É OU NÃO É? | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014 - 18:45Antigos em geral

É OU NÃO É?

SÃO PAULO (ah, a polícia…) – O Will Oliveira mandou esta foto pelo Twitter e disse que o carro está exposto num shopping em Itu. Sendo apresentado como o primeiro Gurgel. Desconfio que é mesmo, mas acho que eu nunca tinha visto um em tão bom estado.

Vou te dizer… Por um desses eu faria uma maluquice.

gurgelindo

24 comentários

  1. Old Kick disse:

    Carro todo restaurado pela Old Kick de Sorocaba SP,
    agradeço todos os comentários, mas só que tentou restaurar algo no Brasil sabe das dificuldades um abraco a todos.

  2. Flavio Gomes sou o Ruy doa CARANGAS DE ITU e posso te dar uma resposta correta , pois esse projeto de restauração desse carro eu paricipei e ele é Realmente é o 1º Gurgel do mundo esse carro se chama GURGEL QT ( Qualquer Terreno) foi feito pelo Gurgel e dado de presente para o Almeida Prado que era seu sócio investidor (REPARE NA PLACA “”AG”” AMARAL GURGEL) hoje esse carro pertence a um amigo meu , e como eu (Ruy Newcar) em 2013 tive a honra de participar desse projeto dessa restauração.

  3. Sandro Macedo disse:

    é o mesmo que aparece em umas cenas de um filme do Roberto Carlos, não?

    http://www.youtube.com/watch?v=xJm7DFhebqA

  4. Felipe Olivani disse:

    Este não é o primeiro, é um QT de 1969, supostamente. O primeiro seria o 1200, das quatro versões (Ipanema, Augusta, Xavante ou Enseada) de 1966. Esse foi bem restaurado mas faltam pequenos detalhes para deixá-lo 101%. Como é um modelo raro, em qualquer estado de conservação ou nível de restauro já é admirável.

  5. Reinaldo Bascchera disse:

    De acordo com as revistas que li esse é um Gurgel Ipanema. Vi ao vivo e em cores um em tão bom estado quanto esse dias atrás na oficina de um conhecido. Havia sido adquirido há pouco pelo dono, que pelo jeito não faz a menor idéia do que é o carro. O modêlo que vi tinha mecânica 1300, cor branca, chassis próprio (plasteel), aquele sistema de freio de mão individual para simular um bloqueador de diferencial (seletrac, se não me engano) e tinha um detalhe que esse não tem: rebaixos nas laterais abaixo das portas dos dois lados. Num deles ia uma pá (para desatolar o jipinho, se necessário fosse), do outro lado não me recordo o que tinha, se era uma ferramenta ou um reservatório de combustível adicional…

  6. Rodrigo disse:

    Achei que a dianteira lembra muito a da Rural que por sua vez foi inspirada em um dos palácios de Brasília. Ou seria tudo ao contrário… ué cadê meus remédios…

  7. JT disse:

    Vi esse carro em Itu. Ele perdeu boa parte da originalidade e não está completo, principalmente no acabamento interno.
    É quase impossível deixar um modelo como esse 100% original, então seu dono merece o respeito até pelo fato de ter deixado o carro à mostra.

  8. Lelis Caldeira disse:

    Grande Flavio, tudo bem? Estive lá e conheci o carro. De fato é o primeiro modelo fabricado pelo genial Gurgel e está lindo. Para os amantes da marca, vale a pena conhecer! Em tempo: conheci seu irmão, que é amigo da minha irmã. Você foi pauta lá pelos lados de Pinheiros entre um vinho e outro. abraço

  9. Paulo Andrade disse:

    Eu passei por ele babando e minha amiga me enchendo o saco dizendo: Porquê que esta tirando foto
    desse carro velho? rs
    Mulheres….

  10. O shopping é mesmo o de Itu (estive lá no mês passado, antes de um jogo no Novelli Júnior).

  11. antonio seabra disse:

    No final do anos 60 minha mãe tinha uma empresa de representações, de sociedade com alguns parentes, entre eles um primo que era ex-militar da aeronáutica. Esse militar fez contato com o João Gurgel, que queria uma apresentação no ministérios militares, para oferecer um carrinho que ele tinha projetado, para ver se o governo se interessava pelo veiculo, e comprava um lote, arrumava financiamento para uma fabrica maior, etc, etc. Nessa época havia poucas unidades construídas, em ritmo meio que artesanal.
    Minha mãe, a prima dela e o parente militar (marido da prima) sairam do Rio de Fusca (que foi deixado em SP) e foram pra Brasilia junto com o João Gurgel, um sócio dele e, se eu não estiver muito errado, a esposa do Gurgel foi também. Sairam de SP com 2 Ipanema, acho que 3 pessoas em cada carro, pela Fernão Dias, com destino a BH e depois Brasilia.
    Segundo o relato deles, na época, os carrinho comportaram-se galhardamente na estrada (que era péssima),e melhor ainda nas demonstrações em Brasilia. O único comentário depreciativo foi das mulheres, que viajaram com frio e reclamaram de se molhar nas horas de chuva, por conta da vedação deficiente das janelas de lona, tipo jipe.

