MENU

quarta-feira, 15 de setembro de 2010 - 0:17Arquitetura & urbanismo

ENCHE O TANQUE (69)

SÃO PAULO (e vamos dormir) – Dos mais graciosos da série, sem dúvida. Acaba de chegar, enviado pelo Chico Cougo. Segue a historinha:

Vai uma modesta contribuição para a seção “Enche o Tanque” (uma das minha preferidas de seu blog). Este pequeno postinho ficava em Rio Grande, RS, um dos últimos municípios brasileiros antes do Uruguai (bem pertinho do Chuí!). Rio Grande (200 mil habitantes) é a cidade onde nasceu a Refinaria Ipiranga, daí a presença constante de tal empresa por lá. Este charme de posto se localizava na General Osório e ficava às margens da Laguna dos Patos (a maior do mundo, segundo pesquisadores). Do outro lado desta laguna ficam a Ilha dos Marinheiros (de colonização açoriana, que até hoje mantém vivas suas tradições) e o município de São José do Norte (20 mil habitantes, cultura agrícola e pesqueira).

Infelizmente este posto foi destruído há bastante tempo. Ainda existe uma central de abastecimento Ipiranga bem aí, mas em formato “moderno”. Neste mesmo local, também fica a hidroviária de onde saem as balsas Rio Grande-São José do Norte. Diariamente, passam milhares de pessoas por aí. O prédio que aparece ao fundo ainda existe e está deste mesmo jeito. É a Câmara do Comércio da cidade.

Demais, Chico. Devo baixar por esses lados nas próximas semanas. Vale a visita?

16 comentários

  1. como assim o sr. vai por essas bandas?! Gerd na área e nao me fala nada?!

    da próxima vez q for em sampa nem te ligo…

  2. Flavio, com certeza vale a visita. Não deixa de fazer o passeio de vagoneta a vela, nos molhes da praia do Cassino, como sugeriu a Jurema.
    Tenho um amigão, o Carlos Aurélio, que é de Rio Grande e mora hoje em Floripa, onde trabalhamos juntos (hoje estou em POA). Estive nos molhes e tirei uma “foto-desafio” pra mandar pra ele. Mostrava um cantinho do assoalho da vagoneta, um pedaço do chão dos molhes e um pedacinho do trilho. Mandei por e-mail com a pergunta: “onde é isso?”. Me respondeu emocionado. Os riograndinos são muito apegados à sua terra. Parabéns a eles.
    Sds!
    Alexandre

  3. Chico Cougo disse:

    Valeu, Flávio! Bem, eu ia dizer que vale a visita, sim, mas a companheirada já deu o recado. Rio Grande – e não é por ser minha cidade natal – é linda e merece muitas e muitas visitas.

    Ah, e tem uns Ladinhas mui simpáticos por aquelas plagas. Umas Nivas também!

    Grande abraço,
    Chico

  4. Tiago disse:

    Caramba! Quando eu era criança eu tinha um postinho de brinquedo parecidíssimo com esse da foto.

  5. Barney disse:

    Pra quem gosta de postos de gasolina no estilo de época, NOVA FRIBURGO – RJ tem, pelo menos uns 6 antigos que vi lá, e funcionando!!! Quando fui buscar meu Maveco GT lá fiquei doido!! fica aí a dica!!!

  6. Jurema de Pindamonhangaba disse:

    Esqueceu de mencionar que a cidade é portuária e mais importante do extremo sul. Tem alguns encantos,pela colonização açoriana,mencionada pelo blogueiro e sede das desaparecidas indústrias Rheingantz e Swift, que ocupavam boa parte da cidade.Também a indústria de doces que compete com Pelotas.Vale visitar os molhes e percorre-los com vagoneta à vela.São quase dois quilômetros mar a dentro.

  7. @ndrebz disse:

    tinha que ser o meia nove,

  8. Felipe disse:

    Vale a visita a Rio Grande sim, sou de S. José dos Campos/SP, mas estive em Rio Grande diversas vezes meus pais estavam morando por lá no Cassino. Sei onde fica esse lugar do antigo posto é uma cidade cheia de belezas e curiosidades que não vi em outro lugar e não deixe de visitar a Praia do Cassino que é a maior do mundo.
    abraço

  9. Roberto Tremper disse:

    Sua pergunta sobre valer a pena a visita foi feita para o Chico, mas tomo a liberdade de me meter na conversa. Como natural de Rio Grande sou suspeito para falar, mas não há outra cidade igual no mundo. Há coisas magistrais, há pontos turísticos incríveis (os molhes da barra, a praia do Cassino), há fatos e prédios históricos notáveis, há cultura universitária completa e diversa, há estrutura industrial variada e complexa, há ambiente marítimo – porto enorme, estaleiros, distrito naval, etc., mas também há coisas que não se pode comprender como é que podem existir, como em qualquer lugar do mundo. No balanço, é claro que vale a pena. Veja como era a cidade já em 1942 através deste documentário: http://www.youtube.com/watch?v=8nZO8DdZ0L4. Se tiver um pouco mais de tempo, acesse o blog http://www.guaipeca.blogger.com.br/ e siga os links recomendados. Lá nesse blog é onde nós, os riograndinos, de qualquer lugar neste planeta, nos encontramos eletronicamente todos os dias. Quase sempre há uma foto antiga, uma paisagem que não existe mais, a história de algum carro, a lembrança de pessoas, fatos e fenômenos do passado, e o registro de novidades do presente. Mas chega de propaganda. Vá até lá e veja por si. Penso que ficará com água na boca (se gostar de peixe) e terá vontade de visitar a cidade. Eu mesmo estou pensando em ir lá neste fim-de-semana. ABS/RT

  10. Ricardinho disse:

    Deve ser um lugar e tanto para se visitar. Ainda vou fazer um tour pelo sul. A história do local é muito interessante. Acho que vale a visita sim. E já poderia tirar umas fotos para nós, simples mortais, né Flávio???

  11. vitão disse:

    lembrei de um posto muito esquisito. Até meados dos anos 80 funcionava no subsolo do conjunto Nacional, Paulista X Augusta, um posto de abastecimento. Foi depois do incêndio do consulado americano que se tocaram que era meio perigoso e fecharam. Quem vai até o sub-solo ainda vÊ as marcas onde as bombas ficavam.

  12. Sensacional a história!
    Fg, não dá pra encaixar um ‘pit stop’ na poeira aqui em SC nessa viagem?
    Estamos esperando por você!!!
    Abração

  13. antonio seabra disse:

    Flavio, sensacional o postinho.
    Quanto a visita, acho que se voce vai estar por perto, vale por ser quase o final do Brasil, vale pelo teor historico da cidade, e vale, principalmente pela visita aos molhes do porto, local de “reunião” dos leões marinhos.

    Antonio

  14. Irapuã disse:

    Sensacional! Me lembrou do postinho de brinquedo que eu e meu irmão brincávamos em nossa infância, Merecia sobreviver. Infelizmente não cultivamos este tipo de preservação no Brasil.

  15. Orlando Salomone disse:

    Estes postinhos são maravilhosos. Deveriam ser restaurados por suas bandeiras, e não demolidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>