MENU

domingo, 30 de novembro de 2014 - 19:28Automobilismo internacional

LE MANS AQUI (6)

neelvence

SÃO PAULO (valeu) – E deu Porsche. Mas com um susto danado. Faltavam 25 minutos para o fim da corrida quando Mark Webber, subindo o Café, se enroscou (ou foi tocado, a imagem não é clara) com a Ferrari do italiano Matteo Cressoni, da GTE Am, e se espatifou no muro. Seu carro ficou totalmente destruído e um clima de enorme apreensão tomou conta de Interlagos. E só terminou quando as câmeras mostraram o australiano, na maca, acenando com a mão direita.

Foi no mesmo lugar em que ele bateu com a Jaguar em 2003, na F-1, naquela célebre corrida que acabou com a vitória de Giancarlo Fisichella, confirmada apenas no dia seguinte.

Mark está bem. Por isso, a Porsche pode comemorar à vontade sua primeira vitória no WEC, a primeira com um protótipo desde o triunfo em Le Mans em 1987.

Acabou com safety-car, privando o público de Interlagos de uma batalha que seria épica entre o #14 de Romain Dumas, Marc Lieb e Neel Jani, este ao volante no trecho final, e o Toyota #8 de Sébastien Buemi e Anthony Davidson, com o inglês no cockpit. O sexto pit stop dos dois carros foi fundamental para que o Porsche assumisse a liderança, porque não trocou pneus e sua parada foi cerca de 15s mais rápida. Essa diferença era a que separava o #14 do #8 na hora do safety-car. Mas nas voltas anteriores, dezenas delas, a vantagem chegou a ser menor que 1s, o que é um espanto para uma corrida de 6 horas de duração.

O safety-car juntou todo mundo, e se saísse da pista com três ou quatro voltas ainda para o fim, a briga seria linda. Mas demorou para tirar o carro de Webber e a Ferrari de Cressoni, para limpar a pista, para verificar o muro, e por isso a quadriculada foi dada sob bandeira amarela.

Fez-se justiça, de qualquer forma. A Porsche dominou os treinos e foi bom que tenha chegado à vitória em sua temporada de estreia no WEC. O pódio teve também o trio Kristensen/Duval/Di Grassi, da Audi, em terceiro. Muito bacana pela despedida do dinamarquês, o maior de todos nessa bagaça aqui. Leva um troféu para casa depois de sua última corrida, prêmio mais do que merecido para um sujeito com a carreira que tem.

Emerson Fittipaldi, correndo em trio com o italiano Alessandro Pier Guidi e o americano Jeffrey Segal, terminou em 21° na geral, o último dos carros que receberam a bandeirada andando. Na sua categoria, classificou-se em sexto de sete carros. Sua Ferrari ficou parada um tempão, para troca de câmbio. Quebrou na mão do brasileiro, que pelo menos pôde se divertir um pouco.

Foi um belo evento automobilístico, com todos os defeitos que muita gente vai encontrar e que, realmente, arranham um pouco a capacidade dos promotores atuais de organizarem uma corrida de um campeonato mundial. Mas acho que quem veio gostou do que viu.

64 comentários

  1. Foster Móz disse:

    Flávio, bom dia

    já que vão reformar os boxes de Interlagos, porque não colocar uma torre, como em Indianápolis, para que possamos acompanhar o posicionamento dos carros na corrida.
    Domingo, nas 6 horas, só não fiquei mais perdido, porque de vez em quando, alguém com celular fazia um comentário de me atualizava com a classificação.
    Apesar da locução do autódromo, com o som dos motores, tem hora que é impossível escutar os comentários

    um abraço e bom Natal

    Foster

  2. Eu tinha Padock Vip com muita comida de graça e não fui ….Amigos que foram sairam 11 da noite …de tão bom que estava..acho que perdi grande farra …..Não fui .de BRONCA da Formula 1 que o Kassab proibiu propaganda,…só PODE DA MERDA DA PREFEITURA ,ingressos carissimos,carros sem barulho, sem Brasileiro disputando final ( Rubinho se tivesse na Willians tinha FATURADO este ano mas Frank BURRO mandou embora) e ladrões as pencas do lado de fora, se Vc não é roubado pelos ladrões é roubado pelos amarelos te multando sem parar ..talvez Tivesse ido se pudesse para carro la dentro.Assisti pela TV a cabo ao vivo e é isso que quero elogiar ..FAZ ANOS QUE A GLOBO NÃO FAZ TRANSMISSÕES COM LIBERDADE EM INTERLAGOS …a FIA monitora Ela mesmo faz …e FICA UM SACO ASSISTIR FORMULA 1 ATÉ NA TV..Mas neste domingo acho que liberdade sem encheção da FIA ..a Globo fez um MEIA BOCA por que não tiveram tempo nem orçamento para fazer melhor e FICOU OTIMA A TRANSMISSÃO LEMBREI QUANDO SENNA ERA VIVO E A GLOBO CAPRICHAVA…vou falar geração de imagens melhor que Brasileiro e na Globo NÃO TEM EM LUGAR NENHUM DO MUNDO PARABÉNS aos meninos da Rede Globo que fizeram exelente trabalho e PARABENS ao Emerson Fittipaldi que a cada ano fica melhor pena que ano que vem não tem 2015 TALVEZ vá em 2016 .

