É POUCO | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011 - 12:33MotoGP

É POUCO

SÂO PAULO (amarelões) – A MotoGP terá 17 magrelas no Mundial. É muito pouco. Só Honda, Yamaha e Ducati na brincadeira. Acho o fim do mundo, com tantas fábricas de moto por aí, todas elas vendendo sua velocidade e esportividade, apenas três participarem do campeonato.

A Moto2 e a 125 cc têm mais de 30. Pelo menos isso.

ATUALIZANDO…

Sim, esqueci a Suzuki. OK, mas, mesmo assim, 17 é pouco. A Moto2 tem 38 inscritos. A 125 cc tem 32, a imensa maioria de Aprilia.

34 comentários

  1. Paulo disse:

    A Moto GP tem dois componentes para as empresas: (1) Laboratório para desenvolvimento e teste de inovações e; (2) Marketing institucional.
    Em tempos de vacas magras os gastos em marketing acabam sofrendo cortes significativos, principalmente as iniciativas com retorno de longo prazo, como é o caso do marketing institucional. Nessas circunstâncias valem os esforços de venda e a imagem da marca é, quase sempre, deixada em segundo plano.
    Quanto ao laboratório, as inovações desenvolvidas em competições nem sempre chegam às ruas. Em tempo de crise é melhor trabalhar em investimentos mais seguros e com retorno mais garantido do que enterrar milhões de dólares em programas com retornos duvidosos.
    Havendo continuação da cise o grid pode diminuir ainda mais. Por racionalidade, seria interessante a Moto GP rever os seus conceitos (e regulamento) antes de fechar as portas.

  2. Sérgio disse:

    Amigo Marco…… A MOTO3 terá motores de 250cc…..

  3. Sérgio disse:

    A MOTO 3 será uma moto de 250cc monocilíndrica, com potência de 45-52 cavalos, com motor girando em torno de 14.500 giros……. BACANA!!!!

  4. Sérgio disse:

    Amigo Mauro….. as motos da MOTO GP são sim a F1 das duas rodas pois são PROTÓTIPOS, ou seja, não são motos fabricadas para o público em geral. São bem mais rápidas que as SUPERBIKES. Usam todo e qualquer tipo de material de construção, como titânio, fibra de carbono….etc…… Já as SUPERBIKES são motos de produção “envenenadas” para pista. Uma MOTO GP tem mais de 240cv e pesa 145Kg, contra 210CV e 165Kg da SBK. Além disso, os freios da MOTO GP são de cerâmica, muito mais eficientes que os de aço da SBK. E é verdade, as fábricas menores como APRILIA, KAWASAKI entre outras estão no SBK pois o custo de uma equipe é infinitamente menor no SBK que no MOTO GP. E como dizem os americanos “win on sunday, sell on monday”, as motos do SBK podem ser adquiridas nas lojas……. Legal, né?

  5. Sérgio disse:

    Amigo Flávio…. Nas 125cc as motos de ponta são APRILIA pelo simples motivo que TODAS as outras fábricas desistiram do projeto de motores 2T. Este orçamento foi todo para a MOTO GP….. Assim como nas antigas 250cc….. O que acontece é que a eletrônica está em alta no MOTO GP, e os custos associados a isto são ESTRATOSFÉRICOS….. Portanto o custo de uma equipe de ponta na categoria 800cc é altíssimo. As fábricas maiores como HONDA e YAMAHA ainda tem orçamento para bancar esta corrida, e a DUCATI simplesmente saiu da SUPERBIKE para poder realocar este orçamento para ser usado como complemento no MOTO GP. O sucesso da categoria MOTO2 é baseado nos CUSTOS. Hoje uma equipe BOA de MOTO2 gasta em torno de 800.000 euros/ano. Como os motores são exatamente os mesmos (CBR600), os custos diminuiram draticamente….. Em 2009 uma equipe de ponta de 250cc tinha orçamento de até 2.000.000 euros…. Uma APRILIA PATANEGRA (a mais evoluída) custava mais de 400.000 euros!!!!!! Ano que vem teremos a MOTO3, com motores de 250cc 4tempos, que vem substituir a 125cc…… Tudo isso para baratear os custos,e permitir a entrada de novas motos e equipes no mundial. Enquanto a FIM/DORNA permitir o uso IRRESTRITO da eletrônica nas MOTO GP, a corrida por novas tecnologias só fará o esporte ser mais caro e assim como na F1, apenas duas ou 3 equipes oficiais estarão no pelotão da frente. O engraçado é que estas tecnologias que vem da pista, e desenvolvê-las é CARÍSSIMO, com muito pouco tempo migram para as motos de rua, a um preço acessível…… Veja o exemplo da BMW, que lançou em 2009 uma moto esportiva com controle de tração, controle anti-weeling (a moto não empina!), a um preço acessível ao público….. Este ano a KAWASAKI lançou sua ZX10 com mais de 200cv, mas com toda a parafernalha eletrônica, que permite uma tocada mais segura, e muito rápida. Eu testei a BMW em jacarepagua, e a moto é simplesmente IMPRESSIONANTE….. Voce está montado num ROJÃO de 200CV que devido ao controle de tração te permite acelerar nas curvas sem medo, voce pode enrrolar o cabo com vontade nas retas que a moto fica com a roda da frente estabilizada a um palmo de altura (a moto não vira), e a eletrônica é notável, a moto busca todos os meios para acessorar o piloto a ser mais rápido, corrigindo eventuais “ORDENS” erradas que nós pilotos informamos a injeção…… Imagina uma MOTO GP então!!!!

