MENU

sexta-feira, 29 de outubro de 2010 - 3:23DKW & cia., Encontros

FUMAÇAZUL (1)

POÇOS DE CALDAS (50?) - Meu pai, me dando a dica do caminho: lembra quando a gente foi para Águas da Prata e passou por não sei onde? É por lá. Pai, isso faz mais de 30 anos. Mas é o mesmo caminho, ele respondeu.

Os pais sempre acham que os filhos se lembram de tudo. Eu também me pego perguntando aos moleques se eles lembram de coisas e lugares de cinco anos atrás. Pai, a gente era bebê, eles dizem.

Bem, era o mesmo caminho. Mas eu não lembrava, e a este Blue Cloud, o oitavo encontro de DKW que realizamos desde 2003, vim sem mapa, sem anotações, sem GPS, evidentemente. Nada. Para não ser dizer que saí totalmente no escuro, confesso que bati o olho no Google e anotei quatro cidades numa folha de papel: Campinas, Mogi Mirim, Andradas e Poços.

Mas como antes passei por Jarinu para ver umas coisas, e lá encontrei os velhos e recebi a dica do pai durante o almoço, o negócio foi, mesmo, confiar no meu sentido de direção. De Jarinu, à esquerda para pegar a Dom Pedro. Dali me viro.

Waltinho é meu meio de transporte para este Blue Cloud. Como boa parte de meus carros, ele também tem nome. Vivemos grandes histórias juntos. Se um dia ele tiver netos, terá o que contar. Na saída da cidade, parei num posto para jogar água na sua carcaça empoeirada. Estrada de terra é uma praga. Por 15 mangos, deram um trato na caranga. Eu calculava 260 km de SP até Poços, nem sei de onde tirei a distância, no fim descobri que era bem mais. Mas acho que errei o caminho.

Num dia de sol e céu azul, porém, errar o caminho não é nenhum grande problema. Eu precisava manter a proa rumo norte, em direção ao sul. Norte de SP, sul de Minas. Mais ou menos isso. Fui seguindo minha bússola interna depois de sair de Jarinu, que descobri ser a capital nacional das ameixas, escutando uma maluca no rádio que dava dicas de numerologia, vendia escamas de peixes, falava sobre anjos, elaborava mapa astral e fazia massagem cambojana. Tudo no cartão ou em três cheques, o primeiro para 10 de dezembro. Aí a emissora foi sumindo, sumindo, e ficou só um chiado. O rádio de Waltinho é uma bela merda.

Passei por Morungaba, Amparo e Arcadas, e estava chegando a Santo Antonio da Posse quando um pneu estourou. Há um santo que protege os carros antigos na estrada, disso todos sabem, talvez seja esse mesmo da Posse, e o fato é que assim que percebi o problema, numa subida, notei que a não mais do que 200 metros algumas construções indicavam o que parecia ser o início daquela aldeia, e o primeiro estabelecimento comercial da própria era uma borracharia.

Assim, drama algum se configurou com o pneu estourado, da gloriosa marca inglesa Viking, 165/80/R13. Rachou na parede lateral. Acho que é a idade da borracha. Hoje mesmo vou a alguma loja aqui da cidade para trocar os quatro. Não confio mais nos Vikings. Paguei 40 mangos num pneu usado mequetrefe, coloquei de estepe, peguei o estepe e coloquei para rodar.

Deve ter sido um choque para o estepe. A última vez que ele viu asfalto foi ainda na Alemanha Oriental. Mas como não achei lá muito sensato simular um “Adeus, Lenin” para um estepe, deixei que ele se entendesse com a nova realidade da geopolítica mundial.

Tive alguma dificuldade para sair de Santo Antonio da Posse, era horário do rush na cidade. Mas assim que caí na estrada de novo, passei a curtir a paisagem do fim de tarde. O interior de SP é bonito, e gosto particularmente de observar os inferninhos de beira de estrada, aquelas casinhas que se chamam Alguma Coisa Drinks, sempre ao lado de um motel, que vem de motor+hotel, coisa de americano, aqui deveria se chamar metel, dadas suas funções primárias. Gosto também das enormes fábricas, aquelas que a gente nunca sabe onde ficam, embora compremos seus produtos todos os dias nos supermercados, e foi assim que passei pela Ypê, que lava minhas louças, por um depósito da Crystal, cerveja que já devo ter dado uns goles, pela Seara, que faz salsicha, pela Chamex, que produz umas folhas, e pela Mahle, dos pistões dos meus DKWs. Esses não tem em supermercado algum.

