FALA, FELIPE | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

segunda-feira, 27 de outubro de 2014 - 23:37F-1

FALA, FELIPE

SÃO PAULO (e está tudo bem) – Conheço Felipe Massa há uns 15 anos. Talvez um pouco mais, dos tempos em que ele corria na F-Chevrolet. Temos uma boa relação. OK, não frequentamos a casa um do outro, não tenho seu telefone celular, se jantamos juntos alguma vez foi em evento oficial da Ferrari, mas posso dizer que somos amigos. Tenho enorme carinho por ele, por conhecer seu passado, sua trajetória até chegar à F-1, sua família e tudo mais. Nossa intimidade, no entanto, se limitou a uma troca de presentes no começo do ano. Ele pediu um uniforme da Portuguesa para o Felipinho e eu mandei (parece que ele não tira o manto rubroverde nunca). E, como agradecimento, Felipe me enviou um par de luvas autografadas (que estão na parede de casa) e duas camisetas de Nomex que sobraram da Ferrari. Como temos mais ou menos a mesma altura, me serviram muito bem. Uso para correr e tiro a maior onda, porque ninguém tem esse negócio.

Hoje Felipe me ligou e estava razoavelmente puto.

Aqui se faz necessária uma observação. Massa nunca me telefonou para reclamar de nada. De nenhum texto, de nenhuma crítica, de nenhum comentário, de nenhuma palhaçada que faço no blog — e são muitas. Jamais, nunca mesmo, entrou em contato ou mandou recado para pedir nada, para escrever assim ou assado, para trocar uma foto, para “dar uma força”, para negar uma informação que a gente tenha dado com exclusividade — a assinatura com a Williams, por exemplo; na ocasião, ele disse a um interlocutor: “Uai, eles tinham a informação, deram, parabéns pra eles”.

Digo isso para reforçar que Massa é um sujeito absolutamente honesto e correto no trato com a imprensa, algo muito raro no meio. Não tenho nenhum reparo a fazer nestes 14 anos dele na Fórmula 1, a maior parte deles na Ferrari. E olha que na Ferrari as coisas sempre foram tensas, porque o nível de frescura da equipe é estratosférico.

Por isso, e só por isso, por sua honestidade e lealdade, julguei ser igualmente honesto e leal relatar aqui nossa conversa por telefone. Felipe ligou para dizer que o que escrevi sábado era mentira. É que o post em que expus minha estranheza pelo fato de ele ter declarado em vídeo seu voto em Aécio Neves, que acha que na Petrobras só tem ladrão e que o Banco do Brasil deveria ser bem menor do que é, deu a impressão de que ele só está na Williams por causa das duas estatais.

De fato, a frase dá margem a essa interpretação. “Felipe Massa seguiu na Fórmula 1, na Williams, muito graças à Petrobras e ao Banco do Brasil, empresas estatais que patrocinam a equipe e ajudaram a financiar sua vaga para 2014″ é o que escrevi. O que quis dizer, e realmente não ficou muito claro, é que o dinheiro que a Petrobras e o Banco do Brasil colocam na equipe compõe seu orçamento, que é usado, entre outras coisas, para pagar o salário do piloto. Não afirmei que Massa conseguiu a vaga por causa das estatais. Até porque ele assinou com o time antes de Petrobras e Banco do Brasil. Teria sido contratado mesmo sem esses patrocínios.

É verdade. Admito que a maneira como escrevi foi dúbia, embora não tenha sido venal – não tenho motivo nenhum para ser venal com Massa. E reconheço, obviamente, que ele tem o direito de declarar seu voto em quem bem entender, e a partir do momento em que tal declaração se torna pública, as pessoas também podem achar o que bem entenderem. Não escrevi isso porque acho desnecessário, de tão óbvio que é.

Minha estranheza, repito, decorre do fato de Massa ter apoiado um candidato que tem uma visão tão torpe da Petrobras e do Banco do Brasil (e de outras estatais), como ficou claro por suas declarações na campanha eleitoral e pelas entrevistas de Armínio Fraga, que seria seu ministro da Fazenda. Foi o que expliquei a ele. Era um comentário que demonstrava apenas isso, minha estranheza, porque Petrobras e Banco do Brasil, hoje em dia, apoiam com força o automobilismo e merecem respeito, respeito que o ex-candidato nunca demonstrou. É evidente que Felipe não é obrigado a apoiar o PT só porque empresas do governo patrocinam sua equipe na F-1. Mas a maneira pela qual Aécio se referiu a essas empresas nos últimos meses desqualifica tudo que elas vêm fazendo no governo petista. Foi ele que adotou esse tom na campanha, não eu.

Acho que não convenci Massa, mas ele pelo menos ouviu o que eu tinha a dizer e nossa conversa foi franca e educada. Aceitei a queixa e prometi que iria escrever sobre o assunto para que nenhuma dúvida ficasse no ar. Isso posto, nos despedimos cordialmente, como sempre, e espero ter deixado as coisas mais claras agora.

261 comentários

  1. douglas mizerani disse:

    não entendi ” acho que não o convenci ….. ” por que haveria necessidade de tal convencimento?

  2. Zé Colméia disse:

    O problema de tudo, é alguém se doer tanto com uma crítica fundada sobre um órgão público corroído por um partido que está no comando, mas não é dono do país!

    Só dá para imaginar alguém defendendo tanto algo quando tem um interesse grande, que no nosso país partido nenhum merece pois em todos há grandes ladrões, logo não merecem apoio. A figura extrema da geniosidade cultuada? Meus pêsames se confia nele, é sinal que não o conhece.

    Compreendo o porque de uma semana depois das eleições vir com isso, porque já sabemos bem que estava tão nervoso quanto à Dilma.

