MENU

segunda-feira, 16 de junho de 2014 - 22:22Futebol, Imprensa, One comment

ANOTHER COMMENT

Faltam leitura, cultura, conhecimento, falta tudo aos jornalistas imberbes de hoje. A legenda da foto publicada no “Estadão” é de chorar.

asterixobelix

154 comentários

  1. nelson disse:

    Esses são os verdadeiros coxinhas. 4 anos de faculdade nas coxas e se acham jornalistas. Fiz 1 ano e desisti por não aguentar mais colegas e professores cricas. A obrigatoriedade de faculdade matou o jornalismo.

  2. Mauricio disse:

    Não querendo balangar muito, mas os comentários abaixo estão ainda mais engraçados que a legenda.
    De discutir a formação do povo Francês ( o que já não é a nossa especialidade) a exigir que nossas escolas sejam melhores.
    Agora fica a pergunta:
    O que uma história em quadrinhos tem a ver com tudo isso?
    E pior:
    O repórter realmente deve ser um mala já que não deve sequer se divertir lendo um gibi.

  3. Jammal disse:

    Flavio, não são apenas os jornalistas imberbes que estão comendo barriga nesta copa.

    Ontem à noite, a Folha Online deu a seguinte manchete: “Principal problema é a zaga, diz Felipão”.

    Já O Globo, me saiu com essa: “Felipão sobre Neymar: Se tivéssemos três como ele, a Copa seria uma tranquilidade”.

    O texto era o mesmo, assinado pelo velho Mário Sério Conti, colunista dos dois jornais. Não sei se ele é seu amigo, mas que barrigada o cara deu…

    O texto foi retirado rapidamente dos dois sites, que publicaram as seguintes erratas:

    http://oglobo.globo.com/esportes/correcao-felipao-nao-falou-com-colunista-do-globo-12925003

    http://www1.folha.uol.com.br/esporte/folhanacopa/2014/06/1472865-colunista-da-folha-e-vitima-de-trote.shtml

    Como um cara experiente como o Mario Sergio Conti entrevista o sósia de Felipão acreditando ser o original? O sósia praticamente confessou o trote no final e não caiu a ficha do velho jornalista…

    Como o cara acredita que o Felipão original iria meter o pau na zaga e falar mal dos seus jogadores em plena Copa? Pior: como o cara acredita que o treinador da seleção brasileira iria, no meio da Copa, parar os seus trabalhos para gravar um quadro no Zorra Total?

    E como ninguém nas duas redações percebeu a mancada?

    É claro que os dois jornalões tiraram o texto logo do ar. Mas eu copiei, porque achei muito esquisito e mandei para um amigo jornalista. Se quiser dar risada, o texto está logo abaixo.

    • Jammal disse:

      SÃO PAULO – Neymar e Luiz Felipe Scolari foram os últimos passageiros a embarcar no avião, às 17h30 de ontem. Como o voo da ponte-aérea, do Rio para São Paulo , estava lotado, ambos se espremeram em poltronas entre passageiros, Felipão na 25E e Neymar na fileira da frente.

      “Vê se dorme, moleque”, disse o técnico ao jogador. Neymar desligou o celular, mas não dormiu, apesar de apenas um passageiro ter-lhe pedido um selfie durante o voo. Tampouco Felipão pregou o olho.

      Um tanto apreensivo com o céu carregado, ele respondeu de bom grado tudo que lhe foi perguntado. “Acho que, até agora, os melhores times foram a Holanda e a Alemanha”, disse. “Eles vão dar trabalho. A Itália também. Ela sempre chega às semifinais. É como o Brasil: tem tradição, empenho, torcida”.

      O zero a zero com o México não o abalou: “Pode ter sido até positivo, na medida em que jogou um pouco de água fria no oba-oba, na ideia de que é fácil ganhar uma Copa”.

      Num campeonato de nível tão alto, ele acha imprevisível fazer prognósticos. “Quem diria que a Espanha sairia da Copa logo de cara?”, indagou.

