MENU

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 - 17:11Brasil

CINISMO E INUTILIDADE

SÃO PAULO – A vida nestes tempos é muito estranha. Há um mundo paralelo, este aqui onde você me lê. Muitos físicos e cientistas defendem que uma outra dimensão espaço-tempo é possível, pode ser descrita com fórmulas complicadas que fogem à compreensão de cérebros mal treinados.

Os fatos de Santa Maria, por sua vez, são de fácil compreensão e bem reais. Uma boate com alegada capacidade para mais de mil pessoas (os bombeiros, baseados na metragem da casa, disseram depois que não deveriam entrar mais de 691) com apenas uma saída estreita e distante de quem não estivesse na porta da rua, sem janelas e revestida de material inflamável e tóxico. Jamais poderia ter sido aberta. Mas foi, porque recebeu um alvará de funcionamento um dia. E também um laudo do corpo de bombeiros, que estava em processo de renovação.

São criminosos aqueles que concederam o alvará e os que assinaram o laudo liberando a casa. Assim como criminosos são o arquiteto que a projetou e o engenheiro que executou a obra. E os proprietários, também. Não consigo entender como tantas pessoas envolvidas com a abertura de uma casa noturna possam ter sido capazes de colocá-la em funcionamento dessa maneira. Uma ratoeira. A casa não atende os requisitos mínimos de segurança que não só a lei exige, como também o bom-senso. Não é possível que ninguém — num grupo que tem um funcionário da Prefeitura que dá o alvará, um bombeiro que assina o laudo, um arquiteto que projeta, um engenheiro que constrói, proprietários que ganham dinheiro com o negócio — tenha, em algum momento, se perguntado: e se acontecer algo? Por onde saem as pessoas? Quais os riscos? Por que não havia iluminação de emergência? Por que os extintores não funcionavam? Por que permitir a entrada de 1.500 pessoas onde cabem 691? Pagou-se propina? A ideia foi economizar? Ignorar as leis, as recomendações? Como, me pergunto, alguém é capaz de conceber um lugar assim e abri-lo, enchê-lo de jovens, com mais do que o dobro de sua capacidade?

A cadeia de pessoas para ser responsabilizada não é pequena. E passa, claro, pela idiotice explícita da banda com seu show pirotécnico. Como é que alguém pode disparar artefatos que produzem fogo, faísca e fagulhas num ambiente fechado, seja ele qual for, tenha ele o tamanho que tiver?

É fácil, pois, descrever as causas do acidente e compreender por que ele aconteceu. Não há muita dificuldade para entender que o descaso, a negligência, a ganância, a burrice, isso tudo junto causou o incêndio e as mortes. Não há como fiscalizar tudo. Não há como fiscalizar a ausência de caráter das pessoas, nem seu grau de imbecilidade. Não são os governos que devem ser culpados nesse caso. São as pessoas, muitas delas abrigadas em governos, que não cumpriram com a obrigação maior de qualquer ser humano: a de ser uma pessoa de bem.

Gente que conhece os caminhos tortuosos da burocracia brasileira, como meu amigo André Barcinski, relata a crueldade do sistema, que acaba levando o mais puro dos monges a perder a paciência para abrir um negócio qualquer — e, em algum momento, a compostura, transformando-se num corruptor. Porque é quase uma regra nacional: o serviço público é contaminado pela corrupção e infestado de corruptos.

Mas há também aqueles que abreviam esses caminhos e fazem ligação direta com a corrupção. Pagam por fora, conseguem seus alvarás, não cumprem lei nenhuma e foda-se. Igualam-se ao pior dos corruptos. Você, certamente, conhece um.

Mas, insisto, não há como fiscalizar o caráter das pessoas. Eu sempre ouvi essas histórias, depoimentos de pessoas que afirmam, com todas as letras, que “se não pagar, não consegue”. Não consegue abrir um bar, um café, uma oficina, uma loja. Mas na minha santa ingenuidade, sempre imaginei antídotos para os corruptos. Eu, por exemplo, se fosse abrir um bar, requisitaria a legislação e cumpriria à risca cada item exigido. No dia da vistoria definitiva, montaria câmeras, contrataria cinegrafistas e acompanharia o fiscal metro a metro em sua fiscalização, com a lei numa mão e um microfone na outra.

Ninguém faz isso. As pessoas se rendem ao que consideram inevitável. Alguém vai me pedir propina. Alguém vai me extorquir. E a roda da putaria não para de girar.

Desviei-me do assunto, eu queria falar destes tempos estranhos. Já vou terminar.

