MENU

segunda-feira, 29 de agosto de 2011 - 18:16Nas asas

ELEIÇÕES 2010 – APURAÇÃO (25)

SÃO PAULO (e nem chegou na metade) - Estes votos chegaram agora, via aérea. Na categoria Caças de nossas incríveis eleições, que vocês já tinham esquecido porque são blogueiros desalmados, a briga foi boa. Deu Zero, o japonês. E os votos nulos foram milhares, porque a blogaiada metida a Top Gun achou que o Spitfire e o Mustang P51 tinham de fazer parte da lista, no lugar do bravo Polikarpov.

Vocês não entendem nada de aviões.

TOTAL DE VOTOS COMPUTADOS: 259
1) Zero, 109 (42,1%)
2) Messerschmitt ME 262, 79 (30,5%)
3) Nulos, 59 (22,8%)
4) Polikarpov, 12 (4,6%)


24 comentários

  1. Orlando Salomone disse:

    Poli o quê?

  2. Alvaro G. Silva Junior disse:

    Faltou “o caça” – Messerschmitt – BF-109, o caça dos ases. Voou pela primeira vez em setembro de 1935, portanto antes do Mitsubishi A6M cujo primeiro voo foi em abril de 1939.

  3. jorge amaral disse:

    O P38 já foi detentor de recorde de velocidade, mas a historia mais legal de P38 é sobre a “Glacier Girl”, pesquizem…

  4. Clauke disse:

    O Lockheed P-38 Lightning também ficou famoso pois foi nele que desapareceu em 1944 o escritor Antoine Jean Baptiste Marie Roger de Saint-Exupéry que escreveu o “Pequeno Príncipe” mas para quem gosta de aviação e de boa literatura recomendo “Vôo Noturno” e “Terra dos Homens”.

  5. Clauke disse:

    A bela foto que o Flávio estampou é do Zero A6M6c Modelo 53c que está no Camarillo Airport Museum, Camarillo, Califórnia, EUA e que foi usado nas gravações do filme “Pearl Harbor” (2001). Agora, ninguém falou do Lockheed P-38 Lightning que nas batalhas do Pacífico (Guadalcanal, Ilhas Salomão, Nova Guiné, Guam, Filipinas, Iwo Jima, Okinawa etc.) fez muito estrago nas esquadrilhas de Zeros.

  6. Alessandro Neri disse:

    Nenhuma eleição para o caça mais bonito é valida se não contar com o P-51 Mustang. O mais belo de todos.

  7. Paulo disse:

    O Policarpov tinha um sistema manual para abaixar os trens de pouso, era
    o piloto tinha que dar umas cem “bombadas” numa alavanca.

    Sinto falta do T-Bolt.

  8. jorge amaral disse:

    Apesar de encerrada, gostaria de levantar a bandeira do Polikarpov I-16. Um monoplano na era dos biplanos (1933), trem de pouso retrátil acionado manualmente, asas cobertas de tecido e fuselagem coberta de madeira compensada, o motor Shevetsov 9 cilindros era clone do Wright Cyclone americano. Os russos sempre dão um jeito…
    Outra observação o 262 não foi usado como caça (ordens do Hitler) apesar de ter sido concebido como um.

  9. Thiago disse:

    Belo caça… E pensar que esses Zeros espalharam o terror sob os céus do oceano pacífico… Em termos de beleza eu também gosto dos antigos Mirage 3 operados pela FAB.

  10. Luiz disse:

    Nenhum desses citados antes. Ganhou o único genuíno representante de uma força aérea. Para ter ganho do Zero só o Spitfire ou o temido, famoso, ágil e preciso Messerschmitt BF109 G “Gustav” que foi o maior símbolo da Luftwaffe. Os outros concorrentes tinham certas qualidades mas eram muito pouco importantes!
    Ainda assim, gostei do resultado, simpatizo um tanto com o zerinho.

  11. Banana Joe disse:

    Se valer a capacidade técnologica teríamos que colocar algum F-sei lá que número americano atual, um MIG, um Mirage ou um harrier.
    O mais célebre caça de todos os tempos foi e sempre será o Spitfire.

