MENU

terça-feira, 19 de março de 2013 - 14:14Gira mondo

GIRA MONDO, GIRA

stopbombingmotehrfuckersSÃO PAULO (em vão) – Para quem não se lembra, essa foto foi tirada no dia 6 de abril de 2003 por volta das 11h, pouco antes da largada do GP do Brasil de F-1 com 70 mil pessoas em Interlagos. O #17 (que viria a ser depois o #96) puxou uma fila com 30 carros brasileiros de corrida num desfile de quatro voltas que deu origem ao que hoje é a Classic Cup. Ele ficou pronto na noite de sábado e andou pela primeira vez aí, diante de uma multidão no autódromo e de milhões de pessoas pela TV (pequena licença poética, porque não creio que alguma TV alguma tenha mostrado nosso desfile; mas vi fotos em revistas estrangeiras, e é pena que não existiam ainda as redes sociais, teria sido um sucesso).

Alguns dias antes, em 19 de março, os EUA começaram a guerra contra o Iraque. Está fazendo exatamente dez anos hoje.

Por que eu resolvi, dez anos atrás, expor minha indignação num velho DKW diante de tanta gente e correndo o risco de ter minha credencial cassada pela FIA, que não admite manifestações políticas de nenhuma espécie?

Talvez porque eu soubesse que a guerra, qualquer guerra, resultaria nisso aqui. Não abra se não tiver estômago. É um post do blog da Cynara Menezes que mostra, com fotos chocantes, o lado dos vencedores.

Imagine o que aconteceu com os perdedores.

“STOP BOMBING IRAQ”, pedia o valente DKW diante das câmeras da FOM e de milhares de pessoas nas arquibancadas que estavam achando os bombardeios lindos — não tenho ilusões, esse público da F-1, em sua maioria, acha que os EUA têm o direito de invadir e bombardear quem quiserem para que possam ter o direito de ir todos os anos a Miami comprar Tylenol no Walgreens, roupas da GAP nos outlets e comer frango no Hooter’s.

Foi em vão, claro. Apenas uma manifestação muito pessoal para não ficar quieto diante da iniquidade, sabendo obviamente que seria em vão. Um DKW em Interlagos não tem a capacidade de parar uma guerra, sequer é um elemento multiplicador. Essas coisas, por mais que pareçam destemidas, engajadas e corajosas, no fim são sempre em vão.

66 comentários

  1. Rovilson disse:

    Nunca é em vão, amigo. Sua manifestação foi uma gota num grande mar de mobilizações que tomaram conta do mundo naquele momento. Isso sempre conta.

  2. Rafael disse:

    E olha a falta de visão:

    Os caras bombardearam e invadiram o Iraque pelo petróleo. Gastaram bilhões para manter uma força de ocupação de forma a garantir a segurança energética dos EE.UU.

    Em 2013 saiu reportagem no WSJ informando que os Estados Unidos ultrapassarão a Arábia Saudita em produção de petróleo já em 2020. Graças ao Xisto:

    http://online.wsj.com/article/SB10001424127887324894104578115563127139912.html

    Convém lembrar que os EE.UU. possuem a maior reserva mundial de Xisto.

    http://pagina22.com.br/wp-content/uploads/2011/05/xisto-406×222.jpg

    E isso sem mencionar o Hidrato de Metano, outra fonte potencial, mas ainda com problemas a se contornar, devido à dificuldade de extração e alto potencial poluente:

    http://www.onip.org.br/noticias/sintese/hidratos-de-metano-a-proxima-fonte-de-energia/
    http://www.onip.org.br/wp-content/uploads/2013/03/methane-map.jpg

    Aí te pergunto: esses bilhões enterrados no deserto não poderiam ser usados para pesquisa e desenvolvimento em tecnologias como as citadas acima?

  3. Rafael disse:

    Pior que acharam que seria uma campanha rápida e de custo baixo sobre um país com forças armadas esfaceladas.

    Resultado: ficaram lá dez anos, morreu soldado a rodo, e bilhões ficaram enterrados nas areias do deserto.