Como muita gente faz hoje em dia, segui os acontecimentos de ontem por todos os meios disponíveis, entre eles as redes sociais — Twitter e Facebook. E é, realmente, estarrecedor como este mundo virtual abriu as portas para que gente nem tão virtual assim exponha o pior do ser humano. Ferramentas geniais — considero todas essas coisas que a internet criou geniais, espantosas —, que poderiam ser tão úteis e ricas, acabam se transformando em megafones propagadores da iniquidade e da demência. O blogueiro Marcel Dias, do “Diário do Nordeste”, escreveu sobre a inutilidade que tomou conta das redes sociais e de como tal inutilidade se mostrou clara ontem. “Seja qual for a rede social, repleta de pessoas, o comportamento do organismo funcionará da mesma forma como funciona aqui, fora dos computadores. O meio virtual apenas ‘digitaliza’ o caráter das pessoas. Por maior que seja o fingimento, o comportamento apresentado é real”, diz Marcel. Na mosca. Quem tiver estômago pode comprovar o que escreve o blogueiro nesta página do Orkut, outra rede social (tomara que já tenham eliminado o link, não é possível que o Google, dono desse negócio, permita que isso se mantenha no ar). Está tudo fora de controle.

Essa contaminação do mundo real pelo mundo virtual, talvez essa nova dimensão espaço-tempo que os cientistas descrevem com equações e algoritmos quando bastaria visitar uma lan-house, se dá em todas as frentes e desconfio que há pessoas que já não concebem mais a vida sem ele. Uma geração que definhará sem uma conexão wi-fi, sem um iPhone, sem um botão de “like”.

E isso é perigoso. Essa geração, hoje, se senta diante de um teclado e comete insanidades como a do perfil do jornal “O Estado de S.Paulo” no Twitter ontem, que em meio à contagem dos mortes conclamava seus seguidores a procurarem perfis das vítimas no Facebook.

Difícil imaginar cinismo maior. Difícil imaginar tamanha desconexão com a realidade. Há quem chame isso de “jornalismo participativo”, ou “interatividade”. O mundo em que tudo se compartilha e se curte.

Acho apenas que estamos ficando todos loucos.

114 comentários

  1. Bruno disse:

    Acho que alguém resolveu tomar providências e excluiram a tal comunidade. Afinal o que tinha nela?

  2. pc disse:

    Nove dos dez teatros municipais do RIO funcionam na ilegalidade. Tá no OGLOBO de hoje. E os caras vão tomar as providencias em todo o Brasil. Acreditas em mula sem cabeça? E no boi tátá? E no saci-perêrê?

  3. pc disse:

    Os estadios franceses construidos para a copa98 foram projetados usando simulação computacional para se alocar as portas e corredores. O povo sai tranquilamento em poucos minutos. Aviões são projetados para que em caso de incendio todos saiam em poucos segundos. E isso é testado posteriormente e cronometrado. As ratoeiras são como os antigos puteiros que se encontravam em beira de estrada. Voce ia porque os hormonios estão a mil e que se fodam a gonorréia e que tais. No meu tempo o máximo era o cancro e a sífilis. Aqui na minha cidade, Alegre-ES, todo ano tem um festival de musica onde aparecem esses horrorosos da extinta MPB (Ivete e sertanejos), e tudo se passa numa arena feita pra rodeio sem a menor segurança. O pronto socorro socorre com dinheiro publico, os caras em comas alcolicos e as mulheres estupradas ao longo do coma alcolico e vida que segue. O dia que der merda, é Deus que quis, Jesus levou pra junto do cacete. A estupidez das pessoas que frequentam estes eventos é cavalar e o comportamento de risco só pode ser explicado por testosterona e estrogenio, não necessáriamente nesta ordem. O problema é que tem lei pra tudo, mas ninguém está disposto a cumpri-las a não ser que seja beneficiado. Outra coisa é, como numa questão técnica, um bombeiro ou um funcionário de prefeitura vai dar um laudo se o que o laudo que garante Deus e o mundo, não foi testado. Não é testado, porque não interessa a ninguem e desgraças e tragédias ficam baratas neste país. Vamos ver por quanto tempo a imprensa vai falar desta depois do carnaval. Daqui a dois anos, os unicos que se lembrarão serão os pais, as mães e demais parentes das vitimas. Daqui a dez anos, quando forem a julgamento, os caras vão ficar em cela especial se tiverem curso superior e pagarão cestas básicas ao longo de um ano. E a Dilma reeleita, continuará ensinando aos europeus, como se deve fazer para resolver os problemas economicos. E Deus, bem, Deus continuará a se preocupar com coisas mais interessantes, como gerar novos universos.

  4. Paulo Roberto Barbosa disse:

    Sou um simples operário grafico,mas não precisa ser engenheiro ou arquiteto,para saber que mil pessoas mesmo sendo jovens,não conseguiria passar em uma porta estreita,num tempo minimo suficiente para escapar de um incendio,se quem projetou este prédio parasse um segundo pra pensar ele lembraria que lugares fechados,que tem aglomeração de pessoas tem que ter portas largas de saida rápida caso houver um tumulto,curto circuito ou quaquer coisa que provoque panico,e pior foi aquele que assinou o alvará,liberando este absurdo.

