MENU

quarta-feira, 13 de julho de 2011 - 16:05Literatura

N’ALEMANHA

SÃO PAULO (e aqui?) – Foi o Fiote, pumeiro juramentado, que mandou a notícia e a imagem aí do lado. Lançaram esse livro na Alemanha, com a história do Puma.

Linda capa, com a justa referência ao Malzoni (o início de tudo) e um modelo menos significativo do lado dele. Eu escolheria outro, mas o tema não é a capa. É, sim, a lacuna na literatura nacional sobre a história importantíssima da Puma. Parece que esse livro será traduzido para o português. Vamos esperar ansiosamente.

17 comentários

  1. Este Puma vermelho é um P018 e era meu! A foto é na frente da casa dos meus pais.

  2. CARLOS EDUARDO FRANCA MOREIRA disse:

    Olá Flavio Gomes!!!

    Na sexta-feira última, dia 15/07, vi um Puma perto da minha casa e fotografei. Caso seja de seu interesse, entre em contato. Valeu

  3. Pedro Jungbluth disse:

    Sobre a capa, acho que colocaram o começo e o fim. Deveriam ter colocado um GTE, claro, e não essas coisas com AP

    • Lucas disse:

      Acho que esse vermelho é um P018, pois não tem a entrada de ar lateral.
      Mas independentemente do seu gosto, ou do meu, o últimos modelo lançado foi o AM4. Se com a tentativa de lançar um carro com um motor mais moderno não deu certo, imagine se ficassem congelados no tempo com o motor boxer. Você acha que alguém compraria um Puma, 0 km, hoje com um boxer a ar? Com certeza não, pq seria ultrapassado nas estradas por populares 1.0 ou 1.6. Não esqueça que o boxer perderia muuuuita potência para se adequar à emissão de poluentes.

  4. Saulo Novaes disse:

    Semana passada teve um pequeno encontro de “pumeiros” no Babbo Giovanni da R. Princesa Isabel, no Brooklin (na frente de um bar alemão, o Zur Alten Mühle), mas não consegui uma foto.

    Eram 5 Pumas estacionados em fila na frente do restaurante, nas cores vermelho, azul, amarelo, bege e branco, todos com placas pretas, impecáveis.

    Que bom que alguém tenta preencher essa lacuna!

  5. Irineu Desgualdo Jr. disse:

    Sei meus amigos leem este blog. Então, FN, passou da hora, não? Já falei que ajudo nisso.

    vielen grüssen

  6. Guest disse:

    Infelizmente, o grande problema da literatura brasileira, em especial a automobilística, é ter empresas dispostas a editar os livros e compradores REALMENTE dispostos a comprá-los (por preços que compensem os gastos editoriais e a dedicação do escriba), pois não falta gente boa para escrever.
    Salvo pontuais exceções, a literatura deste ramo é bancada por fábricas para aqueles que lhe tecem loas. Lamentavelmente, as pessoas que fizeram a história da indústria nacional se vão e, com eles, a memória.

  7. Dino Dragone disse:

    PUTAQUEOPARIU! Muito legal! Muito legal MESMO! Escrever livro sobre um modelo específico não é fácil e barato. Coisa de doente abnegado ou profissional. E aqui no Brasil tem editora. Só falta alguém para sentar a bunda na cadeira e mandar bala. Quem se habilita?

  8. Minoru disse:

    Flávio, acho que a idéia foi a de colocar o início – Puma DKW – e o fim – P-018.

  9. Mauro disse:

    Isso é bem sintomático. é preciso qque estrangeiros escrevam sobre a industria nacional, num país que não preserva e não tem memória, nem apego algum ao seu passado

  10. jovino disse:

    Que notícia boa. Para quem não sabe, o Puma Clube da Alemanha é bem ativo e todo ano eles realizam o Puma Traffen com vários modelos fabricados aqui no Brasil.
    Aproveitando, informo que realizaremos aqui em Brasília em 15 e 16 d e outubro o Encontro Nacional de Pumas.
    Jovino

    • Mário Sérgio disse:

      O Jovino, será que em um desses encontros não existe ninguém que topa escrever algo sobre o carro. A história, os modelos, algumas fichas técnicas, enfim, seria um começo você não acha?
      Eu até tento reunir algumas informações (no, google, blogs, etc), nada muito abrangente, mas se existir um livro, ai sim seria uma bela referência a esse fantástico carro.

  11. Mario disse:

    Putz, precisa lançar um livro na Alemanha para falar desse carro? Ninguém no Brasil se interessou? Um dois maiores ícones da indústria automobilística nacional, e ninguém no Brasil se atreveu… Isso é que é ter orgulho do país…

  12. Marcelo Rezende disse:

    Eu tive uma GTE 1978, vermelha, boas lembranças. Agora incrível é ter um livro sobre a Puma na Alemanha e aqui não termos grandes publicações sobre este carro tão importante na nossa história.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>