GALVÃO NA ESTANTE | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

sexta-feira, 3 de abril de 2015 - 19:09Literatura

GALVÃO NA ESTANTE

SÃO PAULO (na cabeceira também) – Terça que vem em São Paulo, quarta em Salvador e quinta no Rio. Eis o calendário dos primeiros lançamentos da biografia de Galvão Bueno, livro escrito por ele em parceria com o jornalista Ingo Ostrovsky. Segue o release, para a turma já se preparar.

249106_487429_capa_galvao_perspecDividido em três partes, o livro enfoca, nas duas primeiras, o futebol e o automobilismo. A terceira é dedicada ao “jeito Galvão Bueno de ser”, na qual ele detalha como criou seus bordões, fala sobre o programa “Bem, Amigos!” e o que viu de melhor no esporte nacional e internacional nas últimas quatro décadas.

Com prefácio de Ronaldo Nazário, “Fala, Galvão!” traz histórias de quem narrou mais de 40 jogos da seleção brasileira nas últimas dez Copas do Mundo, dos estádios que Galvão conheceu pelo mundo, e de seu amor maior, o Maracanã, que ele chama de “minha casa”. Também revela, em detalhes, como foram os momentos que antecederam o “furo” que anunciou a contusão que tirou Neymar da Copa de 2014.

“Fala, Galvão!” vai muito além do futebol. Pelé, Zico, Ronaldo, Kaká e tantos outros dividem espaço com Ayrton Senna, Nelson Piquet, Emerson Fittipaldi, Rubinho Barrichello e Felipe Massa, nas histórias sobre automobilismo. E a infinidade de talentos se complementa com atletas de outras modalidades, tais como: Jacqueline e Sandra, do vôlei de praia; Giba, do vôlei; Cesar Cielo, Gustavo Borges e Fernando Scherer, da natação; e Oscar e Hortência do basquete. Galvão conta, ainda, os bastidores das transmissões esportivas e de suas parcerias com Reginaldo Leme e Arnaldo Cezar Coelho.

Lançamento “Fala, Galvão!”:

São Paulo
Dia 7/4, terça-feira, 18h30 às 21h30
Livraria Cultura Conjunto Nacional

Salvador
Dia 8/4, quarta-feira, 19h
Livraria Cultura Salvador Shopping

Rio de Janeiro
Dia 9/4, quinta-feira, 19h às 22h
Livraria da Travessa Shopping Leblon

60 comentários

  1. josé guilhermo disse:

    Será que ele vai dar um livro de presente para o Renato Maurício prado? kkkkkkkkkk, nem de graça eu quero

  2. Estive ontem na coletiva de imprensa antes do lançamento e estou com um exemplar. Gostem ou não do Galvão (e ele é ciente de que é querido e odiado ao mesmo tempo aqui no Brasil; palavras dele ontem), não há como negar que boa parte de tudo o que vimos em vários esportes no Brasil tem, de alguma forma, a participação dele nas transmissões. Futebol e Fórmula 1, principalmente. Acho bobagem a maioria ignorar um livro que, de certa forma, deve ter boas histórias de bastidores (estou supondo, pois ainda não o li).

  3. Não fale nada, Galvão! Por favor, entre mudo e saia calado! É assim que o povo gosta!

  4. Fernando disse:

    Vou ler com certeza.

    Independente de gostar do estilo dele ou não é fato que ele esteve presente em muita coisa importante do esporte mundial.

    Deve ter muita história de bastidor legal nesse livro.

    Vai pra cabeceira.

  5. Ferrarista disse:

    Jô Soares, Silvio Santos, Faustão, Gugu, Xuxa, Roberto Carlos… Enfim, a velha guarda ainda está toda na ativa e com o Galvão, que faz parte do clubinho, não será diferente, só vai se aposentar no dia que morrer! Portanto, é bom aceitarem a ideia de ter q aturar o mala com suas chatices por um bom tempo!!

  6. ROGÉRIO disse:

    até ia comprar, mas depois que eu vi que o prefácio é do ROnaldo “voces querem estadio ou escola e hospital” fenomeno! to fora

  7. Flavio disse:

    Tomara que encalhe na estante…

  8. Mello disse:

    “Haja coração” para ler um negócio desses!