      O mesmo raciocínio ele aplica à seleção sob a sua responsabilidade. “O Oscar fez uma excelente partida na estreia, mas não foi bem no segundo jogo”, disse, mastigando um salgado de gosto insosso.

      “O Neymar foi bem, mas não teve a genialidade da partida anterior. São coisas que acontecem. E quem esperaria que o goleiro mexicano defendesse todas?”, indagou.

      Felipão concordou com o raciocínio que Neymar parece mais centrado, não se joga tanto no chão ou faz demasiado teatro: “É verdade, ele está mais objetivo. Mas pode melhorar ainda mais. Não dá para apressar muito esse processo: ele é muito moço, tem que aprender as coisas na prática.

      ELOGIOS A NEYMAR
      Mas não tem dúvidas: “Se tivéssemos três como ele, a Copa seria uma tranquilidade”.

      O avião deu solavancos e o técnico comentou: “Isso sim é que é um especialista, repare como o piloto conduz o avião com mão firme, fazendo mil coisas ao mesmo tempo”.

      O que seria mais difícil: pilotar um avião ou a seleção nacional?

      “Não tem comparação, avião é muito mais difícil. O piloto lida com vidas humanas, é responsável por elas. Se a seleção perder, será muito triste para o Brasil, para os jogadores, a minha família e eu. Mas ninguém corre risco de morte”.

      Felipão se disse satisfeito com o ambiente geral da Copa. Não esperava que tantos mexicanos e chilenos viessem, nem que as torcidas se confraternizassem. “Até os argentinos estão se dando bem com os brasileiros. Pelo menos até agora”.

      TÉCNICO APROVA AEROPORTOS
      Disse que os estádios são bons e a organização dos jogos funciona. “E te digo: tive dúvidas, mas os aeroportos onde estive até agora estão uma maravilha”.

      Contou que ninguém do governo o procurou, momento algum. E ouviu com agrado o relato de meu encontro recente com um ministro, seu fã atilado.

      “Pelo que ouço dizer, o governo está torcendo pela seleção, e a oposição nem tanto”, disse. “Acho uma bobagem misturar futebol e política. Eu mantenho essa separação custe o que custar, não dou uma palavra sobre política”.

      Os xingamentos a Dilma no jogo de abertura, portanto, não lhe dizem respeito. Perguntado se lia comentários de especialistas nos jornais, ou ouvia o que diziam na televisão, Scolari sorriu: “Até papagaio fala”. Ao ouvir os nomes de alguns, ex-jogadores e ex-técnicos, repetiu, divertido: “Papagaio fala!”.

      Felipão terminou de tomar a caixinha de suco de laranja e se se explicou melhor: “os comentários são necessariamente frios, distantes. A experiência de jogar no Maracanã lotado, de cobrar um pênalti, de ouvir vaias, são coisas que mexem com o jogador, com o indivíduo. Não é questão de aplicar uma receita”.

      Para ele, as variáveis envolvidas numa partida são inúmeras, não é possível reduzi-las ou quantifica-las. Deu como exemplo a seleção da Alemanha: “Ela está na Bahia, no sol, entre mulatas lindas. Claro que isso os influencia”. Felipão riu de novo: “Desconfio que alguns deles nem voltarão para a Alemanha”.

      Se não acompanha os comentaristas da imprensa, ele está ciente de dificuldades táticas e de entrosamento na seleção. “O principal problema é a zaga”, disse. “Ela cai para o lado, quando deveria ir em frente, buscar o jogo lá na frente”.

      O que mais o irritou até agora foram os boatos, divulgados pela imprensa europeia, que o Brasil já ganhou a Copa, já que a FIFA teria orientado juízes a facilitarem a vida da seleção. “Mais que um absurdo, é um desrespeito. Você imagina comprar a Itália, a Alemanha? Isso não existe”.

