MENU

terça-feira, 6 de março de 2012 - 15:46Automobilismo brasileiro

DIVERSÃO PURA

SÃO PAULO (um dia corro) – Vídeo enviado pelo Mestre Joca, o Bernie Ecclestone da Fórmula Vee, com o on-board do carro de Fernando Monis, campeão do ano passado. Essa é a prova de sábado, que teve 18 carros no grid. Monis largou em décimo. Como se vê, dá para se divertir à vontade numa categoria que já pegou, de custo relativamente baixo e prazer certamente muito alto. No dia 7 de abril, segundo o Joca, a previsão é de 21 carros no grid. No dia 17 de março vai haver uma prova em Piracicaba. Estão todos de parabéns!

53 comentários

  1. Adam disse:

    Putz…que disputa!!! Esse cara na entrada do S parece que não vai conseguir virar……..

  2. Ademar Oliveira - Osasco sp disse:

    Essa categoria já pegou! Muito bem organizada, carros bem montados e muito bonitos.
    Da gosto de ver o grid. 18 carros de fórmula em interlagos nos tempos de hoje é algo raríssimo. Nem F3, nem FFuturo, nem nada.
    Aliás essas que citei todas caríssimas. Com 1/100 do preço de uma etapa dessas se faz uma corrida de FVee. A diversão é igual se não for maior.
    E afinal, nós que não somos nem Sennas, nem Barrichelos nem nada o que queremos?? É diversão porra!!! Ou seja. FVee é realmente a diversão pura a um custo acessível.
    O vídeo do Monis é sensacional. Lutando de igual pra igual com um carro bem inferior. É nítido ver que ele fez milagre.

    Porém, o líder dessa corrida e que venceu de ponta a ponta depois de largar na pole nem aparece quase de tanto que abriu. Chegou a ficar 15 segundos na frente, eu vi na TV lá no autódromo. Talvez injustamente não citado nos comentários. É um tal de Rosset, que me parece que tb guia um pouco.

    • Joaquim disse:

      Ademar, obrigado pelos comentários elogiosos à nossa categoria. Você captou à perfeição o espírito da Formula Vee. Em tempo: realmente o Rodrigo Rosset foi o vencedor dessa corrida. Abriu bem logo no início pois conseguiu escapar à briga pelas posições secundárias. Enquanto a turma duelava roda a roda, ele fez cinco voltas em ritmo de classificação – em torno de 2m 08 s – e garantiu uma folgada margem que lhe garantiu a vitória. O Rosset foi campeão da Stock Jr e está conosco desde o início pois é dono do chassi 002. O chassi 001 está no Museu do Automobilismo Brasileiro. abs

      • Burn baby Burn.. disse:

        Amigo Joaquim,

        Parabéns pela categoria.. adorei assistir este video, delicioso de se assistir.. pilotagem a moda antiga com carros parelhos.. onde o talento.”e apenas o talento” faz a diferença na pista.

        Sinceramente, além do prazer de se pilotar para muitos pilotos, também vislumbro nesta categoria a grande chance da migração dos meninos do kart nacional “quase falido morto e enterrado” para esta categoria monoposto de baixo custo, que é extremamente competitiva.

        Seria a chance de ouro de revelar algum grande talento jovem escondido e mofado por falta de oportunidades, para o futuro..

        Vocês da categoria pensam nesta possibilidade?

        Abraços..

      • Pois é, confesso que não fizemos a categoria pensando nisso e ainda temos dúvidas, fizemos para diversão.
        No entanto, não temos a menor vergonha de admitir que talvez estivéssemos enganados.
        O nível de competitividade que a categoria atingiu pode ajudar certamente na formação de jovens pilotos.
        Como ainda não sabemos, ela é muito diferente da F3 que seria o próximo passo. A F3 não usa mais embreagem, usa pneus slicks, mas na Formula Vee o piloto aprenderia andar no bolo, ter golpe de vista e se acostumar com o tamanho de um monoposto.
        Fora que quem não é bom na Formula Vee não vai ser bom em nada dali para frente.
        Pelo menos economiza muito dinheiro para os papais esperançosos que o filho seja um novo Senna.
        No caso de insucesso vai ter gasto pouco e pode mandar o menino de volta para a escola de onde nunca deveria ter saído.

      • Burn baby Burn.. disse:

        Caro Roberto, agradeço seu reporte.

