ENCHE O TANQUE (44) | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

domingo, 23 de maio de 2010 - 17:57Arquitetura & urbanismo

ENCHE O TANQUE (44)

SÃO PAULO (tirem as dúvidas, ora!) – Carlos Olivi foi quem mandou essa foto. Diz que é no Aterro do Flamengo. Pô, achei o máximo. Não lembrava disso. Essas coisas que parecem TVs são as bombas? Alguém tem fotos mais detalhadas desses postos que parecem saídos dos desenhos dos Jetsons? E eles existem ainda? Qual a bandeira? E essa iluminação? Coisa de doido. Lá no fundo consegui ver uma Vemaguet e um Chevrolezão. Essa foto é bem antiga. Tem um cara vendendo cachorro-quente num carrinho ou é impressão minha?

Muitas perguntas…

19 comentários

  1. Vitor disse:

    Esse posto em particular fica em frente ao Hotel Gloria (note o monumento dos pracinhas, ao fundo, no canto inferior esquerdo, atrás da bomba)

  2. Henrique Pires disse:

    Bela foto, imagem rara. Os postos do Aterro foram inaugurados pela Shell. O projeto era do arquiteto Ulysses Burlamaqui (o mesmo que projetou o Rio Sul), inclusive as lumináriasem forma de tonel, inspiradas nas maiores do jardim, as quais podem ser vistas atrás. Todos os postos do Aterro seguiam o mesmo projeto, e as bombas futuristas eram amarelas. Hoje a estrutura básica ainda está lá, sob bandeira BR, mas adulterada por diversas “atualizações”. Se não dá para voltar ao passado, cabia ao menos uma faxina rigorosa…

  3. Ivan disse:

    Os postos do Aterro não eram da Shell, mas da Esso. São citados na música do Caetano Veloso do Disco Tropicália, a música chama-se “Paisagem ùtil”, e fala em um dos seus versos “e uma lua oval da Esso, no palmeiral de cimento…”. A música descreve o Aterro.

    Esse posto pode ser o do estacionamento atrás do MAM, como sugerido, ou pode ser o que fica bem no meio do Aterro, porque a noção de espaço fica um pouco prejudicada conforme o comprimento focal da lente usada.

    Nenhum posto foi construído nem removido entre os originais, todos continuam nos mesmos lugares mudando só a bandeira.

  4. Jorge disse:

    Para ver exatamente aonde é o posto basta copiar esses numeros para o campo de pesquisa do google maps e clicar em “Pesquisar no Mapa”.

    -22.921468, -43.172699

    []‘s

  5. É impressão não, Flavio. E o cara é baixinho, porque apesar da moça estar em cima da calçada, ainda é mais alta que ele. Agora, as bombas são totalmente Jetsons.

  6. Felipe disse:

    Flávio, não sei dizer se já foi objeto destes “44 enche o tanque”, mas tem um postinho em Santos que fica no meio da avenida (avenida ana costa, salvo engano), tem duas bombas e dispõe em seu letreiro que existe desde 1940. Tô tentando achar um link que tenha a foto mas não encontro…fica aqui apenas um comentário – sugestão para o blog! Abraço!

  7. Rogério de Carvalho disse:

    O pessoal tá dizendo que o posto não existe mas acho que existe sim. É o posto (BR) que fica em frente ao aeroporto, onde tem estacionamento de locadoras de veículos. Nessa foto dá pra ver o monumento aos pracinhas. Só não dá pra ter noção da distância. Hoje, entre o posto BR do aeroporto e o monumento tem o Museu.

  8. Andre Decourt disse:

    Esse posto era Shell, e tinha uma programação arquitetônica avançadíssima, com bombas desenhadas por designers brasileiros e que ganharam prêmios em vários congressos de desenho indistrial no mundo. Mas antes do prazo do fim da concessão os 2 postos da Shell no Aterro foram tungados por uma canetada do Gueisel, que os entegrou para a BR distrbuidora, num daqueles episódios tradicionais do governo de 64. A BR aproveitou quase tudo da estrutura montada pelos Holandeses, menos as bombas. A construção atrás ainda existe, praticamente do mesmo jeito, já as interessantes luminárias cilindricas foram arrancadas quando o posto foi modernizado, ganhando coberturas.
    Como a Guanabara era de vanguarda, acabaram com tudo com a tal da fusão, também arquitetada por Gueisel, que não gostava do Rio, pois foi ele que demoliu o Monroe e o Ministério da Agricultura.

  9. Paulo Barros disse:

    Linda foto!
    Lembrou-me “Contatos Imediatos do 3° Grau”

  10. Maycon V. T. Côrte disse:

    Flávio, boa noite!

    Cara, desculpa, só queria saber como que eu posso te enviar um e-mail com umas imagens de alguns carros.

    []‘s

  11. Vinicius Scutellaro disse:

    Nesta posição da foto, este posto já não existe mais. Pelo aterro existem outros, todos com bandeira BR.

  12. Rodrigo disse:

    Boa noite! eu adoro coisas antigas! esse posto é muito bacana! tinha que voltar a ser padrão, iria ficar bem mais bonito…

  13. Carlos disse:

    Flavio, gostaria de enviar umas fotos de um DKW lindo que encontrei, qual é o seu email? Abs

  14. Roberto Costa disse:

    NA ÉPOCA DO ELEFANTINHO!!!

    Com a construção do Aterro do Flamengo a Shell ganhou a concorrência para a instalação de uma quantidade razoável de postos que para os padrões da época eram revolucionários e já com a possibilidade de serem efetuados diversos serviços sem o cliente ter que sair da bomba. Na arquitetura houve o cuidado (ou obrigação contratual, não sei) de não poluir a visão e parte apenas uma pequena cabine envidraçada poderia ser construída sendo necessário um pequeno sub-solo. Os comerciais da Shell eram filmados/fotografados nestes postos tendo Wilson Simonal como protagonista.
    Comentou-se na época que o contrato terminou que a Shell teria o direito a uma renovação mas a Petrobrás “tomou” todas as áreas inclusive construindo diversos outros no então novo aterro construído na Av. Atlântica em Copacabana.

    Na foto aparece um pequeno galpão do outro lado da avenida que nada tem a ver com o posto!!!

  15. luis da matta disse:

    Os postos do Aterro estão lá sim, mas esse aí , pela posição do monumento aos pracinhas da 2a.Guerra, que aparece ao fundo, creio que não existe mais. O tal que tem loja de conveniencia GENEAL, está em posição contrária , não é este daí não. Este pode ser o que fica em frente ao Hotel Glória.
    Com rela ção aestas bombas futuristas e com jeitão da cabeça do ET, são típicos dos anos 70 (início). Lembro-me perfeitamente dessas bombas, que mais pareciam mesmo um robô ou uma TV “psicodélica”. Ficaram pouco tempo, mas marcaram época.

  16. Jorge disse:

    Se for o posto que imagino, hoje é um BR e com a cara padrão, e o cachorro-quente que o cabra está vendendo deve ter feito bastante sucesso, a barraquinha virou uma baita loja de conveniência.

    []‘s

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>