Gosto também de imaginar quem foram as pessoas que deram seus nomes aos nossos caminhos, como o Jornalista Walter Lühmann e um certo Luiz Moffa, o primeiro uma ponte, o segundo um viaduto. A rodovia tinha o nome de um vereador, mas não guardei.

E foram ficando para trás Mogi Mirim, Mogi Guaçu, Aguaí, São João da Boa Vista, Águas da Prata, bem que meu pai falou, e acabou SP e começou Minas, e cheguei a Poços de Caldas junto com a noite que caía, e fiquei impressionado com a cidade, uma graça, um rio no meio de uma grande avenida com ciclovia e calçadão, árvores frondosas e pessoas correndo e passeando, mais adiante bares chiques e bonitos, centro histórico, gente na rua, construções antigas preservadas e restauradas, um Cristo Redentor iluminado lá no alto, um coreto com uma bandinha tocando e casais de velhinhos dançando na praça como se fosse a praça um salão de baile, juro pra vocês, e o hotel onde estamos, os DKWs, construído em 1925 e que tem telefone de baquelite e disco no quarto, o que achei o máximo.

Já tem mais de 30 carros lá atrás, um monte de Belcar, Vemaguet, Candango, Puma, Malzoni, mais Waltinho e sua irmã mais velha, uma perua Wartburg que veio de Brasília, turma boa que trouxe 11 fumacentos e a alegria de sempre.

Daqui a pouco nos encontramos no café da manhã para ficar o dia todo falando de DKW. Tem coisa melhor?

105 comentários

  1. Leonardo Mayworm Berlim disse:

    Sou de Salvador, tb amante de Ladas e afins, e no ultimo dia 31 estava batendo perna com meu pai, tio e primo pelas redondezas da feira de Antiguidades do Bixiga e eis que vejo vc e o Waltinho passando a milhão… deu até vontade de gritar Ô GOMES!!! mas me contive… acho que vc estava correndo para cumprir com seu dever civico…

  2. Ricardo Facci disse:

    Só pra informar: O Palace Hotel, que você faz referência em seu texto, foi fundado em 1930, seguido do Palace Casino em 31 (que poderá ser visitado ano que vem completamente restaurado, conforme o projeto original) e as Thermas Antônio Carlos em 32 (onde estão as águas milagrosas).

  3. Rodrigo Duarte disse:

    Não, não tem nada melhor.

  4. augusto chiorato disse:

    Obs , minha cidade eh mogi guacu

  5. augusto chiorato disse:

    Que beleza, minha cidade foi citada nu seu blog, eh muita emocao para nos.
    Obrigado e passe por aqui na proxima ia pra minas.

  6. Alexandre Santiago disse:

    Você está no hotel Reis? Vá ao Pasteluxo comer um bom pastel, não é como os de feira daqui de SP, mas é bom.
    Eh saudades de Poços de Caldas. Tem umas pingas boas ai por esta região também.
    Grande viagem, estamos indo de carona com você.
    :)

  7. Mario disse:

    Caralho! Nunca ouvi vc falar do Waltinho…..não acompanho o blog a tanto tempo ….Poderia contar a história deste WARTBURG novamente?

  8. Eduardo Britto disse:

    “Deve ter sido um choque para o estepe”… cara, você é demais! A crônica tá duca! Três comentaricos: JARINU, se justifica a tal moça do rádio: a cidade era reduto de malucos, fanáticos por OVNIs e meca próxima do hippies na década de 1970. SANTO ANTONIO DA POSSE: já pensou se algo na errado na carreira do cara, e quem tivesse lá pra te atender na borracharia fosse o Neto? POÇOS: cidade graciosa mesmo, estive lá há exatos, mas exatos mesmos… eu estava em um hotel na cidade, de pé no quarto assistindo aquele trágico GP de Ímola, quando a tragédia acontece e eu caí sentado na cama, que nem um pasmo. Lembrança triste de uma cidade gracinha. Valeu!

