ACABA, MUNDO | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015 - 1:03Futebol, Gomes

ACABA, MUNDO

SÃO PAULO (não façam isso) – Hoje já é dia 8. Segundo a informação enviada pelo Iván Bianchin via Facebook, a ADC Rigesa pode acabar hoje.

É o time onde joguei, onde passei alguns dos melhores anos da minha vida.

É o melhor time de Valinhos, um dos melhores da região de Campinas, talvez o melhor do universo.

É parte da história do futebol brasileiro. Sim, brasileiro. Campeão amador do Estado, pedra no sapato de Ponte e Guarani quando Ponte e Guarani eram… bem, eram Ponte e Guarani, gigantes, os melhores times do mundo.

A Rigesa pertence à MWV, MeadWestvaco, americana, por óbvio. Preocupada com números, balanços, lucro, lucro, lucro. “Nós ganhamos nossa força dos nossos 16.000 funcionários ao redor do mundo. Estamos em todos os lugares em que nossos clientes estão – operando unidades em 30 países e divulgando nossos produtos em todos os continentes. Não importa onde estejamos fazendo negócios, nós atuamos com foco nos valores essenciais, na sustentabilidade e na contribuição para as comunidades em que vivemos e trabalhamos”, diz um texto na página da empresa.

Senhores, valores essenciais, neste país, passam pelo futebol. Pela história de um clube, de uma cidade, de milhares de pessoas. Talvez menos que seus 16 mil funcionários, OK. Mas certamente essa história custa menos que seus bilhões de faturamento.

Não matem a história por dinheiro. Não matem o futebol por causa de um balanço financeiro. Não matem meu passado, por favor.

fimrigesa

21 comentários

  1. antonio edmar guireli disse:

    Caro Flávio!

    Parabéns pela sua trajetória vitoriosa em seu trabalho, em suas diversas funções. Jamais “um multimidia de araque”! Ao ler seus comentários, e os de seus amigos e admiradores, não pude deixar de escrever também, já que criei coragem de escrever um artigo sobre a situação da ADCR “Que saudade da antiga Rigesa”, e que estou para publicar em um dos jornais da cidade. Estou atacando exatamente essa atitude da empresa, destruindo não só o lazer dos funcionários, mas o esporte e toda a história do clube, ao determinar que, inescrupulosamente, destruissem fotos, taças, troféus, uniformes (cortados com tesoura) e tudo mais que se relacionasse ao esporte. E vão mandar passar um trator sobre o campo. É também a ganância do dinheiro. Uma vergonha!
    Você, que gosta do nosso clube, saberá do que está ocorrendo e, com certeza, lamentará também! Meu nome, acima dito, não deve ser de seu conhecimento, mas meu apelido “Mineiro”, que jogava de lateral direito desde o juvenil, amador, profissional, veteranos, e que disputou todos os campeonatos (valinhense, 2ª divisão paulista, Desafio ao Galo, etc.) em que a Rigesa participou de 1963 a 2013 (50 anos, sim) deve sim ser de seu conhecimento. Eu trabalhei 37 anos na empresa, sendo 20 na área jurídica, e modéstia à parte, sou bem conhecido em Valinhos.

    Um grande abraço a você!

    Toninho Guireli (ou Toninho Mineiro), se preferir.

    .x.x.x.

  2. Rafael Cervantes disse:

    Flavio, sua ADC Rigesa não acabou no dia 8 de janeiro, mas acabou hoje. Dia 4/2/15 a empresa definitivamente encerrou as atividades do clube.

    Uma pena, lamentável.

    Abraços!

  3. Thiago Marinho disse:

    Eu já joguei contra a RIGESA, mas salão, na antiga Liga Campineira de futebol de salão em 1991, nossa, era muito legal essa época !

  4. carlos lima disse:

    Flavio, estimado goleiro-escriba, podem acabar com o time, o que é triste e lamentável, mas não podem apagar suas memórias que ficarão para sempre, felizmente. O leitor agradece pelo post emocionado, comovente. Bravo!

  5. Luc Monteiro disse:

    Um dia vou entender por que um nanico como o Gomes era sempre o goleiro do time. É a terceira referência que tenho de tal panorama.