    • Ubaldir Jr. disse:

      O normal é que boates e casas noturnas sequer tenham sido projetadas para tal fim. Via de regra se trata de um galpão onde se adaptam estruturas para que funcionem como casa de dança. Eu mesmo me não me lembro neste momento de ter visto uma casa noturna que já nasceu casa noturna. Se pra construir algo já se fazem absurdos, imagine com as adaptações…

  5. Marcio Marucci disse:

    Excelente matéria Jornalista Flávio.
    No fundo, é a tal crise de valores; a rapaziada está sendo engolida pelo consumismo; são presas fáceis para um “estilo” de vida ditado por alguns. É o estilo de vida estimulado pelas sub-celebridades BBB da vida, pelos “sertanejos universitários”, pelos livros “cabeça” do “mago” Paulo Coelho,…e pela “opa irada” rede social (ah, o “face”)!!!
    Sou pai de duas filhas adolescentes e travo batalhas diuturnas contra os emgabeladores do marketing, que não sei onde aprenderam, mas tenho certeza de que nunca ouviram falar em ética ou “coisas” que tais. O negócio é vender: telefone, carro, computador, camisinha, virgindade, religião, voto,…..tudo sem pudor! E com o diário envenenamento da alma, praticado pela grande imprensa, pronto, tá tudo dominado!!!!

  6. JOSÉ MARIA MIRANDA TENÓRIO disse:

    Fiz o meu papel de ser humano e cidadão, denunciei o dono daquele maldito perfil no acho que todos deveriamos combater tal pratica.

  7. Claudio Arantes disse:

    Flávio
    Sou arquiteto e trabalho com casas noturnas há 25 anos. De cinco anos para cá, tenho me dedicado à acústica. Sempre houve um grande desconhecimento geral sobre esse tema no Brasil. Ninguém conhece nada do assunto, das construtoras de apartamentos de alto padrão (estas querem distância dos profissionais de acústica, já que um apartamento tratado acusticamente é exatamente igual a um sem, portanto difícil de repassar o custo para o comprador), dos mais ilustrados aos profissionais que vendem este tipo de tratamento.
    O material usado nessa casa noturna de S. Maria é vendido (aliás, um dos mais vendido no país) como tratamento acústico para tudo quanto é fim, devido à cultura da “caixa de ovo”. Seu uso correto, simplificando, está em atenuar a reverberação interna dos ruídos no ambiente. Esta é a sua única propriedade acústica. Altamente inflamável (espuma de derivados de petróleo), foi criado para estúdios de som e de ensaios, ou outros locais de uso controlado. Já vi esse material em cabines de gerador e salas de quadros elétricos em hospitais de luxo e grandes centros laboratoriais de alto nível que pegaram fogo, expondo a todos a riscos altos.
    Verificando fotos do local depois da tragédia (veja a foto em anexo, publicado no site do IG) esse material foi aplicado em tudo, inclusive na parede de fechamento e pequenos pilares dos caixas, talvez para efeitos decorativos. Olha o nível da ignorância geral.
    Os materiais específicos para controle de ruídos de dentro para fora ( tratamento fundamental em uma casa noturna) e os que corrigem a qualidade do som interno, são caros e devem ser aplicados quando a obra está no “osso”, como dizemos. Nas reformas de casas noturnas em espaços existentes criados para outros fins, os proprietários sempre me acham um tipo de maluco perdulário, quando proponho meus orçamentos e normalmente, meu trabalho é dispensado, já que me recuso a fazer um” truque”.
    Quanto à configuração da Kiss, deve estar dentro das “normas” exigidas por órgãos públicos. Pedem uma soma do tamanho de saídas que resultem x centímetros para um determinado grupo de frequentadores. Neste caso, 4,00 metros lineares para 691 pessoas. Pelo que entendi, essa casa tinha perto de 600,00m2 de área. Tirando estruturas, equipamentos e mobiliário, talvez 480,00m2, o que dá 1,43 pessoas por m2. O órgão oficial então determina esse número para o alvará. Agora, vai dizer para o dono de um espaço desses que ele tem que por , no máximo, 1,43 pessoas por m2. O normal é ver lugares com 5 pessoas por m2 .
    Os frequentadores gostam do “baffon” e um lugar de 480m2 com 1,4 pessoas por m2 é considerado vazio.
    Então fica claro que as normas devem ser revistas e devem contemplar a realidade existente, o tal “baffon” com 4 a 5 pessoas por m2 e exigir mais centimetragem de saídas por grupo de pessoas e tratamento acústico correto.
    Claudio

    • Ubaldir Jr. disse:

