AO INFINITO | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012 - 15:55Ladaland

AO INFINITO

SÃO PAULO (foi bom te ver outra vez…) – Um dos períodos mais férteis da humanidade no desenvolvimento tecnológico foi o da Corrida Espacial. Anos 50 e 60, URSS x EUA, Vostok x Apollo, Gagárin x Armstrong. Ianques ganharam algumas batalhas, soviéticos venceram outras tantas, mas num aspecto não há discussão: os cartazes celebrando os feitos da Mãe Rússia são imbatíveis. Quem mandou a dica do site (tem duas páginas de pôsters, aqui e aqui) foi meu amigo cosmonauta Rogério Gonçalves.

 

 

26 comentários

  1. Marcelim disse:

    A URSS em seu belicismo, desenvolveu tecnologia de aviônica própria e teve um programa espacial que esteve à frente dos Estados Unidos por uns tempos.

    Causou até a síndrome de Sputinik, que virou neologismo para toda vez que a “américa” tem uma crise de insegurança frente a um outro país, como vem acontecendo com a China.

    Já o Brasil, produziu urutus vendidos a ditadores árabes (incluindo Saddam Hussein) e uma fábrica de aviões que se baseia no projeto de um francês de trinta anos atrás, o Bandeirante….

  2. Luis Vieira disse:

    Muito bom esses posters!!! Fantástico!

  3. Fabio Frederico disse:

    Sorte que, com a derrocada do programa espacial soviético, a foice e o martelo também foram para o espaço.

  4. flavio perillo disse:

    E por que afinal, os Russos acabaram não indo à lua? Será que perdeu a graça já que os Americanos chegaram primeiro?

  5. Ricardo Bigliazzi disse:

    Posteres legais… mas os americanos sempre tiveram a melhor técnologia.

    Imperador

  6. EduardoRS disse:

    A URSS deu um banho nos EUA na corrida espacial. Não fosse a aceleração da corrida armamentista imposta pelo Reagan nos anos 80, teria conseguido levar adiante outros programas, como o Buran. Toda a verba dos programas espaciais teve de ser deslocada para a defesa. Mas a tecnologia soviética sempre foi inquestionavelmente superior, até os dias de hoje onde os astronautas estadunidenses precisam pedir carona para as velhas e confiáveis Soyuz.

    Às vezes me pego imaginando: e se a corrida espacial tivesse se estendido pelos anos 80? Onde estaríamos agora? Acho absolutamente ridículo que hoje, em 2012, mal conseguimos mandar homens para a órbita baixa da Terra. Estamos involuíndo.

  7. Flávio, você que gosta de pinturas e artes gráficas automobilísticas, não pode deixar de ver isso aqui: http://grantthomas.crevado.com/gallery/387-Automotive-Artwork#2646 Simplesmente maravilhoso!

  8. victor freire disse:

    eu sempre achei que a urss parecia melhor nos tempos do matuto do khrushchev. stalin parecia muito orientado pra guerra, bem como brezhnev e os velhotes que seguiram ele. gorbachev tinha boas ideias, mas conseguiu terminar isolado e com a urss desintegrada.

    uma pena, acho que ela ainda tinha potencial.

  9. Banana Joe disse:

    Camarada Gomes, se há um tema no qual a URSS foi incontestavelmente superior aos EUA foi a corrida espacial.
    Exceto a chegada do homem a Lua ( e pra que ela serviu mesmo? ), os Ianques perderam sempre.
    E ainda hoje passam pelo vexame de ter que ir ao espaço de carona com as velhas Soyuz, que nada mais são do que os Ladas Espaciais, depois que os ultra-tecno-fodásticos ônibus espacias começaram a mandar mais gente pro céu do que pro espaço…

  10. José Morelli disse:

    Este foi um período único na História da Humanidade. Hoje muitos se perguntam, “se o homem foi para a Lua em 1969, porque não consegue voltar para lá agora em 2012?”

    Esta pergunta é bastante ingênua, geralmente feita por leitores casuais e polemistas de plantão que acreditam na primeira história da carochinha que aparece. Não se pode enxergar a corrida espacial com os olhos de hoje, isso é um anacronismo que salta aos olhos de qualquer observador atento. A Guerra Fria foi um período de MUITA tensão política, econômica e tecnológica, principalmente nos anos 50 e 60. Foi uma pressão tão grande nas mãos de políticos, estudantes universitários, empresários e cientistas que foi capaz de movimentar (de ambos os lados da Guerra) as forças necessárias pra tantos empreendimentos vistos como impossíveis, a Corrida Espacial travada entre a URSS e os EUA foi um desses momentos e o seu ápice foi a conquista da Lua. Somente um conflito ideológico daquela envergadura foi capaz de reunir o dinheiro e o investimento necessário praquilo, hoje em dia não existem mais desafios políticos desse tamanho. Existem desafios terrestres, ou seja, garantir sua reeleição, mas garantir a soberania de uma nação sobre a outra e consequentemente definir o destino do Mundo, isso só na Guerra Fria.

