(QUASE) 20 ANOS | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

terça-feira, 9 de agosto de 2011 - 17:50Automobilismo internacional

(QUASE) 20 ANOS

SÃO PAULO (sem tempo) - Hoje este blog ficou meio às moscas. Muita atividade na rua dá nisso. Mas fiquem com este vídeo enviado pelo Danilo Cândido, 1000 Km de Autopolis, no Japão (o que foi feito dessa pista?), vencido pela Sauber-Mercedes com Wendlinger e Schumacher. Foi em outubro de 1991. O alemão já tinha estreado na F-1 pela Jordan e, logo depois, fora contratado pela Benetton. Mas ainda fazia uns bicos no Mundial de Protótipos. Esse C291 é um dos mais lindos carros de corrida de todos os tempos. E tinha Toyota, Peugeot, Jaguar, Mazda, Porsche…

31 comentários

  1. thiago disse:

    O Marcelo aí manja de automobilismo. Raro encontrar tanta sensatez no meio desse bando de loko.

  2. Marcelo de Queiroz disse:

    Olá Flávio Gomes!

    A pista continua viva e é de propriedade da Kawasaki, como já foi citado acima.

    É utilizado pela marca japonesa como pista de testes e algumas categorias japonesas correm lá.

    O que é uma pena pois o autodromo é muito bom, fica num lugar lindo e tem um nome muito legal.

    O nome do meu site é, de certa forma, uma homenagem a essa bela pista que foi esquecida pelo resto do mundo.

    Convido você a conhecer o site e a revista digital, que começou esse mês:
    http://www.autopolis.com.br (site)
    http://www.autopolismagazine.com.br (revista digital)

    Na revista há uma sessão chamada “Marcas que não temos”, que se refere a marcas que não existem no Brasil (ou que já passaram por aqui mas não estão mais).

    Para a edição de outubro está pautada uma matéria sobre a Lada, devo inclusive te mandar um e-mail para explicar mais detalhes, caso você queira contribuir de alguma forma.

    Abraço
    Marcelo de Queiroz

    (Não é necessário publicar o comentário, caso haja algum problema com o fato dele ter links externos)

  3. Rodrigo disse:

    Na verdade não foram 1000km, e sim 430km.
    (mas isso pouco importa)

    http://en.wikipedia.org/wiki/1991_430km_of_Autopolis

    • galileu disse:

      já que o meu cometário não foi editado, sei lá porque, Marcelo, vai plantar um ovo
      cada piloto teve o começo de carreira que escolheu.
      o sena foi para os formulas, o alemão começou nos protótipos, e daí o que prova isso? nada.
      será que o alemão é melhor que o piquet que não guiou protótipos?
      o importante foi o que cada um fez na sua época, emerson,. piquet, sena, shumi e muitos outros que foram campeões mundiais tiveram seus dias de gloria e seus dias de inferno astral, com excessão do senna todos tiveram o bom senso de parar no momento certo.
      ficar comparando isso ou aquilo é a mesma coisa que bater em bebado, não se ganha nada com isso, só polêmica inutil.
      antes que me esqueça, regue bem o ovo, um dia nasce um pé de galinha, rsrsrsrsrsrsr
      pacheco do alemão.

  4. Marcelo disse:

    “O que acho hilário é o Gomes deixar a pachecada com raiva”

    Schumacher foi piloto “VERSÁTIL”, saiu do chassi “protótipo de peso” para os monocoques da F1, Senna só pilotou monocoques…o alemão era completo, pilotava tudo!

    Gomes somente mostra a verdade…

    …Galvão e cia, que fique roxo de raiva.

    Esses posts do alemão no Brasil são hilários, causam MUITA RAIVA, Gomes dá risada, e eu…racho o bico.

    Mito Vivo!!!

