MENU

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011 - 18:26Colunas Warm Up

LEGAL, 2012

SÃO PAULO (como sempre…) – Com seis campeões na pista, 14 títulos pingando na área, eis que 2012 se apresenta como uma temporada das mais alvissareiras. Mas é claro que isso é só da boca pra fora. Tema da coluna Warm Up de hoje. Está aqui.

5 comentários

  1. O PENSADOR disse:

    Bem 2012 como sempre digo o mestre vai ganhar, desde…desde que a Mercedes tire os escorpiões do bolso e invista pesado… caso não venha com potencial para brigar pelas primeiras posições, com certeza que será mais um passeio da Red Bull (pupilo Vettel). Quanto as demais equipes, vão dar alguma pressão no inicio mas depois não conseguirão emplacar… tinham que acabar com estes pneus que desfazem e com a tal abertura de asa traseira… e voltar com o efeito solo e os pneus traseiros maiores como era antigamente, voltando também com o reabastecimento, ai sim que teriamos boas disputas…

  2. galileu disse:

    se o pero vaz caminha, é porque vai caminha dentro rsrsrsrsrsrsrs.
    nos resta esperar o que nos prepara a temporada de 2012, árece que os italianos estãO acordando para a realidade chamada felipe massa, o rubinho onde será que vai sentar, e o seninha terá lugar para sentar?
    essas talvez nem a mãe diná sabe.

  3. Mac disse:

    Formula 1 2012, seis campeões na pista, 14 títulos, um recorde. Pena que a maioria(pachecada) “não” vão assitir por achar a Formula 1 de hoje muito chata, na Alemanha também esta assim! Pega nada, eu, o Gomes e meia dúzia assiste…

    …não vão o cacete, a maioria são os primeiros a ligarem a tv…metem o pau, mas estão lá. Brasil,Brasil,Brasil.

    Uma das melhores épocas da F1 aconteceu em meados de 1966, onde 4 campeões ainda em grande fase juntos correram: Jack Brabham, John Surtees, Graham Hill e Jim Clark, fora outras feras como Rindt, Hulme e Stewart futuros campeões nos anos seguintes. Uma época fantástica onde a F1 era mais desafiadora em termos de pilotos, carros e pista(muito mais que nos anos 80/90), pilotos daquele tempo também podem cutucar campeões das gerações a sua frente:

    “Na minha época não existia molesinha de supensão eletrônica, câmbio sequêncial, controle de tração ou telemetria para ajudar o piloto, tudo isso já existia nos anos 80 e início de 90. Na chuva tinha que segurar o carro no braço sem ajuda de supensão inteligente, trocar marcha com câmbio sequêncial como foi partir dos anos 70 em diante, era uma piada perto dos anos 60. Para ser ter uma idéia, a Ferrari usava até a famosa “grelha” para ajudar para diminuir as quebras de câmbio, o piloto tinha que CÂMBIAR mesmo, como faz um simples motorista em seu fusca”

    Na década de 1970 correram juntos 5 campeões: Hulme,Stewart,Brabham,G.Hill e Surtees.

    O problema é que Brabham, Surtees e Graham Hill já estavam em visível declínio na carreira, alguns até piores que a de Schumacher hoje na Mercedes, isso sempre aconteceu com campeões já em final de carreira, outros decidiram parar antes do declínio total, caso de Prost, Piquet e Mansell, eles já não tinha mais “gás” para desafiar a nova geração dos anos 90. Não se assutem, isso sempre aconteceu na F1, Fittipaldi e Andretti abandonaram a F1 no início dos anos 80, também já não tinham mais “gás” para acompanhar a nova geração.

    Graham Hill por exemplo, participou de 18 temporadas seguidas(1958 e 1975), mas nas últimas 5 sequer conseguia chegar ao pódio, caso semelhante e até pior que Schumacher(claro, muito disso é culpa de carro limitado como acontece com Schumacher, mas a idade chega pra todos), seu melhor resultado nas últimas 2 temporadas foi na Suécia de 1974 chegando em sexto. O bicampeão faleceu no dia 29 de novembro de 1975, em um acidente aéreo pilotado por ele, no qual estavam ainda o chefe da Embassy Hill Ray Brimble, os mecânicos Tony Alcock e Terry Richards, o piloto Tony Brise e o designer Andy Smallman. Vale também destacar que a mulher de Hill, mãe de D.Hill, foi uma guerreira saldando todas as dívidas da equipe Embassy Hill, acreditem, não foi tarefa nada fácil a ela, viúva com altas dívidas e filhos pequenos pra criar.

    Abaixo, os campeões que correram juntos nos anos 80, somente quem participou da temporada completa, Andretti por exemplo voltou em 82 somente no GP de Monza e Jones voltou em 85 só no final da temporada pela equipe Lola Beatrice. Piquet foi campeão em 81, mas só começou a correr como campeão a partir de 82.

    1981:
    Jones, Mario Andretti

    1982:
    Lauda,Piquet

    1984:
    Lauda,Piquet,Rosberg

    1985:
    Lauda,Piquet,Rosberg,

    1986:
    Prost,Piquet,Rosberg,Jones

    1987:
    Piquet,Prost

    1988:
    Piquet,Prost

    1989:
    Senna,Piquet,Prost

    1990:
    Senna,Piquet,Prost

    1991:
    Senna,Piquet,Prost

    1992:
    Senna

    1993:
    Senna, Prost

    1994
    Com a morte de Senna, começa uma nova geração sem pilotos campeões, Schumacher seria o primeiro partir de 1995.

    *Mansell conquistou o título em 92, mas nunca correu uma temporada completa como campeão, quando voltou a F1 em 1994 acreditem, tomava tempo até de D.Hill em treinos e corridas, participou de apenas 4 provas, durante as corridas sequer andava no ritmo de Schumacher e D.Hill. Até o Rubinho deu “calor” no inglês com a pequena Jordan em uma certa prova em 94, foi um grande momento de Rubens na Jordan. Mansell venceu um GP em 94(AUS), mas só conseguiu porque Schumacher e Hill abandonaram, antes de abandonarem, Mansell estava longe, muitos segundos atrás. O “leão” voltou a pedido de Frank Williams e sua tarefa era ajudar Hill a ser campeão, não consegui só andava atrás do compatriota e do alemão.

    Frases da Formula 1, vale a pena dar uma olhada, a de Nannini é hilária:

    http://www.gptotal.com.br/frases/frases26_12.htm

    “Eu acelero, você dirige”

    Alessandro Nannini para Piquet, após o acidente do brasileiro em Indy,
    onde quase perdeu os pés. Nannini, depois de um acidente de
    helicóptero, quase perdeu uma das mãos

  4. Fabiano Lacerda disse:

    Eu estou esperando é a chatice corriqueira dos últimos anos. Sendo que nenhuma temporada emplaca corridas boas com uma disputa pelo título emocionante. É sempre um ou outro. Pouco adiantaria ter 20 campeões na pista se as coisas continuarem assim.

  5. Jeambro disse:

    Alvissareiras??? Puxa vida! Pra saber o significado correto disso, é só pegar o dicionário que Pero Vaz de Caminha trouxe de Portugal quando por aqui desembarcou.

Deixe uma resposta para Jeambro Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>