    Ah, e não havia ADM’s… se bem que segundo o Casseta e Planeta, havia sim. Bush apresentou as notas fiscais da compra…

  4. Fabrizio disse:

    A propósito, alheio à idéia central, você está bem por dentro dos programas de Miami hein… Apenas “chute”? rsrs

    Só nesses três lugares já economiza uns US$ 1.000 com a família se comparado ao mesmo programa no Brasil.

    Abs

  5. pc disse:

    Numa guerra o ser humano expõe toda a sua agressividade aliada à inteligencia, que nos permitiu sair das cavernas e construir um microscópio. Essas imagens terriveis, são os produtos de todas as guerras, depois da invenção dos antibióticos. É a visão deste potencial destrutivo que deveria nos alertar para o mfato de que abaixo do verniz da civilização, está o animal que de posse do fogo, dominou o planeta e seus inimigos, desde os leões até os microbios. Se você imagina que somente em uma batalha na primeira guerra mundial, pela manhã, se matou sessenta mil ingleses, australianos, neozelandeses e outros suditos do imperio britanico, para tomar terra de ninguém, isso aí, Iraque e Afganistão e outros é fichinha. Os americanos tem as armas no sangue, vide os incidentes em escolas. Sua história e território foram construidos à bala. Nosso território por sua vez, teve um desenho à base de escravidão e doenças que dizimaram a população indígena, com posteriormente uma pitada de imigração, que mais tarde se traduziu, após a devida miscigenação no que somos como nação. Morrem em média, 35 mil brasileiros por ano devido à acidentes de transito e me perdoem, não tenho visto muita indignação, nem imagens cabiludas de gente sem rosto sem braço, sem perna e outros. Talvez imagens deste quilate, oriundas de nosso transito, sejam uteis para campanhas de transito. Ou será que não existem?
    Com relação à América, aprendi Engenharia em livros americanos. fiz mestrado e doutorado com a ajuda de livros americanos, escritos por pesquizadores americanos. Quando acender a luz e ligar o computador, lembre-se que essa energia flui atraves de um sistema projetado por brasileiros, treinados nos Estados Unidos.
    Quando Einsten e outros judeus deram o fora da Alemanha, o Brasil de Getulio, não os quis. Mas mandou a mulher de Prestes gravida, ser devidamente tratada em Auchiwtz. Crimes a humanidade os tem com fartura.E é longo o catalogo de crimes. Gostaria que aqueles que nos assistem, se perguntem se tal manifestação contra a guerra, justa a meu ver, seria tolerada na China ou no Barhein, no Irã, na Síria, na Coréia do Norte. Quantos americanos foram presos, baleados ou desaparecidos por protestarem contra as guerras de Bush? Ou lá, todo mundo apoiou?
    Posto isto, gostaria de deixar claro que, se o preço pra ver Sadamm e seus filhos balançando na ponta de uma corda é este eu o pagaria sem regatear. E um grande abraço a todos.

  6. Clenio Azevedo Vilela disse:

    Parabéns Gomes!!!
    Quantos tem a chance de demonstrar a sua opinião, para uma causa como est e NÃO o fazem.

  7. Ubaldir Jr. disse:

    Não sei, meio radical o comentário, camarada Gomes. Pelo que me lembro dificilmente se achava, em especial em terras tupiniquins, pessoas que se dissessem favoráveis à invasão do Iraque. Houve um movimento anti-americano muito claro em quase todos os cantos do planeta. Aqui em Goiânia teve até rádio que passou um ano sem tocar qualquer música em língua inglesa.
    Mas, no fim, foi só o que se pode fazer, não? Ações como esta sua e pouca coisa mais. Mesmo com quase todo mundo contra, no fim das contas é isso mesmo que tu disse, os americanos acabam tendo o “direito” de fazer o que bem entendem em qualquer lugar que desejam. Pouco se pode fazer frente ao poderio bélico deles. Na verdade, frente à discrepância de poder entre eles e o resto do mundo, acho até muito comedida a demonstração de seu poderio de tempos em tempos. Sei lá. Talvez essa discrepância absurda nunca observada na história do mundo seja até responsável por já não termos nos destruído em guerras infindáveis. Quando há uma divisão clara de forças parece que as guerras surgem mais facilmente.
    Vejam bem, de forma alguma estou defendendo a posição ou a condição americana. Só estou comentando e expondo o que me parece ser um fato.