  5. Marcelo ao Jonny'O disse:

    Não teve fracasso nenhum da Mercedes, a VERDADE foi outra, “Grupo C” estava AMEAÇANDO a gloriosa RAINHA Formula 1 no início dos anos 90 com: Senna, Mansell, Prost e Piquet. E advinha quem entrou na JOGADA para que a F1 categoria máxima não tivesse perdas? Bernie Eclesstone, quando viu que o “Grupo C” AMEAÇAVA a F1, tratou de LIQUIDAR o “Grupo C” , que aliás em termos de GRANA já se equivalia a F1. Categoria, por categoria..o “Grupo C” estava chamando mais ATENÇÃO que a RAINHA F1…pelo NEGÓCIOS, Bernie escolheu a F1…mas, na época que Schumacher entrou no“Grupo C” só tinha FERAS, prontas para desafiar pilotos da F1, Schumacher entre eles, sempre se destacou….quando entrou na F1, ainda novato, deu muito trabalho…

    Bernie:
    RIP “Grupo C” …

    No início dos anos 90, ser piloto do “Grupo C” tinha mais PRESTÍGIO que ser piloto da própria F3 inglesa… que aliás estava em baixa.

    Schumacher chegou como aquele que faria a história para os alemães, tinha a velocidade de Senna em treinos e a frieza e Prost e Piquet em corridas, além disso sabia liderar uma equipe como ninguém. Porque Piquet saiu da Brabham em 85? Porque Senna não levou a Lotus ao título, porque Prost não foi campeão na Ferrari? Porque Mansell só foi campeão depois de 12 anos?

    Essa foi a DIFERENÇA de Schumacher!!! Onde vc vai achar um piloto liderando uma equipe por 11 anos, sempre deixando ela pronta pra briga? Senna, Piquet, Prost e Mansell FRACASSARA, quando a COISA estava FEIA, mudavam de equipe, com Schumacher não aconteceu isso…

    Schumacher NUNCA deixou o BARCO, se tiver que AFUNDAR eu vaijunto…

    Prost foi campeão pela Renault e Ferrari?
    Pqiuet, foi campeão pela Lotus e Benetton?
    Senna foi campeão pela Lotus?
    Mansell foi campeão pela Lotus eFerrari?

    Todos estavam no áuge da carreira…

    …Schumacher depois dos 40 não tem obrigação nenhuma de ser campeão.

    Curioso é Schumacher desafiar novas gerações, coisa que no passado os grandes não tiveram.

    • Jonny'O disse:

      Fracasso sim Marcelo!

      Me refiro ao motor da mercedes do fracassado C291, seu motor um boxer 12 era pouco potente e quebrava demais a Mercedes desistiu do motor que ainda tinha uma arquitetura totalmente errada para a aerodinamica da epoca, um Boxer nos anos 90 era totalmente na contramão do momento da F1.

      E a Mercedes tinha pressa e como percebeu que seu corpo tecnico era obsoleto pra F1 tratou de comprar a Ilmor e colocar seu nome na tampa de cabeçote dos motores.

      Isso não é uma opinião minha, isso é historia.

    • Cézar Augusto disse:

      Marcelo, da onde essa de que “Schumacher arrebentava” em todos os tipos de carros que andava? Só se você se refere ao fato de ele arrebentar os carros, em si. Leia o comentário de “Michel” na página 2 que essa questão ficará bem elucidada.

      E façamos um comparativo entre as performances de Schumacher e Senna no kart, e nas categorias “Menores” de “monocoques” pra gente ver…

      Ah, o Senna participou dos 1000 km de Nurburgring com o porsche 956 e foi 8º, e com o mercedes 190 em nurburgring, contra vários cobras da F1 e GANHOU!

  6. Jonny'O disse:

    Mas esse C291 foi um belo fracasso também, na verdade uma grande vergonha pra mercedes, ele tinha um motor de 12 cilindros opostos!!!! Seria o motor da mercedes na F1, era esse o objetivo do mundial de Sport de 90 a 92, quando o regulamento de motores era igual ao da F1, uma tentativa também fracassada que teve piada antiga como exemplo de 71 a 74, ou sei lá….era mesmo a intenção de acabar com os prototipos!