  6. Orlando Salomone disse:

    Dá dó de ver o gri da Moto GP.

  7. GHOSTRIDER disse:

    Susuki sim, mas com uma (1) moto apenas………….

  8. Paulo Franco disse:

    Parece que temos um gosto unanime por aqui: WSBK
    O mundial de Superbikes é muito mais interessante mesmo, embora a verdadeira finesse de pilotagem aconteça com os protótipos da MotoGp.
    Então, já que somos muitos, podíamos dar uma pressãozona básica em alguma TV (pode ser até cabo mesmo) para transmitir direto e decentemente o mundial de SBK.
    A Band Sports até transmite, mas se pintar um joguinho de peteca com jogador de futebol da quarta divisão, a corrida de motos já era.

  9. Daniel Mendes disse:

    Talvez pelos mesmos motivos que a F-1, a MotoGP esteja nessa situação!!!
    Altos custos em desenvolvimento, participação, ultra-necessidade de patrocinios…

  10. Allan disse:

    Isso porque a Superbike, com um regulamento que torna a categoria bem mais acessível – e olha que já foi melhor, quando era 750 cc 4cil/1000 cc 2cil/875 cc 3cil.

    Tem-se BWM, Ducati, Aprilia, Honda, Yamaha, Suzuki, Kawazaki brigando em pé de igualdade. E ainda poder-se-ia ter KTM, MVAgusta e Benelli com algum esforço destas.

  11. Fábio - Sao Paulo disse:

    Pessoal, vocês lembram quando as motos eram as 500 2t o tamanho do grid? Era por volta de 30 motos, mas a Dorna veio com o discurso de custos e mudou pras 4t e dai em diante o grid só diminui, obviamente os 4t são mais caros.
    Mesma coisa na 250 reclamavam do custo e que só tinha aprilia, e grid era cheio. Agora, o grid continua cheio só que todo mundo de motor honda, não sei se foi a melhor opção esse negocio de motor único. Nas 125 tb estão mudando para os 4t 250 cc. Acho que a Dorna inventa demais e está jogando “contra” a grande dificuldade são as equipes privadas conseguirem competir.

  12. josean nunes da silva disse:

    Eu só assisto moto 2 e a 125 .
    agora á menina dos olhos é a SBK

  13. josean nunes da silva disse:

    Eu já deixei de assistir á muito tempo só assisto moto 2 e 125cm.
    Agora a minha menina dos olhos é o mundial de SBK

  14. George McCrae disse:

    Não sabia nada disso, até a Moto GP tá indo pro beleléu, assim como a F1. Que tal juntar Moto GP e F1. Acho que seria interessante. kkkkkkkkkk

  15. Cláudio F1 disse:

    Também acho pouco apenas 17 motos. Então, pra resolver a questão, Shineray neles!!!!