  9. marcos disse:

    caso eu ganhe um, vai servir para começar o fogo na churrasqueira.

  10. APM disse:

    Adoro ler. Tenho 4 livros na fila para ler. Se termino um livro e não tenho outro, fico agoniado a noite. As vezes gosto de literatura descartável, com assuntos de pouca relevância. Mas esse livro desse narrador insuportável, dono da verdade, o sabe tudo da tv, dispenso.

  11. Joca disse:

    Nem como papel higiênico serve.

  12. Anselmo Coyote disse:

    Esse cara exerce uma péssima influência sobre as pessoas atraves de sua participação na imprensa esportiva. Desonesto intelectualmente, metido a esperto, manipulador e traíra (já viu como ele abandona um atleta que perdeu?) são só algumas das facetas dessa figura funesta e execravel. Esse cara dá engulhos. Pronto falei.
    Abs.

  13. Ashpool disse:

    Não obrigado.
    Vou esperar sair o “Cala a boca galvão”.

  14. Ricardo Sarmento disse:

    Com todo o respeito e sinceridade: Nem de graça!

  15. Luciano disse:

    Li verdadeiras aberrações à liberdade de expressão. Li pessoa se auto intitulando “os mais inteligentes da população”. Incrível, como as pessoas olham apenas para o seu umbigo. NÃO gosto do Galvão Bueno. No entanto respeito às pessoas que gostam, respeito a Globo, que por acaso é a maior rede de tv brasileira. Será q ela manteria, por mais de TRINTA anos no ar, pagando furtunas para ele e cobrando duas furtunas pelo horário dele se o Galvão Bueno não fosse bom?
    Tenho o direito de não gostar, assim como, todos têm o mesmo direito, mas temos a obrigação de respeitar quem gosta e não chamar quem é diferente de “burro” ou “inculto” ou qualquer outro adjetivo pejorativo.
    Não tenho dúvidas que os leitores deste blog tem opiniões fortes, mas estou de saco cheiro de ler opiniões arrogantes.

  16. Tiago disse:

    Não vou gastar dinheiro com isso não. mto chato esse cara.

  17. Paulo Pinto disse:

    Galvão na estante. E que continue na estante… das livrarias.

  18. rogerV disse:

    Yo lo caguê… nem com curva reta eu compro!

  19. ms disse:

    Deveria ter lançado um livro (acho até que para efeitos de marketing teria sido mais eficaz…..) com o seguinte título: Não Fala, Galvão!

  20. José Eduardo disse:

    Se o título fosse: CALA-BOCA GALVÃO!!! Até valia a pena procurar uma versão pirata de ebook, dar dinheiro para este mala arrogante, que comenta o óbvio. Tô fora!
    Ok, Q ele tem passado na F1, tem história para contar…mas, na boa. na visão arrogante que ele tem, ou na hipótese menos pior, na perspectiva arrogante que ele demonstra em seus programas e narrações…prefiro passar.

  21. Claudio disse:

    Pois é, sua biografia escrito por…..você mesmo………..chapa branca demais….

  22. FRANCÊS disse:

    Depois de tantos anos de F1 aposto que ele canta o HINO ALEMÃO todinho , sem errar.

  23. Luks Felipe disse:

    Vai vender que nem agua… Mas é fato: sua narração envelheceu muito mau

  24. Marcos Steola disse:

    Sem puxar o saco do dono do blog, eu prefiro assistir o fox sports radio night que o bem amigos (esse programa de babação de ovo de convidado). Quanto a esse livro compartilho a opinião da maioria, não vou gastar dinheiro com isso.

  25. perna quebrada disse:

    Prefácio do Ronaldo???

    O Galvão foi contratado pela Nine?