        Excelente o seu comentário, a categoria seria uma grande oportunidade para os jovens promissores. Uma escola imprescindível, única no Brasil.

        Achei incrível a competitividade desta categoria, vou acompanhar estes pegas e ficar atento ao site, pois quero ir assistir pessoalmente. Meu negócio é ficar na arquibancada curtindo as peripécias da tua intrépida troupe, com a cerveja e o cachorro quente na mão.

        Sucesso..Valeu!!!

  3. Sérgi Luis disse:

    Graças a Deus posso dizer que faço parte desse circo… pena não ter corrido, mesmo assim valeu tudo pessoal….

  4. Edu disse:

    Valeu pelo post Flavio…
    Ve se corre uma prova com agente qualquer dia!
    Abs

  5. Muller disse:

    Mais do que a passagem pelos 4 do início, a dupla ultrapassagem por fora aos 9min me arrancou aplausos. O da frente prensando o outro pela direita, quando os dois tiraram o pé pra enfiada à esquerda por dentro, no meio da freada, o cara joga pra direita e segura a por fora. Muito bonito.

  6. Jackspeed disse:

    seria muito talento dele ou falta de talento dos outros? afinal em uma categoria tão parelha o cara correr com a usina ‘manca’ e ainda dar trabalho?, me perdoem os outros mas tenham vergonha, mas o cara é osso duro mesmo,quem sabe um dia eu sento em uma baratinha dessas…

  7. dado andrade disse:

    ESPETACULAR !!!!!O Monis guia um montão,pois tudo que fez foi graças a sua mão de obra.O carro dele não estava rendendo nada,mas de qualquer forma,parabens a todos os envolvidos.
    Abs….

  8. Luc Monteiro' disse:

    Não conheço o Monis, mas gostei do estilo dele, atacando na maioria das vezes pelo lado de fora da curva pra ganhar posições e antevendo as mudanças de traçado dos outros para saber por onde vai se enfiar. E a categoria é um show.

  9. Joaquim disse:

    Flávio,

    Obrigado pela postagem e pela referencia ao meu nome. O vídeo mostra que a Formula Vee entrega o que promete: diversão segura a baixo custo, em termos de automobilismo, é claro. De graça nem a São Silvestre…

    E a razão disso é o regulamento bastante restrito, mas que não se traduz em falta de desempenho: 175 Km/h de final, tempos por volta de 2m 08 s em ritmo de corrida (o recorde é de 2m06s 640, tempo que muito carro mais potente não vira em Interlagos) e médias de 125 Km/h. Pode parecer à primeira vista muito pouco, mas nada mal para um carrinho de 450 kg e “apenas” 90 HP brutos.

    Quem se senta no Naja Formula Vee se apaixona; condução fácil, segura, precisa, previsível. O carrinho agarra muito no chão, não cansa na pilotagem, e é uma excelente escola para quem quer se iniciar no automobilismo. Ou para aqueles que querem apenas se divertir.

    O custo benefício da categoria é insuperável entre aquelas que correm o Campeonato Paulista: pode-se alugar um carro por 2.500,00 reais em média,mais a inscrição que é de 540,00 reais. Carro completo e em perfeitas condições de corrida varia entre 25 e 30 mil. Daí gasta-se em torno de 1.500 reais por etapa, preço que nem o kart consegue igualar. Corre-se o campeonato paulista em Interlagos mas fazemos também corridas extras em Piracicaba. Dia 17 de março esatremos correndo o desafio de Verão lá,

    O vídeo do Fernando Monis é emblemático do que a categoria oferece: teórica igualdade mecânica, disputas eletrizantes metro a metro e por décimos de segundo por TODAS as posições. Atentem para aula de pilotagem do Fernando: com um motor deficiente (teve problemas de válvulas num dos cilindros), o atual campeão paulista da categoria usa da sua experiência utilizando o vácuo e abusando das freadas pra não perder contato com o grupo. Qualquer bobeira é fatal:perde-se uma,duas ou mais posições, tendo que remar tudo de novo. Isso é a Formula Vee..

    Flavinho, vamos viabilizar o mais rápido possível uma corrida sua na categoria. O risco é se apaixonar.