  3. Paulo Caldeira disse:

    Pessoal não sei o que passa no Brasil que imagem passa da corrida, na Europa passa como uma corrida maravilhosa muito bem disputada e com milhares de pessoas assistindo… agora o que tbm chegou á Europa é de que os organizadores em 2015 não vai ter prova por causa das obras e que a prova só volta com uma novo organizador local … fala-se na Europa que quando o ACO chegou ao Brasil foi confrontado com alguns milhares de reais em divida ainda dos anos anteriores e sendo assim eles não querem ficar na boca do mundo .. pois quem deve dinheiro é o organizador local e não a entidade que promove as corridas pelo mundo fora …….

  4. Ricardo Onil disse:

    Minha 1a vez na Le Mans e posso afirmar que foi fantastico. Sim, teve muitos problemas na organização, principalmente no acesso aos Boxes, mas são problemas contornaveis, da para melhorar.
    Levei meu filho de 7 anos, que simplesmente saiu de la extasiado, há quase um mes fomos os 2 juntos no nosso primeiro GP Brasil, e não há duvidas sobre qual evento ele mais gostou,
    Não conseguimos o acesso aos Boxes, mas tivemos acesso aos Porsche que ele tambem adorou, assistimos a largada e quase 1 hora de corrida hipnotizados com aquela barulheira intensa, assistimos a corrida de varios pontos do circuito, invadimos a Torre de observação, andamos de Trenzinho, vimos a exposição dos carros antigos o qual ele fez questão de tirar todas as fotos possiveis e imaginaveis, aproveitou e comprou um carrinho do Bob Esponja na exposição de Hot Wheels, se encantou com o Fusca e o Corcelzinho da Policia Militar, finalizamos comendo um cachorro quente sentados debaixo de uma das arvores no setor A, tomando uma coca-cola e de sobremesa um clássico Chicabon.
    Da para melhorar e claro, mas eu me diverti muito, e com certeza vamos voltar.

  5. Sergio Ferraz disse:

    FG: qual sua opnião do que tem que melhorar pra estes eventos???

    Não conseguir ouvir o que você falou nos auto falantes durante a corrida… o audio ficou falhando.

    eu gostei… achei mais legal do que ver a formula 1, onde você fica 4 horas esperando pra ver uma corrida de 1h30min

    poder andar por várias partes do circuito me lembrou quando vi uma classificação em silverstone em 2011

    fui no sábado e domingo… no sábado tudo estava às moscas… para quem gosta de ver os carros rodando eu sempre acho melhor o treino livre e classificação, pouca gente

    problemas com fila e organização… achei que foram proporcionais a qualquer evento aqui em Sampa… tudo nesta cidade lota além do esperado, qualquer exposição gratuíta aqui são 3 horas de espera…. ou seja, 50mil pessoas no autódromo e acesso livre aos boxes… por lição aprendida no sábado e aviso de amigos eu cheguei na fila 40min antes e consegui entrar

  6. Rodrigo Moraes disse:

    Quanto à corrida em si, sensacional! Carros e roncos de todos os tipos, muita briga, muita ultrapassagem. Foram poucos carros, mas quando interlagos não for o fechamento da temporada, melhora.
    Quanto à organização. Fui nos 3 anos, e achei este o menos organizado.
    1) Não tinha pulseirinha pra identificar arquibancada, na prática qualquer um podia ficar em qualquer arquibancada, eventualmente alguém te pedia o ingresso, e aí você tinha que achar o canhoto no bolso (torcendo para não perdê-lo). Injusto com quem pagou mais caro, já que todo mundo podia ir a qualquer lugar, com exceção dos locais “vips”;
    2) Cartão de consumo pré-pago: não tem devolução do valor que você creditou, e só depois que você creditou, descobre que não são todos os locais que aceitam esse cartão, e que haverá filas intermináveis pra você tentar gastar o valor que creditou;
    3) Com a imensidão que é Interlagos, colocaram os food-trucks numa área de uns 100m2;
    4) Não havia UMA ÚNICA loja de souvenirs;
    5) Não tinha telão na arquibancada M (tinha que ver as telas através do paddock, longe pacas);
    6) Não havia cronometragem e o aplicativo do WEC não funcionou (poderia ser problema da operadora, mas consegui acessar outros sites);
    7) Pagamos CEM REAIS para deixar o carro nas imediações. Podia ter esquema leva e traz a partir de shoppings ou estações de ônibus, como na F-1 e F-Indy.
    Mas, que fique claro, a corrida em si compensa tudo. Se voltar ao Brasil, vou ver de novo.

    • Claudio Mourão disse:

      Também comprei ingresso para a arquibancada M. Assino embaixo nas suas críticas. Só não posso falar sobre o “7″ pois fui de táxi. Os boxes fecharam 1 minuto antes deu conseguir entrar. Mas aí foi culpa nossa mesmo, chegamos tarde. Deveriam avisar, por exemplo, que todos que entrasse na fila até ás 11:00 poderiam entrar. Depois disso, não.

  7. Lívio disse:

    A corrida é muito boa e a ideia do evento como um todo é legal.