  9. Kleber disse:

    Fala FG… amigão, você deu uma voltinha mais ou menos hein… Pegou aquela estrada de Amparo – Serra Negra… e sobe e desce e não tem uma retinha sequer… só ‘pirambera’… fácil não…
    Era só vc ter tocado direto, passado o anel viário, e pegava a estrada rumo a Mogi… vou pra estes lados na casa da avó da minha esposa… em São João da Boa Vista… é uma região bem legal, assim como você disse de todo interior paulista… ah, você esqueceu da Motorola… da Luk, que agora mudou de nome (tem uma fundição na pista)…

    E outra coisa… como que você encontrou alguma coisa em Jarinu!!?? Cara não tem nada além de chácaras e sítios em Jarinu… dizem que no mês que vem chega Coca-Cola ali… kkkkk…

    Abraço… T+!!!!!!

  10. Guilherme disse:

    Belo texto, Flavio. Quando pego a estrada a caminho do interior paulista, costumo reparar nas cidadezinhas e estabelecimentos de beira de rodovias. É uma pena que nem sempre posso parar ou olhar com mais atenção na paisagem ao redor porque tenho de manter a concentração no trânsito.

  11. sérgio castro disse:

    Sua narrativa me transportou …Valeu muito, a região me faz lembrar também de minha infância e de meu pai…

  12. Don Victor disse:

    FG tu já curte andar de carro véio, mas abusar da sorte com pneus Viking com mais de 30 anos eh mta coragem….

  13. Daniel disse:

    Olá Flávio,

    Metel foi foda, rs.

    Voce tem mais de um Wartburg ou colocou calotas nele? Lembro que passei(de moto) por voce certo dia na Rod. Ayrton Senna e voce estava com um Wartburg mas acho que aquele nao tinha calota não…e esse aí tem. Se for o mesmo carro….ficava melhor sem as calotas!!! ;o)

    Abraço!

  14. Fábio disse:

    Flávio, aposto que a rádio que você ouvia era a Mundial FM, acertei? Apesar de não acreditar muito em esoterismo, eu também às vezes ouço essa emissora!

  15. Magid disse:

    Olá Flávio,
    Belo texto,quando voltar p/ São Paulo dê uma volta em São
    João da Boa Vista,é uma cidade linda,tem duas praças mara
    vilhosas e o melhor, é uma cidade que tem muito,mas muito
    FUSCA,inclusive comprei o meu lá.A familia da minha sogra
    é de lá e eu moro aqui em B HTE,mas ainda mudo p/ lá.
    Até….

  16. Roger disse:

    cara, não sei os propósitos do seu longo caminho… mas se vc tivesse ido direto pela fernao dias até pouso alegre, o caminho tb seria mto belo com a paisagem.. chegando em pouso vc pega a br 459, mais 99 km, vc esta em poços… sei de cor… moro em sbc e a patroa mora em pouso alegre… realmente, a vida fora de sp é maravilhosa..

    forte abraço!

  17. Luiz Augusto disse:

    Flávio,

    o seu brilhante e fluido texto me remeteu a maravilhosos momentos da infância pois meu pai adorava sair aos domingos para “pegar uma estrada” como ele dizia, nessa região.
    Que saudade, do velho e das viagens…
    Obrigado

  18. enio disse:

    Mais uma das tuas aventuras, como e bom acompanhar teus passeios, so estranhei nao ires 3X6, mas tudo bem deve ter la as tuas razoes, eu aqui louco para pegar a estrada e estar por ai, apreciando as belas paisagens e confraternizando comVoçes e principalmente falando e trocando ideias, vendo nossas paixoes, mas infelizmente morando no sul realmente fica um pouco longe, apezar de em DKW distancia nao existir………Um Abraçao a todos,aproveitem bem o final de semana prolongado

  19. Roseli Lopes disse:

    Até Amparo é o mesmo caminho que faço para Aguas de Lindoia. Como você deu volta, hein ? Problema seu, claro. Nem me fale de Aguas da Prata. Na volta de Poços de Caldas, certa vez parei no centro de AP e comprei num quiosque oficial do famoso Café Aguas da Prata. 4 pacotes. O rapaz abaixou para pegar os produtos e já colocou numa sacola. Quando cheguei em SBCampo, surpresa: Os 4 cafés estavam vencidos. Que raiva. E não tinha site ou SAC para ligar. Fiquei tão chateada que joguei no lixo.