    O fato é que esse motor da Mercedes de 12 cilindros foi tão ruim que a Mercedes teve que comprar a Ilmor que fazia um bom V10 de F1, e assim nasceu o motor da Mercedes na F1 hehehe.

  7. Allan disse:

    Atrás de mim (no meu escritório) tenho 2 Porsche 962 L (1986 e 1988), 3 TWR-Jaguar (1986, 1987 e 1988), 2 Mazda (1991), 3 Sauber-Mercedes (1 C9 e 2 C11), 2 Peugeot 905 (1991 e 1992), fora BMW M1 Pro-Car, Porsche 935, Dome Zero, 3 Porsche 917 (1970 K e L, e 1971), Ferrari 512, Lola T-70, Chaparrall 2F, Ford GT-40 MK II, Ferrari 330 P3, Matra 670B… Enfim, é uma baita alegria e motivação chegar no Office e olhar minha coleção 1/43. Os mais belos carros já feitos pela mão do homem.

  8. Renato Camara RRE disse:

    Gomes,
    Falando em Mazda, tem este video bem bacana http://www.youtube.com/watch?v=9675TKafw3g sou fã deste 787… e ganharam LeMans.

  9. ricardo bifulco disse:

    Olá Flávio! Olá pessoal!

    Aos 1:50 do vídeo é possível ver rapidamente a Mazda 787B, branca e verde, número 18, do Maurizio Sala. Este carro foi também produzido em autorama na escala 1:32 pela Slot It:
    http://www.slot.it/immagini/Models_indice/GruppoC/Mazda787b/Mazda787b_gb.html#

    Eu também gosto muito dos Grupo C desta época.

    Um grande abraço!

  10. Talles disse:

    Tive a impressão de ver o capacete do Hakkinen saindo do carro lá pelo meio do vídeo (óbvio que vestindo a cabeça de um piloto)… aí fui atrás de informação para saber se era o finlandês, mas não.
    acabei encontrando esse site que traz resultados desde 1953 com algumas fotos, cartazes das corridas e ingressos. tem muita coisa para ver.

    http://www.racingsportscars.com/championship/World%20Championship.html

  11. Edward Botelho disse:

    Schumacher sempre jogou sujo, hoje, ele prova que não pilota nada, só toma chocolate do companheiro de equipe, rasgou todos os títulos.

  12. Ricardo disse:

    É… essa Sauber-Mercedes é linda assim como eu acho bonito todos os carros do antigo “Grupo C” q corria em Le Mans. Época boa que eu procuro reviver nas minhas réplicas 1:32 de autorama. Tenho vários com pintura da época.. Mazda, Toyota e inclusive o Jaguar com a pintura rosa/roxo da silk cut.. outro q acho bem bonito também é o Lancia LC2 e aquela pintura linda da martini. Bom.. mas o vídeo é sobre o alemão.. bem.. o alemão ja mandava bem ao volante desde cedo.. hj na F1 apenas se diverte. Abs :)

  13. Igor D. disse:

    Belíssimos os protótipos!!!

    A Super GT corria lá até uns anos atrás quando se chamava de JGTC. Hoje em dia recebe o campeonato japonês de drift(D1GP), e acredito que outros campeonatos “menores”, como a Super Taikyu.

  14. Antonio disse:

    Nessa época já era “Dick vigarista”.

  15. Rafael Wuthrich disse:

    Você sabia que título a nota receberia?

    http://carros.uol.com.br/ultnot/2011/08/09/icone-comunista-e-motivo-de-piada-no-brasil-lada-laika-deve-ter-producao-encerrada-no-final-do-ano.jhtm

    Ícone comunista e piada no Brasil, Lada Laika deve ter produção encerrada

    Os fãs do Lada Laika têm motivos de sobra para querer que o ano de 2012 demore muito para chegar. E isso não tem nada a ver com o possível fim do mundo apontado por alguns calendários de civilizações antigas, e sim porque o carro russo quarentão deverá ter sua produção encerrada no final de 2011.