    Poderia ser o Reginaldo Leme, né…

    Deve ser uma babação de ovo…

  26. luiz dellano disse:

    o último grande narrador,, após a morte súbita do ” Bolacha”, nos restou esse mestre da comunicaçao,,, esporte é emoçao,, e nisso ele é inigualável…quem disputou algum campeonato importante profissional ou mesmo aqueles amadores de fim de semana de clube sabe o que estou falando,, salve galvao, o cara que se excede sim, mas que em 99% das vezes se excede para o bem do esporte nacional

  27. Felipe disse:

    Depois q o Senna morreu e o Brasil foi tetra ele ficou insuportável. Antes destes fatos ele narrava muito. E o bordão: olha o gol! olha o gol! Olha o gol! Olha o gol! Chato de mais… Deve ter muitas histórias pra contar.

  28. Conde disse:

    Pessoalmente não admiro pessoas que tem o ego maior do que qq coisa . Se tornou um chato de galocha .Exagerado ao extremo , metido a simpático ao extremo , Over , como tudo que a RG faz .

  29. Mário_Fpolis disse:

    Deveria ter-se aposentado há pelo menos 10 anos atrás, saindo relativamente por cima, e antes de ganhar as alcunhas de Eu Sabia Bueno, Magdo Bueno e Chatão Bueno.
    Mas parece que a Globo favorece a egolatria e essas pessoas deixam de perceber que passaram do ridículo há tempos.
    Não li e não gostei.

  30. SERGIO RICARDO disse:

    Leria um não autorizada que se chamasse #CalabocaGalvão

  31. André disse:

    Sem dúvida é um ótimo profissional, não estaria onde está se não fosse, mas seu ufanismo, misturado com fé e torcida, que em um esporte como por exemplo, a F1, é 99% lógica, técnica, trabalho em equipe e não só o piloto, colaborou e muito para desvirtuar o que é esse esporte para o brasileiro.
    Então, devido justamente ele falar demais, ´é que esse livro nem que me fosse dado de graça, eu aceitaria.

  32. José Brabham disse:

    Antecipo uma corrente de baboseiras vaidosas. Ou será que ele vai contar o episódio do vinho em Adelaide? Rsrsrsrsrsrs

  33. Robertom disse:

    Merece lugar de destaque na estante, ao lado de “Formando Equipes Vencedoras” de Carlos Alberto Parreira, editado em 2006 um pouquinho antes da Copa.

  34. Alfredo Ramos disse:

    Quantos capítulos ele gastou só falando de Ayrton Senna?

  35. Fábio 77 disse:

    Deusmelivre!!!

  36. Antonio Seabra disse:

    Personagem controverso, sua vivencia no esporte em geral, e especificamente na F1 e no Futebol, é inegavel.
    Apesar de concordar com quem diz que será um livro “chapa branca”, considero que será uma leitura necessaria para quem gosta de futebol e de F1, e para quem curte esporte em geral.
    Tipo lema do Globo, seja qual for a sua opinião sobre o jornal, não dá pra não lê-lo.
    Vou considerar comprar o livo. Mas nunca na noite de autografos, dispenso.

    Antonio

    • Anselmo Coyote disse:

      Leitura necessária. Admitemos que sim, apenas para poder prosseguir.
      Para quem curte futebol e F1. Admitamos que sim apenas para poder prosseguir.
      Agora, prosseguindo, por quê? responda e convença racionalmente e lhe dou o livro.
      Abs.

  37. Jason Vôngoli disse:

    O Galvão hoje é objeto de escárnio da “camada mais inteligente” da população mas tenho absoluta certeza de que será cultuado daqui a 30 ou 40 anos, Os moleques de hoje já serão cinquentões e vão suspirar cheios de nostalgia: “E o Galvão Bueno, lembra? Aquele sim era locutor e não esses coxinhas de hoje! Bons tempos!”
    Trechos de suas locuções vão virar bordões em comerciais e na internet do futuro.
    Quem viver verá – e tenho dito.