  20. alessandro schubach disse:

    ai ai… aguaí, eita cidadezinha boa…. saudades de lá!!!!

  21. Paulo Franco disse:

    Ter pais vivos é um privilégio!
    Sempre lembre disso e enjoy them!!
    Gostei do texto, mas o raparigo sem camisa, que coisinha mais gay!!
    Ah, aproveite Poços, as fontes, as cervejinhas, fique até 2.a para visitar a Mahle, vai ficando… para que votar?
    Vc merece esse descanso, camarada!

  22. Sérgio disse:

    Carro é pra andar mesmo. Você deve se divertir pacas viajando com essas preciosidades. Dá até uma pontinha de inveja…

  23. Muchacho disse:

    Grande FG, então vc está na região da Grande Mogi Guaçu….vc deve ter vindo de bolso cheio, né ??haja $$$ para tanto pedágio !!! isso sem contar que estão construindo mais 1 nesse mesmo caminho, caso não tenha obervado, entre Jaguariuna e Mogi Mirim.

  24. Jason Vôngoli disse:

    Belo texto! Estou rindo sozinho na sala de embarque de Congonhas. A moça bonita aqui ao meu lado deve estar achando que eu sou retardado…

  25. Ronald Wolff disse:

    Sorry, mas tu fizeste o caminho mais lento….o caminho usual seria ir por Campinas, Jaguariúna. Holambra, M. Mirim, M. Guacu, e assim por diante…tudo pista dupla…..mas, beleza, fez o melhor caminho para o carro que Vsa. Sa. dirigia…tá perfeito!!!!

  26. Cacá Camargo disse:

    Putz me emocionei com o começo da historia,Tenho saudades do meu Pai, E das viagens com alguns carros antigos! E ele dizia que ia dar um galope,acelerava os V-8 dava no maximo 120 km/H Ahahahahaha, E sempre contando historias!!!!!! Saudades!!!

  27. Gustavo disse:

    O citado Cristo Redentor iluminado é o motivo de eu não poder participar do evento… Mas desejo que todos aproveitem ao mãximo!

  28. Jorge Diehl disse:

    Que inveja….numa hora dessas, morar no sul é uma m…
    A gente perde encontros como esse.

  29. el lorenton disse:

    Para aqueles que gostam de carros antigos, um pouquinho sobre o Wartburgs.
    A little history on these cars: After world War II, the BMW factory in Eisenach, Germany found itself in East Germany, now governed by the Russians. They relocated to West Germany and for a while BMW’s were still produced here, but re-badged as EMW’s. After this, the demand for luxury cars waned and less expensive, more practical cars were needed and the Eisenach factory started to produce cars under the ‘Wartburg’ prefix, with a variant of the DKW pre-war engine as it’s power plant. The East German authorities favoured the use of Two stroke technology and used them in it’s entire range of cars and motorcycles such as MZ and SIMSON, right up until the fall of the Berlin wall in 1989. Wartburg manufactured engines for Volkswagen, namely the 1.1 and 1.3, polo and golf engines for a few years. The 1.3 engine was fitted to the Wartburg in its last year of production. However from a classic car perspective, it’s the two stroke engine that is the sought after one. The two stroke engine became legendary for it’s durability, reliability and longevity.

    Although, built under Communist influence, and mechanically simple, these cars were built by Germans and were a cut above anything else made under the iron curtain.

    It has interior carpeting,(standard models had only rubber matting) sunroof and better quality seats than standard models. Whilst ordinary citizens drove Trabants, Wartburgs were frequently driven by the Stasi Secret Police and other people in government or positions with prestige. It’s well sorted mechanically and with the parts alone supplied, should stay that way for many years to come. These cars are now very rare and are starting to appear in museums and are being snapped up by private collectors,,,,

  30. José Rubem disse:

    Flávio, dá uma olhada nesse “duelo” entre o novo Audi RS5 e o MÍTICO Audi Quattro: http://www.insideline.com/audi/rs5/2011/2011-audi-rs5-vs-1981-audi-coupe-quattro.html

