MENU

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009 - 10:04#96, Superclassic, farnéis, DKW & cia., Museus & coleções

MALZONI LÁ!

SÃO PAULO (bom começo de dia) - Baita orgulho ao ver este vídeo que o pessoal da Audi na Alemanha acabou de postar na rede. Aliás, vamos encher o VocêTubo de acessos! Para os caras verem que a gente, aqui no Brasil, está morrendo de orgulho de ter um Malzoni no acervo do museu de Ingolstadt. E na edição do vídeo ainda colocaram o #96! Na imagem congelada, é ele que aparece. Será que é de propósito? As fotos, fui eu que mandei para o Peter Kober, que aparece no vídeo falando (em alemão) sobre a aquisição do carro. Vai ver ele que devolveu a gentileza…

44 comentários

  1. leandro 440 magnum disse:

    Audiwagen ist und wie ein Deutschkopie Dodge , immer revolutionierem(halten das Seitenverhältnis)

    Mopar Der Gruß.

  2. Episcopo disse:

    Este carro é lindo demais !
    Realmente dá um orgulho enorme ver o carinho com que ele está sendo recebido nessa coleção da Audi !
    Ano passado, na exposição da Audi no Ibirapuera tinha um Malzoni embelezando a entrada do evento, logo à frente de um belíssimo Audi da década de 1930… Na última sala havia um Auto Union Type C, em frente a um painel lindo com o mesmo correndo lado a lado com um Audi Quattro Sport e um R10 de Le Mans

  3. Helder Sobrêda disse:

    Sensacional, espetacular, maravilhoso!!! Nada mais justa a homenagem feita a você, no famoso #96, congelado no vídeo.
    Imagino a sua emoção ao ver o vídeo. Agora, acho que você deveria programar uma viagem até Ingolstadt para ver o “seu filho” lá.

  4. jose carlos disse:

    FG
    parabens pela saga two stroke
    conseguiu o HALL OF FAME para o MALZONI
    vamos mexer com os SAAB e quica volvo 444
    boa sorte
    jc sete lagoas

  5. vitão disse:

    o meu alemão é meio torto, mas acho que entendi ele dizendo ” agradecemos ao grande piloto e jornalista Flavio Gomes por ter encontrado esta joia ” . Se não disse, deveria ter dito.

  6. Rodrigo Abreu disse:

    Estou arrepiado! Isso é maravilhoso para que os alemães e o resto do mundo saibam da capacidade do povo brasileiro, de construir esse belíssimo carro de forma artesanal nos anos 60. Aqui não tem só samba e futebol!!!

    Interessante também a placa, pareceu ser de Parobé-RS, cidade de colonização Alemã, no vale do paranhana, entre a capital e a serra…

  7. Edison Guerra disse:

    Como você mesmo disse,BAITA ORGULHO.

  8. Romeu disse:

    Mesmo sem entender nada de alemão, dá pra se perceber a satisfação de terem um GT Malzoni, por lá.
    Uma delicia para quem gosta de DKW, sentir que ainda hoje, depois de quase 54 anos do seu lançamento por aqui, o pipoquento ainda nos emociona.
    Parabens de novo Flavio, pelo seu envolvimento nessa empreitada.
    É muito orgulho ter um GT Malzoni DKW no Museu da Audi.

  9. Renato disse:

    Sensacional!!! É muito raro estrangeiros, principalmente o aqueles dos países desenvolvidos, reconhecerem e divulgarem as conquistas dos brasileiros, sejam feitos esportivos, científicos, industriais, enfim. Ter um Malzoni no museu da Audi é realmente algo que os entusiastas tupiniquins devem se orgulhar!
    Embora pouco divulgado aqui no Brasil, o museu da VW na Alemanha possui um SP2. Nunca tive a oportunidade de visitar, mas já recebi fotos. E há diversos outros fatos importantes da indústria automobilística “nacional” que os próprios brasileiros desconhecem, e a imprensa especializada estrangeira simplesmente ignora.
    OBS: pena que não entedi nada do vídeo, não falo bulhufas de alemão…hehehehe

  10. Regi Nat Rock disse:

    ops… 6 duzia dá a impressão que tem uns 72 museus né não?