    Porém a organização é muito ruim. Fiquei quase uma hora na fila da visitação para chegar ao final e a mesma já ter se encerrado.
    Carreguei o cartão pensando em comprar 2 espetos e um refrigerante, fico uns 15/20 minutos na fila do refrigerante pra chegar lá e me falarem que precisava pegar ficha no caixa. Porra vc carrega um cartão e ae tinha lugar que aceitava e lugar que precisava comprar ficha. Algo extremamente tosco.
    A impressão que dá é que a organização resolveu distribuir muitos ingressos de graça (eu entrei por ingresso de graça distribuido pro senai) e não se preparou para a quantidade de público.
    Corrida nota 10
    A ideia do evento como um todo – nota 10
    O evento tirando a corrida na prática – nota 0

  8. Ricardo Bigliazzi disse:

    Achei o carro da Porsche fragil.. Tá certo que foi uma senhora panca, mas o carro quebrou no meio. Numa dessa o piloto sai pelos “fundos” do carro e fica completamente desprotegido na pista (como Villeneuve em seu acidente fatal com a Ferrari).

    • disse:

      Ricardo, frágil? O cockpit. ficou intacto, a equipe de resgate abriu a porta de boa por onde o Webber foi retirado. A F1 deixou em Interlagos as safety-barriers no café e final da reta e o S. Nas duas pancas mostraram sua eficiência. Do evento é isso mesmo, que venha uma organização a altura do campeonato.

      • Ricardo Bifulco disse:

        Perfeito comentário Dú.
        Quem assistiu às pancas que os Audi R18 deram em Le Mans no ano de estréia destes coupes viram que em todas as situações, praticamente o carro foi dividido entre cockpit e conjunto propulsor, mas mantendo a célula de sobrevivência intacta.
        :)

      • Ricardo Bigliazzi disse:

        Foi só uma impressão, quando o carro parte ao meio o risco das “costas” do piloto ficarem expostas é razoavelmente grande. É bom saber que o historico é mais do que positivo (nessa categoria).

  9. Rafael disse:

    Flavio, já viu este?
    https://www.youtube.com/watch?v=ZG5C2nyEyFo

    Emerson Fittipaldi num Maverick e Interlagos, narrando uma volta na pista – 1973.

    • luiz alberto disse:

      Caro Rafael , infelizmente esse I N T E R L A G O S que você vê neste vídeo não existe mais,deste saíram a maioria dos grandes pilotos que honraram e dignificaram o automobilismo brasileiro,após a mutilação do traçado original as gerações que se seguiram ,no plano internacional já não honraram e dignificaram tanto o nosso automobilismo, eu não sei se foi uma maldição ou uma simples coincidência que após a mutilação só tenham surgidos pilotos de nível muito bom ,más nenhum de nível excepcional como Emerson,Pace,Piquet,Não cito Senna pois alem dele ter colaborado com o crime da mutilação ,acredito que nunca tenha corrido no circuito antigo uma vez que sua carreira foi feita no Kart e no monoposto fora do país,más ele deve ter sido um caso a parte(sê houvesse corrido no verdadeiro Interlagos, dificilmente teria colaborado com esta “ESTUPIDEZ”. Eu que sou do tempo das coisas que chamávamos de carros de corrida (carreteiras ,Gordines com para lamas cortados ,carrinhos com motor de popa de 1000cc chamados berlinetas ,maravilhosos D K Ws que faziam curva como ninguém ,pilotados por “pilotos”geniais,e as minhas amadas Alfas da equipe Jolly e outros) não me lembro dos pilotos da época reclamarem da hoje temida curva do café,será que após a modificação da curva da junção este problema se agravou ou os pilotos de hoje é que são muito “frutinha”
      Segundo o escrito pelo Roberto Bigliazzi ,ele achou o carro frágil,Más talvez esta ruptura já faça parte do projeto uma vez que após uma batida muito forte e a perda de controle do carro a divisão de massas diminuiria a força do segundo impacto e além de tudo automobilismo sempre foi um esporte de risco alto e quem o pratica tem compreensão disto,e durante muito tempo isto também foi uma forma que atraia muito público(conhecer a técnica e a coragem dos melhores pilotos em circuitos desafiantes ,hoje pasteurizados e sem graça).Corrida sem risco , corrida sem graça é a grande verdade assim como alpinismo,paraquedismo ,balonismo e outros esportes ou será que o Roberto gostaria de ver um salto de paraquedas com o avião em terra ,ou alpinismo com amontanha liberada só após a equipe de terraplanagem te-la liberado ,etc…. Crickert tem matado, praticar automobilismo sem risco já pedir um pouco demais,melhor e pratica-lo só da forma virtual então ou no máximo em radio controle ou autorama.

  10. Marcelo disse:

    Achei que o evento foi bom, mas a organização não estava preparada para tantas pessoas…

    Vamos lá:

    - Uma fila interminável pra visitação nos boxes… (desanimei e desisti. Acho que essa história de todos poderem visitar errada… A visitação dos boxes tem de ser paga ou só para os ingressos mais caros. Façam algo mais caprichado com qualidade).

    - Fiquei na Arquibancada L (saí perguntando pra todos até descobrir aonde era, equipe mal preparada, ninguém sabia de nada…).

    - Dentro do meu setor tinha comida… Nossa, pareciam um bando de mortos de fome que nunca tinham vido comida… A ideia até é boa, mas algo limitado por pessoa… O povo encostava no bar e nunca mais saiam… Não consegui tomar um copo de coca… Desisti e fui comer na “praça” de alimentação.