  31. Flavio Cocati disse:

    Olá Flávio!
    Dê uma olhada nesse vídeo do Top Gear, tem a Lotus de 72 do Emerson Fittipaldi! O vídeo é longo, o carro aparece aos 5:20! Abs

  32. Arthur Episcopo disse:

    Sensacional FG!
    Lembrei das viagens de minha infância, ou no Dodginho ou no Maverick de meus pais (que viria a ser restaurado por mim para ser meu primeiro carro, depois de 2 anos largado na frente de casa).
    Fiquei com uma vontade enorme de fazer uma viagem dessas de novo! Obrigado!
    E parabéns pelo Waltinho! Belo carro! Não sabia que havia um desses nessas paragens…

  33. Rodrigo Moraes disse:

    Perder-se você não se perdeu. Deu uma volta danada. Mas como estava a passeio, podia até ter aumentado mais a volta, indo de Amparo pra Serra Negra, Lindóia, Itapira, Mogi Mirim e só então pegar a Adhemar de Barros, pra fazer o caminho ficar mais bonito.

  34. Rafael Duarte disse:

    E por isso que visito o teu blog uma dezena de vezes por dia. Parabens e divirta-se!

  35. Vinicius disse:

    Moro no Rio, mas sou de Poços, a cidade é otima Flavinho, é o segundo maior Cristo do Brasil, perde pro Rio.

    Va fazer o passeio de bondinho até la, vale a pena.

    Se quizer uma pizza bem simples e boa demais, vá até uma portinha do lado do Hotel Rex, é um rapaz singular que faz otimas pizzas!!!!

  36. willian disse:

    que legal! mais uma pessoa que se diverte da mesma maneira que eu nas estradas. acho muito divertido ver as fabricas e pensar nos nomes das pontes, estradas e etc…

  37. JP disse:

    O interior de São Paulo é lindo. Conheço bem a região de Mogi-Mirm. Tenho primos que moram lá. Cidade belíssima e limpa.
    É uma pena, uma pena mesmo que esses governos FDP tenham enchido o interior de pedágios. Para ir e voltar de SJdos Campos à Mogi-Mirm por exemplo, paga-se R$ 60,00. Um absrudo.

  38. Júlio Previero disse:

    Flávio, sou de São João da Boa Vista e amanhã cedo vou ver seu “Waltinho” de perto. Abraço.

  39. Raphael Xavier disse:

    Flávio, você fica até quando em Poços???? Se quiser posso bancar o Cicerone aqui pra turma! Vi os carros estacionados ontem… Fantástico! Qualquer coisa escreve aí que eu te dou umas dicas daqui e um mapa pra vc ir embora mais sossegado

  40. Pedro Henrique disse:

    Flavio,qual a programação do evento?Domingo tem bastante carros ainda?

    Estamos pensando em ir dar uma olhada no encontro,mas se Domingo a maioria já tiver ido embora,não compensa rodar 200 km..

  41. Roberto Martinez disse:

    Bela viagem

  42. Breno disse:

    Definitivamente, não há nada melhor!

  43. Mário Campos disse:

    São 270km indo por Campinas. Indo por Jarinu, dá mais mesmo. Maisou menos uns 280, indo por Águas da Prata.

  44. Só posso confessar que tenho inveja de você, espero um dia poder participar de eventos tão emocionantes como estes.

  45. Rosta disse:

    FG,

    Parabéns! Uma pérola.

  46. Telsi disse:

    Flavio

    Escolheu bem o caminho, se fosse por Campinas. Mogi, etc seria uma monotonia.E o carro com certeza agradeceu.

  47. Luiz Affonso disse:

    Faaala FG,quando vi no seu post escrito Poços de Caldas não pude deixar de ler tudo com atenção.
    Na verdade eu sou nascido la e uma parte bem grande da minha familia mora la…o caminho para se chegar realmente não é dos mais faceis heheheheh e sempre q chego em aguas da prata vejo um postinho que tenho vontade de ttirar fotos para a categoria Enche o Tanque!!!
    No predio do meu tio tem um DKW maravilhoso que com certeza deve estar ai no Place!!!! Fiquei feliz que vc gostou de minha cidade hahahahahah,aproveite bem ai,e se vc quiser uma dica de um lugar para sair e tomar um chope,va no Santa Rosa,fica no centro,na rua Barros Cobra!!!
    um abraço!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>