MENU

quinta-feira, 19 de setembro de 2013 - 14:09F-1

MASSA, LOTUS E TODT

felipenicolasSÃO PAULO (não deve demorar) – Jean Todt, papai-coruja, é o grande aliado de Felipe Massa para correr na Lotus. O brasileiro deu entrevista na noite de ontem em Cingapura à imprensa nacional e não escondeu ter a noção de que ajudar financeiramente uma equipe faz parte hoje do modelo de negócios da F-1.

O que Felipe não revelou, mas posso adiantar, é que ele já tem um acordo com a Lotus. Acordo, não contrato. E quem está tentando costurar a coisa é o presidente da FIA. Afinal, seu filho, Nicolas, é o empresário do piloto. Massa é um bom negócio para o rapaz, que assumiu sua carreira há coisa de dez anos, quando o pai era o chefão na Ferrari.

Massa precisa levar dinheiro para a Lotus se quiser correr lá. Pelo que falou em Singapura, sua rede de relacionamentos com empresas e empresários será fundamental para isso. Mas a rede de relacionamentos de Todt, mais ainda. A Lotus tem um caminho incerto pela frente e busca maior envolvimento da Renault no time. Com fábrica no Brasil e grande participação no mercado nacional de automóveis, a montadora francesa pode ser a peça no quebra-cabeças que garantiria a permanência de Felipe na F-1.

As relações da Renault com a FIA são intensas. Caso claro é o da Fórmula E, grande aposta de Todt para o que imagina que será o futuro do automobilismo, o uso de carros elétricos. A intrincada rede de interesses pode beneficiar Massa, caso a Renault passe a se envolver mais com a Lotus — que nada mais é que a antiga equipe Renault da F-1.

É difícil calcular quanto a Lotus precisa para fazer uma temporada decente no ano que vem. Sabe-se que o time deve dinheiro a Raikkonen, não nega, mas não sabe quando e se vai pagar. O grupo Genii, proprietário da Lotus, atua no mercado financeiro, imobiliário, de tecnologia, automobilismo, energia e negócios globais de várias naturezas. Sua principal atividade, obviamente, não é corrida de carro. O esporte funciona como plataforma para outros negócios. Mas não pode dar prejuízo. E não tem dado lucro.

Seu sucesso nos últimos dois anos deve-se à qualificação do pessoal que permaneceu no time quando ele foi vendido pela Renault ao grupo de Gerard Lopez e Eric Lux, que não se metem nas decisões técnicas e esportivas. Querem saber dos números.

Massa corre na Lotus se, com a ajuda de Todt-pai e Todt-filho, conseguir um bom aporte financeiro para o time — seja por meio de patrocinadores, seja como peça importante de uma engrenagem que gere negócios para o grupo e garanta que o operação na F-1 se sustente. É disso que está correndo atrás, agora. O piloto chegou a conversar com a TV Globo, mas da emissora ouviu pouco mais do que “a gente dá uma força”. Não há dinheiro envolvido.

A sorte de Felipe é que seu maior rival pela vaga na Lotus, Hülkenberg, até onde se sabe, é apenas piloto, sem grandes envolvimentos com empresas e patrocinadores eventuais. Seu potencial para alavancar negócios é bem menor que o de Massa. Pesará também, na escolha, a capacidade dos pilotos de gerarem receita por pontos conquistados — a remuneração dos times pela FOM é proporcional ao que eles obtêm na pista, e isso também foi importante na decisão da Ferrari de trazer Raikkonen de volta.

De qualquer maneira, Felipe deve entrar no ano que vem, se ficar na F-1, na categoria de “pilotos pagantes”. Definição que já não é muito precisa, diga-se. Há aqueles que efetivamente pagam por uma vaga, tirando do bolso, ou do bolso da família, ou do bolso de empresas da família. Van der Garde é um desses. Há outros que têm mecenas, como Maldonado, Bottas e Gutierrez, apoiados por empresas e empresários de seus países. E outros, o que passou a ser o caso de Massa, que funcionam como intermediários de negociações. Felipe já disse que da sua conta bancária não vai sair um euro sequer para seguir correndo. Mas se alguns euros passarem por ele e terminarem na conta bancária da Genii, ele segue.

185 comentários

  1. guilherme disse:

    2+2 são 4??? felipe já está certo para o ano que vem.. bastava ver o sorriso dele nas entrevistas e do galvão na narração… a globo vai bancar ele, o proprio galvão disse, não podemos ficar sem um piloto brasileiro… 2+2 são 4 sim…

  2. carlos costa disse:

    alonso foi pra ferrari simultaneamente ao santander se tornar o maior patrocinador da ferrari; nao seria mais ou menos a mesma coisa se felipe fosse para lotus ao mesmo tempo que a vale, petrobras ou banco do brasil se tornasse o grande patrocinador do time? porque num é natural e no outro uma queda de nivel? claro que nao estou comparando filipe com alonso como pilotos, mas….

  3. Cézar disse:

    O Hulk e o Massa seria uma dupla interessante para a Lotus.

  4. Paulo Pinto disse:

    Quer dizer que o Massa vai PAGAR para ser ESCUDEIRO do Grosjean?

    Ninguém merece…

  5. Antonio disse:

    Dito isso, acho que para a Lotus, no momento Felipe é o melhor negócio.

  6. Ulisses disse:

    É engraçado como muitos brasileiros, são contra a permanência de Massa na F1, torcem contra com alguma ira até!
    Confesso não entender essa ira, e não sou Pacheco, pois ele está longe de ser a minha preferência em termos de pilotagem. Meu “preferido” do circo atualmente, nem brasileiro é (não poderia ser mesmo, só temos 1 uai!).
    Mas na minha humilde opinião, Massa é a melhor opção para a Lotus. Continua muito rápido, vai ficar longe do “choronso”, livre da Ferrari, enfim, tem tudo para andar rápido em 2014. E também poderá levar uma boa grana para lá, mas eu não estava nem falando disso.
    Como brasileiro que sou, tirando a minha (antiga) grande paixão por automobilismo, acho muito importante termos um representante nessa categoria, pois, sob o ponto de vista comercial, negócios poderão ser alavancados, empregos virão, desenvolvimento tecnológico … etc etc etc …. aquilo de sempre, mas que não pode faltar nesse mundo contemporâneo muito louco!

  7. Seinfeld disse:

    Engraçado, tanto diretor de equipe na F1 tratados como “incompetentes” que “não sabem nada” sobre quem é o “melhor piloto” e aqui no Brasil tá sobrando “entendido” dando palpite, me digam: Quando a Ferrari contratou o Alonso, quem era o “melhor piloto”????

    Quando a Williams tinha o melhor carro com Alain Prost e o Schumacher vinha surgindo na Benneton dando canseira no Senna sofrendo com a McLaren que não se acertava (tudo isso em 92 e 93)…Tanto que Senna chegou a dizer que “correria pela Williams de graça” por ser o melhor carro…Quem vcs achavam que era o melhor piloto na época???

    Ah tá.

    • Seinfeld disse:

      Os melhores de hoje são Vettel, Hamilton e Alonso.

      Só que Vettel, além do talento fenomenal, está com um carro melhor que os outros 2.

      Kimi está um degrau abaixo dos 3. E depois vem mais uns 5 novatos promissores, mais Button e Massa.

      O resto é conversa de tiete.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>