    MEIA DUZIA, pessoas, minguados seis mecenas e olhe lá…

  11. disse:

    Quando vi o post, pensei ser do Canalha2. Bem que ele ao invés de ficar zuretando com o Gerd, poderia legendar, postar, se virar.
    Sr. http://trutaphotos.blogspot.com/ , aguardamos.

  12. Regi Nat Rock disse:

    Ah seu danado, agora entendi minha pesquisa (fajutinha diga-se, já que não desenterrei coisa alguma) tentando localizar outras fotos ou documentos com o Pele, como aluno da auto escola (onde tirou sua CNH dirigindo uma Deka)
    Legal saber. Melhor ainda é ter o video institucional, imortalizado o #96 também.

    LOnga vida ao Malzoni, portanto

    Ao menos, lá, levam a sério preservação.
    Por aqui, 6 duzia de mecenas dentre os quais Trevisan.

    Qto ao comentário do AlexB, – acima , irrepreensível!

  13. Ricardo Bigliazzi disse:

    Muito bom!!! Já vi e postei um comentário… acho que o pessoal da Alemanha vai usar muito o tradutor do Google.

    Obs.: Nada a ver… mas pelo que li no Grande Premio a Renault já é “favas contadas”…

    Abraços

    Imperador

  14. Minoru disse:

    Caro Flávio,

    Apenas uma curiosidade: existe algum motivo para que o radiador fique atrás do motor e não na frente como tradicionalmente é posicionado.

    Abraços

    • Flavio Gomes disse:

      DKW, normalmente, não tem bomba d’água. A refrigeração se dá por termossifão, gravidade. Mas nos Malzoni, pela característica esportiva, tinha bomba d’água.

    • Minoru disse:

      Flávio,
      Quanto ao sistema de termossifão eu entendi – água quente sobe e a fria, mais densa, desce – mas posicionar o radiador na frente, perto da grade, como em todos os carros modernos, não daria uma melhor refrigeração ao motor?

    • Augusto Freire disse:

      MInoru, respondendo à sua segunda pergunta: havia o problema de espaço, pois nos DKWs a parte dianteira do capô é sempre bem mais baixa. O Malzoni e o Puma DKW (estes exclusivamente brasileiros), por razões de estilo (esportivos) tinham o capô mais baixo ainda, o radiador não podia ficar tão alto e era menor, daí a bomba d’agua. Há que se considerar também que o problema de refrigeração não era tão crítico assim para os DKWs que rodavam no continente de origem, a Europa. Pelo contrário, nos modelos de lá existia até uma espécie de “persiana” que acionada diminuía o fluxo de ar através da grade dianteira, para ser utilizado no inverno.
      Abraços

  15. charly disse:

    Parabéns pequeno gafanhoto! Você foi o responsável por isso tudo!

  16. Lago disse:

    fg, complementando, sabemos que no fundo, principalmente para vocês, parte integrante desta história, o que não tem preço é o reconhecimento aos malzoni; homem e máquina.

  17. Lago disse:

    agora a mastercard poderia aproveiar e fazer o seguinte reclame. é, já que será com o fg, é reclame, e não anúncio ou comercial. reclame. ao roteiro: andar em missão secreta pelo uruguai: x reais; comer o verdadeiro bife de chorizzo ao fim do hemisfério sul com um amigo do peito: y reais; ver o #96 em vídeo oficial da audi tradition: não tem preço!

  18. Caique Pereira disse:

    Um DKW é algo especial. Quem teve ou tem um sabe a emoção de ver um Malzoni na Alemanha.

  19. egidio manoel disse:

    ola flavio, parabens pela iniciativa. eu tenho a autoesporte com a cobertura das mil milhas de 1966, reparei que as fotos do malzoni foram feitas no rio. se ajudar posso scanear emandar as fotos.

  20. ALEX B. disse:

    Pois é Jackie, e ele ainda insiste na quela caixa de sapatos russa! Ahhh, Gomov, se arrependimento matasse… ;)

  21. Guanaes disse:

    Não entendi “bulufas” do que foi dito mas é legal ver que deram a importancia que o Malzoni merece.

  22. Diogo Sorocaba disse:

    Parabéns, Flávio!
    Imagino seu orgulho por ter ajudado na empreitada.
    Parabéns, novamente!