  8. ricardo sassá posto 1 disse:

    lembro desse dia como se fosse ontem estava ali 50 metros antes no posto de sinalização 1 e lembro da alegria que foi ver esse desfile e o pessoal comentando nas arquibancas a cada carro que passava e ao mesmo tempo que depois ouve essa guerra devastadora mas para nós amantes do automobilismo esse dia foi um inicio de uma categoria que admiro a cada etapa com a variedade de carros que a cada etapa tem.

  9. Deni Williams disse:

    Flávio, no dia ninguém falou nada?
    Não rolou um puxão de orelha?

  10. JONAS disse:

    Todas as guerras são estúpidas e mentirosas…mas essa do Iraque talvez tenha sido a maior mentira de todos os tempos. Um país foi destruído a partir disso aí embaixo, criado para que houvesse a guerra.

    http://youtu.be/aWl8mUSDIwU

  11. Roberto disse:

    Tudo vale a pena quando alma não é pequena, já disse o poeta Pessoa. Parabéns pela coragem, desafiando o coro dos contentes em plena pista de Interlagos.
    Abraços.

  12. Lucas disse:

    O que tem a ver a guerra no Iraque com ir a Miami comprar Tylenol?

  13. Moy disse:

    Nem pra plantar um flagrante, o bushinho prestava …

  14. proletariors disse:

    desportista não precisa necessariamente ser alienado,
    parabéns kamarada Flavio ;)

  15. Rafael Rodrigues disse:

    Embora eu seja relativamente novo (nasci em 80), meu finado pai, que é de 20, foi à segunda grande guerra.
    Na minha infância fim dos anos 80 e início dos 90, sempre que ele assistia a um dos muitos filmes da época que vendiam a imagem de que guerra é algo divertido, ele sempre dizia:

    Guerra é uma coisa muito, muito triste. É triste para nós que estamos protegidos e armados.
    Você não imagina o que é para mulheres e crianças.

  16. AS disse:

    ” … comprar Tylenol no Walgreens, roupas da GAP nos outlets e comer frango no Hooter’s. “… o Flávio é impagável !! hehhehe… é assim mesmo. E veem bastante viu !! … e depois dos anos Lula cada vez mais… o que eles nem percebem.

  17. Charmeston Scheller disse:

    Certa vez ouvi um ex-combatente dizer que a guerra representa o sofrimento de todos aqueles que não á pediram, ou que nada tinham haver com o conflito. Os únicos que não sofrem, são os que provocam as guerras, os nossos ”lideres” , que ao verem a derrota se aproximando, se matam, ou viram de casaca. Covardes. É isso que eles são!!!

  18. Adrian Newey disse:

    Eu me orgulharia de ter corrido com esse adesivo. Naquele momento e naquelas circunstâncias, mais ainda.

    Entre quem viu a mensagem naquela época e quem viu agora, você inspirou algumas pessoas. Muito longe do suficiente para conter uma guerra. Mas também muito longe de ser em vão.

  19. david moreira disse:

    Parabéns , grande momento seu.

  20. Cyro De Cicco disse:

    Flavio, você nunca se cala, sempre se expressa! Com certeza algumas pessoas se identificaram e foram representadas pela sua mensagem.

  21. Elvys disse:

    Flávio, parabéns pela iniciativa! Uma sugestão: na próxima oportunidade, acrescente um adesivo com aquele velho jargão – “Faça amor, não faça guerra!”

  22. Alisson disse:

    Eu fui nessa corrida, pesquisando minha fotos aqui achei duas desse DKW do Flávio. Mas em relação ao tema do tópico, muito de ruim que aconteceu na última década tem o dedo do sr. George W. Bush.

  23. Luis Rossi disse:

    Lado dos vencedores? Fora talvez algum comentarista da Fox News, ninguém pensa assim. Nem o senador McCain (é só pesquisar) .Se os gringos achassem realmente que ganharam esta guerra nós teriamos uma enormidade de filmes com o Chuck Norris e similares revivendo tal momento.

  24. Sergio disse:

    Desculpe, mas não há santos quando se tratam de interesses das superpotências. A União Soviética já aprontou bastante nos seus tempos áureos. EUA, China, União Soviética. Todos iguais, no fundo. O problema tem nome: Homo sapiens. Por isso prefiro os Felis silvestris catus e os Canis lupus familiaris.