  10. Francis Revers disse:

    Aì sim…putz..o motor do “fuscão” tava meio manco de reta hein…mas o cara anda bem..fico no bolo o tempo todo..parabéns… excelente categoria…

    • Joaquim disse:

      O Fernando Monis é o atual campeão paulista da categoria. Não é á toa que o título ficou nas suas mãos. Mas independentemente do talento do Fernando – foi seis vezes campeão da Formula Speed (karts com carenagem…) – que entar hoje na Formula Vee vai ter que enfrentar uma turma que roda em média a 2m08 a 2m09, roda a roda. Nada que seja do outro mundo, mas tem que chegar com humildade e aprender. Monoposto é outro mundo.

  11. Joaquim disse:

    Flávio,

    Obrigado pela postagem e pela referencia ao meu nome. Quanto à tua participação na categoria vamos viabilizá-la o quanto antes. Se bem que o Ceregatti já condicionou também junto á participação dele. Uma tal história de “Adiós Cerega”, e “Tachau, Flávio” que remonta a 2006.

    O que o vídeo mostra é que a Formula Vee entrega o que promete. Como bem explicaste, diversão pura a baixo custo (em termos de automobilismo, é claro). Correr de graça só na São Silvestre. E o responsável por isso é o regulamento bastante restrito que não permite grandes vôos na preparação e uma teórica igualdade mecânica.

    Mas isto não quer dizer necessariamente falta de desempenho: 170 km/h de final, tempos em volta de 2m 08 segundos e médias de 125 Km/h, para um carrinho de apenas 450 Kg e 90 HP. Pode parecer pouco à primeira vista, mas quem já se sentou num Naja Formula Vee sabe do que estou falando. O Formula Vee freia praticamente dentro das curvas e contorna essas com uma facilidade impressionante. E tem, obviamente, o vácuo, que só se sente na sua verdadeira intensidade quem anda de monoposto.

    O vídeo do Fernando Monis é emblemático e uma aula de mestre de como correr em inferioridade mecânica. Com problemas em um dos cilindros, ele usa toda sua habilidade e experiência para usar o beneficio do vácuo e abusa das freadas para se manter no bloco. Atentem para o detalhe: mesmo com eventuais toques de rodas não intencionais, os pilotos sinalizam a passagem, desculpam-se entre si, e combinam vácuos. E, mesmo numa refrega dessas, notem o pouquissimo trabalho de volante que tem o Fernando Monis, o que atesta a excelente estabilidade do Formula Vee.

    É por essas e outras que a categoria vem crescendo de maneira gradual e segura. Em menos de um ano, vai para seu segundo campeonato, 15 corridas realizadas, um torneio em Piracicaba com prêmios em dinheiro (3 mil para o primeiro, 2 mil para o segundo e mil para o terceiro) e a categoria que mais gerou mídia espontânea (isto é, não paga) no ano passado. Claro que há muito trabalho meu e do meus sócios Roberto e Felipe Zullino. Mas principalmente a Formula Vee só está vingando pela confiança em nós depositada por pilotos, equipes, incentivadores e o grupo que iniciou a categoria. Afinal, estamos todos juntos nessa. E iremos muito mais longe, podem crer…

  12. Eduardo Melo disse:

    Não se preocupem, a CBA, com sua criatividade, vai dar um jeitinho de acabar com esta categoria também… (embora eu torça para que isto não ocorra).

  13. enko disse:

    tudo para crescer e ser uma categoria escola para quem sai do kart.
    voces estão de parabéns por idealizarem e concretizarem a categoria.

  14. Marcelo disse:

    Como diria o Ayrton Senna : PURE RACING!

  15. PAULO AFONSO TREVISAN disse:

    Está maravilhosa a categoria e CONSOLIDADA! Muito equilibrio nos carros que propiciam ultrapassagens constantes,acredito que sem similar nosso automobilismo . Esse garoto Monis é enfiado mesmo,e está aparecendo muito piloto com talento nesse grid. PAULO TREVISAN

    • Claudio Ceregatti disse:

      Nossa!
      Pra tirar o Guardião Paulo Afonso Trevisan “da toca” precisa de muito!
      Assim como eu – que ando sumido dos blogs devido a excesso de trabalho – bem sei que o Trevisan anda assoberbado também, demais da conta.
      Claro que quem gosta sempre navega, dá uma olhadinha, mas a falta de tempo não nos permite manifestar nossas opiniões.
      A não ser quando surge uma preciosidade como essa; esse vídeo está demais.
      Estava ao telefone com o Joaquim, falando justamente disso.
      Da competitividade, do vácuo, dos carros parelhos, da diferença mínima de desempenho, do traçado, da tocada do Monis e dos demais. E foi ele quem viu o comentário do Trevisan, agorinha.
      Então lá vou eu escrever de novo…
      Estava lá ao vivo, pra variar.
      E mais do que nunca babando de tesão pra medir forças com os amigos.
      O Glaucio Doreto, um deles e atual líder do Campeonato, fui eu mesmo que desencaminhei…
      Nessa etapa, convidei o Torres, e ele compareceu. Adorou, claro.
      Tenho insistido também com o Cassio Missiroli, e na próxima ele vai, certeza.
      O Lucca Furquim então, anda aguado, até sonha com a hora.
      Pretendo mesmo andar ainda esse ano, dar vazão ao prazer que guardo. De carro alugado ainda, pra sentir o gostinho.
      E prazer é isso.
      Dane-se o tempo que vira, o lugar que se ocupa.
      O que vale é a disputa, o sorriso dentro do capacete, a briga limpa. O cheiro de gasolina na cara, o cheiro da borracha queimada, dos freios fritando, o coração batendo forte no peito – e não na garganta.
      Mesmo que esse grupo que aparece no vídeo fosse dos últimos, a alegria da disputa parelha compensa, não tem preço, paga o espírito competitivo de qualquer um.
      Claro que ganhar, ou ir pro pódio é uma satisfação.
      Mas despinguelar na frente não tem a menor graça, é um prazer digamos… solitário, quase uma masturbação.
      Sexo “gotoso” mesmo é isso aí.
      Sexo não, suruba, pô!
      Meia dúzia de marmanjos medindo forças no asfalto sagrado do Templo é impagável, inenarrável, maravilhoso. Se de ver de fora é duca, imagina lá dentro!
      Então ficamos assim:
      No carro do FG, “Adio Cerega”
      No carro do CC, “Tchau, Flavio”
      No carro do PAT, “Ao mestre com carinho”
      E v’ambora acelerar, meninos.
      Não vejo a hora.
      Ah…
      Pra quem não leu, (ou é “novo de casa”), vai aí o link do distante 18 de setembro de 2006, o tal placar CC 2 x FG 0:
      http://flaviogomes.warmup.com.br/2006/09/comendatore-2-x-0-gomes/#comments

      • vitão disse:

        pra quem não sabe, esta foi a ocasião em que o Cerega quase transforma Itu numa Talladega , de tanto que saiu da pista. Longa vida ao mestre Trevisan.abs

      • regi nat rock disse:

        Longa vida ao Trevisan e aos dinossauros que re-começam a sair da hibernação (eu incluso).
        Nada como ver ops, ler o Cerega se masturbando ?!?!?! num daqueles textos de chorar de rir, especialmente para quem o conhece bem…
        Realmente o carrinho é um tesão e eu tb talqualmente vc, Cerega, ando doidinho prum desatino, mesmo alugado e andando lá na rabeira , só apreciando a fuzarca …

      • Claudio Ceregatti disse:

        Desatino não, Regi.
        Vazão ao prazer encravado.
        Gozar não tem preço.

      • Claudio Ceregatti disse:

        Não foi dessa vez não, Vitão.
        Essa “Talladega” foi depois, quando o perdido do FG me cedeu seu carro, devido à Copa do Mundo.
        Demoli a barata, aparei a grama, bati tão forte que pneus voaram pra dentro dos boxes.
        De brinde, “decolei” por cima exatamente de quem?
        Glaucio Doreto, atual lider da Formula Vee.
        Na aterrisagem forçada, vi o céu e o mundo ao contrário.
        Delícia!
        Quebrou até o chassis!
        Isso que dá andar em cockpit de anão. Tive que “alargar” para o tamanho GG, meu corpitcho.
        Estranhamente, depois dessa sessão de demolition derby o FG nunca mais correu em seu (ex) carro.
        Porque será?