    Baseado no Fiat 124, o Lada 1200 foi lançado na então União Soviética em 1970. O pequeno sedã — que logo ganhou a companhia de uma station wagon — tinha a função de ser um veículo acessível e robusto. Cumpriu essa missão tão bem que, mesmo sem ser atualizado de maneira significativa (as poucas mudanças que diferenciam o modelo inicial, de código VAZ-2101, do atual, o VAZ-2107, ocorreram nos conjuntos ópticos), acumulou fãs e vendeu mais de 16 milhões de unidades (no Brasil, onde chegou em 1990, foram cerca de 33 mil).

    “É, sem dúvida, um carro histórico. Além de bem concebido, tinha na confiabilidade mecânica um dos seus pontos mais fortes. Por ter tração traseira, também é gostoso de dirigir. Prova disso é que o Laika foi muito utilizado em diversos tipos de competições, tanto no asfalto quanto em ralis”, aponta Flávio Gomes, jornalista e, declaradamente, fã do modelo russo.

    Gomes, que participa de competições automobilísticas a bordo de um Laika 1991, defende que o carro, hoje produzido pela Avtovaz na cidade russa de Togliatti, foi um injustiçado no Brasil. “Basicamente, a fama de ‘mico’ que o modelo ganhou por aqui tem mais a ver com o final das importações, quando o valor do carro despencou e achar peças de reposição ficou muito difícil, do que propriamente pelos atributos do modelo. Prova disso é que o Lada Niva, outro carro que veio para cá no início dos anos 1990, mantém até hoje uma ótima fama entre os jipeiros”.

    Engana-se, contudo, quem pensa que a Lada sobreviveu apenas vendendo (em quantidades altas) o Laika. No álbum abaixo é possível ver os carros que a marca russa, pertencente a Avtovaz, produziu no decorrer da sua história:IMUTÁVEL
    O fato de não ter mudado pode ser um atestado de que o Laika parou no tempo. Flávio Gomes, contudo, tem outra explicação. “Tanto pelo contexto histórico quanto pelo regime da então União Soviética, não havia a necessidade de mudanças em um carro criado para custar barato e que não tinha a concorrência de outros modelos”.

    Mesmo com a queda do comunismo, cujo maior símbolo foi a destruição do Muro de Berlim, em 1989, o Laika se manteve como o carro mais barato a venda na Rússia, afastando qualquer possibilidade de mudanças.

    Caso se confirme (todo cuidado é pouco, afinal trata-se da Rússia e de um carro de quase meio século de vida), o encerramento da produção do Laika põe fim a uma era da indústria automotiva mundial. Símbolo de um regime e de um estilo de vida, o pequeno sedã colecionou fãs por todo o mundo, ainda que no Brasil ele tenha sido vítima da falta de planejamento e do final abrupto das importações, o que colaborou para o seu nome virar sinônimo de “carro-problema” no país.

    Mas, se alguém se interessar, é possível encontrar no Brasil unidades do Laika oferecidas por cerca de R$ 7.000 em sites de compra e venda de carros.

  16. Alex disse:

    Sou doido por uma minitura deste carro, mas , além de ser rara, custa uma pequena fortuna. Da últma vez que vi uma, em 2003, custava mais de R$ 600,00 (1:18)

  17. Diogo disse:

    A pista continua lá, firme e forte, recebendo provas do Super GT japonês.

  18. José Morelli disse:

    Que eu saiba Autopolis tá na ativa! É o autódromo oficial da Kawazaki (de propriedade mesmo) e de onde realiza centenas de testes com suas motos. Autopolis também é sempre presença garantida no calendário da gloriosa Formula Nippon, faça chuva, faça sol. É o centro automobilístico da província da ilha de Kyushu.