  25. Eduardo Miler disse:

    Toda Obra inicia no primeiro tijolo…

  26. João disse:

    O homem que queria salvar o mundo. Sergio Vieira de Melo. Dez anos do atentado no iraque

  27. JOÃO PEDRO MARCHINA disse:

    PARABÉNS! Nenhuma gota num oceano é inválida! Tudo vale alguma coisa!

  28. Homem-Chavão Santista Fanático disse:

    “Um DKW em Interlagos não tem a capacidade de parar uma guerra”

    Claro que não! Só Pelé é capaz de parar uma guerra!

  29. Andre disse:

    Cacete Flavio… vez ou outra pego no teu pe aqui de alguma forma, discordando ou etc.. .. ,mas seria uma honra conhece-lo pessoalmente.

    Aos irmaos Iraquianos um grande abraco. Tive a honra de conhecer alguns.. e definitivamente nao merecem o que o “Tio Sam” fez..

  30. Allez Alonso! disse:

    Incrível o desprezo (ou nojo, vai saber) do ex presidente Bush nesse link aí que você postou…

    • Márcio Haddad disse:

      De um lado um cara foi o presidente americano mais impopular nos últimos anos… Apoiador de guerras no Iraque e Afeganistão…

      De outro um: Jornalista, blogueiro que escreve sobre um assunto que achei que ninguém discordaria. Haja vista o pedido dele era apenas que não mais fosse jogadas BOMBAS em outro país.

      E você além de entrar na porra do link, e não se chocar com o que foi promovido pelo lado “GANHADOR” da guerra, e não achar nojento e desprezível aquilo que um presidente americano o fez…

      E quem perdeu família no IRAQUE? Família esta inocente…

      Vou parar de escrever antes que de merda…

      • Allez Alonso! disse:

        Foi difícil entender o que você quis dizer… Em algum momento discordei com o blogueiro?? Anyway, eu disse que não me choquei?? Se eu fosse o presidente que financiou essa guerra ” em favor da democracia” faria questão de olhar bem nos olhos desses coitados que deram suas vidas por algo que eles não deveriam e agradeceria muito pelo empenho deles, tentando lhes dar o maior conforto possível e fazendo-os sentir um minimo de orgulho e não agir com menosprezo como o ex presidente Bush fez. O sentimento patriota do cidadão comum americano é louvável e merece um mínimo de respeito. Quanto as familias no Iraque, lembre-se que a estatua do Saddan foi derrubada pelos habitantes locais? Muitos morreram dos dois lados, lutando por causas nacionalistas, soldados do iraque vs soldados americanos, por isso as guerras são uma merda! Ou você, coitado, acha que o Bush estava com remórcio, e por isso não encarou esse pobre soldado? Cada uma, viu!! E sim, bacana a manifestação do Flavio! Procure se expressar melhor, juro que não entendi as merdas que você falou.

  31. André disse:

    Os EUA se consideram a polícia do mundo, com direito a propina e tudo…

  32. Pedro Navalha disse:

    Anos 90: “STOP BOMBING IRAQ”

    Anos 80: “STOP BOMBING AFGHANISTAN”

  33. Denilson Maciel disse:

    Parabéns Flavio, agora uma coisa eu te digo, a ideia do Big Stick, fascina aqueles, adoram falar o “povo”, com menosprezo, com aquele ar de superioridade, e não vão gostar do seu texto, afinal os “EUA” representa o país que eles adorariam viver, Que idiotas!!!

  34. Coisinha disse:

    FG, discordamos muitas vezes de assuntos políticos, mas nessa concordamos 100%. Fui absolutamente contra essa invasão estúpida desde o inicio. Os Estados Unidos, que já vinham com o filme queimado há anos por repetidas cagadas em política internacional, foram rebaixados ainda.
    Fico imaginando nas crianças cujas vidas foram de alguma forma afetada por essa guerra imbecil. Quantas dessas não vão querer vingança de alguma forma?

  35. Adriano Silva disse:

    Penso que do mesmo modo que nem sempre sabemos se alguma ação nossa resulta de alguma forma em dano para alguém, não há como decretar que uma tentativa de mudar um paradigma seja em vão. Se algum garoto dentre as 70.000 pessoas presentes perguntou pro pai o que afinal significava aquela frase em inglês no carro engraçado e o porquê dela, alguma coisa não ficou exatamente igual depois deste dia.