    - Na arquibancada a TV com a transmissão estava atrapalhando a visão da curva, era só ter colocado mais pra cima que resolvia o problema do reflexo da claridade na tela e da falta de visão… Mas no geral gostei da arquibancada L. Nos próximos eventos voltarei nela.

    - O food truck esta em moda e é bacana… Mas uma “praça” pra cada área do autódromo… Na parte da arquibancada A e B uma, na parte da G outra e uma pra parte interna… Tudo extremamente lotado! Só ficou legal e deu pra curtir depois de três horas de corrida, quando diminuíram as filas…

    - O Cartão recarregável não era aceito em todas as barracas… Como comentado acima, pegar duas filas com algo que é feito para agilizar foi uma furada…

    - Na parte de entretenimento, achei a banda de rock por acaso… Divulgação péssima e local escondido! (esse foi um dos motivos que me levaram a ir ver a Le Mans… Esperava muito mais…).

    - O parque de diversões era pior do que aqueles que montam em época de temporada na praia…

    - Área inútil da polícia e do SENAI. Seria mil vezes melhor, se tivessem colocado vários food trucks e a banda no céu aberto!

    - Trailers? Harleys? Uma piada… Longe pra caramba dos outros setores… Não vi uma Harley se quer…

    Sou fã de Interlagos, mas esta muito longe, mas MUITO LONGE de ser um evento confortável pra passar uma tarde…

    Quem sabe quando privatizarem Interlagos, tomara Deus que em breve, este tipo de evento possa ser comparado a um final de semana em Daytona, onde vc pode acampar e curitr com conforto os carros, as bandas, a comida etc.

    Um abraço Flávio!

    • Por essas e outras é que eu não condeno aquela reportagem recente da Veja sobre as instalações de Interlagos, com fonte identificada ou não. Há anos, a Veja não é nenhum exemplo de bom jornalismo. Mas uma reportagem daquelas não tem, absolutamente, nada de mentirosa. Basta ir ao paddock de Interlagos para comprovar. As equipes e os pilotos podem adorar o lugar, o clima de Interlagos etc., mas não há como negar que toda a estrutura ali está velha e ultrapassada, proporcionando zero de conforto, inclusive para o público.

  11. José Morelli disse:

    Olá Flávio. Fui nas 6 Horas de São Paulo e foi inesquecível ! Conheci Emerson Fittipaldi pessoalmente, tirei foto com ele, cara humilde – não é a toa que é o ÍDOLO que é. Foi absolutamente sensacional, conversei também com Alex Würz, Sebastien Buemi, Anthony Davidson, Stephane Sarrazin e Mike Conway.

    Achei que ia te encontrar lá rapaz e não te vi. Se tivesse com certeza ia pedir um selfie! Mas fica pra uma próxima ocasião quando for pra Classic! Grande abraço!

  12. Elton disse:

    Eu acho que foi um ponto positivo no quesito trazer essa cultura da Endurance ao brasileiro. Faltou um pouco mais de estrutura na area de alimentos e bebidas, mas acredito que devido ao fato dos organizadores não esperarem um publico tão grande.
    Fica aqui uma reclamação em relação ao comentário e titulo na reportagem do Renan do Couto: não foi uma critica em relação ao recapeamento da pista, mas sim ao desempenho da Porsche que se adaptou a caracteristica do asfalto. Soou sensacionalista e o Grande Premio não precisa disso. Chega a fama de favela da F1.

  13. Roberto Fróes disse:

    Não fui, não vi, estou sabendo o resultado agora.
    Vi qualquer coisa na TV ontem à noite, mas estava entretido com um problema grave,
    Já fui a muitas provas longas em Interlagos, no passado. Não eram nem um pouco organizadas, pelo contrário…
    Acho que é errando que se aprende!
    Se nada fizer, nada sairá errado. Nem certo. Simplesmente ficará no zero.
    Parabéns aos organizadores, e que não repitam os erros no futuro.

  14. Fernando Lima disse:

    Assim, as 6h de São Paulo contemplam o 3º vencedor diferente (tratando-se de carros primeiramente…) em 3 edições. Em 2012 presenciei a surra que o então Toyota TS030 deu nos Audis e vencera pela primeira vez no WEC daquele ano…ano passado a briga dentro de casa dos Audis, já que o Toyota havia se espatifado no S após se enroscar com um LMP2 e este ano, para meu delírio, deu Porsche, ainda que não terminou da maneira que gostaríamos. Como disse anteriormente, ver Emerson guiando foi uma honra que guardarei para o resto da vida…não importa a posição em que largou, tampouco a qual chegou. Ver também a última corrida do “cara”, Tom Kristensen, foi igualmente uma honra. Uma corrida inesquecível, e probleminhas extra-pista não vem ao caso nesta hora.

  15. Alexandre disse:

    Pontos possitivos: Corrida, carros, som, visual, tudo muito bom. Outra coisa legal, foi possivel andar pelo audodromo, tinha ingresso do setor A, mas depois de algum tempo como muita gente já havia vazado, foi possivel ir nas outras arquibancadas sem problema, afinal estavam com muito espaço sobrando e creio que não há problema algum em deixar o pessoal transitar numa boa, assisti a corrida em vários pontos diferente.