      É, meu amigo Cláudio, o que você disse resume tudo. O nosso problema é muito, muito grande. É cultural. Sou engenheiro, e sem bem do que você fala. Acho que poucas profissões no mundo são tão colocadas à prova em sua importância como as nossas. No nosso país, todo mundo se acha meio engenheiro e meio arquiteto. Ainda está por chegar o dia em que o brasileiro entenderá a importância do conhecimento específico quando o assunto é uma construção ou o projeto dela. A velha cultura de se fazer “puxadinho” com a contratação de um pedreiro qualquer que determina até quantos ferros vão dentro de cada viga ou pilar é uma tradição que sabe Deus quantos anos ainda levaremos para dizimar. “Aqui em cima pode até colocar mais dois andares que aguenta”, é o lema do pedreiro prático quando se orgulha de sua obra… e o brasileiro besta cai na conversa, se achando o mais feliz dos proprietários por ter feito uma casa de um andar que aguenta três, mesmo que nunca se vá colocar sequer uma casa de cachorro lá em cima.
      Se é assim com as técnicas básicas de construção, que dirá de algo tão específico quanto isolamento acústico. E tome “cartela de ovo” pra isolar ambiente…. é uma lástima.

      • JT disse:

        Arquitetos e engenheiros são tratados por muitos como meros “despachantes de plantas” na prefeitura. Só contratam em algum momento quando é obrigatório.

        Certa vez, uma dona de salão de festas me chamou para fazer um orçamento de projeto de reforma. Chegando lá ela só queria um desenho bonitinho para a fachada. Respondi que o problema dela não era a fachada, mas que ela precisava instalar extintores de incêndio e abrir, pelo menos, umas oito janelas de ventilação na lateral do prédio.

        A mulher espumou de raiva e fui embora. Não fiz o trabalho, mas tempos depois as janelas foram abertas. A fachada continua igual.

  8. Lênio disse:

    sabias palavras meu caro…

  9. ► “São os homens e não as leis que precisam mudar. Quando os homens forem bons, melhores serão as leis. Quando os homens forem sábios, as leis, por desnecessárias, deixarão de existir. Mas isto será possível somente quando as leis estiverem escritas e atuantes no coração de cada um de nós”

    Hermógenes

  10. Claudia Zocoli disse:

    Lamentável que sejam os caminhos da dor a levarnos a evolução…que possamos como indivíduos mudar este quadro,agindo com nosso máximo de coerência,ética,lucidez…falta-me eloquência para continuar.Tenho feito o possível para emitir bons fluidos ao universo,conscientemente reciclando as queixas e lamentações do momento.Conto com forças que não são minhas mas das quais me aproprio para manter a alegria em viver com humana.Bom dia.

  11. Ubaldir Jr. disse:

    Essas tragédias têm o mesmo princípio de um acidente de avião: nunca é uma, a causa. É sempre uma cadeia de fatores que, em uma improvável combinação, acabam se unindo e produzindo uma catástrofe deste tamanho.
    Eu não consigo nem ficar vendo o noticiário. Acho que ninguém que é pai consegue. Basta eu ver qualquer pai dando algum depoimento pra vir um nó na garganta e meus olhos se encherem de lágrimas.
    Uma pena tudo o que aconteceu. Pena maior ainda que existem algumas centenas de milhares de “ratoeiras” como a boate Kiss espalhadas nesse Brasil afora, prontas para produzir tragédias de igual ou pior proporção. Pena que nossa sociedade apenas se especializou em procurar culpados após o estrago feito. Imprensa, governos, judiciário, MP’s… Preveni-los não é nosso forte. Nunca foi. Tenho a opinião de que estruir a vida dos que foram imprevidentes no caso apenas cria mais algumas famílias destroçadas pela tragédia. Não vai minimizar nenhum pouco a dor dos familiares de quem morreu no incêndio. Não vai resolver o problema de existência de locais de aglomeração de pessoas que não têm a mínima segurança para tal uso. Só vai encher o bolso de alguns advogados e alimentar a “máquina de moer gente” que é o nosso sistema judiciário. Não sei se essa cultura extremamente vingativa a qual é o caminho que nossa sociedade acabou trilhando seja algo positivo para tornar nossas vidas melhores. Me parece que falta algo para que possamos começar a chamar esse país de civilizado.