    • Luiz Morais disse:

      Acontece que, na verdade, a corrida espacial foi muito cara e, resultou em poucos resultados práticos. Mesmo em questões terrestres não se obtem os mesmos resultados, os aviões da época eram absurdos comparados aos de hj, os blackbirds ou os foxbat russos chegaram a ser os dois aviões mais rápidos do mundo e voavam a altitudes absurdas, porém, gastavam toneladas de combustível, hj não existe nada com o mesmo desempenho, por falta de necessidade, ninguém precisa manter um espião o tempo todo observando o inimigo.
      Hoje está faltando dinheiro para manter as economias sadias, imagina se não falta para esse tipo de concorrência besta, inclusive pq não existe mais a URSSS!

  11. Rodrigo disse:

    Legal. Esse site aqui tem muita coisa também, tudo separado por categorias.
    http://www.sovietposters.com/
    E até vende camisa, canecas, gorros… show de bola!

  12. Jackson Batista disse:

    Fala Gomes ! Boa noite.

    Link abaixo é noticia da folha.. parece q estao expondo todos os carros já utilizados nos filmes de 007.. tem cada coisa mais linda !!! Todos brilhando como novos..

    http://fotografia.folha.uol.com.br/galerias/6633-carros-de-james-bond#foto-127090

    Abraço

  13. leandrotullii disse:

    simplesmente FELOMENAL!

  14. Vitor disse:

    E o mais importante, Sergei Pavlovich Korolyov vs. Wernher von Braun !
    São muito interessantes as histórias dos dois, em particular a do Korolyov. Aliás, é um pecado que não se venda livro no Brasil sobre o “projetista chefe”. Se ele não tivesse morrido precocemente (por trabalhar demais, obsessivamente), quem sabe quem venceria a corrida?

    • Vitor disse:

      Segundo consta, o Korolyov mandou junto com o Gagarin para o espaço mais de 30 kg de comida (com salsichas e tudo), de nervoso mesmo, para que não pudesse faltar nada ao heróico piloto.
      Poekhali!!

      • Paulo Bala disse:

        Korolev foi “dedurado” por Glushko (grande projetista de motores para foguetes e chefe da NASA russa) e passou um bom tempo no pior Gulag da pátria mãe e gloriosa URSS. Perdeu todos os dentes e quase morreu. Tupolev, que fazia parte de um Bureau de prisioneiros altamente qualificados, pediu sua presença e salvou sua vida. Ainda assim o camarada Korolove não largou mão e continuou amando Stalin (um santo) e a lógica comunista, até se filiou ao partido. A necessidade de um missil intercontinental balístico (os aviões de longo alcance russos eram uma porcaria e os EUA estavam muito longe) fez com que os recursos fossem direcionados a este projeto que culminou com o R-7 cujo projeto é base do super confiável Soyuz. No entanto, os recursos são escassos e a lógica da economia planificada é um desastre na alocação de recursos. Logo, foguetes de primeira e pão se tornam mutuamente excludentes. Em tempo, a morte de Korolev marca o fim (retoricamente) do programa lunar russo. Sem a sua liderança as coisas desandaram.

      • Vitor disse:

        E esta história não dá um puta livro?
        O Korolyov era, até onde eu sei, mais interessado no projeto espacial em si do que no comunismo. A parte da filiação no partido era fundamental para que ele obtivesse o apoio necessário. De qualquer forma, simplesmente o fato de ele ter sido capaz, sem a ajuda de engenheiros alemães “contrabandeados” no fim da guerra, já o torna digno de muito respeito.
        O von Braun era membro do Partido Nazista também, não era? Isto faz dele um fascista, anti-semita, defensor de uma pureza racial? Faz o programa espacial americano um simbolo do fascismo?
        Como engenheiro, prefiro relevar as questões políticas na análise HISTÓRICA de grandes projetos.
        Não se pode negar, apesar do uso que foi dado a ele, que o Messerschmitt Bf-109 era um avião espetacular, o Me 262 é lindo e muito inovador, mesmo o FUSCA é uma máquina fantástica (com o dedo do próprio Hitler).

      • Paulo Bala disse:

        Vitor tem um livro chamado “Korolev: How One Man Masterminded the Soviet Drive to Beat America to the Moon” de James Harford e uma minisserie da BBC chamada Space Race. Vale da uma checada. A história de Korolev dava sim um baita filme.

  15. ANDRE DE ITU disse:

    Flavio,realmente sempre achei esses posteres lindos,mas o mais bonito deles esta faltando: tem um com a LAIKA que chega a tirar lagrimas dos olhos.ABS

  16. hendrix disse:

    sabe porque os russos chegaram 1° no espaço?
    os russos usavam a medida métrica e os americanos milhas
    é isso aí macacada o universo é métrico.

    • rodrigo mota disse:

      o universo é métrico. mas a aviação fora do eixo russia-china é imperial…

      os EUA/Inglaterra ganharam a segunda guerra e como tinham uma aviação superior impuseram o sistema náutico na aviação, os russos manteram o seu sistema do seu lado.

      os alemães após o fim da primeira guerra aperfeiçoaram os planadores e viraram mestres neles, tanto que para planadores o sistema em uso é o métrico…

      não é a toa que existe na aviação o termo “painel métrico” que indica o painel em “km/h e m”. os aviões russos tem paineis duplos, velocimetros em “kt” e em “km/h” bem como os indicadores de altitude

  17. jose marinho disse:

    Viva a democracia nesse PAÍS , fosse em outros tempos o DOPS já tava na tua cola.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>