      • Claudio Ceregatti disse:

        PS, Vitão:
        Lugar de acelerar é lá, na pista.
        Estrada é pra ser comportado mesmo.
        Quer apostar?
        Anadamos no mesmo carro, no mesmo dia, com todas as regulagens iguais, um logo após o outro.
        Lastreamos para ter exatamente o mesmo peso.
        Em qualquer pista.
        Vitão, Vitão…
        Não se esqueça do Nuvolari, que fui eu…
        É até covardia, amigão.
        Nem vem.

    • Caro Paulo, vamos deixar bem claro do teu envolvimento desde o início do projeto confiando em nós e adquirindo o chassis 001 para o Museu do Automobilismo Brasileiro de Passo Fundo.
      Nosso obrigado também pela ajuda em nosso Track Day na pista da Pirelli quando colocamos 130 pessoas andando de Formula Vee e nos cinco carros do Museu que você trouxe, duas carreteras do Menegaz e do Andreatta, KG Porsche Dacon, Fitti-Vê e Formula Jr DKW.
      Você não mede esforços para alavancar a categoria. Abraços.

  16. Cyro De Cicco disse:

    Essa categoria tem que fazer a preliminar do GP Brasil de F1! Muito show!

  17. Marco Kondo disse:

    As ultrapassagens do cara no S do Senna são de cinema! No começo da prova passou 4 de uma vez e depois também engoliu dos dois líderes numa tacada. Muito legal a prova e muito interessante a pilotagem.

    Só não gosto de uma coisa: este vídeo está quase me obrigando a ga$$$$tar com corridas de carro de novo. kkk

  18. Claudio Ceregatti disse:

    Quem disse que “é devagar”?
    Virando no meio do bolo entre 2min10seg e 2min12seg?
    Alguém reparou que o Monis ultrapassou 4 pilotos de uma só vez?
    Foi na segunda perna do Esse do Senna, usando com muita habilidade e coragem o traçado rápido.
    Perceberam o vácuo absurdo que a categoria gera?
    A quantidade de ultrapassagens?
    Experimentem contar, é uma pilha delas mesmo, sem parar, uma em cima da outra.
    Espero mesmo que o FG cumpra a promessa do “um dia corro”.
    Porque já prometi pro Joaquim e aos amigos da Formula Vee que tambem corro.
    Agora então, com mais um motivo: Ampliar o placar de 2 x 0 para 3 x 0.
    Ou 4 x 0 se contar tambem o treino.
    Vamos precisar arrumar um lugar na traseira dos formulas com lugar os dizeres da Formula Speed de ago/set de 2006:
    “Tchau Flavio” e “Adio Cerega”.
    Não vai prestar.

  19. Felipe Stahnke disse:

    Qto sera que tá custando uma temporada nessa catgoria?

    • zeduardo disse:

      Fora o equipamento, uns R$ 1500 por prova ou pode alugar por R$2500 mais inscrição R$540

      • Joca disse:

        Qual a motorização?Pneus tem que ser novos a cada prova?Combustível, etanol? CV? Caixa?Injeção original?Freios, com válvula de pressão ou não?

      • Joaquim disse:

        Xará,
        Motor VW 1600 cc a ar, movido a álcool, dupla carburação 32 mm, motor original, com exceção do comando que é o da Kombi injetada. Pneus, rodas e escapamentos são iguais para todo mundo. Pneus radiais, um jogo dá pra fazer a temporada inteira, incluindo treinos. O motor desenvolve em torno de 90 HP brutos para um peso liquido de 450 kg. Freios originais do fusca, a disco na frente, tambor na traseira. Caixa de câmbio e relações de marchas originais VW. Pode mudar a coroa, 8×31, 8×33 ou 8×35 ao gosto do piloto.

  20. disse:

    Jóca Bernie. E o Zullino?

  21. Edu Dias disse:

    Show !!!

    Deu água na boca !!! Dar uma volta inteira em interlagos “brigando” com 1 carro já seria maravilhoso… VÁRIAS VOLTAS DISPUTANDO COM VÁRIOS CARROS É UTOPIA !!!

    Parabéns a todos os pilotos, não só o da câmara on board… pois andaram várias voltas juntos sem se tocar… e na minha opinião, o carro com a câmera on board está com algum lastro… era ultrapassado muito facilmente nas retas… talvez por ter sido o campeão do ano passado, deve ter que andar com um barril de chumbo do lado do banco…

    Abçs

    Edu

  22. Kadu disse:

    Muito legal…!!!!
    Automobilismo à antiga…
    Abcs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>