  12. Maria Helena Scheibe Frusciante disse:

    E, eu tenho meus 70 anos feitos e posso ver como tudo mudou,minha sogra, italiana dizia, mudou brutamente, per pégio, non per méglio!!! A célula “MATER” da sociedade, QUE ERA A FAMÍLIA, trocou-se pela máquina, que educa, não da limites, pode fazer de tudo(virtualmente)correr a 200km por hora, matar a vontade destruir, montar ,desmontar, sem penalidades nenhuma ! Crianças que nem aprenderam ainda a fazer pipi e cocô, já andam matando em computador,e vendo desenhos de sacanagens das mais incríveis. Outro dia me irritei com o personagem cascão(tenho que rir) acheio no chão e falei para o meu neto; Hoje vou dar um banho nele,levei até a pia do banheiro e o lavei com sabonete,e dei para o meu netinho,bem cheiroso ! Me surpreendi. com o resultado, ele contava para todos que eu dei um banho no cascão!!! Bem, a gente tem que brincar também. Mas se “dizia” que a família era a célula “mater” da sociedade, ali, deviam ser educada as crianças, respeitando os mais velhos, que hoje em dia nem são cumprimentados…Os pais compram tv para os filhos ou não podem ver seus programas pois os filhos se adonam de tudo e se irritam e da “piripaque” se não fazem o que querem. Ficam brincando no computador e os pais esperando para fazer seu trabalho… Não é para bater, nem mandar ajudar,criam-se uns parasitas… Eu fui cuidar dos meus netinhos, isto é;cada um num computador e eu na televisão, tudo em santo silêncio !!!Ao meio dia fiz panquecas para eles, e ensinei, me ajudaram, a na hora que comiam, tentei incutir um pouco de segurança e fé lendo e explicando o Salmo de proteção(91),pois estavam muito tristes com o acontecimento em Santa Maria. Mas escrevi isto pensando em ser útil e pedir, que se detenham um pouco em seus lares, ensinando seus filhos a obedecerem os pais, cumprimentarem as pessoas e respeitarem os mais velhos,procurar que os problemas sejam resolvidos em suas casas que, depois em sociedade, é uma continuação do que foi educado em família, E claro também que esperamos muito das escolas durante o desenvolvimento de nossos filhos, netos e parentes. Por isto a importância de ótimos e competentes professores e que o governo direcionem as verbas dos altos impostos aos lugares a que elas se destinam para que não venham a faltar recursos para a formação de cidadaos e não de ladrões; e é isto ai gente, queremos acertar, e que Deus nos dê muita lucidês sabedoria fé e paciência !!!!

  13. Luciano Vido disse:

    Gostei. Lamento a tragédia .

  14. Claudio disse:

    Só uma pergunta: o que faremos pra mudar isso ?

  15. Jr. disse:

    Flavio, acabei de acessar o orkut (29/01 às 19:44), e continua a comunidade lá. Já fiz a minha parte. Denunciei.

    O que aconteceu, e muito, também, é uns imbecis jogarem a culpa na presidenta, no Lula… Eu não sei onde esse mundo vai parar.

  16. Ecco da Pedra disse:

    Houvesse apenas um réu confesso, um louco palhaço do circo, um serial killer qualquer que não gostasse de musica sertaneja, ainda mais com sotaque de gaúcho… e tocou fogo em tudo… teria sido ele o responsável por mais de duzentas mortes… Certo? Pois então… Pelas nossas absurdas leis ele cumpriria a mesma pena que outro animal qualquer que tivesse morto em um latrocínio, digamos 5 pessoas… (Menos do que isso sai bem antes do que isso, devido a tal progressão de 1/6 da pena…) Trinta anos de cadeia é o limite máximo ainda não ajustado de encarceramento fechado… Logo fossem mil a morrer… um estádio de futebol ou todos eles… seriam apenas 30 anos… Se entrasse com 21 anos (não vamos nem falar no “di menor”…) saria com 51 anos de idade para ter a boa ideia de escrever um livro sob como matou tanta gente, um best seler que ajudaria na pensão dos filhos que poderia ter feito enquanto preso, porque tinha direito a visita íntima semanal… assim como que para legalmente espalhar seus genes degenerados (alguém ainda duvida disso? ainda pensam que é só o software que causa a encrenca? que não vem nada do hardware?)…

    Por que o brasileiro convive com essa loucura da impunidade? Porque as leis são feitas para proteger e isolar os degraus de cima. Não levam em consideração que é preciso ter dinheiro para tudo ter uma segurança de país escandinavo e gelado… a coisa é feita no mundo da fantasia, o povo aceita, é místico, acredita em todos os papais, o noel e o do céu… O jeito é subornar… Criou-se uma cultura já secular… Todos possuem um telhado de vidro em seu puxadinho feito sem licença da prefeitura… Todos compram do Paraguai, todos praticam caixa dois, todos dão um jeitinho qualquer, seja apenas para pagar menos, seja para ter alguma chance qualquer. Imaginemos então os piores bandidos… aqueles do congresso na hora de exigirem uma reforma do código penal…

  17. Paulo disse:

    A tragédia que deixou mais de 230 mortos em Santa Maria, no sul do Brasil, pode servir para “despertar” o país, segundo reportagem publicada na segunda-feira no site da revista norte-americana Time. A publicação alega que o incêndio aconteceu “em um momento em que o Brasil pode incluir um pouco menos de samba e um pouco mais de sobriedade na hora de avaliar a situação em que está e o que está fazendo”, diz. O texto faz referência ao desenvolvimento recente na economia brasileira e aos problemas que o país ainda enfrenta, incluindo a desaceleração registrada em 2012 – o país “ainda tem que levar mais a sério as reformas estruturais”. Um dos focos das reformas, diz a Time, é um trabalho para que a justiça brasileira tenha um melhor funcionamento em todas as esferas. “Se o Brasil quiser ser o tipo de país em que simples donos de uma pequena boate em Santa Maria temem as leis, ele precisa ser o tipo de país em que grandes nomes da política em Brasília temem as leis”, diz. O mesmo vale para a economia e a educação, considerando que o Brasil precisa trabalhar mais para formar cientistas e engenheiros para continuar se desenvolvendo. Se isso acontecer, “então o futuro positivo do Brasil pode surgir das cinzas de Santa Maria.”