      O avião sobrevoava São Paulo, coberta por nuvens. “É como descer a serra de Santos com um nevoeiro fechado, sem enxergar nada”, disse. “Esse comandante sabe tudo”.

      Neymar e o técnico tinham participado da gravação do programa “Zorra Total”, no Projac, o estúdio da Globo em Jacarepaguá. “Não gosto de passar muito tempo longe de São Paulo: veja que cidade interessante”, apontou.

      Felipão estava curioso em saber como seu filho se saíra numa prova naquele dia. Ele estuda Economia nas Faculdades São Judas Tadeu, e pegara uma recuperação. “Mas o garoto vai bem, é estudioso”.

      Perguntei se toparia dar uma entrevista ao programa “Diálogos”, da GloboNews. “Claro, vamos lá. Só que ando meio ocupado…”, disse, rindo.

      Pegou sua carteira, tirou um cartão de visitas e me entregou, afirmando: “Mas isso pode te ajudar por enquanto”. O cartão de visitas dizia: “Vladimir Palomo – Sósia de Felipão – Eventos”.

      Depois das gargalhadas, apertou a mão e disse: “Deus te proteja”.

  4. Antonio disse:

    Flávio, se você ver algumas reportagens que fazem nesta época na TV (não é o caso da ESPN, que tenho acompanhado), terá vergonha de falar que é jornalista.

  5. Mario disse:

    Posso cantar uma ode?

    “Oh, Estadão, bando de infelizes romanooooooos
    Pobre ignoraaaaaanteeeeees….”

    Dá vergonha de ler um patacoada dessas num dos maiores jornais do país…

  6. Paulorenatov disse:

    Era só ter lido “Asterix” que não cometeriam erros.

  7. Rubens disse:

    Os gauleses (representados na foto) eram uma das tribos celtas que habitavam a Gália, região que hoje corresponde a atual França, norte da Itália e algumas partes da Bélgica e Alemanha. Celtas não têm nada a ver com germânicos, são etnias diversas. Historicamente, os celtas foram um dos povos mais discriminados da Europa. Sofreram nas mãos dos romanos, germânicos e normandos. Os normandos, estes sim, descendiam diretamente dos vikings e habitavam o norte da França, parte da Inglaterra e estados na Sicília e sul da península Itálica.

  8. Paulo Leite disse:

    Então vamos lá, proponho agora ajuda dos internautas ao infeliz dono do texto do Estadãoo, cada um proponha sua leganda, ai vai a minha.

    “Porto (muito) Alegrinho: Homem de punho ereto abre a boca espantado com a trancinha do amigo vestido de armadura de chifrinho’”

    Ughhh…,

  9. Pedro Rui disse:

    pobre astérix …

  10. Grisalho disse:

    O mais engraçado é ver nos comentários a discussão sobre a ascendência dos Franceses ser Viking… A questão CLARO não é essa. Os imberbes de hoje não são chegados a leitura e pesquisa. Fazer conta então nem pensar! Essa é a questão. O analfabetismo funcional é para todas as frentes: Biológica, Exatas e Humanas…

  11. Paul D disse:

    Salve,
    Essa foto não precisa de legenda. Entendeu, ótimo. Não entendeu, putz, não sabe o que está perdendo… cadê a Falbalá?

  12. Marcelo Pacheco #49 disse:

    Depois de que o portal R7 disse que a Audi venceu em Le Mans depois de 15 anos sem participar, eu nao duvido mais nada. E olha que eles tinham um link oficial no portal!

  13. Marcelo disse:

    Não me surpreende!

    Outro dia eu estava portando uma edição comemorativa dos 50 anos do livro “A Laranja Mecânica” (The Clockwork Orange) por Antony Burguess, no elevador do prédio onde moro, quando um rapaz – que também estava no elevador – perguntou: É um livro sobre a seleção Holandesa?