    Me lembro de ter visto as fotos da viagem, onde as mulheres apareciam de lenço na cabeça o tempo todo, no jipinho laranja. Ainda se a memoria não me trai, um dos carros era laranja (certeza) e o outro era vermelho (tenho duvida…). Nas demonstrações, o João Gurgel andou subindo os taludes gramados das passagens subterrâneas nas chamadas tesourinhas, e do Congresso Nacional, para demosntrar o angulo de entrada e a capacidade de rampa do carrinho. Ainda segundo os relatos, um dos carros estava equipado com um dispositivo que era chamado “Selectraction”, que nada mais era do que 2 freios de mão independentes e sem catraca, um para cada roda traseira. Eram duas alavancas que ficavam por tras e pelo lado da alavanca do freio de mão, com uma bola vermelha na extremidade. ao contrario do freio de mão normal, elas funcionavam sendo comprimidas de cima pra baixo, com a finalidade de travar momentaneamente a roda tratora que patinasse, operando como uma especie de diferencial blocante rudimentar. Mas a coisa fazia efeito, tirando o carrinho de atoleiros e ajudando a fazer curvas apertadas, ao simplificar a provocação de um “meio” cavalo de pau. Minha mãe estava impressionada com os cavalos de pau e com as subidas radicais que o João Gurgel tinha feito, pra demonstrar o carrinho aos militares.
    A viagem foi um (meio) sucesso, todo mundo adorou o carrinho, mas não rendeu nenhum negocio. Na volta choveu mais temo do trajeto, e eles chegaram a passar algum sufoco, todo mundo a bordo ficou molhado, e tal. Minha mãe e a prima não cansavam de descrever a aventura, e estavam apaixonadas pelo carrinho. A empresa quase tornou-se a primeira representante da Gurgel, mas tudo acabou em pizza.

    Vi muitas fotos do comboio em viagem e das demonstrações dos carrinho, mas, acho que não sobrou nenhuma. Infelizmente, minha mãe, que aos 82 ainda gozava de memoria privilegiada, faleceu a cerca de 15 dias, então, não tenho como confirmar detalhes do que estou escrevendo aqui. Me parece que isso aconteceu por volta de 1968-69.

    A prima da minha mãe ainda está viva (ela é 8-10 anos mais nova) e com boa saude, vou tentar ver com ela se ainda restaram fotos da viagem.

    Ah, detalhe: o tal Selectraction era uma variação mais bem bolada de uma opção que a VW chegou a oferecer na Kombi, chamada de “diferencial travante”. Outro detalhe é que, na época, o Gurgel estava desenvolvendo a versão militar ou de trabalho do jipinho, aquela que tinha uma pá embutida numa saia lateral e uma enxada na outra, e o espete ficava aparente, por sobre o capot dianteiro. Vi fotos do protótipo, na epoca, tiradas na fabriqueta de São Paulo.

    Antonio Seabra

  12. Zé Zanine disse:

    Sim é o primeiro gurgel, aqui em SJC tem um restaurado na côr laranja, lindo, o dono não vendo por nenhum dinheiro!!!!

    http://www.gurgelclube.com.br/imprensa/revistas/4R-077_dez66_002.jpg

  13. Marcelo disse:

    Pena que nao esta original: espelho, cromados, faixa branca, Calota, parachoques, etc

  14. conde disse:

    Realmente lindo . Esse tom de branco essas rodas , tudo combina . Passível de uma maluquice mesmo .

  15. Luciano Balarotti disse:

    Flavio, tem um Ipanema destes rodando diariamente aqui em Curitiba. É de babar, mesmo estando menos perfeito que este aí da foto

  16. Mario Alves disse:

    O para-choque e a maçaneta do capo são do Fusca. As lanternas e os piscas parecem ser oriundos da Rural Willys.

  17. Harerton Dourado disse:

    Com placa amarela!

  18. Alfredo Junior disse:

    É um Ipanema gomes, realmente foi o primeiro carro de passeio da Gurgel, pois antes ela fabricava minicarros para crianças. Tem um no filme Roberto Carlos a 300km/h. É um carrinho bem bacana!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>