MENU

quarta-feira, 6 de julho de 2011 - 12:20F-1

BOM EMPREGO

SÃO PAULO (que aproveite) – Lucas di Grassi foi confirmado pela Pirelli como piloto de testes até o final do ano. E vai aparecer em alguns GPs com o uniforme da fábrica de pneus. É uma ótima chance de se manter em atividade e mostrar a cara. Passa a ser, de certa forma, uma primeira opção para qualquer equipe que precisar de um piloto com experiência em alguma eventualidade. Numa F-1 que tem dado poucas chances a quem quer que seja, por resistência de alguns veteranos ou pela eterna dificuldade daqueles que não têm patrocinadores fortes, é a melhor posição possível na fila de espera da categoria.

27 comentários

  1. Lazlo Barbieri disse:

    Verde,

    Como diria Jack the ripper, vamos por partes:

    Primeiramente, tem razão quanto ao Gugelmin, ele não foi campeão na F3000. Por sinal, só ganhou uma corrida na categoria em 1987. Penitencio-me pela errata.

    Tópico dois: quanto a desmerecer os três, lamento se você é fã de algum ou de todos os três (ou se de repente é um deles sob pseudônimo), mas foram pilotos (ainda é no caso do Christian) apenas esforçados. Dúvidas: reveja suas carreiras.

    Nada pessoal. Só estatisticas, somadas ao fato de que, em mais de 35 (trinta e cinco) anos de paixão pelo automobilismo, entre tantos outros pilotos, vi os três correndo (muitas vezes ao vivo em circuitos brasileiros e europeus) e nunca me impressionaram minimamente.

    Outro tópico: não desmereço as categorias de acesso ou os pilotos que nelas brilharam (você leu todos tudo o que postei?) apenas me reservo ao direito de não ter gostado da finada F3000. Caso você não saiba, a categoria foi invenção do Bernie Ecclestone, com o intuito de (disseram à época) desprestigiar as F3 nacionais, principalmente a britânica, monopolizar o acesso à F1 e, óbvio, ganhar dinheiro.

    Ainda sustento que os maiores campeões da F1 sairam das F2 e F3, e delas também sairam alguns dos grandes pilotos que mesmo não ganhando título na F1, deixaram seus nomes escritos com letras garrafais.

    Opinião é como umbigo, todo mundo tem. Essa é a minha.

    Abç.

  2. Verde disse:

    Lazlo Barbieri,

    “Sinceramente, a F3000 nunca me convenceu. Até Roberto Pupo Moreno, Maurício Gugelmin e Christian Fittipaldi foram campões lá… fala sério.”

    Se você nunca deu muita bola para a F3000 ou para a GP2, é melhor dar um mínimo antes de afirmar certas coisas. O Gugelmin nunca foi campeão da F3000.

    E desmerecer os três dessa maneira… fala sério.

    No mais, acho engraçado esse tipo de descrença com categoria de base. É como se só sujeitos como Kimi Raikkonen e Jenson Button fossem campeões de Fórmula 1 e os astros do automobilismo de base fossem só enganações.

  3. sergio sant ana disse:

    fico contente por ele. o mais legal é que essa vaga não é “comprada”.

  4. Anchor disse:

    Di Grasso nao vai conseguir uma vaga de titular ano que vem. Pra que um piloto com experiencia com os pneus, mas sem experiencia de corrida. Rubinha ainda corre porque sabe acertar um carro, o que em uma equipe media tem importancia. Di Grassi nao tem patrocinios para bancar uma vaga, nem parece ter o potencial para ser um piloto de ponta, essa e a verdade. Veja o Kobayashi foi contratado pela Sauber por causa de 2 corridas, sem patrocinios. O Massa e o ultimo suspiro de um piloto brasileiro na F1. Na verdade foi em 2008.