    Pontos negativos: O sistema de alimentação, fila para carregar cartão, fila para o pedido, fila para pegar o pedido, outra fila para as bebidas, uma aglomeração em um espaço pequeno onde estava os food trucks, lamentável. Muita gente reclamando que não volta devido a esta desorganização, eu mesmo estava com a mesma ideia, porém depois da corrida, mudei, na próxima faço meu lanche e levo de casa.

    Box: Fila enorme para entrar, uma aglomeração absurda para dar uma olhada nos carros, a maldita mania do self. Porra, tira foto do carro, a sua você tira em casa.

    No geral valeu, foi bom.

  16. Marcos José disse:

    Tudo indica que ele foi tocado por está Ferrari. Como a Ferrari é um carro mais alto em relação ao protótipo da Porsche, talvez o piloto da Ferrari não o viu (devido ao um possível ponto cego que ele teve em relação ao carro da Porsche) e daí o toque entre eles na curva do Café (ou seria curva do Webber?) causando com isto a batida e o encerramento da prova em bandeira amarela!

  17. Marcos disse:

    Provocaçãozinha de leve pro FG, em resposta ao post do sabado:

    Chupa, Audi ! =)

  18. Sanzio disse:

    Bom, fui nas outras duas edições e a única coisa que tenho a reclamar é que faltou papel no banheiro. E isso nem culpa da organização é, porque tinha papel na dispensa do banheiro. O tiozinho que estava encarregado de cuidar do banheiro que teve pouca vontade.

    Como eu cheguei meio atrasado a São Paulo e queria visitar os boxes, acabei deixando o carro no SP Market e indo de taxi até o autódromo. Nos outros anos, pra quem ia de trem, tinha umas vans levando da estação até autódromo e vice-versa.

    Pelo menos às 17h, que foi quando eu sai, não encontrei e nem souberam me informar se tinha van fazendo isso. Se realmente não teve, foi mancada. Justo esse ano que o publicou compareceu em peso, era mais que obrigação dar esse tipo de agrado, para reter esse público para 2016.

    A coisa mais legal que vi acontecer na corrida, foi ver uma mãe com duas crianças pequenas sentadas ali em baixo das arquibancadas comendo hot dog. É o sinal mais claro que o espírito de “um evento para a família toda” pegou de vez.
    Tomara que volte mesmo em 2016!

  19. fabiano disse:

    flavio, O Acidente da Formula 1 não Foi em 2002 ? Abs

  20. Assis disse:

    ENGANADO e ROUBADO !!

    Este é o sentimento após ter ido pela segunda, e provavelmente última, vez assistir as 6 horas de Sp .

    Enganado, pois informações oficiais do evento ( via página do Fb ) informaram que haveria transporte de Vans entre a estação Primavera-Interlagos, mais longe que a estação Autódromo, e o Autódromo.
    Estranho, mais plausível, visto que a partir da estação Primavera-Interlagos o acesso a pista é praticamente um corredor de ônibus.

    Qual não foi a minha surpresa ( e a de algumas pessoas que encontrei na frente da estação na mesma situação que eu ) ao desembar na estação mais longe, e não haver notícia alguma de van para o autódromo .
    Peguei um ônibus circular e fui por conta própria .

    Chegando lá, para comer fazia-se necessário a aquisição de um cartão de aproximação do tipo “pré-pago”, ao custo de R$ 5,00 reembolsáveis na devolução do mesmo .

    Carreguei o meu cartão com o que havia planejado consumir ( 1 hamburguer – R$ 10,00, e 1 refrigerante em lata – R$ 5,00 ), deixando assim R$ 20,00 no caixa .

    Devido a impossibilidade de comprar meu hamburguer ( os insumos terminavam rápidamente, e pediam 30 minutos para repor ), após ficar 3 vezes nesta fila, decidi pegar um espetinho de carne/frango/linguíça – R$ 8,00, pois estava com fome, e precisava comer algo .

    Saldo: 20 – 8 – 5 = 7.
    Ótimo, sobrou para comprar um churros ( R$ 6,00 ) de sobremesa, e me contentar com o R$ 1,00 perdido.

    Após minutos na fila ( imensa como todas ) do churros, sou informado que meu saldo é insuficiente. Impossível, favor testar novamente. Mesmo resultado.

    Abro um parêntese.
    Enquanto isso, ao meu lado, uma mulher que tinha 2 cartões com R$ 4,00 em cada um não pode comprar um churros. Fecho parêntese.

    A essa altura revoltado, decidi que iria verificar ambas as questões. Cadê a Van e onde está o meu dinheiro.

    Passei em um estande montado no portão 7 para esclarecimento de dúvidas . a pessoa que estava lá era totalmente despreparada, não soube me responder nada além de me pedir para perguntar para outras pessoas em outros lugares as respostas para minha dúvida .

    Voltei ao caixa, enfrentei a fila e solicitei meu dinheiro de volta. Na minha cabeça, R$ 7,00 . A moça me ofereceu R$ 5,00 pelo cartão, os outros R$ 2,00 eram para se consumir . Ou neste caso carregar novamente o cartão com mais dinheiro, e enfrentar nova fila para consumir algo mais .

    Aceitei que havia sido roubado, e peguei os R$ 5,00.

    Na saída, perguntei a um segurança se ele sabia algo sobre alguma Van para a estação de trem. Ele me informou que no portão 9 havia uma van fazendo este serviço.

