MENU

segunda-feira, 21 de outubro de 2013 - 18:39#69, Classic Cup

LITTLE LONDON (5)

SÃO PAULO (até ano que vem!) – O fim de semana da Classic Cup em Londrina terminou com um segundo lugar do Meianov na D1, para carros até 1.600 cc. A segunda prova foi bem complicada para mim e para meu adversário mais direto, Dirceu “Borboleta” Depret. Ele tinha vencido sábado, eu em segundo. Portanto, para ganhar na categoria, eu precisava vencer a segunda bateria e torcer para ele chegar em terceiro ou quarto.

Tinha um aliado na prova, o Henry com seu Escort de câmbio trocado. Em tese, nosso japonês voador seria o mais rápido dos quatro, porque esse câmbio novo era escalonado e tal. Assim, minha estratégia era simples: ficar na frente do Dirceu e se o Henry estivesse na frente dos dois, no fim ele iria ouvir pelo rádio “Multifunction strategy A. Now, please”. Isso, claro, se o Marcelo Caslini não surpreendesse.

A primeira parte do plano deu certo. Larguei bem e pulei na frente do Dirceu. O Henry vinha atrás e o Caslini em quarto. Só que na subida da caixa d’água o Dirceu tentou me passar por fora. Saiu mais forte do cotovelo, iniciou a ultrapassagem, mas calculou mal a manobra. Quando jogou o carro para a esquerda para tentar fazer a tomada do saca-rolha, acertou meu para-lama direito de novo com a traseira de seu Passat. Resultado: rodou e apontou direto para o muro, batendo muito forte. Eu consegui segurar o carro. No sábado tinha acontecido a mesma coisa quando eu tentei passar na última volta, o que me custou a vitória. Mas o Dirceu disse que não me viu por dentro, e o assunto terminou ali.

Mas aí é duro. Você acaba ficando meio abalado por saber que aconteceu uma batida forte num incidente que envolve seu carro, e mesmo vendo que o Dirceu estava bem, quando passei por ali de novo, fiz uma corrida um pouco inconstante. O Henry acabou me passando e o Caslini chegou. Andamos juntos algumas voltas, até que ele me passou. Mas logo depois dei o troco no último cotovelo. Ele saiu melhor dali e na curva da Vitória passou por dentro. Dei bastante espaço para evitar a batida. Na volta seguinte, fiz a mesma coisa e coloquei por dentro ali. Mas o Caslini não deu o mesmo espaço, foi fechando, fechando, até que nos tocamos e rodei.

A partir dali o Meianov ficou esquisitíssimo. A temperatura do óleo estava muito alta, começou a falhar e como eu não tinha como chegar no Caslini e o Henry havia abandonado, o segundo lugar estava garantido e não faria sentido ir até o fim e correr o risco de estourar meu motor, que já estava fumando. A três voltas do fim, parei.

Na D1, Caslini, com um terceiro e um primeiro, ganhou o GP do Café na D1. Fiquei em segundo (dois segundos), com o Dirceu em terceiro (primeiro e quarto) e o Henry em quarto (quarto e terceiro).

Havia algumas dúvidas no ar sobre a batida do Dirceu, mas dois vídeos mostraram bem o que aconteceu e assim que eles estiverem “youtubados” coloco aqui. Um deles é o do meu carro e o outro, melhor, do carro do Carlão Estites, que estava exatamente atrás da gente na hora do choque. O mais importante é que o Dirceu não se machucou. O carro ficou meio estragado, mas tudo se arruma.

A segunda prova, de domingo, teve muitas quebras. Na nossa equipe, a LF, só o Fernandão, que voltou a correr depois de dois anos, conseguiu terminar entre nossos seis carros. Foi quinto na geral. Carlão venceu. Na D2, para carros de Turismo acima de 1.600 cc, o vencedor na soma dos resultados foi Adriano Lubisco, de Chevette.

Batida à parte, algo que sempre chateia, foi um fim de semana novamente delicioso. Ano que vem voltamos!

Abaixo, a volta de classificação do Meianov no sábado, que deu ao russinho sua primeira pole — na nossa categoria. Depois edito os vídeos das corridas, com todos os lances polêmicos.

22 comentários

  1. Marcos Antonio disse:

    Flávio, tenho curiosidade sobre a categoria; e se puder sanar tais, agradeço.

    Sei que a categoria que você participa é para motores com até 1.600 cc. Mas o que pode ser trocado ou modificado para ganho de potência do mesmo? Não sei se pode colocar turbo, aspirar o motor e afins. Se puder passar o link onde posso procurar mais sobre, agradeço.

    Tenho outra dúvida também: há um limite máximo de cavalos-força nos carro na categoria; estes sendo modificados via ajustes?

    Abraço e parabéns pela pole.

  2. Christian Alves (@chrisalves88) disse:

    Podia se fazer uma pesquisa de opinião aqui no blog sobre a preferencia do posicionamento da câmera on-board do carro do FG… Podia ter as seguintes alternativas:

    A) Preferimos no teto, pra ver melhor a pista e imitar as da F1.

    B) Preferimos dentro da cabine do carro é mais legal e gostamos de ver toda a pilotagem do FG.

    C) Foda-se, não me importa, o carro é do FG e ele põe a câmera dele onde quiser.

    Acompanho o voto do blogueiro.

  3. Thiago Azevedo disse:

    Valeu o fim de semana!
    As corridas foram boas. A sua última tentativa no curvão foi uma beleza, mais alguns centímetros que você estivesse à frente, o lugar já estaria ocupado e a vitória garantida!
    Na segunda prova, carros mais rápidos largaram de trás e movimentaram bastante. Uma pena o Meianov esquentar. Depois do inverno, encarar um calor daqueles… os russos demoram mais para se acostumar!

  4. Mario disse:

    Flavio,

    O capot com esta abertura e não totalmente fechado tem alguma função especial?

    Parabéns pela primeira pole.

    Valeu

  5. Paulo disse:

    Olá, Flavio; o #69 tende a sair de frente, no limíte, ou é neutro? Abs

  6. pedro afonso scucuglia disse:

    Mandou bem pra caralho nessa volta. Redondinho, redondinho. Tomada de curva legal, acelerando na hora certa, sem aliviar, todo tempo flat, redução de marcha legal.Muito parabéns, como dizia meu filho.

  7. Marcelo Caslini disse:

    Falou e falou bonito como sempre e aproveitando no meu vídeo eu não te fechei e sim você que veio em cima de mim(risos) aí espalhou mas tá valendo ano que vem tamojunto de novo,abração.

    • Flavio Gomes disse:

      Depois eu vou colocar o vídeo, Marcelo, da volta anterior, com você por dentro me passando, e da volta em que aconteceu a batida. Aí você vai poder comparar a diferença entre o que eu fiz quando estava sendo ultrapassado e o que você fez, e então vai dar para entender melhor o que eu escrevi. Mas é claro que não houve maldade nenhuma, tem um pouco de falta de experiência, talvez. Acontece. Como eu escrevi, corrida é aprendizado permanente. Abraço!

  8. ALEX B. disse:

    Belíssima volta, tovarich! Quase toda limpinha, tanto que o Passat da frente se assustou como mighty MEDIANUEV, e errou varias tomadas de curva, Parabéns! Foi a primeira pole do MEDIANUEV???

  9. Alexandre Todt disse:

    Flávio meu jovem, essa câmera é uma gopro ?

  10. Clenio Azevedo Vilela disse:

    Porque o nome GP do Café? Quem banca com o nome?
    Grato, Clenio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>