    • Gilles_Senna disse:

      Pois, é difícil conseguir uma vaga quando não se entra na hora certa e não se tem carro para brilhar na estreia. Há potencial (Bruno Senna e Lucas di Grassi não são inferiores ao Massa que iniciou a sua carreira na Sauber) mas isso não chega na F1 atual. Kobayashi teve a sorte de ter todo o apoio da Toyota e aproveitou o azar do Glock em Suzuka para mostrar o seu valor. Na HRT ou na Virgin também não faria nada e no GP2 fez menos do que Senna e di Grassi, com carros iguais.

  5. Fowler T Braga Filho disse:

    Entendeu o recado Barrichello ? Vaza que você faz parte dos veteranos insistentes.

    • Lucas disse:

      Sabe o que é irônico? É que o Barrichello teve como companheiros de equipe justamente os “primeiros da fila” de entrada pra F1. Nico Hulkenberg e Pastor Maldonado foram os últimos campeões da categoria considerada “porta de entrada” pra F1, e, por enquanto, o “veterano insistente” despachou um e está despachando o outro. Logo, tenho grandes dúvidas sobre essa história de que “tem muito piloto excelente precisando entrar na F1 e a velharada não deixa”.

      Vale lembrar que, no caso do campeonato da GP2 do ano passado, não só o campeão quanto o vice (Sergio Perez) conseguiram assentos na F1. E pra terminar a série de ironias, sabem quem lidera o campeonato da GP2 desse ano? O Romain Grosjean. Alguém acha que ele é grandes coisas?

      Sinceramente, não acho que falta assento na F1 atual não. Se houvesse algum piloto genial em qualquer outra categoria, já teriam despedido alguém pra contratá-lo. Basta ver que o Ricciardo já foi remanejado pra um assento simplesmente por ter feito bons treinos de sexta-feira. Numa porcaria de equipe, é bom que se diga, mas qualquer dono de equipe grande sabe pesar isso na hora de pensar em contratações. E nem é preciso voltar a trinta anos atrás e ficar pensando em Senna na Toleman, é só lembrar do Alonso que começou na Minardi, de longe a pior equipe da época, e conseguiu impressionar.

      Portanto, não estou lá muito preocupado com essa questão não. O problema, na minha opinião, não é falta de vaga, e sim o fato de não haver grandes pilotos nas categorias de base (e nada mais notório para atestar isso que o fato de os dois últimos campeões da GP2 não conseguirem acompanhar um velhinho que nunca foi campeão).

  6. Gustavo Oliveira disse:

    Não concordo, acho um erro gigantesco um piloto ficar tanto tempo assim, na fila de espera da F1 enquanto existem tantas oportunidades em outras categorias. O novo mundial de Endurance, o DTM e a Indy seriam opções muito melhores do que ficar fazendo pose de piloto nos padocks, exemplos como o de Badoer estão ai pra todos verem, e o de caras como McNish e Montagny também.

  7. Fabio Amparo disse:

    Flavio

    Discordo do Lazio Barbieri. Di Grassi é sim um piloto rápido e com estilo de pilotagem que agrada e que, para mim, é semelhante ao de Button: Consegue ser rápido sem destruir o carro, como faz o Luís Hamílton.

    Creio que ele consiga uma vaga em uma boa equipe em breve, pois temos alguns pilotos em vias de aposentadoria: Schumacher, Webber e Barrichello (nesta ordem).

    Abraços.

    • Lazlo Barbieri disse:

      Marcelo e Fábio,

      Acreditem, eu teria o maior prazer em descobrir que estou errado na análise feita sobre o di Grassi. E concordo com o Conrado no que diz respeito a haver melhores opções do que ficar desfilando no padock da F1 como piloto de testes de penus, melhor seria sentar no cockpit de um Audi ou Peugeot na Le Mans Series.

  8. Vitor disse:

    Flávio, pra você, quem é mais promissor, pra em breve ter alguma chance numa equipe média ou boa, Senna ou Di Grassi? Ou nenhum dos dois pode vislumbrar muita coisa?