    Caminhei até o portão 9, que não era acessível ao ingresso que eu havia comprado, era um acesso exclusivo a funcionários / convidados do Senai.

    Já bastante irritado, disse que a informação que recebi era de que a van saía do portão 9. Este segurança deixou eu passar, mesmo eu não sendo do Senai, onde peguei uma Van, que deixou a mim e a outras pessoas do Senai na estação ……. Autódromo (!!!).

    Resumo: O evento em termos automobilísticos é fantástico, como um amante de automobilismo poderia se recusar a ver estes carros e estes pilotos de perto ?

    Mas para isso ter de manter as espectativas tão baixas é realmente decepcionante . Nota 0 .

  21. Fernando disse:

    Então pessoal, adorei a prova e parte do evento, Arquibancadas cheias, carros maravilhosos, porém a parte da visitação do boxe foi uma m*****. A fila estava imensa e ninguém sabia se ia entrar ou não, pois não teve um limite ou distribuição de senha. Muita gente furou fila ou estava tentando furar. O portão se fechou antes alegando super lotação e muita gente ficou do lado de fora. Meu filho felizmente nem ligou, pois queria fazer e ver outras coisas, como passear no buguinho da polícia que ele adorou. Infelizmente testemunhei algumas crianças chorando muito, o que me partiu o coração, pois queriam visitar o boxe. Vi vários idiotas se gabando de ter furado fila e entrada mesmo(brasil il il il) Dá próxima vez, melhor distribuir essas senhas, assim ninguém perde tempo na fila ou cria falsa espectativa, ou dá uma de espertão passando na frente.

  22. Eder disse:

    Porsche atingindo 330km/h. E a batalha na lmp1 foi incrível.

  23. Felipe Masr disse:

    Flavio Gomes. Como estavam os tempos de volta do Emerson Fittipaldi em relação aos companheiros de equipe (mesmo carro)? Ele conseguiu ritmo semelhante?

  24. Rodrigo disse:

    Se os fornecedores tem um valor a receber, merecem ser pagos. Assim como qualquer outro prestador de serviço.
    Só acho que só devemos julgar algo, quando temos um contrato que mostra o que foi acordado entre as partes, porque se julgarmos sem isso, pode soar “tendencioso”.
    Quanto ao que foi falado sobre os problemas, de fato ocorreram e de forma notavél.
    Entretanto, eu vou todos os anos no GP BRASIL DE F1 e até hoje eu vejo milhares de falhas e funcionários muito mal educados. Ao menos no WEC, muitos deles não sabiam nada, mas ao menos tentavam ajudar.
    Por fim, acho que vale ressaltar que comparar a F1 que vem para SP há 23 anos e tem muito mais alcance de público com um evento que vem há três, é algo dificil. Mas enfim, eu gostei e lamento não ver novamente o ano que vem. Afinal, o mais importante, a corrida foi boa.

    • Ricardo Bifulco disse:

      Exato Rodrigo. Contratos servem exatamente para isso, onde as partes colocam as obrigações, penalidades, multas, etc.
      Quem fez, assume o risco e ponto.

      O resto é mimimi, Acho ridículo ver pessoas utilizando um espaço destes para falar que forneceu isto ou aquilo e o Emerson não pagou e por aí afora.
      Se foi feito um bom contrato e tu não recebeu, cobre de acordo com a justiça e conforme acordado.

      Simples assim.

  25. Apesar de alguns problemas, valeu cada centavo!

    Gastei 1/4 do que gastei na F1 no começo do mês, porém hoje me diverti 4 vezes mais.

    Que saudade que eu estava de chegar em casa com o ouvido meio surdo…

    Sem falar que no WEC você pode rodar por várias regiões do autódromo vendo a corrida por vários ângulos. Não é aquele enlatado da F1.

    Outra coisa que achei demais. Com preços mais acessíveis e ingressos especiais para famílias, deu pra ver muita gente no autódromo! Desde classe média baixa até milionários e todos se misturando em harmonia porque era um público que não estava lá pelo “glamour” da F1 e ,sim, porque gostam de carros de corrida… e que fazem bastante barulho!

  26. Rafael disse:

    Fui somente ontem ao autodromo, decidi gastar um pouco mais esse ano e comprei a entrada pro winner´s club, acima dos boxes, simplesmente emocionante ouvir o som dos motores e ver os pilotos e equipes bem perto.
    Além da comida e das poucas lojinhas, que esse ano so tinha miniaturas, ano passado comprei um colete da red bull, a segurança falhou tb, da uma hora ate umas 2 e meia, quando fui embora, não vi 1 segurança no winner´s club,

  27. Wilson disse:

    Parabéns PORSCHE, Emerson o cara que me fez aprender a gostar disso !!!!!!!!

  28. cjabreu disse:

    Sim a organização não existiu, e isso associado a falta de educação de alguns do público… quase estraga. Mas a pista estava linda, os carros são lindos andam p burro e simmm fazem barulho! O que gritavam as Ferraris!!! Porsches, Toyota da Revolution…Show. Audis andam bem mesmo, mas em silencio, hehehe. Flávio tinha uma combosa lá era a sua? hehehe. Faltou lojas de suvenir das equipes, faltou programa, apresentando os carros pilotos e equipes… Realmente espero que melhore a organização para 2016 terão bastante tempo. O parque de diversões dava até medo, de tão fuleiro!!