  36. Eduardo disse:

    O show perante a tv, fica 1000 mas o custo humano para as suas familias ninguem fala.

  37. Acarloz disse:

    Toda guerra é estúpida, parta de quem partir, vide as falácias recentes vindas da Coreia do norte, ameaçando os vizinhos com armas nucleares. Talvez a próxima vítima.

  38. Flavio Soares disse:

    Estava nessa corrida, mas não lembrava desse adesivo no carro. Parabéns xará! Um tapinha na cara do capitalismo sempre cai bem.

  39. rogerioV disse:

    Na noite anterior as viaturas…. Gordini, Karmann Ghia, estavam passeando em fila indiana na volta do autódromo….ou indo para garagem…. eu simplesmente parei olhando!

  40. gilles disse:

    Ciao Flavio, nunca e em vao, algum dia os nossos filhos ou netos, poderao viver num mundo um pouco melhor, gestos como o seu, sao de suma importancia, para que tenhamos um futuro melhor,

    Ciao FLavio, nunca e em vao, devemos defender sempre a paz, para que nossos filhos ou netos, vivam num mundo um pouco melhor. Abraços.

  41. Professor disse:

    Os Americanos desculpam seu imperialismo e suas Guerras com o “Destino Manifesto” (levar oportunidade e a liberdade para todos os povos para que esses tenham o direito de tornarem-se livres e formarem self made mens…justificam sua cultura falso moralista cristã nesses princípios ou vice versa….agora acreditar que é possivél trazer a paz pela guerra é o mesmo que trazer a virgindade transando…só um grande ignorante aceitaria isso certo? Todo mundo…

  42. Roberto disse:

    Guerras são as coisas mais estúpidas que qualquer mente pode criar, não têm (fiz ENEM e tirei 10 na redação) vitoriosos nem vencidos e os rostos mostrados mostram bem isso!!

  43. RODRIGO PACHECO DE OLIVEIRA disse:

    Caro Flávio, como você mesmo disse, infelizmente estas coisas podem ser realmente em vão no que tange a suspender uma guerra. Mas acredite, teu gesto “destemido, engajado e corajoso” estimulam alento em pobres crentes, como eu, infelimente, exceção em uma arquibancada de F-1.
    Tenho certeza de que este tipo de gesto não muda o mundo, mas se cada vez que um gesto como o teu incentivar um ou dois a continuarem acreditando na justiça, no bem estar e na paz, independente da crença, raça ou posição política, já valeu a pena o teu gesto.
    Parabéns pelo teu gesto e por nos fazer lembrar, que somos exceção e temos que fortalecer nossos pequenos atos a cada dia.

  44. Lucas S.A. disse:

    Estive em Washington, DC ano passado, e vi alguns veteranos pelas ruas. Realmente o negócio chama a atenção. Vi um veterano da última Guerra do Iraque no Museu de História Natural do Complexo Smithsonian. Novo o cara, numa cadeira de rodas. Só que não tinha nada da bacia pra baixo. Da bacia pra baixo! C******, o cara não tinha nem pinto! Por que o povo se sujeita a isso por um império, só eles devem saber, mesmo…

  45. carlos lima disse:

    Ótimo texto. Bravo!

    Mas, Flavio, nem sempre são em vão, essas coisas ficam, viram história.

  46. Flávio, creio que quem melhor resumiu essa questão do belicismo norte-americano foi o Roger Waters, muito antes do 11/09/2001. No vídeo, inclusive, aparece o Goerge Bush pai, no tempo da primeira guerra contra o Iraque.
    https://www.youtube.com/watch?v=rekuWIKr55A

  47. Jeff disse:

    O que interessa é você passar a sua mensagem…

  48. Luiz Carvalho disse:

    “Essas coisas, por mais que pareçam destemidas, engajadas e corajosas, no fim são sempre em vão.” Mas, mesmo assim, necessárias.

  49. Eduardo Melo disse:

    Quando vi amigos meus comentando as imagens dos bombardeios, usando a expressão “você viu que legal as imagens?”; cheguei à conclusão que existe sim este público maluco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>