    • Claudio Soares disse:

      Pois é, sem dizer que li neste mesmo site, um “jornalista”, mencionando que a Espanha ja havia perdido de goleada na copa de 1986 para Dinamarca…quando foi justamente o contrário. É a geração do ctrl C.

  14. JOÃO PEDRO MARCHINA disse:

    Quer dizer que sem querer o jornaleiro estava falando das raízes do norte da França que poucos conheciam?

  15. Fabio0800 disse:

    Se é pra ir até o século X para defender a cagada do Estadao, entao vamos chutar o pau da barraca. A teoria que ja foi confirmada por diversos pesquisadores, afirma que o homem moderno teve sua origem na África. Os Homo sapiens partiram do continente africano em algum momento dos últimos 100 mil anos. Dali, eles seguiram em direção à Europa, Oriente Médio e Ásia e promoveram a expansão para o resto do mundo. Logo, nao importa quem invadiu quem e foi pra onde depois, pois somos todos neguinhos descendentes da mesma terra.

  16. Paulo disse:

    Eu tenho notado erros infantis em vários sites de grandes empresas de Comunicação como Globo e Folha e de jornalistas experientes e que podem ser citados como os melhores em suas áreas. Creio que isso seja reflexo da velocidade atual das notícias provocada pela internet. A impressão que eu tenho, a distância, é que os textos não são revisados.

  17. wart disse:

    Merecia um menir na cabeça…

  18. Pior que isso, mesmo, foi o R7 se enrolando todo com a matéria das 24 Horas de Le Mans. E acho que, ao cidadão que tiltulou a foto, faltou a leitura obrigatória de Goscinny e Uderzo. Sem mais.

  19. Paulo Maffi disse:

    Não sabem de nada…inocentes! Precisam prender muita coisa com o Veteranix!!

  20. Paulo Henrique disse:

    O que dizer disso. Se não consertaram ,a reportagem diz que o melhor parque do mundo fica em Vancouver -USA
    http://www1.folha.uol.com.br/saopaulo/2014/06/1471519-parque-ibirapuera-e-eleito-o-oitavo-melhor-parque-do-mundo.shtml

  21. Saulo Caram disse:

    Que os céus caiam sobre a cabeça desse jornalista.

  22. Chatotorix disse:

    Peraí… o Asterix e o Obelix eram descendentes diretos de Vikings, que ocuparam os países nórdicos e o norte de Espanha e França, região onde se situava a famosa aldeia dos “Irredutíveis”. Ao contrário do que muitos pensam, o povo francês, em sua maioria, não é latino, mas anglo-saxão e, principalmente ao norte, são descendentes dos Vikings sim senhor. O fato da língua francesa ter raiz latina não quer dizer que o povo também tenha essa origem. Aliás, nunca acharam estranho que as vestimentas dos gauleses fossem tão semelhantes aos dos guerreiros Vikings? Acho que não é só os repórteres imberbes que estão precisando de cultura geral.

  23. Andre Souza disse:

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!!!

  24. Mello disse:

    Pour Toutatis! Ils sont fous, ces paulistes!

  25. Décio Dalmolim Jr disse:

    Como tb existem jornaleiros que precisam aprender a ter respeito pelo seu público e de quebra ter umas aulinhas de humildade.

  26. Marcelo Kuba disse:

    Caro Flavio, isto é reflexo dos butecos cheios de estudantes que deveriam estar em sala de aula, os alunos das faculdades quando não estão bebendo, estão batucando nas esquinas… ai da nisso.

