LEGIÃO URBANA | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

segunda-feira, 25 de junho de 2012 - 12:29Legião urbana

LEGIÃO URBANA

Uma colada na outra. Tem muita coisa boa rodando por aí… Esse é o Monza Classic numa rara combinação de azul com azul. Obviamente, e todos sabem, é o único carro decente com câmbio automático fabricado no Brasil.

43 comentários

  1. Lucas disse:

    Esse Monza da foto era do meu pai, que o adquiriu em 1990! Esse carro está na família desde zero e hoje me pertence! Tomei até um susto quando vi a placa Rs…
    Pra completar, estou vendendo! Caso interesse, segue meu e-mail: lucassvalente@uol.com.br

    Abs

  2. sandro disse:

    o único problema dos monza era a maioria vir sem ar condicionado, tenho um amigo que comprou 2 zeros na época, um 90 e depois um 93, e nem cogitou o ar condicionado, é que nem opala, fora que achar um a gasolina e com câmbio automático é raridade. estou de olho em um 2 tons de azul, não chama muito a atenção como um opala, mas como disseram aí em cima, guardar pra no futuro será raridade ter um em perfeitas condições…e se bobear taca-lhe placa preta.

  3. PETERSON disse:

    EU ACHO QUE ESSE DA FOTO NÃO É UM 500 EF , PORQUE A BORRACHA DO VIDRO TRAZEIRO ESTA FRISADA , , E OS 500 EF , NÃO TEM O FRISO , NAS BORRACHAS DOS VIDROS , , ESTE PARECE SER UM CLASSIC SE . SAIA E BLUSA ,, EU NUNCA VI 500 EF , SAIA E BLUSA !!!

  4. Eric disse:

    Esse pode ter sido do meu pai.Só para sair um automático, tinha que esperar uns 50 dias…aproveitou a deixa e pediu as duas tonalidades de azul.O carro do véio era 88, o primeiro da serie com essas lanternas.

  5. Aeroman disse:

    Monza Rules! Viu GM? Lembrem como se faz carros decentes

    Porque o parachoque do Monza nunca fica retinho? O do meu 89 tambem tinha as pontas desalinhadas. Nunca consegui acertar.

  6. Daniel Pescadinha disse:

    No início dos anos 90 eu era um adolescente que iniciava sua coleção de revistas automotivas e sonhava em tirar a carteira em futuro próximo e poder guiar as máquinas maravilhosas que eu assistia desfilarem pelas ruas. Em meus sonhos habitavam Escort XR-3 Conversível e Kadett GS ( a linha GSi e Conversível só viriam uns dois anos depois). Mas como todo guri, também sonhava com carros para meu pai – que tinha um humilde Gol “batedeira” LS 81. Para ele sim, eu admirava os carros de “tiozão” e entre eles, habitavam o Santava Execitutivo (ou mesmo o Evidence) e os Monza Classic (normal ou 500 EF). Nas proximidades da minha casa, tinha um vizinho que tinha um “bicolor” em tons que iam do grafite ao marrom… parava o trânsito! Bons tempos aqueles…

  7. Gus disse:

    Creio que a função do tão sublinhado aerofólio seja apenas estética, o carro não têm desempenho suficiente para fazer o ar grudar a traseira no chão através desse artifício.

  8. Enko disse:

    mentira sua, o melhor sem duvida nenhuma foi o,opala fabricado até 87, o cambio utilisado no opala 88 era fraco e não aguentava um motor mais forte.
    aquele aerofólio imitando o monza emerson fittipaldi, foi fabricado pelo meu amigo engenheiro aeronáutico, e com um detalhe: ele realmente funciona, não é igual a essas tranqueiras que se compra nas lojas de tuning.

  9. Mansur. disse:

    Putz, lindão o Monza!

  10. sinval carlos disse:

    sem duvida , lindo carro
    nesta época sem querer desmerecer os outros.
    apesar de não me lembrar dos outros , pois o
    opala vinha em outra categoria.

    Monza e santana , eram os que dominavam ,
    estes carros eram realmente “decentes”

  11. Levi Davet disse:

    O Monza Classic era legal, mas o Santana era melhor…

  12. Felipe S. disse:

    Lindíssimo. Com o perdão tô trocadilho horroroso: Um dos Monza Classic mais “classudos” que já vi.

  13. Luiz Morais disse:

    Não é o único decente não! O meu também é.
    O pior de tudo é que como li em algum comentário daqui mesmo, ontem, esse carro é visto mais como carro de pedreiro do que clássico, sem ter a merecida admiração.

    • Valente disse:

      Infelizmente pelo ano de fabricação e pela quantidade de unidades ainda rodando nas ruas, é chamado de “carro antigo”, e só passa a ser “carro antigo” quando ficarem mais raros.
      Quem tem algum assim precisa guardar e pacientemente esperar “envelhecer” para daí agregar valor financeiro e se tornar um “antigo”, colecionável.

  14. Dalton Costa disse:

    O mais gozado é ve um selo azul de coração da campanha da porto seguro colado nele, táno seguro o dono não é fraco não!!!!! hehehehe

  15. Lula disse:

    Nunca antes na história deste país se usou tanto este chavão de “melhor carro já produzido”.

  16. Valente disse:

    O famoso Monza Classic “saia e blusa”. Esse carro era o máximo nessa época, junto com o Opala DIplomata.

    Esse aerofólio acho que é o que vinha no Monza 500 E.F., a edição comemorativa em homenagem ao Emerson Fittipaldi e a sua primeira vitória nas 500 Milhas de Indianápolis, em 1989.

    • Enko disse:

      valente, voce está corrreto, esse aerofólio vinha apenas no EF 500, mas era vendido,como acessório GM em qualquer concessionária da rede, e como, já comentei; tenho um amigo que o fabricava também cpom ium detalhe: funcionava bem acima dos 80 km/h.

  17. Guest disse:

    Monza Classic com aerofólio?! Esse doeu no fígado!

  18. Mauricio disse:

    Meus Deus do céu!

    O que será que vem depois dessa?

    Em algum momento no tempo ele vai parar de dizer isso….

  19. Carlos Pereira disse:

    Nem é preciso dizer que é um dos mais belos carros já fabricado no Brasil. Muito bom esse carro.

  20. Lucas Carioli disse:

    Uaaaauuuu!!!!!

    Colossal! Monumental! Fumetal!

  21. Bruno disse:

    Curiosa é a placa “DDD” . Decerto porque o dono estava fazendo uma “discagem direta à distância” ao passado quando andava com esse Monza, um dos mais caros do final dos anos 80!

Deixe uma resposta para Carlos Pereira Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>