  9. Marcelo Rezende disse:

    Penso que é melhor estar de piloto de testes da Pirelli que fora da categoria. Se ele ainda sonha em um lugar numa equipe, deve fazer um bom trabalho com a Pirelli. E o conhecimento mais profundos dos pneus podem ajudar numa eventual chance que apareça.
    Quanto a ele não ter ganho muita coisa, tem pilotos que foram campeões em categorias menores e na F1 não se destacaram tanto, da mesma forma outros que nem passaram por , F3000 ou GP2 (mais recentemente) e arrebentaram na F1 (precisa citar nomes?)

    • Lazlo Barbieri disse:

      Marcelo,

      Nunca dei muita importância para a F3000 e GP2. Sou mais pela F2 e F3, de onde sairam os maiores pilotos da história da F1.

      O detalhe é que todos os pilotos que arrembetaram na F1 foram campeões nas categorias de acesso. Me diga um que não ganhou nada anteriormente e foi campeão na F1.

    • Lazlo Barbieri disse:

      Putz…

      Eu mesmo acabei de lembrar que o Hill foi campeão da F1 sem ter feito nada relevante antes…Mas com aquela Willians, até o Barrica teria sido.

    • Gilles_Senna disse:

      Creio que Niki Lauda não foi campeão de nenhuma categoria de acesso antes de chegar à F1. Mais, na sua primeira temporada na categoria máxima, em 1972 com a March, não conseguiu qualquer ponto nem fez nada de relevante com um carro bem melhor para os padrões da época do que o Virgin de 2010 do di Grassi. A prova é que Peterson (colega de Lauda) conseguiu um pódio no GP de Alemanha, em Nurburgring.

    • Lazlo Barbieri disse:

      Felipe,

      (nada como uma pesquisa…)

      Vettel foi campeão da Formula BMW ADAC em 2004; Alonso foi campeão da Euro Open Movistar Nissan em 1999 e Button foi campeão da Formula Ford Britânica em 1998, portanto, os três conquistaram títulos em alguma categoria do automobilismo antes da F1.

      Só mesmo o Damon Hill foi campeão da F1 sem ter conquistado um título anterior no automobilismo.

    • Felipe disse:

      Lazio,

      Estou comentando o post do Marcelo, ele diz que tem pilotos que “nem passaram por , F3000 ou GP2 (mais recentemente) e arrebentaram na F1 (precisa citar nomes?)”, aí eu mencionei os três, mas não como pilotos que não passaram por essas categorias, e sim que não foram campeões das mesmas, capiche? rs
      Abs

  10. Lazlo Barbieri disse:

    Não quero ser do contra, mas… fora ter vencido o GP de Macau de F3 em 2005 e ter sido vice na GP2 em 2007, o currículo do di Grassi não é exatamente uma maravilha.

    Se quiserem podem acrescentar os vices na Fórmula Renault em 2002 e F3 Sul-Americana em 2003, e os terceiros lugares na F3 Européia, na Masters of F3 (ambas 2005) e na GP2 de 2008 e 2009.

    Mas títulos de campeão em qualquer categoria do automobilismo, ele não tem. Então, acho que ainda vamos esperar muito por um piloto que faça nosso hino tocar no pódio, e mais ainda, por um novo campeão na F1.

    • galileu disse:

      lazio, oportunamente falando de nosso hino, voce sabia que surrupiaram um trecho da letra?
      naquea introdução so0mente com a banda tocandos aqueles chatos acordes tem uma letra sim, duvido que alguem queira, mas se quizerem eu posto oportunamente.

    • Gilles_Senna disse:

      Essa história da falta de curriculum nas categorias inferiores não passa de um mito. Basta pesquisar e encontramos pilotos de renome que nunca ganharam qualquer categoria de acesso antes da F1. Niki Lauda e Carlos Reutemann, um tri-campeão e um vencedor de GP.s, são disso exemplo, mas há certamente muitos mais e em diferentes épocas. Damon Hill é apenas o caso mais visível, aquele de quem nos lembramos primeiro, pois nunca ganhou sequer qualquer corrida na F3000, a categoria imediatamente anterior à F1 da altura. Além disso quando começou no automobilismo demorou anos a mostrar rapidez. Demorou uma década a chegar à F1, entre 1982 (com 21 anos) e 1992 (com 31 anos). Bruno Senna e Lucas di Grassi mostraram muito mais talento e tendo as mesmas condições e oportunidades fariam certamente melhor do que o inglês também na F1.

