PERUA CHIQUE | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

quarta-feira, 28 de abril de 2010 - 11:33ESPN Brasil

PERUA CHIQUE

SÃO PAULO (firme como geleia) – E lá vai a matéria da semana no “Limite”, para quem não conseguiu assistir ontem à noite. Trata-se de uma perua Maverick, que pertence ao Paul Gregson. Um carro nunca homologado pela Ford, mas que a Souza Ramos fazia com esmero. É só clicar aqui para assistir.

28 comentários

  1. Beto Carpini disse:

    FG, não é possivel ver a matéria no site da ESPN, des de a matéria do Fiat 147, o site deve estar com problemas técnicos, como diriam os mecanicos da Ferrari

  2. Leo disse:

    Aos blogueiros de plantao de alma caridosa, que alguem “suba” os videos do “No Limite” para o Youtube, pois o site da Espn nao permite o acesso internacional, e mesmo morando fora do Brasil, sou fã do blog e curto muito as reportagens desse programa feitas pelo grande Flavio Gomes e apenas posso ver as as que estao no “VoceTubo”. Valeu.

  3. joão batista pires disse:

    meu pai teve uma dessas cinza, com motor V8. Era muitobonita e chamava bem a atenção. Tanta que, num belo domingo de 1982, roubaram ela num estacionamento de supermercado. Nunca mais apareceu. Em 1989, em Suzano, achei umatoda detonada num acampamento de ciganos, maiso carro não tinha documentação e preferi não arriscar. Pensei comprar outra, mais nunca mais achei outra perua.

  4. Reynaldo disse:

    Acho que a Ford acertou em não fazer a perua. Aconteceria o mesmo que houve com a perua Tempra.

  5. Cristiano, o ruivo disse:

    Legal, já tinha visto umas fotos. Apenas estranho usar o amortecedor da tampa da Panorama, que foi lançada depois. Ou foi gambiarra do antigo proprietário mesmo.

  6. sidney disse:

    Flávio, gostaria de corrigir uma informação da matéria, em 1978 a ENGERAUTO empresa do Grupo da Cia Sto. Amaro de Automóveis (revendedora Ford) adquiriu uma frota de taxis amarelos Mavericks do Rio de Janeiro que foram trazidos para Sampa e transformados em peruas. Eu era o responsável por levar estas belezuras de Sampa para o Rio. O que diferenciava das transformadas pela SR é que as da ENGERAUTO tinham o motorzinho de 4 cilindros. Para finalizar quero dizer que comecei a namorar minha esposa dentro de uma belezura desta na cor azul, e lá se não 32 anos. P.S. A Engerauto (eu criei o logo da empresa) também transforma do Del Rey e conversível. abs

  7. Fernando disse:

    Eu vi uma perua dessas na cor branca aqui em Moema, SP não tem muito tempo. Não estava rodando mas aparentava estar com a mecânica completa. E os pneus estavam cheios.

  8. emerson neves disse:

    e bota chiqui ai meu velho em25 anos,tenho 35 nunca vi uma dessas…

  9. sérgio castro disse:

    Mais uma matéria legal para o “Limite”, que aliás pisou na bola ontem exibindo aquela matéria chata do encontro de fuscas e antigos de Mogi ou Poá (sei lá), com carros horrorosos, transformados e adaptados, e um pessoal meio estranho. O João brincou com o Flávio dizendo que ele estava com ciúmes da reportagem, mas na verdade acho que ele também odiou a reportagem e os carros.(só não podia falar né!!!)

  10. eron disse:

    Nao só o teto da maverick mas o desenho lateral ficou muito parecido com a caravan… acho que pela tampa traseira ser de fibra ela poderia ter encorporado as lanternas…. mas mesmo assim ficou show de bola…

  11. Eric disse:

    Vem de familia…o pai dele , Sr Gil fez a primeira perua Volvo em 1956 se não me engano….no RJ.
    Era baseado no Sedan PV 445 se não me engano também….e a mantém guardada até hoje….lindíssima na cor prata.