  18. Mauricio disse:

    Está nos cometários ao post do Barsinsk, referenciados por você no texto.
    Realmente somo muito idiotas.
    http://blogs.ft.com/beyond-brics/2013/01/28/brazil-club-fire-idiocy-and-progress/#axzz2JIEaWeOl

  19. Mauricio disse:

    Flávio, seu lado jornalista continua impecável. Seu texto é ótimo e toca no ponto.

    Acrescento a mais: Hoje as notícias pontam que os donos da tal boate subtraíram provas e alteraram a cena do crime para que as apurações não sejam feitas com o devido rigor. Ou seja, as coisas se encaminham para que os culpados sejam inocentados ou seja muito difícil estabelecer a culpa.

    Quanto a internet, Realmente as ferramentas de informática são maravilhosas, as que estão disponíveis na rede então são ainda mais. Não gosto de algumas delas pois devassam demais sua vida e sou um adepto ferrenho da privacidade. Porém, o computador é uma ferramenta para ampliar o potencial de seu cérebro. Se o usuário é um ignorante, o resultado será a ampliação dessa ignorância. É o caso da comunidade que você apontou em seu post. É nojenta!

    Pior ainda foi ver hoje pela manhã o comandante do corpo de bombeiros de Santa Maria tentando justificar que a tal boate foi construída de acordo com as regras da ABNT! Sou engenheiro e sei que não foi nem de longe feito assim. Os repórteres quase perderam a calma durante a entrevista, coisa rara de se ver na Globo. Eles perceberam a tentativa de justificar o injustificável. A desfaçatez do indivíduo em mentir desbragadamente diante das câmeras.

    Nesse momento eu rezo pedindo que os incompetentes ignorantes que causaram essa tragédia sejam punidos. Punidos com o máximo rigor. Se não pela lei, que o sejam pela vida também. Criaturas como essas não merecem um segundo sequer de repouso ou tranquilidade.

  20. LEONELA HELENA disse:

    Te dou razão em parte. Vivemos num País que é “Terra de Malboro”. Um País que “tinha tudo pra ser…Mas não é!” (Vá estudar a Hitória do Brasil e ver desde a malfadada descoberta e a colonização e aí por diante, porque é através do conhecimento que deveriamos aprender com os erros) Mas daí a você culpar DEUS!?! Aí tu passou da conta e da medida meu caro! Não sou ninguém pra justificar ao CRIADOR…Mas posso opinar sobre a “criatura” que é você! Tão IMPERFEITO como todos nós…E na hora do AI AI AI AI ou da DOR até um ATEU (como tu pelo jeito), JA VI E OUVI CLAMANDO POR ELE…Pra tudo EXISTE limite! Tenho o meu CREDO, mas respeito TODOS. Esse foi o teu Pecado nos POBRES JOVENS…Que, na verdade, eram J O V E N S, como eu tu fomos um dia! Se você queria POLÊMICA COMO “BOM JORNALISTA” CONSEGUISTE!

  21. Fernanda disse:

    Flávio, é engraçado vc falar

    Mas, insisto, não há como fiscalizar o caráter das pessoas. “Eu sempre ouvi essas histórias, depoimentos de pessoas que afirmam, com todas as letras, que “se não pagar, não consegue”. ”

    Vc arrumar camiseta, boné, chaveiro ou sei lá o que de equipe de Fórmula 1 pro diretor do Detran pra “conseguir” uma placa pro seu carro, não é corrupção?

    O título tá certinho, é muito cinismo mesmo.

    • Flavio Gomes disse:

      Eu não dei um boné de presente ao meu amigo do Detran para conseguir um alvará, nem para legalizar um carro ilegal. Pedi, apenas, uma placa com o ano do carro. Não creio que sua comparação faça algum sentido. Hoje, por exemplo, as operadoras de telefonia celular te oferecem números legais. Não há corrupção nenhuma aí. Não fale merda. Se não tem nada a dizer, como sempre sugiro, não diga nada.

  22. J Fernando disse:

    Aquela porcaria no orkut, pelo menos eu denunciei.
    Espero que o Google aja e retire a página do ar, porque até este momento ela continuava lá.

  23. Fabio Tust disse:

    Ótimo texto. Grande a tragédia. Eu (34 anos) fiquei lembrando de quantas festas fui enquanto cursava a universidade e de como eram inseguros estes lugares. Esta tragédia já estava desenhada em vários lugares, há muito tempo, só não aconteceu antes por que um ou outro ato não foi concluído.