  3. Marco disse:

    Se vacilar ainda irao descobrir alguma irregularidade nesse contrato da Petrobras com a Willians…

  4. Paulo Pinto disse:

    “Acho que não convenci Massa…”

    É fácil convencê-lo. Ligue de volta e diga (em inglês) que é o Rob Smedley…

  5. victor disse:

    Acho você vendeu lanche muito lanche vermelho nos anos da Direta Já, Flávio. Porque não faz sentido um cara tão analítico incentivar essa luta entre as pessoas. Mas como você é macaco velho, não vou eu ficar falando pro vento. Portanto, pra finalizar, quero elogiar a sua atitude de postar o posicionamento do Felipe mesmo terminando o post com “acho que não consegui convencê-lo”, como se houvesse uma verdade incontestável.

    Abraço!
    Bom final de semana.

  6. Ricardo disse:

    Não vejo relação nenhuma nesta questão. Qualquer pessoa tem o direito de expressar sua opinião e voto, independente do candidato. Acho errado ficar inventado motivos para criticar quem pensa diferente de você. Com relação ao que você alega que o Aécio disse sobre o BB e a Petrobrás, não sei se é bem assim não. Ele criticou muito sim a Petrobrás, mas especialmente pela corrupção. Por isso o Massa não deveria votar nele???? Por favor, respeite a opinião e a posição dos outros.

  7. J Fernando disse:

    É perceptível nos comentários que não tocaram na questão central do problema, relacionado ao candidato do PSDB, que se eleito, teria como Ministro da Fazenda, Armínio Fraga. É estranho que estejam associando o problema somente ao PT. É necessário olhar o outro lado, o que o PSDB estava propondo em relação aos bancos públicos. Que Armínio Fraga declarou solenemente que dos 3 bancos públicos, BB, CEF e BNDES, não ia sobrar muita coisa. Da mesma forma, o PSDB já tentou mudar o nome da Petrobras para PETROBRAX, para facilitar a pronúncia e venda para empresas estrangeiras.
    E ficam afirmando que estas empresas não são do PT e sim do Brasil. Esse é o maior erro. Se o eleito fosse o candidato do PSDB estas empresas não seriam do Brasil, estariam no leilão de privatização em 2015.
    Muitos sabem ser anti-PT, mas nada sabem das medidas impopulares do candidato do PSDB e tampouco o que pretendia seu futuro ministro.

  8. André disse:

    Flávio Gomes…..desde quando um governo deve ter em suas mãos a gestão de empresas da magnitude de um Banco do Brasil e de uma Petrobrás ? Um governo não tem competência para gerenciar tais negócios e além disso, empresas estatais só servem de balcão de favores para seus desesperados aliados ávidos por dinheiro fácil e corrupção. Tem um outro autor bom chamado Ludwig Von Mises que deveria ser sua leitura de cabeceira e não livros de ideais comunistas.

    Abs e “keep it up” !

    • Flavio Gomes disse:

      Tucaninho privatista detected. Não foi desta vez, bonitão. E não será nunca.

      • victor disse:

        Não transfira sua raiva pelo Geraldo ao Aécio e tenha mais respeito com os outros.

      • Flavio Gomes disse:

        Ah, não enche.

      • Pedro Cardoso disse:

        Sua lógica está meio torta Sr. Flávio. “Se Felipe Massa apoia Aécio Neves, também deve achar que na Petrobras só tem ladrão e que o Banco do Brasil deve diminuir de tamanho. Mas a Petrobras é boa o bastante para ajudá-lo a ficar na F-1 e o Banco do Brasil grande o bastante para patrocinar sua equipe”
        Alguma vez o candidato Aécio afirmou que na Petrobrás só tem ladrão? Me passa o link… O BB, os Psdbistas defendem sim a diminuição de sua influencia, bem como da Caixa Economica, mas isso não implica necessariamente em fechar o banco ou sei lá o que vc pensa como “diminuição de sua atuação”. Eu vejo a diminuição da influencia governamental, que utiliza tais estatais como cabide de emprego para apadrinhados politicos, como uma forma de evitar a corrupção que assola este país, mas não necessariamente o banco deve diminuir de tamanho através de privatização ou minguar sua atuação no mercado.
        De qualquer forma, seguindo sua lógica, se eu voto no Aécio concordo com tudo que ele “supostamente” afirma, você e sua paixão por carros e governos soviéticos, você deve concordar com tudo que foi feito durante estes governos? Presos politicos, tortura, partido unico sem voto direto, execuções em massa, censura e por aí vai… Imagino que não… Ou vai me dizer que a corrupção é normal, faz parte, é para um bem maior? A sua lógica está parecida com o do marqueteiro da Dilma.
        ” Independencia do Banco Central -> Falta de controle pelo governo -> Desemprego -> Faltará comida na dos trabalhadores brasileiros…
        Portanto, se voto no Aécio, ou Marina ( para quem a propaganda politica acima foi direcionada), o que quero ao fim, é o desemprego?
        E quem sabe, “nunca” é coisa de ditadura, fascismo… não de um Estado Democrático de Direito como é o Brasil, e olha que agora foi perto hein…
        O Hamilton, Vettel, Alonso, todos grandes pilotos, não são patrocinados por estatais de seus paises, mas o russo (gaspron), Maldonado (PDVSA) e Massa (petrobrás, BB), são… porque? São todos países 100% democráticos ( o Brasil é o melhorzinho), transparentes com a informação e muito desenvolvidos… acho que não.
        De qualquer forma, aprecio muito seus textos e leio seu blog há anos, só não concordei muito com sua logica e achei pertinente escrever essa pequena mensagem.

        Ps: Não votei em ninguem, sou mineiro, e Aécio não me representa, nem o PT.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>