MENU

quarta-feira, 17 de junho de 2015 - 12:09F-1

SEIS POR MEIA-DÚZIA?

SÃO PAULO (ingratidão) – A última: a Red Bull, que já não sabe mais o que fazer com a Renault, estaria negociando com a Ferrari para voltar a receber seus motores — que estiveram nos carros rubrotaurinos em 2006 e nos da Toro Rosso de 2007 a 2013. Seria uma especificação “b”, mas diante do caos em que se transformou a relação com os franceses, o time das latinhas estaria disposto até a isso.

OK, os Renault estão decepcionando, mas é preciso atribuir parte da responsabilidade pelo que está acontecendo com a Red Bull ao time, também. Jogar a culpa toda na turma dos motores me parece um pouco injusto. O carro é ruim.

28 comentários

  1. Brabham-5 disse:

    Quem diria hein?
    Acompanho a F1 desde 1980 e vi o domínio dos motores Honda e Renault na maioria dos campeonatos.
    McLaren, Honda e Renault nessa situação. Inacreditável.

  2. Acarloz disse:

    Falou tudo, acabaram com a F1

  3. Clenio Azevedo Vilela disse:

    Sem dúvida. A palavra “competição” já diz. Tragam várias marcas / fabricantes e então aparecerão as soluções!

  4. Ricardo Bigliazzi disse:

    Essa regra do desenvolvimento dos motores é estúpida.

    A Renault já tem um problema na mão, duvido se a situação da Honda não é a mesma.

    Do jeito que esta daqui a três anos nem a Ferrari estará correndo com os seus próprios motores, fica tudo uma categoria monomarca. Todo mundo de Mercedes nos carros.

    Se fosse a Renault conversaria com as Equipes e abandonaria o barco. É uma vergonha não poder utilizar todo o seu conhecimento técnico em prol do desenvolvimento dos motores. Podem falar tudo da Renault, menos que eles não sabem fazer motores. Dessa vez não tiveram sorte, mas tenho certeza que se pudessem mexer a vontade nos motores a diferença de performance teria sido enormemente reduzida.

    • Gustavo Segamarchi disse:

      Verdade, Ricardo.

      Esse congelamento de motores é uma palhaçada, mesmo, a Renault tem potencial para fazer excelentes motores, assim como a Honda também tem.

      Mas o Helmut Marko falou, que mesmo o motor da Ferrari sendo padrão B, ainda seria melhor que um padrão A, da Renault.

      A Red Bull, não acertou no carro desse ano, a equipe está reclamando demais. Até fiquei pensando, se a Ferrari aceitaria ter a Red Bull como cliente e aguentaria ouvir tanta reclamação. Se a Red Bull continuar com esse comportamento, nenhuma empresa irá querer fornecer motores à eles.

      Pode ver, que a Mclaren não fica reclamando da Honda, estão trabalhando juntos para tentar resolver o problema e estão desenvolvendo sua unidade de potência para 2016.

      Na minha opinião, seria um erro realizar essa troca de fornecedor de motores, pois a Renault trabalha EXCLUSIVAMENTE para Red Bull e Toro Rosso. Para melhorar o desempenho da Renault, Honda e Ferrari, é necessário banir esse congelamento de motores, só assim elas poderão alcançar a Mercedes.

    • Allez Alonso! disse:

      Tanto sabem fazer motor que contrataram um terceirizado pra redesenhar a câmara de combustão. A renault desde o ano passado está perdida, tinham o motor mais caro da categoria e foram para o lado contrário do que fizeram Ferrari e Mercedes, o segredo dos híbridos está na recuperação de energia e não no motor a combustão.
      Abandonar o barco seria dar um tiro no pé, o triste pra mim está sendo a reação da RedBull, quando ganham é o carro, quando perdem é o motor…

    • luigi disse:

      O Ricardo esta coberto de razão ,este regulamento é a coisa mais idiota que neste 65 anos de F 1 moderna conseguiu fazer . Como contenção de custos ? Se praticamente todos ano é um carro no ,uma unidade motriz nova e todo mundo parte do zero e tem que dedicar muito dinheiro a criação de um novo carro ou unidade motora que pode não dar certo .Isto já ocorreu com todas as equipes em alguma temporada ,só que na época de regulamentos mais inteligentes e menos engessantes podia-se até construir um carro novo ,motor novo ou coisa que o valha durante a temporada .
      E para lembrar ou mesmo dar conhecimento a quem não saiba ; Foi a Renault a primeiro fabricante/equipe a apostar no motor turbo no final dos anos 70 ,foram motores Renault que desenvolveram e primeiramente usaram válvulas de acionamento pneumático( molas pneumáticas a grosso modo) no comando de válvulas propiciando os motores girarem acima de 15000 RPM ,coisa inimaginável no inicio da F1 moderna . o problema da Renault e também da Ferrari não poder melhor seus motores(unidade motriz) é justamente este regulamento idiota que impões desde a arquitetura do motor até o número de cilindros .

  5. Andre Nascentes disse:

    A chance da Red Bull ganhar o mundial contra a Ferrari usando um motor Ferrari, é a mesma da Manor.

