

    existe cada babaca mesmo…acabar com as corridas…meu deus…

    fico triste pela ex equipe do SR. Peter Sauber…gostava deles…na epoca em que eram uma equipe de garagem…

    torço para que a Williams não acabe passando por essa situação…espero que não se vendam para alguma montadora sem amor nenhum ao esporte…

  18. Levi Davet disse:

    Pô, eu tô vendo muita gente dizer que as montadoras são covardes e que melhor seria uma Fórmula 1 cheia de garagistas… Em 1992 tinha 500 garagistas no grid e 90% deles eram imprestáveis. Os que não eram, tinham montadoras fornecendo motores (Williams, McLaren, Benetton).

    O comentário mais sensato que li foi o de que as coisas se movem por dinheiro. Sejamos realistas: a Williams vive só de F1. Tudo o que lucra e tudo o que gasta reporta-se à sua operação de F1, portanto nunca deixaria a categoria. A Ferrari fabrica carros de rua, porém seu volume de produção é pequeno, a marca tem compradores cativos (a ponto de se dar ao luxo de impor condições para vender seus bólidos) e a maior parte de seus investimentos em automobilismo se destina à F1. Lembro também que a Ferrari não começou como montadora. Quando a Fórmula 1 surgiu, era tão garagista como as outras equipes.

    Já a BMW, tal qual a Honda, é uma empresa que possui uma enorme gama de veículos em diversas categorias de mercado e deve fabricá-los em grande quantidade para atender à demanda de muitos mercados (sendo o maior deles os EUA, que foram retirados do calendário de F1) e, além disso, ainda tem investimentos no desenvolvimento de carros de competição para categorias Gran Turismo, WTCC e Fórmula 1. Nos últimos tempos, enveredou pelos caminhos dos combustíveis alternativos e investe recursos para tornar viável o uso de hidrogênio em automóveis de rua. Não dá para comparar seus gastos globais com os de Williams ou Jordan.

    A estrutura de uma equipe de Fórmula 1 é de longe a mais cara do automobilismo mundial, tanto que a Williams, que não vence há anos, vive lutando para sair do vermelho e tem que aturar Kazuki Nakajima em um de seus assentos para conseguir motores de graça da Toyota. A mesma Williams cujos anos de maior sucesso foram com o apoio de montadoras (Honda, Renault, BMW) e sempre as desprezou de forma hipócrita e mal-agradecida (como também faz com seus pilotos, vide Damon Hill). Quando se livrou delas, sempre decaiu vertiginosamente. Em 2003, os motores BMW eram tidos como os mais fortes da F1 e mesmo assim a Williams não venceu o campeonato. Em 2004, a Williams projetou aquele bico horroroso e o carro ficou anos-luz atrás das Ferrari. Na primeira temporada que fizeram separadas, a BMW bateu a Williams no mundial de construtores.

    Em tempos de crise, é caro demais para uma montadora permanecer na F1, assim como foi caro demais para a Lotus quando o dinheiro minguou em 1994. A razão é a mesma: dinheiro. E é caro demais porque, para participar da F1, é necessário construir um carro do zero, ao contrário de categorias gran turismo (em que Porsche e BMW têm tanto sucesso), nas quais aproveita-se um carro de produção para construir um carro de corrida. Sem dinheiro, não há coragem que salve uma equipe.

  19. fernando monteiro disse:

    Escrevi isso aki ou no blog do victal, não lembro, mas a questão é a seguinte, enquanto não for mudado os traçados dos circuitos, as regras opressoras de engenheiros, a adiministração comercial além da conta, a F1 vai continuar na mesma monotonia. Eu não quero ver ultrapassagens de paradas de box, é ridículo. Equipes sempre entraram e saíram da F1, isso não é de hoje e a F1 atraiu um grande público a partir dos anos 60 que foi crescendo até os anos 80, voltando a cair na década de 90. Esse papo de dizer que na década de 90 houve recorde de público é conversa fiada, pois só foi assim ,não por interesse do público, e sim por que a F1 foi para lugares exóticos atrás de dinheiro e a FOM vendeu seu produto para vários países, conclusão, mais países, mais gente assistindo que enjoam disso cedo. O público fiel da F1 envelheceu e está perdendo o interesse, pois já não há os traçados tradicionais de média e alta velocidade, e pilotos geniais para trazer novos apaixonados pelas corridas, mônaco é um caso a parte. A FOM quer gastar o mínimo possível com circuitos de no máximo 4 a 5 km, pequenos, travados onde pode colocar seu aparato de tv sem gastar muito e vender isso ( paper vew, TV aberta, etc…) por quantias caríssimas. Depois reclamam que ninguem passa ninguem.Com o desenvolvimento da aerodinâmica fica dificil, quase impossível pegar vácuo por causa da turbulencia, pois então que se liberem os giros dos motores e deixem os carros rasgarem longas retas e curvas de alta, e aí sim vamos ver que é quem ao volante.Quando as transmissões ficavam a cargo da Tv local era bem melhor, mas a ganância… Que saldades de Zandvort, Zeltweg, Hockenhaime(antigo traçado), Nuburgring(o de 75 era uma beleza), kyalame, Monza, Paul Ricard com sua longa reta, Dijon, o antigo Interlagos com suas curvas de alta desafiadoras, Spa-Francochamps com seus 14km, Siverstone em seu traçado original de curvas de alta e retas supervelozes. Foram nessas pistas que a F1 ganhou seu prestígio e seu status de categoria máxima a partir da segunda metade dos anos 50 até o fim dos 80 e que gerou mitos ao volante, exemplo disso é indianápolis com suas 500 milhas que atraem multidões, os críticos podem até não gostar, dizendo que não tem graça ficar dando voltas, mas não é essa questão que estou levantando aki e sim a tradicional pista que nunca foi mexida e cada vez mais atrai mais gente. Não me venham dizer que hoje com a tecnologia que se tem na F1, não consigam fazer carros que andem nessas pistas, e com as técnicas modernas de segurança que podem muito bem serem aplicadas nesses circuitos. As novas idéias foram retringidas, tudo é chato e monótono nas corridas.Repito, não quero ver ultrapassagens feitas nas trocas de pneus, é ridiculo…. A tradição foi o que sempre moveu a F1 e ela infelizmente perdeu isso.

    Valeu pelo espaço Flavio e abraços a todos do blog

    Até a próxima.

  20. Luiz disse:

    Deveria se pensar em tornar a F1 exclusiva para escuderias, e as fabricas podendo participar como fornecedores somente. Que vão se preocupar com seus balanços e não voltem mais.Mas a Ferrari pode ficar, lógico.

  21. Vasilli disse:

    hahahah. Essa do Ctrl+F “resposta do” eu sempre faço. é mesmo hilário, especialmente nesses tópicos com muitas respostas.

  22. porsche 917 disse:

    Tudo em nome do Bu$iness; as únicas montadoras corajosas são a Fiat e a Mercedes, que sabem o valor do produto que possuem ,isto é a Ferrari e a Mclaren; investem na marca porque sabem que dá retorno ( a Mclaren vai lançar em breve um esportivo de rua), e quando seus carros estão atras, trabalham para melhorar a performance e voltar a vencer, não amarelam com o revés; a Ferrari ficou 21 anos sem vencer o mundial de pilotos, nem por isso desistiu; a BMW muito imediatista, achou que é só chegar e ir vencendo, como isto não acontece, a briga é feroz, amarelou. Concordo com o que foi dito pelo Jaime Gulinelli, porque não partem para um motor 4 cil. turbo que vai andar igual aos V8 atuais com custo menor e possibilidade de aproveitar nas linhas de montagens os avanços conseguidos; parece que a cupula de cada montadora, quanto mais ganha, menos pensa.

  23. Leonardo Felix disse:

    É ridículo fazer o que a BMW fez com a Sauber.

    Tirando esse detalhe, para mim é até bom que saia BMW, Toyota, Honda e Renault. Assim, sobra mais vaga para quem queira competir de verdade na F1.

    Uma dica: quem tiver um tempinho, dê um Ctrl+F e digite “Resposta do FG”. É um entretenimento hilário.

  24. Nivaldo disse:

    Olha.

    A Culpa dessa merda toda, nao deixa de ser do seu Mosley e Bernie. Os mesmos que hoje falam sobre redução de custos, há 10 anos atrás lambiam o saco para as montadoras

    Só esta bom quando o dinheiro esta entupindo os bolsos, quando a coisa desanda, a ordem a baixar custos (como e que faz com o KERS?)

    Quem deveria primeiro sair para trazer a decência na F1 são esses dois.