    Naturalmente a perua Maveca também está guardadinha.

  12. vitão disse:

    seria o bicho na época. e ainda tinha a perua do Galaxie, transformada em ambulância para uso da fábrica. acho que ela esteve em Águas de Lindóia a uns anos atrás .

  13. moacir disse:

    Maverick é show! MUITO boa a matéria dessa semana, cara. parabéns mesmo.

    Coisas como essas perdoam com folga o pecado da Souza Ramos de (tentar) fazer um Verona ficar parecido com um BMW (foi nos anos 90).

  14. Jayme disse:

    Não vi porque caí no sono com aquela materia chata pra cacete de carros velhos de poá ou aruja nem sei direito, poxa nada de lindóia e ficaram mostrando aquela droga um tempão, naquelas bandas aquilo não é carro antigo, são os carros do dia a dia dos caras.

  15. Carlos Carrato disse:

    Talvez seja bonita mesmo, sei lá, achei fúnebre demais. Mas o trabalho criativo da SR e o de restauração são excelentes.

  16. Fabio Souza disse:

    Vi a matéria mais por curiosidade, porque o carro é muito feio, sem harmonia em suas linhas, parecendo uma obra de fundo de quintal.

    Certo fez a Ford em não homologar este monstrengo.

  17. ALEX B. disse:

    Mas é um hibrido! Mezzo Mavera, mezzo Caravan! Mas a tampa traseira é horrorosa!

  18. Gabriel, o Pensador disse:

    Que belo exemplar hein!!

    Honestamente, não sabia da existência desta versão. Mas é o máximo!

    Um dia ainda terei o meu antiguinho…

  19. Competentíssimo trabalho da Souza Ramos, e de restauração, do Paul. Imensa burrice da Ford em não produzi-la. Ficou muito mais bonita do que a Caravan que, óbviamente, lhe emprestou o teto. Em Campinas, até alguns atrás, tinha uma marrom, impecável. Abraço.

  20. Ricardo Guerrero - disse:

    Lembro quando era moleque e vi uma dessas rodando… contei para os meus colegas que logo me chamaram de maluco pois não existia maverick perua… rsrsrs

  21. Leandro disse:

    Olá Flavio, eu não gosto destas modificações que alteram as características originais dos carros (como aquela do Opala conversível), mas essa ficou muito boa, acho que a Ford perdeu uma oportunidade de fazer um carro para competir com a Caravan e com a vantagem das 4 portas.

  22. Luiz Rocco disse:

    Não chega a 100 o número de peruas Maverick produzidas pela Souza Ramos, era bem cara a transformação. Acho que devem ter sido feitas umas 60 e olhe lá.

  23. Reynaldo disse:

    Fiquei curioso em saber o investido em R$. O trabalho eu imagino, 3 anos e meio garimpando peças, montando,etc…

    • Carlos Bragatto disse:

      Reynaldo, depende, a cada dia que passa, as peças ficam mais raras e caras, o que o Paul deve ter gasto quando restaurou essa Maverick, não daria pra fazer a metade hoje.

      Basta ver que, há 10 anos, os ignorantes usavam Dodge e Landau em “Demolicar” e afins, e hoje voce paga R$ 20 mil numa sucata de Landau/Maverick/Dodge com documento mais ou menos em ordem…

      E aí voce começa a entender porque tem Landau a 50 mil reais, Charger R/T a 80 mil Reais, e ve gente pagando esses preços, porque realmente está ficando extremamente caro e complicado restaurar essas máquinas.

  24. gleitef disse:

    Tive um Buick 72 Sport Wagon muito parecido com este.
    Pena não poder mandar a foto.

  25. Augusto disse:

    No museu de carros antigos que existe em Passo Fundo, cidade do grande Paulo Afonso Trevisan, existe um exemplar desse pronto para ser restaurado, mas aguarda uma grande fila de outros felizardos guanharem vida novamente.

    Não sei se você conhece o local, mas acredito que se sentiria uma criança num parque de diversões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>