    Me chamou muito a atenção a xenofobia nos comentários do twitter. Uma menina gaúcha questionando o porquê da tragédia não ter ocorrido no norte ou nordeste do país aonde as pessoas não são inteligentes. Ou mesmo a expressão #chupasul que foi um dos principais tópicos do twitter durante o domingo.

    Aquele evento do menino negro expulso da loja da BMW no Rio de Janeiro (http://migre.me/d1Brm) já havia mostrado como o preconceito racial está enraizado no brasileiro. Também os vários espancamentos de homossexuais nos últimos meses mostram que a homofobia é muito preocupante no país. O que sabemos agora é que também somos xenófobos. Triste, muito triste olhar embaixo do tapete do cinismo e ver como é podre a cabeça de muitos no Brasil.

  24. Ulisses disse:

    Flávio, também estão dizendo que não existe uma legislação nacional sobre o tema “prevenção e combate a incêndios”.
    Na falta dessa legislação, temos as normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).
    Norma é o documento técnico que estabelece as regras e características mínimas que determinado produto, serviço ou processo deve cumprir.
    Normas são um auxílio, uma fonte de consulta, pesquisa e informação bastante útil para profissionais que são inteligentes e procuram trabalhar sempre dentro da “boa técnica”.
    As Normas Brasileiras regulamentadoras sobre o tema:

    NBR 9077 – Saídas de Emergências em Edifícios,
    NBR 5627 – Exigências particulares a obras de concreto armado,
    NBR 9442 – Materiais de construção,
    NBR 1174 – Porta corta-fogo.
    As instalações para proteção contra incêndios são regulamentadas pelas normas da ABNT referente a instalação e manutenção de sistemas de proteção.
    NBR 7532 – Classes de incêndios e extintores,
    NBR 13714 – Instalações hidráulicas de hidrantes,
    NBR 10987 – Proteção Contra Incendios, chuveiros automáticos
    NBR 10898 – Sistema de iluminação de emergência.
    NR 23 – Norma Regulamentadora 23 do Ministério do Trabalho.

    Cada estado possui sua legislação específica de combate a incêndios. No caso do RS é a Lei 10.987/97

    Órgão fiscalizador
    Em cada Estado da federação a fiscalização é responsabilidade do Corpo de Bombeiros local vistoriar e verificar se as normas técnicas estão sendo cumpridas para a devida segurança das pessoas.
    Qualquer obra a ser executada e/ou reformada, deve ainda na fase de projeto ser submetida aos engenheiros ou arquitetos do quadro técnico do Corpo de Bombeiros, para obtenção da licença de funcionamento.
    Existem também as leis municipais daquela cidade, que eu desconheço, mas acredito de deva ter algum parágrafo que se refira a sistemas de ventilação natural e mecânico para edifícios comerciais, salão de festas, etc ….

    Eu acredito que, se essas leis e normas existentes, tivessem sido respeitadas, minimamente, essa tragédia seria evitada.

    A pergunta que se faz também é:
    – Onde estava a Fiscalização?
    Até agora, só se falou em “proprietários” e “banda” … afinal, se pagamos os impostos mais caros do mundo, dentre outras coisas, eles também pagam os salários de quem deveria fazer esse tipo de fiscalização!

    • Hamilton Costa disse:

      As NBR são as bases para a concepção de projetos de quaisquer naturezas. Se a casa em questão não estava de acordo, está claro que há responsabilidade técnica no ocorrido. Logico que há a questão das formas de liberação do local para funcionamento, o que deverá ser investigado devido às proporções do desastre, e à exposição massiva à mídia. Compartilho da perplexidade do Flávio, há coisas acontecendo que desafiam a nossa compreensão, e nos envergonha como brasileiros e seres humanos…

      • Ulisses disse:

        Hamilton, eu também concordo com FG.
        Mas acredito também que falta coragem e disposição de todos nós no país, para se discutir com seriedade essa enorme crise moral e/ou ética em que vivemos atualmente. Essa preguiça em lidar com a “tentativa” de se encontrar uma solução para o problema (que passa invariavelmente pela Justiça), é sim inexplicável.

    • João Daniel disse:

      A legislação do estado do Rio Grande do Sul é baseada nas normas da ABNT. Só que algumas, como a citada NBR 9077 é de 1993, embora revalidada em 2001. Sua atualização está parada há mais de três anos. Não há interesse de nenhum fabricante, a norma não anda. Nela consta que o prédio deve ter duas saídas, só que não especifica a distância entre elas. Daí vem o jeitinho brasileiro que coloca uma porta ao lado da outra. Agora não há legislação que funcione quando um proprietário coloca num prédio com população declarada de 600 pessoas quase 2.000. E quando coloca material isolante acústico altamente inflamável. Junte-se a isto uma banda com miolos fracos ao ponto de utilizar fogos de artifício num show. Morte anunciada pois, como disse, em todos os shows utilizávamos…
      Agora a Prefeitura diz que o alvará é competência dos bombeiros, como se a construção não tenha nada a ver com as secretarias de obras.