  27. Ricardo Garcia disse:

    Caro Flávio,
    O problema é que vivemos numa época em que as pessoas se formam nas universidades e são analfabetas de cultura (cultura se adquire lendo, estudando e viajando), de democracia e da língua pátria, entretanto, se acham o suprassumo (estou velho, lembrei da bala Supra Sumo – marca de bala dos anos 80 rsrs) da espécie humana.
    Pessoas com poder de formação de opinião pública ocupam cargos em meios de comunicação, mas não conseguem ver além daquilo que é superficial, são vazias de conteúdo.
    Cabe àqueles que têm esse poder saber utilizá-lo, passar informações corretas e fundamentadas em fatos. O achismo ou o sensacionalismo não agrega nada e nem está mais vendo jornal, pois a população se esgotou com essa forma de só dar ênfase à desgraça..
    Estamos em momento que todos querem protestar. Invadem as ruas, fazem greves sem proposito e que não os leva alugar nenhum e os mortais cidadãos pagam o pato.
    Sim, pagamos o pato e tributos em excesso também. Ou seja, o cidadão comum é só pagador e sem direito a contrapartida digna.
    Somos penalizados em nosso cotidiano, em nosso patrimônio, em nosso tempo e paciência, enquanto os arruaceiros permanecem impunes e os maus políticos se reelegem a cada nova eleição.
    Este um ano que teremos eleições e o maior protesto é não eleger aqueles que não nos representa adequadamente ou são corruptos, ou utilizam inadequadamente o dinheiro publico.
    Assim, se não houvesse tantos novos analfabetos no poder de formar opinião ou uma elite analfabeta de sua condição de formadora de opinião, poderiam ser lançadas ideias em nossas comunidades que demonstrariam o que é ser um País democrático e como se deve protestar contra a falta de moradia, segurança, saúde e de educação (serviço públicos com excelência, padrão FIFA).
    Ainda, por fim, é de se lamentar mais ainda, porque essa situação é generalizada , não é uma situação específica de uma formação académica ou carreira profissional.
    Filosofamos demais hoje!! Quiçá este pequeno testo consiga gerar reflexões e mudanças, como o ditado popular diz: ” A esperança é última que morre”.
    Ricardo Garcia

  28. Talles Almeida disse:

    É o que colhemos com a progressão continuada.

    E pela falta de ação a agressores de professores.

    E pela incapacidade dos pais.

    E por essa merda toda que está aí, como a lei da palmada.

  29. Alberto disse:

    também, investiram em estádios e não em escolas….

  30. Marco disse:

    Não acham que estão sendo muito exigentes com quem se alfabetiza replicando memes no face?

    Flávio, tua profissão está em extinção. Como, aliás, todas as que dependem de alguma “arte” por quem as executa: sapateiros, marceneiros, alfaiates…

    Por isso vemos nos meios de comunicação tanta aderência à mentalidade dos patrões. Sem não têm recursos cognitivos, como desenvolver algum senso crítico?

  31. gustavo maia disse:

    vai mal, vai mal,

  32. askjao disse:

    Como diria Madre Teresa, é de chutar os ovos…

  33. Oi? disse:

    Sou obrigado a discordar. No século X, o rei da França concedeu a um invasor viking o ducado da Normandia, contando com o apoio desses Vikings na defesa do país contra ataques estrangeiros, razão pela qual os moradores de lá possuem, até hoje, traços nórdicos acentuados.

    http://www.viking.no/e/france/contribution.html
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Normandos

  34. Diogo/SP disse:

    Normalmente quem escreve as legendas curtas de fotos são os próprios fotógrafos que estão no local. Isso não os torna jornalistas. A pressa de enviar tudo o mais rápido dá nisso.
    Mas alguém comeu bola, é fato.

  35. Kleber disse:

    O jornalismo está perdido! Cada texto que se lê nestes portais e conglomerados que dá vontade de chorar. Assassinaram o Português, a concordância a coerência e tudo mais. Tem que chorar porque rir não dá mais.

  36. Gustavo Oliveira disse:

    Por Tutatis! E pensar que cheguei a cogitar a faculdade de Jornalismo por que nela todo mundo lia jornal, revista e gibi.

  37. Victor disse:

    Para ser justo, a fantasia está bem ruim.

  38. Gus disse:

    Dear God!! Não existe uma leitura/consulta prévia antes de ir para a prensa uma coisa dessas????

  39. Mauricio disse:

    O “Estadão” é de chorar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>