MENU

segunda-feira, 2 de abril de 2012 - 12:33Dica do dia

DICA DO DIA

Enviado pelo Natanael Guimarães via Twitter, on-board na F-1 ao longo dos anos. Talvez já tenha sido publicado aqui, mas é bem legal.

19 comentários

  1. bara disse:

    O carro do clark tava num trilho ou é impressão?

  2. Burn, Baby Burn... disse:

    Falando em cameras On Board famosas, é impossivel esquecer o Emerson Fitipaldi dando uma voltinha na marginal pinheiros com o Lotuz 72 com direito a uma inédita On Board – http://www.youtube.com/watch?v=We4f59YpFXY

    E também na mesma semana o Emerosn com a mesma Lotus no interlagos atual – http://www.youtube.com/watch?NR=1&feature=endscreen&v=QAKzIOBkILM

    Em 1975 em Monaco Emerson e sua Mc Laren – http://www.youtube.com/watch?v=ijIfMU6ZM7g

    Coisa Linda de se ver, o piloto que inseminou este virus da F1 em todos nos.. Emerson Fittipaldi

    Byeeeeeee

  3. Leandro Ferreira disse:

    Muito interessante o video.
    Se fosse possível, seria interessante que as imagens fossem de um mesmo circuito, como monza ou mônaco. Aí sim teríamos uma noção do quanto os carros evoluiram.

  4. Ronnie Petterson disse:

    Autódromos mais seguros sim. Mas mais rápidos????? Qual evoluiu em velocidade????

    • Spa não é mais rápido? Monza não é mais rápido? Foi em Monza que Montoya bateu o recorde de velocidade da F1, mais de 370km/h. Tem alguns que são chatos, a maioria feito pelo Tilke, mas os demais circuitos são muito bons.

    • Mauricio disse:

      Ei! Cê ta em qual mundo?
      Já fazem alguns anos que os carros de F1 tem a velocidade máxima limitada a 350km/hora.
      Ou seja, não foram os circuitos que evoluíram, mas os carros. Não fosse essa limitação carros com motores Mercedes ou Ferrari já estariam atingindo velocidades acima de 430km/h nas retas de Monza. Os Renault 410~415… Por ai.

      • Eu sei que hoje os carros não chegam mais a 370km/h, eu acompanho a F1 bem de perto pra saber disso. O fato que estou querendo dizer é que além dos carros terem evoluido bastante, ainda existem pistas com retas o suficiente para os carros atingirem grandes velocidades. Não é só o fato da evolução dos carros, mas a evolução das pistas também, que além de estarem mais seguras, também possuem retas longas e curvas de alta velocidade. Mas não vou entrar em discussão, cada um tem um ponto de vista, eu acho que existem circuitos muito rápidos, como Spa, Monza e até Interlagos, já corri em Interlagos e sei as velocidades que podem ser atingidas nas duas retas do circuito.

  5. O legal do vídeo não é só ver a evolução dos carros e do estilo de pilotagem dos pilotos ao longo do tempo, mas também a evolução dos autodromos, que apesar de atualmente existirem alguns bem sem graça, foram ficando mais seguros e rápidos!

    • Mateus disse:

      E tomando a liberdade em acrescentar, mostra também o quão superficiais são os comentários que fulano é ou foi o melhor piloto. Cada época com a sua particularidade, e cada época com seus melhores pilotos. Impossível querer fazer comparações com pilotos de épocas tão distintas como Fangio, Gilles, Lauda, Piquet, Senna, Schumacher etc.

      Mas uma dúvida fica: Ou Fangio amava tanto a vida ao ponto de querer viver cada segundo ao máximo, ou não tinha amor a própria vida.

      De duas, uma certeza: Completamente louco.

      • Pedro disse:

        Concordo plenamente com essa teoria de que cada época teve suas particularidades, porém as comparações são inevitáveis. O que sou contra é dizer que dentre os top fulano foi melhor, cada um foi melhor em um determinado momento e num determinado segmento, podemos dizer que um foi mais arrojado e outro mais técnico, por fim todos estão na história da F1, inclusive Gilles, que mesmo sem titulos e com apenas 6 vitórias na F1 (devido a sua morte precosse), é considerado um dos melhores da história. Obviamente dentro deste contexto escolhemos a cada ano que passa novos “maiores pilotos da história da F1″, e claro que eu sou mais Hamilton e Alonso do que Button por exemplo, pra mim o arronjado sempre será melhor do que o técnico!

      • gilles disse:

        Louco nada, com todo o respeito, repare ele e o Jim Clark, que suavidade para girar o volante com aqueles pneus de “bicicleta!, ele sempre disse, nunca acima do limite, Com todo o respeito a turma de hoje, eles eram “doutores” das pistas.
        Abraços.

      • Burn, Baby Burn... disse:

        caro matheus, concordo com o amigo Gilles, não eram loucos.. eram genios.. sabiam levar o bólido naquele limite exato onde se diferenciam os Ases dos comuns..

        Sem controle de tração, sem tecnologias facilitadoras.. na unha mesmo , automobilismo visceral, organico, humano..
        Sobre humano que craques como Fangio Clark, Gilles, Senna, e claro meu grande idolo piquet fizeram pelos circos F1 de todos os tempos..

        Hoje tá difícil ver coisas assim.. pois tudo é muito certinho, se chove um pouco já entra o pace car, não tem mais embreagem na pedaleira, acabaram-se os punta tacos, hoje tem controle de tração..cambio automático.. tecnologia burra que nivelou todo mundo no mesmo saco de gatos.. ficou difícil selecionar o As do mediano.. muito difícil mesmo..