    • luigi disse:

      Pois é ; Hitler também ainda tem seguidores , portanto sua opinião não me espanta,só é digno de dó !
      Quem ouviu o Velho Barão Fittipaldi narrar uma corrida sabe avaliar a diferença entre os profissionais da área. Um sóbrio , elegante e profundamente técnico (mesmo narrando o filho sendo campeão de F1), e sem “achismos” o outro um festival de ufanismo , babaquices e achismos ,querendo promover bons pilotos brasileiros a categoria dos super pilotos só para manter audiência pachequista . Ele sendo pai de um dos melhores pilotos do Brasil deveria falar menos besteiras quando narra alguma corrida(tai ,um que deveria aprender com o filho, as nuances de que é estar numa competição como piloto e não falar coisa tão imbecis quando esta com o microfone)

    • A.Vandelay disse:

      Locutor nenhum costuma ser lembrado pela massa. Quando muito, de um nicho mais apaixonado pelo esporte. Isso se daqui 30 ou 40 anos, o futebol brasileiro ainda seja tão popular. F1 já não é.

  38. Antonio disse:

    Galvão deve ter muita história boa para contar, mas como é “politicamente correto” não vai trazer a tona nenhuma história que o comprometesse. Ou seja, livrinho chapa branca. To fora.

  39. weslley disse:

    Não serve nem para forrar a gaiola do papagaio…

  40. Ed Wilson disse:

    e a sua opinião sobre Galvão Bueno!Flavio?

    • Luiz Alessi disse:

      Faço a mesma pergunta do Ed. E a sua opinião Flavio? Pra mim isso foi um post pago…….. principalmente pq tenho certeza de que a opinião do Flavio é a mesma de 99% dos comentários aqui..
      Sempre acompanhei a F1 e o Futebol pela Globo, pois é a emissora que sempre teve $$$ pra comprar os direitos de transmissao, e sem ela.. muitos nem saberiam o que é a F1. Consequentemente, vi muitos GPs e Jogos de futebol com a narração do Galvão. Confesso que sua voz esta marcada nas vitorias do Senna, mas isso não supera a sua arrogancia e prepotencia fora e dentro da TV….

  41. Paulo Cesar Ferreira disse:

    Preferiria que fosse não precisa falar Galvão;
    Esta leitura eu dispenso…obrigado

  42. Uai, duas horas depois da postagem e ninguém comentou nem sentou o dedo num likezinho sequer? Por será, hein, hein, hein? hehehe

  43. Anselmo Coyote disse:

    Boa leitura… :/

  44. Irineu disse:

    Com esse aí não gasto meu dinheiro .

  45. Roberto Fróes disse:

    Tá doido, cara!
    Sou fiel partidário do “Cala a boca, Galvão!”.
    Tenho verdadeiro horror à maneira como esse sujeito faz suas transmissões!
    Não sou muito de futebol, tenho lá minhas simpatias, desde criança, pelo Flamengo – mesmo tendo sido nascido e criado numa família Fluminense até debaixo d’água (sempre achei o tal pó-de-arroz meio afrescalhado) – e só assisto a jogos da Copa do Mundo. Nunca na Globo.
    E aturava esse chato de galocha nas transmissões de F1 por falta de opção.
    Hoje existe a Sportv.
    Com a F1 oriental, dá para ver as provas sem ter que aturá-lo.

  46. luigi disse:

    Compartilho com você essa opinião, e acho que os mais interessados em uma rivalidade quase homicida entre brasileiros e argentinos estão lá na parte norte da América que desejam uma América do Sul desunida e subdesenvolvida, essa técnica é muito antiga mas eficaz , era usada pelos Romanos “Dividir para conquistar”. E este senhor com seus estúpidos e chatos bordões ,contribui muito para isto,pois aqueles “torcedores” que gostam de andar todos uniformizados , e com costumes de Hordas Barbaras adoram este tipo de incentivo a “Ir a Gerra” pois não sabem a diferença entre : Disputa esportiva e Batalha possessiva .
    E com todo respeito ; tanto no automobilismo como no futebol ,os ARGENTINOS são muito bons !

  47. Marcos disse:

    Desculpe aí, mas colocar na capa do Olé a manchete “Que vengan los macaquitos” na Olímpiada de 96 (se referindo a uma possível final Brasil x Argentina no futebol) é o que?

  48. Flavio Guerra disse:

    KKKKKKKKKKKKK…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>