  23. V. Maghetti disse:

    Resumidamente:

    Havia rumores da existência no Brasil de um modelo esportivo fabricado em pequena escala com base na mecânica dos DKWs dos anos 50-60. Eis que um jornalista brasileiro (quem seria? rsrsrs) entrou em contato com o pessoal da Audi, informando de que existia no Brasil um esportivo, produzido no passado em pequena escala, com motorização DKW. A Audi se interessou pelo assunto e, após algumas notícias desencontradas (um Malzoni estaria sendo restaurado em uma garagem no Uruguai), foram informados de que havia sido localizado um bom exemplar, e que podiam vir examinar o Malzoni no Brasil.
    . Mas faltava um bom esportivo da marca, e aí surgiu Rino Malzoni e criou o carro. Mencionam um total de cerca de 35 carros construídos. Mencionam ainda o estilo do carro e seu interior, ambos de acordo com o que se fazia à época, me termos de carros esportivos, bem como a semelhança do Malzoni com os esportivos italianos da época, nos quais teria sido inspirado. A seguir, é feito um breve histórico dos DKWs construídos no Brasil sob licença, de sua popularidade (mostrando os táxis e o Belcar de Auto-Escola com o qual, segundo a reportagem, Pelé teria tomado aulas de direção). Depois, citam o bom desempenho dos Malzoni em corridas, dando especial destaque às “Mil Milhas” de 1.966, na qual Emerson Fittipaldi e Jan Balder, disputando com um Malzoni esta corrida contra carros bem mais potentes, teriam sido campeões, não fosse um problema surgido quase ao final da corrida, que os obrigou a parar no Box, fazendo com que perdessem o primeiro lugar, ficando com o terceiro, sendo entretanto considerados os “campeões morais” desta corrida. Ao final, dizem que o Malzoni irá ficar por algum tempo exposto no museu da Audi, porém não o tempo todo, pois o esportivo ainda está em boa forma, e deverá ir de vez em quando para as estradas, o que deverá alegrar os fãs da marca DKW.

  24. Roberto Hackmann disse:

    Simplesmente maravilhoso !
    Muito bom começar a semana deste jeito !
    O texto exposto é muito bacana também. Se alguém me der umas dicas, traduzo o texto para o português e mando para alguém que saiba fazer a versão legendada, ou ajudo a fazer a versão legendada. Como quiserem.

    Abraço e Boa Semana a Todos !

  25. Silvestre Zanon disse:

    Muito legal. Agora uma dúvida: Por que os números da placa são diferentes?

  26. Alfredo Gehre disse:

    Maravilhoso…
    É uma honra para nós este reconhecimento e os comentários que os alemães fazem sobre nossos DKW e em especial ao Malzoni.
    Mencionam inclusive que o Emerson e o Jan Balder foram os vencedores “morais” das Mil Milhas de 1966.
    Bela Matéria…

  27. victor freire disse:

    lindo vídeo. honraram e muito a tradição do automobilismo brasileiro em sua era dourada.

  28. Jr.Guilherme disse:

    Muito bom, mas realmente seria interessante legendar….
    Meus parabens, Flavio pela sua colaboração e pelo incentivo.

  29. Wagner disse:

    Gostei!!!
    Mas uma versão com legendas seria legal.

  30. GERALDO CASSELLI JÚNIOR disse:

    Muito legal !!! E além disso , atesta a qualidade da restauração . Embora o meu alemão seja quase nada , mas deu pra entender que Peter Kober mencionou as Mil Milhas de 1966 , Jan Balder & Emerson Fittipaldi e , me corrija se eu estiver errado , ” vencedor moral ” ! Se é isso , apesar de ser um termo muito batido , tem o seu fundamento !!!

  31. Edu H@rmel disse:

    Meu alemão está meio enferrujado.. alguém se habilita a colocar legendas ??

  32. Franco disse:

    Magnífico! Nem precisa entender alemão para aproveitar. Parabéns, Flavio. Parabéns por dar sua parcela de contribuição para que a história do automóvel seja preservada.

    Mas que esse Malzoni parece ter saído da linha de produção agora, isso parece.

  33. Bernardo disse:

    Tem que fazer um versão com legendas do video!!! Mas ficou massa mesmo. Parabéns pela iniciativa de todos

  34. Guilherme disse:

    Muito bom! Embora não entenda nada de alemão.

  35. Luis disse:

    Líndo vídeo !

    Será que alguém por aqui conseguiria produzir uma versão legendada? :)

    Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>