  29. Robertom disse:

    A corrida foi boa, mas a organização foi falha em muitos aspectos.
    O cartão recarregável foi uma sacanagem, pagava-se R$5,00 para pegar 3 filas para comprar qualquer coisa, 1 para colocar crédito, 1 para pegar ficha e uma para pegar o produto.
    Para comprar um espetinho e 1 refrigerante 5 filas…
    E as atrações paralelas foram decepcionantes.

    • Vitão disse:

      deviam descentralizar as praças de alimentação, e colocar gente mais treinada. Na arquibancada C tinha fila porque a jumenta que entregava a bebida conversava mais do que trabalhava. MAs apareceu um cara da organização e deu um esporro e a coisa andou. Banheiros limpos, mas lotados. Faltavam cestos de lixo. Faltou comida . Sobrou emoção. Parei o carro na rua Juquirina, em uma oficina da Mercedes Cup. Paguei R$ 40 e fiquei pertinho. Mas cheguei cedo, as 8:00 horas , Imbelicidade foi a prefeitura manter a ciclovia .

  30. Claudio Soares disse:

    Já morreram dois nesta curva do café (ou proxima a ela) e não irão fazer nada para afastar o muro? Para a Stock até fizeram uma chicane, mas e para o resto? Irá mexer na arquibancada… ah tá…

    • Robertom disse:

      A Chicane é depois do Café e na minha opinião não resolve nada, aliás não resolvia, por que foi abandonada na reforma.
      O que resolve é transformar o Café numa curva muito mais suave, praticamente uma reta, retomando o traçado da antiga Junção.

  31. Edison Guerra disse:

    Chegando em casa moído, afinal não sou mais o menino dos anos 70, quando em qualquer fim de semana com provas mesmo do campeonato paulista, a festa era igual ao que vi hoje. Arquibancadas com bom público ( que não aguentaram até o final), diversas atrações, uma razoável divulgação e o sucesso taí! Falando em divulgação, parabéns a você, FG! Fiquei impressionado com a forma como você convidou-nos a comparecer ao evento, nos vídeos da UOL. Bastante convincente, como se deve.

  32. Rodrigo Goulart disse:

    Eu fui e gostei muito. Moro em São Paulo há quase 4 anos e foi a primeira vez que fui ao autódromo de Interlagos. Cheguei a tempo de ter acesso aos boxes. Achei a oportunidade de conhecer os boxes muito legal. Acredito que essa experiência mais próxima com o fã/torcedor acabe por fidelizando os que lá estiveram.
    O som dos motores aos vivo é uma coisa indescritível! Como berram aquelas Ferrari, hein!? Fiquei ali na arquibancada M, justamente para ver as ultrapassagens no S do Senna e o som da redução de marchas das Ferrari era “gritante”, para não utilizar outro adjetivo.
    Em suma, gostei bastante e voltarei outras vezes (se o preço do ingresso permitir).

  33. Victor disse:

    O Brasil não merece ser a corrida de despedida de um cara como o Kristensen. Ele deveria ter se despedido em Le Mans.

  34. Fuel disse:

    Evento extraordinário. Preço pouco superior a uma entrada de cinema. Carros espetaculares. Acesso aos boxes. #aprendeF1. Senti falta de loja de lembrancinhas. Mas a feira de miniaturas foi uma ótima sacada.

    É como um festival de rock. Vá em turma/família, curta as atrações paralelas.

    Um acordo com associação de colecionadores de carros antigos ia bem.

    Público muito bom. Pracinha com caminhões de comida boa.

    O evento foi melhor que ano passado.

  35. Felipe S. disse:

    Apesar de ser emocionante ver o Fittipaldi competindo novamente, algumas coisas não foram muito comentadas nesses dias de maior divulgação do WEC em Interlagos.

    No ano passado, todos lembram da denúncia de fornecedores que não receberam os valores devidos pelo Emerson e dos problemas na organização. Problemas que, pelos relatos, se repetiram nesse ano.

    Eu posso estar sendo injusto mas a admiração que tenho pelo Emmo como automobilista, não tenho por ele como empresário.

    • Emerson como empresário no que diz respeito a automobilismo é uma lástima. No caso das 6 Horas de São Paulo, a desorganização do evento ontem foi de tirar as pessoas do sério, principalmente no que diz respeito à visitação aos boxes, encerrada meia hora antes do previsto na programação. Era para terminar ao meio-dia e os babacas da WEC e organização local começaram a enxotar o público (como sempre, tratado feito gado) às 11h30.

      Ainda cheguei a discutir com o idiota da WEC, que teve a cara-de-pau de me perguntar quem tinha dito que era até o meio-dia e ainda ameçou dizendo que eu não assistiria a corrida se continuasse insistindo em dizer que ainda estávamos no tempo que era nosso por direito (pagamos por isso, é bom lembrar).

      Outra coisa irritante também foi a cara de blasé de vários pilotos na hora de atender o público. Sentados nas cadeiras, autografando suas fotos e entregando às pessoas sem nem olhar pra cara delas. Atitude meramente protocolar, mostrando nitidamente que estavam fazendo aquilo apenas por obrigação. A cara do Nick Heidfeld foi a pior. Era nítido que ele estava odiando tudo aquilo.