    Espero que eles se danem, pois eles não sabem aonde enfiar tanto dinheiro, pegando o jatinho, tomando o MOET, passando em monaco, pegando algumas barangas de 20, 25 anos e levando para uma ilhotinha qualquer para dar chicotada… (e eu aqui f…)

  25. Danilo Candido disse:

    Que opinião estúpida a do Fabrício… (Massa de empadinha). É um dos pilotos que mais evoluiu do estágio de “vaca brava” para um de tocada refinada, constante. Só perdeu o título de 2008 por causa das traquinagens da Ferrari … Barrichello na Stock até vai, mas Massa…é ruim, hein ? O Kubica aonda é jovem, e terá sua chance. Quem sabe até na Mclaren, no lugar do Kovalainen (ao invés do inconstante Rosberg) ???

  26. Adriano disse:

    Flavio, vamos ser honesto qualquer atividade em qualquer lugar do globo terrestre tem o mesmo objetivo, FATURAMENTO, se for este o problema da BMW (e deve ser) nada mais natural que eles meterem o pé.
    Abraços

  27. isaias disse:

    isso e uma pilantragem ai depois querem administra a F1 ja tou com saudades do chefão ron denes que sempre brigou pra defender a F 1 ai vem essas montadoras que só visam lucros e temtam acaba com um esporte que todos gostam fica max mosley ……vergonha montadoras que só vizam lucros!!!!!!!!!!!!!

  28. Flavio disse:

    Flavio Gomes, comente sobre mais um fora do bobo do Galvão Bueno em comentario do GP da Hungria quando apareceu o Nélson Piquet junto do Nick Lauda, onde o bobo mandou o Lauda ficar calado quando ele disse q a ferrari deveria chamar o Shumi para substituir o Massa. Hoje a Ferrari oficializou O shumi como substituto do Massa.Esse cara só fala bobagem.

  29. Carlos "Takuma" Sato disse:

    Nem vou ler a baixaria que já rolou aqui.

    Eu juro que não consigo entender o “por que?” de tanto alarde com a saída de uma equipe de corrida. São tantas que vão e voltam, é normal, faz parte do negócio.

    O que me deixa de cabelo em pé é ver o grid de uma F-SP, por exemplo, com menos de 1/2 dúzia de carros largando, as arquibancadas de Interlagos vazias, as crianças que mal acabam de nascer e já recebem uma camisa de futebol ainda na maternidade e de saber que a Argentina tem um automobilismo anos-luz mais evelouído que o nosso.

    Podíamos gastar mais energia e sabedoria cuidando do nosso quintal e deixa a F1 fazer o que bem entender, não vai acabar, com ou sem BMW, HONDA, continuaremos acordando aos domingos p/ ver as corridas.

    Bejunda!

  30. CHUPA disse:

    Aê marcelo ribeiro/Roberto McLin Oshalm:

    CHUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUPA!!!!

  31. Felipe Trench disse:

    Na minha opinião a BMW não fará falta à F1. Tem um título apenas, do longínquo 1983, graças ao Piquet e apenas uma vitória nesta fase “equipe própria”.
    E mais uma meia dúzia de vitórias como fornecedora da Williams.
    Ridículo, enfim.
    Imagine se Frank Williams e Patrick Head vendessem sua equipe para a BMW anos atrás. Seria um time de tradição a menos.
    Espero que alguém assuma o espólio e corra em seu lugar ano que vem. E que o Kubica consiga um bom cockpit (McLaren, de repente).
    Em suma: já vai tarde BMW!

  32. Manfred W. disse:

    Gomes,por isso que o Max “peitou” o campeonato paralelo,ele já sabia que muita gente ia começar a cair fora,se antecipou ao blefe das Montadoras…

  33. Michael Myers disse:

    Flávio pega leve nos termos chulos cara!! Tudo bem que a internet é um local descontraído, mas pelo amor de Deus, existem palavras que poderiam substiuir sem a menor perda do conteúdo…

  34. LRS disse:

    Não aguenta bebe leite!!!!! na hora de vender carros de passeio já ouvi vendedor falando que M5 usa motor da F1,faltou dinheiro ,isso contribui negativamente para marca.

  35. Zanni disse:

    Os esportista, como sempre, são idiotas que acham que entendem de tudo. Corridas de carro deveriam ser proibidas em todo o mundo. Nada justifica, carros poluindo o meio ambiente sem nenhum motivo.

    RESPOSTA DO FG:

    Ui, franga!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>