  12. Ulisses disse:

    O Zero foi um avião concebido com sob um conceito bastante interessante.
    Era bastante leve, com motor Mitsubishi, sem blindagens da cabina do piloto e tanque de combustível. Devido a essas características, era extremamente ágil, com uma razão de subida impressionante, era praticamente imbatível em combates aéreos no início da guerra.
    Os “aliados” tiveram que desenvolver técnicas de combate em duplas para conceguir abater esses caças.
    Foi o desenho de caça que mais perdurou durante a guerra, praticamente imutável durante todo o conflito.
    Mas, essas características também tiveram seu preço, era conhecido por sua vulnerabilidade quando atingido, gerando inclusive muita baixas entre seus pilotos.
    Os Zeros também foram os aviões utilizados pelos kamikazes no final da guerra.
    Particularmente, é o meu caça preferido da segunda guerra. Com um projeto impecável, conceitualmente muito bem resolvido, deu origem à tecnologia de alta precisão japonesa.

  13. Marcelo disse:

    Respeito, mas não dá levar em consideração uma eleição que deixa de fora o caça que mudou o rumo dos combates aéreos na Segunda Guerra. Não aparecer o P-51 é uma piada – que fica um pouco maior ainda sem a citação dos Spitfire.

  14. Philipe Pacheco disse:

    No final acabou sendo justo, já que o Zero era uma PUTA máquina.

    Agora faltou mesmo foi o Messerschmitt 109, esse sim era A máquina da IIWW.

  15. José Brabham disse:

    Votei no Zero, mas o P-51 “Cadillac dos Ares” era superior…

  16. Dr. Edison Milford Goodson III disse:

    Stuka e Messerschimidt, os caças a hélice mais bonitos da WW2… ; )

  17. jackie chan disse:

    Haha, bom ver que muitos votaram como eu. E para os que dizem que este ou aquele caça era muito superior ao Zero, é bom lembrar que o prórpio Japão chegou a produzir, posteriormente, caças muito melhores que ele (mas menos icônicos). O Zero é da década 30, e naquele tempo, foi um grande feito da engenharia aeronáutica.

  18. Marcos Pereira disse:

    Eu incluiria o P-47 Thunderbolt, motor radial de duas linhas e 18 cilindros, Prat-Whitney, com mais de 2.500 HP de potencia, foi o bombardeiro-caça mais potente que teve com motor radial, ele tinha um tanque complemetar de metanol hidratado em 20% que quando injetado rendia mais 30% de potência e ajudava na refrigeração do motor.

    vejam o link: http://margemformal.blogspot.com/2010/12/p-47-thunderbolt.html

  19. galileu disse:

    faltou o corsair, o avião que deu muito pau nesses zeros de nada.
    inclusive existe um livro chamado a Volta (história real), a reencarnação de james houston junior, que fala muito desse avião, vale a pena a leitura e ver até onde o amor de umpai vai pelo filho de 3 anos que de repente começa a falar sobre fatos acontecidos na segunda guerra mundial e como ele foi abatido nas costas do japão. custa uns 20 dinheiros, mais barato do que o livro do blogueiro oficial e que ele promete devolver o dinheiro em dobro se o leitor não gostar. flavio, eu tambem não gosto de quiabos, nem de giló.

  20. Daniel disse:

    E não apenas o Spitfire e o P51, mas também o P40 Warhawk.
    E se a categoria fosse um pouco mais aberta (aviões militares em geral), ainda seria precis incluir mais dois: o B-17 e o Lancaster.

  21. Peterson Mota disse:

    sem duvidas o zero merece o primeiro lugar, depois do P51 é claro!

  22. Valdomiro Lysenko disse:

    ME262 era um caça muito à frente na sua época, mas faltou o Yak 9 nesta votação. O Alto Comando alemão emitiu comunicado determinando o não enfrentamento quando pilotos alemães avistassem este caça em combates.

  23. Christian disse:

    Opa!

    Não senhor, fiquei uns dias sem internet.
    Mas modestamente conheço um pouquinho sobre aviões e meu voto seria fácil fácil para
    o Messerschmitt ME 262, o primeiro caça a jato a entrar em operação.
    Sem desmerecer os outros mas esse estava muito a frente de todos eles, aliás como quase toda a tecnologia alemã naquela época.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>