  16. disse:

    Está tendo uma briga de bastidores da Suzuki e a Dorna de colocar mais motos no grid. Enquanto isso a SBK parece ser o verdadeiro nicho de mkt das montadoras.
    E este ano a FIM já faz um campeonato das elétricas, as E-Power http://bit.ly/heOdir
    Andam as motinhos : http://youtu.be/pJ6dhJoy0aY Tem barulho de autorama e devem cheirar líquido de bateria.

  17. Luiz Carlos disse:

    Cadê a Kawasaki, a BMW, até as marcas da China por que não? Seria muito mais atraente de se assistir as corridas e traria oportunidade a bons pilotos que buscam seu lugar ao sol, além dos patrocionadores. Imaginem um campeonato com 7 montadoras, seria o máximo. Parece que a MotoGP, está andando na contramão da globalização: cada vez mais restrita, uma pena…

  18. Mário Campos disse:

    Tem uma Suzuki lá…

  19. pedro disse:

    o problema sao os custos.na SPK a moto é praticamente a de rua,com algumas modificaçoes.

  20. Bernard disse:

    Quando se tem um motor como uma potência que não é o foco do desenvolvimento de motos de rua e gastos elevados, acaba que fica inviável para as montadoras continuarem investindo. E pior ainda, quando fica somente uma marca ganhando por vários anos.
    A Super Bike, tem motos mais parecidas com as de rua e cilindrada 1000 o que é o que os consumidores gostam de ver nas ruas.

  21. JFN disse:

    Tem uma mísera Suzuki também, do Bautista. Poucas motos, realmente, mas mesmo assim acho que o campeonato promete, pelo menos as equipes de fábrica vem com pilotos fortes e competitivos!

  22. Julio disse:

    Ué, anuncia na China que eles mandam alguma coisa (ruim) de lá pra encher o grid…. Dafra, MVK, Shineray, Jailing, estas e outras já “encheram” o Brasil….

  23. Wilton Alencar disse:

    Flavio sou seu fã cara, adoro suas materias, mas vc esqueceu da suzuky, na verdade
    são 4 marcas esse ano na motoGP, me contrata cara para dar apoio as materias, pois
    sou viciado em automobilismo, grande abraço parceiro…

  24. Romulo Dias disse:

    O problema são os custos de se desenvolver um protótipo desses!

    Coloca uma regra parecida com a da Moto 2, chassis sendo fabricados por alguns densevolvedores e motores pelas fábricas. Algo parecido com a Moto2, que funciona assim,
    mas só usa motores HONDA.

    Agora, O mundial de Superbike ganha muito da MotoGP em competitividade e também em qtd de marcas. Eu acho muito mais interessante!

  25. EduardoRS disse:

    Se considerar que do grid da F1 atual, 6 carros estão lá só pra fazer número, a quantidade de participantes das duas ditas “principais” categorias são similares. Mesma coisa no WRC, no WTCC… são tempos de vacas raquíticas para o esporte a motor.

  26. marco325i ( ex-marcojetta ) disse:

    Boa tarde FG,

    Como esclarecimento, pois já vi que você não acompanha motovelocidade, a antiga 250cc 2 tempos que hoje é a Moto2, tem mais de 40 motos no grid, sendo que todos os motores são Honda, lacrados, e somente o chassi ou quadro é que é livre.
    A 125cc 2 tempos, que passará a se chamar Moto3, com motor 400 cc 4 tempos, deverá ter por baixo 40-45 motos no grid.
    Abs,

  27. tsc disse:

    a moto3 vai correr de 4t? quantos cc?

  28. Mauro Batera disse:

    Ué, por que será que a SBK tem 7 marcas e a MGP só tem 3?

    A MGP não é a F1 em duas rodas?

    Então esta explicado…!

    • Alex disse:

      Exato! A SBK utiliza motos de rua, assim como o WTCC. O que é ótimo para as fabricas, que não precisam gastar muito desenvolvendo uma moto somente para a competição.

      Mas é uma pena ver o grid de uma categoria tão bacana como a MotoGP. Onde foram parar Suzuki, Kawazaki, Aprilia…

  29. Fernando Kesnault disse:

    Basta assistir a SBK lá temos na categoria principal 7 marcas a disputar as provas que são bastante competitivas por sinal.

  30. ALEX B. disse:

    Será um sinal de que a categoria definha???

  31. machinist disse:

    É uma pena que tenham tão poucos competidores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>