    • Lazlo Barbieri disse:

      Manda ai Galileu, porque essa eu não sabia mesmo, até porque não sou brasileiro nato, vim para cá aos 5 anos.

      Ah, só uma coisa, não é Lazio, é LasLo.

      Padre (pai) italiano e Magyar anya (mãe húngara) dá nessas misturas. Imagina o que foi minha infância tentando aprender português morando numa casa em que um dizia “Il mio patty ungherese” (minha tortinha húngara) e a outra respondia “Az én olasz kenyér” (meu pão italiano).

    • Lazlo Barbieri disse:

      Gilles _Senna

      Currículo do Lauda em 1972, mesmo ano em que estreou na F1:
      Formula 2 Great Britain
      Position: Champion (31 points);
      Team: March Engineering
      Car: March 722 (Ford)

      Ou seja, ele ganhou sim um título em categoria de acesso.

      Quanto ao Reutmann, bom… estamos falando de campeões na F1 (então o nível é outro). Se for para mencionar pilotos que venceram corridas, o Alesi (que só ganhou uma: GP do Canadá/1995) foi campeão da F3000.

      Sinceramente, a F3000 nunca me convenceu. Até Roberto Pupo Moreno, Maurício Gugelmin e Christian Fittipaldi foram campões lá… fala sério.

    • Gilles_Senna disse:

      Lazio Barbieri

      Agora acredito que ele foi campeão inglês na F2 mas poderia indicar qual o site? É estranho mas todas as biografias do Lauda que encontro são omissas a esse respeito. Nem na net nem consultando a vasta bibliografia que tenho em casa consigo encontrar qualquer referência a qualquer título conquistado pelo piloto austríaco nas categorias de acesso. Enfim, mais uma prova de que não podemos confiar cegamente nas nossas fontes…

    • Lazlo Barbieri disse:

      Gilles-Senna,

      Tiro a maior parte das informações que posto de minha coleção de revistas acumaladas (e acumulando poeira): Autosport (desde 1960), Motorsport (idem),Motoring News (67 a 80), Motor Racing (desde 1955), Echappement (desde 1968) dentre outras, e claro, a nacional Quatro Rodas desde o nº 1.

      Além disso tem alguns FIA Year Book of Automobile Sport e a coleção de álbuns de recortes de jornais do mei pai, que remonta aos anos 40.

      Desconheço se há tal gama de informações disponíveis na net, até porque, muita coisa se perdeu antes do advento da informática e da rede mundial.

      Disponibilizo as informações com prazer, é só perguntar.

  11. Conrado Andrade disse:

    Concordo… mas acho que fica faltando ritmo de corrida, na minha opinião. E acredito que faz uma diferença gritante. Assim como houve (principalmente com) Nelsinho Piquet e, tb com Bruno Senna, isto tende a fazer MUITA falta pro Di Grassi. O Nelsinho ficou um ano na geladeira, fazendo testes pra Renault e, qndo assumiu, ficou visível a falta de combatividade dele. E pq isso aconteceria, se ele sempre foi bom em tudo que passou, fazendo frente pro até pro Hamilton na GP2? Além de, claro, ser 2° piloto do Alonso, maltratado pelo empresário/chefe de equipe e ainda por cima chantageado como foi… faltou-lhe ritmo de corrida. Foram várias as corridas em que ele fez frente pro Fernando, mas por algum motivo estranho (sempre estranho), alguma coisa acontecia… enfim, nao vou ficar defendendo o Nelsinho. Só o argumento sobre ritmo de corrida.
    -
    Concordo que seja uma das principais “filas de espera” digamos assim. Mas acho que um piloto em ritmo de corrida, é um piloto quente. Seria legal mesmo pro Di Grassi, se ele, além dos testes da Pirelli, estivesse correndo em alguma categoria “qualquer” pra se manter “quente” digamos assim.
    -
    Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>