      • enko disse:

        como sempre defendi essa tese aqui, fico com a resposta do pedro, cada um teve sua época, seu estilo.
        isso de comparar esse com aquele, s´gera polêmica inutil e que não,leva a lugar nenhum;

      • Burn, Baby Burn disse:

        Olá Enko, respeito a sua opinião meu amigo

        Na verdade a polemica não está na comparação entre pilotos, mas na arte de achar quem é Asd e quem não é hoje em dia..

        Me refiro que estas regras e a instação de toda esta tecnologia ao longo do tempo, tirou a oportunidade de um piloto mostrar o seu verdadeiro valor.

        Desde a antiguidade os pilotos “pedalam” seus punta tacos” domando os bólidos nas entradas e sa´pidas de curva.. aí estava o X da questão..
        No video acima é possivel ver um fangio derrapando nas quatro e ver que o argentino era um As, como muitos outros basta achar no youtube videos conexos, e voce irá perceber que nem todos os pilotos dominavam esta arte ao longo décadas, onde só os Ases se destacavam, e se destacava ao olho nú.

        Hoje isso não existe.. se o piloto sair nas quatro vai para a brita, sinal que passou do limite do controle do computador com controle de tração.

        Na verdade não comparei os pilotos de ontem e de hoje apenas gostaria de ver quais pilotos desta safra atual se destacariam despojados da tencologia. Com certeza os resultados seriam surpreendentes..

        Justamente porque o modo “tecno” assistido de pilotar hoje não serve como referencia nenhuma em relação aos estilos de pilotagem básico que atravessou décadas e décadas

        Por exemplo posso comparar a “tocada” de um Prost em relação ao um Villeneuve bastando assistir alguns vídeos em segmentos iguaisem Monaco, afinal éd uma pista que mudou muito pouco a longo dos tempos com excessão da chicane da saida do tunel

        No meto de pilotar antigo “analógico” todos tinham um mesmo problema.. domar a cavalaria nas entradas de curva, mantendo os giros, mantendo a tração, a tangencia trocando as marchas enquanto segurava o volante com uma das mãos, para sair da curva trancionando bem o bólido na base do punta tacos..

        Só isso já permite comparar estilos de pilotagem de Fangio até a fase Senna , mesmo que a velocidade das épocas sejam diferentes.

        Mas então chegamos a amigerada fase famigerada Willians FW Ativa – http://www.youtube.com/watch?v=sjbc1tmKi6g e nada foi igual.. me lembro do Senna fazer uma referencia sobre esta tecnologia “estão tirando das mãos do píloto a responsabilidade da pilotagem”

        Acompanho a formula 1 desde a década de 70, e sei que entre os pilotos atuais tem gente com muito talento, apenas fica impossivel saber quem é quem.. basta o piloto ter um carro bom e será o Vettel da temporada.

        O Pérez é um exemplo disso, fez uma corrida estupenda, poderia ter ganho a corrida, não ganhou porque errou no final da prova, e ganhar de um piloto do nivel do Alonso seria um feito histórico. Entretanto será que ele é melhor que o Alonso por isso?, ou melhor ou igual ao Vettel por isso. E o Vettel é tudo isso mesmo.Que é o Ban Ban ban de hoje?

        Sinceramente hoje eu não sei distinguir O Bota do bom, do médiano e do taxi driver…

        A tecnologia mascara isso, e é justamente disto que eu estou me queixando ha um certo tempo por aqui.

        Quanto ao Péres, parece que agora é a bola da Vez espero que aproveite o reinado q..
        http://www.youtube.com/watch?v=sjbc1tmKi6g

      • Mateus disse:

        Belíssimo comentário.

      • enko disse:

        não quis te atropelar com meu comentário, aliás igual a voce, (soa estranho, m,as como voce não é conversa de homens sérios, rsrsrs). eu tambem defendo os carros de antigamente. eliminava, freio de carbono, limitava asas, pneus e tirava a eletrônica embarcada.

      • Burn, Baby Burn... disse:

        Atropelou não.. grande amigo Enko, acompanho os seus comentários, e eles ten densidade, ao contrário de muitos “paraquedistas por aqui”, e percebo que também está up to date nos problemas da formula 1 de hoje.. tenho certeza que mesmo que encontre outros afiliados do blog fo flavio com pensamentos divergentes, no fundo todos querem ter o prazer de assistir corridas com o talento sendo provado.. e não este 171 tecnológico..e sem graça..

        Valeu brother.. e claro sempre vou respeitar tuas ponderações.. pois também aprendo com elas..

      • Concordo com tudo o que você disse. Realmente não podemos comparar pilotos de épocas diferentes, cada um guiou do seu jeito em sua época e se destacou perante os demais, sendo campeão ou não. Da mesma forma com que Vettel, Button e Alonso tem se destacado nos dias atuais. A F1 viveu épocas totalmente distintas, mas a personalidade de cada piloto se sobressaiu aos demais, por isso são ou foram mitos…

      • Burn, Baby Burn... disse:

        È verdade Renan… é muito bom ver um fora de série em ação.. como um Federer, um Messi, ou um Alonso endiabrado andando mais que seu “bólido esquife”, e vencendo uma prova impossível. A arte é sempre bem vinda no esporte, pois ela nos alimenta o espirito, nos estimula em nossas humildes habilitações mortais..

        Neste domingo por exemplo que assistiu a GP3, teve este prazer, vendo o jovem estreante de 16 anos Romano Fenati com uma moto “não de fábrica e sem patrocínios” caçando o igualmente talentoso Maverick Vinales. Maverick venceu, mas este duelo foi incrivel..

        Em resumo, nós que adoramos esportes a motor, adoramos vivenciar momentos geniais como estes..

        Valeu

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>