  6. RENÊ FERNANDES disse:

    Valeu o apelo e apoio seu clamor! Sei como é perder parte da história de sua vida, bem como todos os valores e ensinamentos de qualidade, contidos naquele local. Foi assim com o Colégio da MABE, no Rio, rua do Riachuelo. Era uma família, com bom valores. tudo muito participativo. Norteado pelo Dr. Jose Sebastião Fontes
    (Amigo, orientador e parceiro) e seus filhos. Aprendi muita coisa boa que, se não era brilhante com o básico, desenvolvi outros potenciais em atividades complementares.Era tratado como familiar e lá, depois,estudaram minha irmã e meu sobrinho. Fim das contas, o colégio faliu, o prédio, abandonado, pegou fogo e agora, para meu espanto, virou um hotel 4 estrelas, Um grupo português gastou 100 milhões de Dilmas e na reforma, enterraram todas as características e peculiaridades arquitetônicas, internas do imóvel. Edificação histórica,, diga-se de passagem. Apagar o passado tão tradicional como o deste colégio, desta forma é foda! http://oglobo.globo.com/estilo/boa-viagem/lapa-ganha-novo-hotel-ate-fim-de-2014-12042019 Na reportagem, nem citam o nome da MABE e nem INFORMAM A VERDADE ! http://www.jornalfolhadocentro.com.br/index.php?edicao=181&pagina=3&id_noticia=634. Um pedaço culto e representativo da sociedade carioca e uma instalação histórica foram deletados….

  7. Bruno Bernardo disse:

    Sou de Valinhos, meu pai e meus dois irmãos jogaram futebol quando garotos,e trabalharam depois de adultos na Rigesa. Posso dizer sem dúvida alguma que em breve o local será vendido aos grandes imobiliários da cidade, que praticamente devastaram os únicos locais ainda intactos de mata virgem, construindo condomínios e apartamentos. Simplesmente uma vergonha.

  8. JT disse:

    A turma da OPEP decidiu baixar o valor do barril do petróleo de 100 para 60 dólares por tempo indeterminado. Resultado: ferraram com o pré-sal da Petrobrás, com a extração de xisto nos EUA, com as pesquisas de energias alternativas, entre elas a fermentação alcoólica da cana de açúcar.
    Sei de um laboratório que funcionava no TecnoPark em Campinas, cujos investidores americanos convocaram uma reunião geral na véspera de Natal. Eles comunicaram o fechamento imediato do lugar. Havia experiência em andamento: mandaram tirar o fio da tomada. Todo mundo foi despedido.
    A fila para o exame médico para demissionários estava grande pois havia outras empresas despedindo gente no Brasil.
    A culpa é dos americanos? A culpa é do governo? Não mesmo. A culpa é da gente, que não consegue gerir as próprias empresas e até os times de futebol – todos deficitários, amadores ou não.

  9. Marcelo disse:

    Flavio mas pensa bem, se a Lusa que é a Lusa, Guarani etc estão nessa pindaíba, imagina um time amador bancado por um empresa….Uma pena…

  10. Fábio Burian disse:

    Flávio

    Me desculpe se não te reconheci, mas vc era o goleirão do time

  11. João Paulo Toledo Piza disse:

    Você Flavio é dez anos mais velho que eu, mas joguei muito contra a Rigesa, desde 1987(infantil), ate´2005 mais ou menos, joguei inúmeras vexes no Rigesa(quase vetera), acabar com essa historia é uma vergonhaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa, para Valinhos e Planeta Terra também !!!Abraço Flavio .

  12. Acarloz disse:

    Uma pena….apenas como um paralelo, a GM também está fechando as portas do seu clube em São Caetano, o ADC GM, não dando a menor importância aos apelos dos frequentadores, funcionários e ex funcionários aposentados da empresa…

  13. Conde disse:

    é a crise que afeta o futebol mundial . Lamentável.

  14. Flavio Bragatto disse:

    As pessoas nao tem mais tempo para o lazer, que é disponibilizado pela firma.
    Onde eu trabalho, tem uma quadra de futsal, que para juntar 10 pião pra formar um jogo decente, é uma luta. Todo mundo tef faculdade. Todo mundo tem namorada. Todo mundo tem outro compromisso.
    E assim, nossos espaços vão se transformando em condominios e casas populares, assim como foi feito com boa parte da area de Interlagos.
    O local onde fica o clube da Rigesa vai acabar se transformando em escritorio. Assim como a quadra da empresa que eu trabalho tambem.

  15. fernando disse:

    Meus Deus!! Onde vai o mundo!! Moro em Valinhos desde 1990, me lembro ao chegar que a cidade era pautada pelas duas empresas grandes, Gessy Lever e Rigesa. Todo mundo se orgulhava de trabalhar em algumas dessas.

  16. Thiago Moyses disse:

    Você era o goleiro? Aí em pé na foto? Abraço

  17. Fabio disse:

    Flavio, a ADC Rigesa, já no início de 2014, deixou de participar dos campeonatos amadores de Valinhos. No final de 2013, informaram que iriam direcionar os recursos que utilizavam para manter times em todas as categorias.
    A extinção, infelizmente, é o caminho natural da ADC Rigesa que, nos campos, deixou de existir no começo de 2014.

  18. Paulo Ferreira disse:

    Apesar do apelo emocionado FG acho que é caminho sem volta.
    Alguns amigos Valinhenses e que trabalham na Rigesa já dão como certo o fim da parte esportiva da fábrica, tanto que os trâmites para entregar o campo e sua estrutura para a prefeitura municipal já estão adiantados.

    Só a lamentar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>