  6. Paulo F. disse:

    O carro é ruim? Pode até ser, mas com diferença estimada em 40 CV (uma CB 400) é F#*@! Não tem como . O motor da Renault não é ruim, é um fiasco!
    É melhor e mais justo usar uma Minardi anciã (que deve estar encostada no museu da Red Bull junto com o Douglas Dc6) com um V10 que empurre !
    Mas creio que já exista um motor sendo desenvolvido, esperando só uma montadora “parceira” para amenizar o custo!

  7. Eudes disse:

    Aí Flávio. Saudades do Mosley? Ele já tinha dado uma canetada e botado ordem na casa.
    Uma boa solução seria limitar o custo do motor por temporada. 15 milhões no máximo e relaxamento das regras de desenvolvimento.
    As fabricantes que arquem com o custo de desenvolvimento, cada uma chegue no seu limite. Ai você diz… todo mundo vai querer o mercedão por 15 milhões e ninguém iria pegar um renault. A Renault que faça promoção, e claro provavelmente a Mercedes iria escolher a quem fornecer, pois não teria condições de fornecer pra todo mundo. Ou vocês acham que o esquema da Honda com a Manor não tem haver com o fornecimento quase de graça e em contra partida a montadora vai ter um laboratório em dois carros a mais no grid pra acelerar o desenvolvimento.
    O que não acho justo é a Mercedes ser punida por fazer o melhor trabalho, o motor da Force Índia fez 7 corridas, esbanjando potência, torque, eletricidade, o diabo. O Renault fez 5 quebras, no segundo ano.
    Nessas horas concordo com Bernie que uma boa canetada ajeitaria a vontade de todos. Senão fosse o velhinho pervertido, onde estariam os custos com testes toda semana, sofisticados tuneis de vento, etc…

  8. Kajima disse:

    Concordo com vc Flávio, penso o mesmo sobre a McLaren, pq nas últimas temporadas dela com os motores Mercedes, os melhores da categoria, deixaram muito a desejar!!!

  9. Chupez Alonso disse:

    Ve44el é um visionário.

  10. Tuta Santos disse:

    Segundo um terceiro, o sonho da Red Bullied é estampar sua marca em um carro em que a cor “RED” seja a principal, e quem detém a relação mais íntima – e indivisível mesque joguem baldes de água fria e deem vassouradas não desindivide – com o tom avermelho-colorado? Acertou quem falou naquelas baratinhas do Enzo.

  11. Anselmo Coyote disse:

    Os motores tem desde 2014 um peso maior na performance das equipes muito maior do que tinham até final da temporada de 2013. Mas não é tudo, senão todos os carros com motores Mercedes estariam brigando e se revezando nos primeiros lugares e só depois viriam os outros. Foi precipitado deixar o Newey ir embora.
    Abs.

    • luigi disse:

      O tempo da escravidão já passou (pelo menos penso ,que já),cada um tem direito de fazer não pode o que quer da vida,nãopode ser obrigado a nada ,Gordon Murray saiu da F1 anda bem jovem (como projetista) deve ter se “enchido” com as pressões e canetadas da F I A para prejudicar projetos bons e ajudar os “amigos” que não tiveram um projeto tão feliz ,e isto também pode ter ocorrido com Newwey

  12. Betocam disse:

    Boa tarde FG. Acho que vou discordar de vc em relação ao carro da RBR. Em Mônaco largaram em 4º e 5º e chegaram em 4º e 5º, só ficando atrás das mercedez (grande novidade) e da ferrari de Vetel., lembrando que em Mônaco o que vale é o carro e não o motor. (È só olhar as Willians. Motorzão Mercedez, largaram lá atrás e chegaram bem lá átras)

  13. Nenê disse:

    Até por que os novatos da Toro Rosso não estão indo tão mal…

  14. Chris Vale disse:

    Flavio, sou um grande fã do seu blog e o acompanho diariamente. Me explique como funciona esse negocio de “versão B” do motor? A fabricas não vendem para as equipes clientes o mesmo motor que usam? Será que a Mercedes corre com uma versão mais potente de motor do que Williams, Force India e Lotus?
    Li essa matéria e fiquei com essa duvida agora, pois no inicio do ano Felipe Massa disse algo semelhante (que a Williams não corria com o mesmo motor da Mercedes) e foi prontamente desmentido.
    Att,

    • Eltontoptec disse:

      É mera especulação, mas vale o registro:

      Parece, veja bem, parece que exceto a Manor, que de fato usa a P.U. da Ferrari de 2014, todas as equipes “clientes” recebem e usam exatamente o mesmo equipamento das fabricantes.. O que difere (e que diferença!) é o software de gerenciamento da geringonça híbrida. Esse parece ser o ponto que Massa se referiu no início da temporada, sem se referir ao programinha maroto, se é que vc me entende. Vai saber…

      • Chris Vale disse:

        Isso quer dizer então que a versão B do motor da Ferrari é, na verdade, uma versão B do software de gerenciamento do sistema hibrido? Ainda estou confuso quanto a isto.

      • Eltontoptec disse:

        Isso não quer dizer nada. É apenas uma especulação que rola por aí, e, uma vez que parece sim haver diferença na qualidade geral de funcionamento e performance do mesmo motor em equipes diferentes (além da diferença de chassi), o boato acaba se auto alimentando.

  15. Speedy Racer da Mooca disse:

    O Adrian Newey ainda é o projetista da Redd Bull?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>