  25. Conrado FA disse:

    “Não há como fiscalizar a ausência de caráter das pessoas, nem seu grau de imbecilidade. Não são os governos que devem ser culpados nesse caso. São as pessoas, muitas delas abrigadas em governos, que não cumpriram com a obrigação maior de qualquer ser humano: a de ser uma pessoa de bem.”
    -
    Na realidade, penso que a raíz do problema é justamente esse que vc diz que não tem como fiscalizar. É evidente que dá pra fiscalizar. Chama-se “EDUCAÇÃO”. E é por isso que o governo tambem tem BOA parcela de culpa neste incidente. É justamente essa base que cria o “bom senso”; que desenvolve a “personalidade”; o caráter “questionador”; a curiosidade; o conhecimento e que, principalmente, aniquila a burrice e o egocentrismo.
    -
    Como se uma pessoa de bem, se vc não pensa nos que estão ao seu redor?!
    -
    Como esperar que esses valores venham de famílias, pais e mães, se estas mesmas pessoas não tiveram acesso à educação de qualidade? É uma grande bola de neve. O descaso é fruto da burrice. Ignorancia todos temos com muitos assuntos. Mas burrice é o grande problema.
    -
    Com isso, fica faltando a humanidade básica para o ser humano entender a diferença entre a agonia e a vontade de dar o calote, que os seguranças demoraram para notar.
    -
    Ninguem mais olha nos olhos e/ou compreende eles.

  26. Meu pai tem um posto de gasolina. Demorou 8 anos (!) para conseguir uma licença ambiental do município da Serra – ES. Tudo no posto foi feito à risca, de acordo com todas as legislações vigentes. Inclusive, foram feitas obras e reformas que não eram necessárias, de acordo com as leis. Limpeza e tratamento da água fluvial, plano de impacto ambiental, mudança de estrutura, utilização de materiais e produtos biodegradáveis, treinamento de toda a equipe, proteção do solo para que não haja contaminação por produtos derivados de petróleo e por aí vai.
    O poder executivo da Serra fez de tudo para que o posto não conseguisse a liberação. Criou-se uma série de dificuldades, quase que ficando impossível de continuar com o negócio.
    Depois de tudo liberado, tudo checado, eles demoraram 8 anos para emitirem o certificado. Outros proprietários não fizeram nem 1/3 do que foi realizado lá e conseguiram o documento em questão de meses.
    Sabe como?
    Ah, você sabe.
    Abraços

  27. Excelente artigo Flávio.
    Concordo em todos os sentidos.
    Só lamento que após vinte anos de ditadura militar, esta foi substituída pela ditadura da ignorância.
    Esse autêntico “Festival de Besteiras que Assolam o País” como diria o grande Stanislaw Ponte Preta, é reflexo direto da ditadura da ignorância a que estamos submetidos hoje.
    Sobreviveremos?

  28. Daniel Montes disse:

    Na mosca, Flavio. Basta adentrar ao mundo virtual que precebe-se a revelação do lado mais sombrio da personalidade humana.

    Todos nós estamos a caminho da loucura!

  29. Jarzombek disse:

    Duas coisas me impressionam: 1) O oportunismo dos políticos que surgem nessas horas para “prestar solidariedade”, mas que só querem aparecer. De que adianta políticos irem até a cidade, discursar lamentando o ocorrido e etc? Não resolve nada. Eles só querem aproveitar a chance de aparecer. 2) O sensacionalismo da mídia, principalmente das emissoras de televisão. Qual a necessidade de mostrar imagens de corpos das vítimas espalhados pelo chão? E os repórteres que insistem em entrevistar parentes e amigos das vítimas, mostram gente desesperada, chorando… Para quê isso? Esses repórteres só querem usar o sofrimento alheio para ganhar audiência. Nessa hora os parentes precisam de paz para que, pouco a pouco, possam se recuperar desse grande sofrimento. Definitivamente não precisam de repórteres ou políticos enchendo o saco.

  30. Hiperfanauto disse:

    Bom dia Flavio,

    Acertou na môsca ….. lamentavelmente a desconexão com a realidade se fará cada vez mais presente.

  31. Paulo disse:

    Flávio, o pior de tudo é que apesar de tanta negligência, acredito que ainda assim a casa noturna poderia estar funcionando legalmente, claro, em razão da legislação ser uma merda. Talvez a legislação municipal não exigia mais do que a “ratoeira” a que vc se referiu.

  32. fernando duarte amaral disse:

    Viu so ??? Ontem achei o texto, pobres jovens, estranho…ja hoje, este aqui pelo menos, esta sensacional….dr. Jeckil & mr. Hide survives !!!
    abracos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>