  19. Plácido de Araujo SBCampo disse:

    Outro dia eu estava em uma das tantas lojas de móveis de São Bernardo quando me deparei com uma revista 4 Rodas que na capa tinha um Tempra. E enquanto as pessoas escolhiam móveis fiquei paginando a tal revista. E não é que tinha uma matéria sobre um novato ? Era sobre o Schummy. Olhei pros lados e peguei a revista. Está comigo. Era velha. Alguém ia jogar fora. Então… reciclei de dono. Vou digitalizar a matéria e enviarei para você (se você quiser, claro !). Sempre tem algo em revistas velhas que valem a pena.

  20. Julio Cezar Kronbauer disse:

    Legal é ver as outras partes: os caras jogando Pac-Man e “simuladores” nos momentos de folga antes da corrida!

  21. Pablo disse:

    Eu era apaixonado pelo Sauber-Mercedes C9, achava aquele carro sinistro. Na época ele arrasou a concorrência

  22. Nelson Weiss disse:

    Flavio,foi para este cara que o BOSTANELLO arrumou a Ferrari? rsrsrsrsrs

  23. Vladimir "Charles" Brown disse:

    O Karl Wendlinger era um grande piloto, que nunca conseguiu mostrar todo seu potencial graças àquele acidente em Mônaco.

    Fez umas belas corridas pela Leyton House e Sauber, mas depois nunca mais conseguiu ser veloz… pecado.

  24. Michel disse:

    Schumacher nos protótipos foi dos piores desempenhos de todos os tempos…

    Ele, no DTM alemão, se compara a Luca Badoer na F-1.

    Após anos de competições, em 1990, Michael foi escolhido em um programa de formação de jovens pilotos promissores financiado pela Mercedes-Benz. Teve como companheiros o alemão Heinz-Harald Frentzen e o austríaco Karl Wendlinger. Terminou o campeonato em quinto.

    No final do ano, para aprimorar seu ritmo de corrida, a montadora decidiu dar-lhe um carro para o encerramento da temporada do DTM, em Hockenheim. Carro oficial, de fábrica, número 65. Mercedes-Benz 190 E 2.5/16 Evo 2, vencedor de cinco corridas no ano. Mesmo com o equipamento competitivo, Schumacher conseguiu só o 15º tempo nos treinos, quase 5s atrás do pole, Jelinski, da Audi.

    A corrida do jovem piloto durou apenas uma curva, mas uma curva que mudou a história daquela temporada. Michael bateu na traseira do BMW de Johnny Cecotto, líder do campeonato, que brigava pelo título com Hans Von Stuck. Com o abandono do venezuelano, Stuck venceu as duas provas, ficando com a taça. Schumacher, com o carro destruído, sequer pôde correr na segunda bateria. E o autódromo, lotado, sequer imaginava que aquele novato atrapalhado seria aclamado anos depois.

    Schumacher seguiu com a Mercedes em 1991. Disputou novamente o Mundial de Protótipos, vencendo uma corrida em Autópolis, no Japão. No meio do ano, mais uma oportunidade para correr no DTM. Seria no veloz circuito de rua de Norisring. Schumacher teve uma vez mais um carro oficial de fábrica, da equipe Zakspeed, com o francês Fabien Giroix e o alemão Roland Asch como companheiros. Asch fez a pole e largou na frente na primeira bateria. Schumacher foi apenas 19º no grid, terminando a corrida em 24º. Vitória do dinamarquês Kurt Thiim, da equipe… Mercedes. Com problemas mecânicos, Michael pouco correu na segunda prova do dia 30 de junho de 1991.

    Um mês depois, na pista montada no aeroporto de Diepholz, Schumacher voltou a ocupar um Mercedes no Alemão de Turismo. Da mesma equipe Zakspeed, carro número 20. Nos treinos, a mísera 21ª colocação. Pole-position para Jacques Laffite, também da Mercedes. E abandono para Schumy, logo no começo. Na segunda bateria, largando novamente em 21º, uma atuação discreta até o 14ª lugar, posição final.

  25. Pedro Meinberg Junior disse:

    Autopolis tá firme e forte. O SuperGT e a F-Nippon correm lá…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>