  36. Caipira disse:

    Grande Emmo. Ferrari com problemas. Webber porra no cafe. Problemas de organizacao em Interlagos. Os melhores ficaram com os titulos.
    WEC sem grandes novidades.
    Mas valeu demais, nosso erratico pais continua fazendo historia nas pistas.
    Graaannnde Emmo !!!

  37. Rafael Chinini disse:

    já reclamei no outro post, então elogiar mais nesse.

    fiquei espantado com o barulho dos carros! pra quem já viu a boa F1, esses não ficam devendo nada. e são tão rápidos quanto. você ver um carro de autorama passar babando por uma Ferrari não é brincadeira

    só não fiquei até o final pq não tinha mais condição! muito cansativo e estava sozinho pra ver o tempo passar. sai um pouco mais cedo e corri pra casa pra ver os 20min finais.

    pelo menos na largada estava bem cheio. o preço dos ingressos é bem acessível pra quem não pode ir na F1 por exemplo. vale a pena uma vez na vida ao menos.

  38. Bjornn disse:

    Nossa, como o canguru dá azar… impressionante.
    De toda forma, muito show que a porsche conseguiu levar uma no ano de estreia.

    A prova foi muito boa, mas como o Flávio Gomes reportou, acho que houve alguns problemas com a organização que atrapalharam:

    – Não havia pulseirinhas para identificar quem poderia ficar em qual setor da arquibancada. Toda hora que ia entrar eu precisava pegar um pedaço do meu ingresso do bolso e mostrar.
    – Os seguranças implicaram com quem estava no alambrado no S do Senna, para ver a reta de frente. Disseram que era área de imprensa, que ali poderia ser perigoso porque é onde acontecem os acidentes, etc. Ora, ali é um dos melhores pontos para se ver a corrida
    – Em termos de atração extra-pista estava fraco. Muita coisa da polícia militar e do Senai, que não combinam com automobilismo. Não havia nenhuma loja de souvenir com artigos relacionados ao automobilismo. Haviam apenas lojas vendendo miniaturas

    Mas a organização desse ano também teve alguns acertos:
    – Amplo tempo de visitação aos boxes. Eu consegui visitar os boxes e sair sem que ninguém da organização ficasse me mandando embora.
    – O cartão recarregável para comprar comida. Aqui vale uma ressalva: a ideia é muito boa, mas a execução foi ruim. Você precisava pegar fila para comprar/carregar o cartão. Depois, na barraca do pastel, que não vende coca cola, você tinha que pegar uma fila para pedir 1 pastel e debitar do cartão. Aí com o papel que saía você pegava uma outra fila e pegava o pastel apresentando o papel. E depois a mesma coisa para pegar coca cola na outra barraca.

    Para o próximo ano eles poderiam estender ainda mais o tempo de visitação aos boxes e colocar todas as barracas para vender tudo. Assim eu carregaria o cartão, e ao chegar na barraca simplesmente pedira 1 coca e 1 pastel. E pronto.

    Até agora, achei a edição do ano passado a melhor de todas. Mas no ano que vem estarei lá novamente.

    • Vando Monteiro disse:

      assino embaixo no seu comentário… foi esse o sentimento que tive também, porém foi bem mais gostoso que no ano anterior pela grande presença do público… deu mais sabor ao evento… evento bom + preço acessível = arquibancada cheia… automobilismo tem público sim, quanto melhor o evento, melhor o público.

    • Você deu sorte, pois o tempo de visitação foi mais curto do que o previsto. Era para durar das 10h30 às 12h, e às 11h30 começaram a enxotar todo mundo dali. Teve muita gente que não conseguiu ver todos os boxes e ficou sem tirar fotos de todos os carros. Bem que merecia um Procon. Ação coletiva, pois vendem algo ao público que não conseguem cumprir depois.

      É como sempre digo: eventos em Interlagos, só mesmo a trabalho, como fiz algumas vezes, com credencial de imprensa. No papel de torcedor comum, é uma roubada, a não ser que seja na área VIP. Do contrário, você é tratado como gado. Nota zero pro Emerson nesse ponto. Merece mesmo sair da organização desse evento.

      • Vando Monteiro disse:

        não dei sorte… as 10:20 cheguei na fila, entramos em uns 20 minutos devido a quantia de gente que lá estava, e só saímos de lá no horário marcado para liberar os boxes, por volta de 11:45… o que ocorreu foi que devido aos bons preços dos ingressos o público foi umas 3 vezes maior que em 2013, portanto não houve como dar vazão pra todos passarem no pit… mas não dá pra reclamar da atitude da organização… a ideia foi popularizar esse acesso, como ocorreu comigo foi a primeira vez que muita gente teve acesso aos pits de interlagos num evento desse porte e a intenção foi a melhor de todas.

      • Vando Monteiro disse:

        outro detalhe… comprei os ingressos antecipadamente por preço promocional, cheguei no autódromo por volta de 10:10, não enfrentei fila pra retirar meu ingresso, havia os pontos de retirada dos cartões para consumação e os quiosques de comida e bebida em vários setores do autódromo, meu ingresso era do setor A, lá mesmo com o grande público, fiquei no máximo uns 6, 7 minutos na fila pra pegar minha cerveja, ou lanche… ao menos no setor A estava bem nutrido desse suporte, lá na parte interna da pista, devido os eventos lá presentes, realmente as filas estavam maiores, é só aumentar a quantidade de caixas e quiosques vendendo alimentos nos próximos eventos…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>