ENTREVISTA COM O BLOGUEIRO (3) | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

segunda-feira, 26 de outubro de 2015 - 20:35Gomes

ENTREVISTA COM O BLOGUEIRO (3)

SÃO PAULO (vão sentir saudades) – Preciso acabar isso logo, antes de chegar novembro. Depois, não terei tempo. Então, vamos à luta. Depois deste lote de perguntas da blogaiada, restarão apenas dois. Tentarei responder tudo amanhã e depois.

Hoje, dando uma rápida olhada, vi que os assuntos estão bons. Não que sejam muito diferentes, mas as perguntas estão bem elaboradas. Algumas, pelo menos. Lembro (sempre) que não edito as questões.

Lá no fim das respostas está o link para quem quiser ler as demais postagens da série. Então, sem mais delongas, vamos em frente. E comentem, canalhas! Vocês andam muito lerdos.

Ronaldo – O que você e o Seixas fizeram em Ímola???
RESPOSTA – Durante muitos anos, cobrimos o GP de San Marino. Faz tempo que não vamos para lá. Pena, era uma corrida legal. Eu sempre gostei do lugar.

proface 010

Não sei o que fizemos em Imola, mas em Barcelona fomos jantar com Galvão, Miriam Dutra & cia.

Daniel Augusto – Minha pergunta é pessoal e profissional ao mesmo tempo. Nos tempos que você viajava para cobrir a F1, as emissoras de rádio, TV e jornais, davam hospedagem e diárias classe A ou essa conta é mais apertada e acaba-se tendo que gastar do próprio bolso?
RESPOSTA – Isso depende de empresa para empresa. De maneira geral pode-se dizer que a Globo oferecia condições melhores aos seus profissionais, entre outras coisas porque o Galvão tem, por contrato, algumas regalias – como categoria de hotel, classe no avião etc. Pagar do bolso é maluquice, ninguém faz isso – aliás, hoje em dia faz, mas prefiro nem tocar no assunto porque não me diz respeito. Quando eu viajava, tinha uma diária da rádio, calculada em função dos gastos em cada país para hotel e alimentação. Dava tranquilo. Também tinha sempre verba para alugar carro, que era pago através de fatura de cartão. O tipo de acomodação também dependia do local da corrida. Tinha lugares em que era preciso alugar casas – Magny-Cours e Silverstone, por exemplo. Em outros, ficávamos em bons hotéis – Montreal, Melbourne, Sepang. Em outros, ainda, a gente procurava facilitar as coisas em função das distâncias para os autódromos – Nürburgring, Budapeste. Em Suzuka eu ficava na casa de amigos. Tudo depende da empresa e do esquema comercial que banca a cobertura. O que eu sempre fiz foi resolver tudo por conta, cuidando pessoalmente de passagens, reservas de hotéis etc. E é claro que havia alguns países mais caros que os outros. A verba para a Inglaterra não podia ser igual à da Hungria, porque os preços eram bem diferentes.

Fernando Passos – Flavio, espero que considere minha questão de forma respeitosa, pois te respeito bastante. Noto que sua visão política é de esquerda, a qual não sigo. Me aparenta que você expõe sua visão política de maneira apaixonada demais, como se torcesse por uma linha política assim como um fanático torce por um time de futebol, às vezes não respeitando quem tem visão diferente ou, simplesmente, não é de esquerda nem de direita. Você é realmente assim como eu o vejo? Caso realmente seja, não acha que isso pode atrapalhar sua vida (não em ser de esquerda, mas defendê-la cegamente)? Adoro seu trabalho e seu blog, mas passo reto por tópicos quando vêm assuntos políticos. Abraços e obrigado pela oportunidade.
RESPOSTA – Sim, obviamente sou de esquerda, porque considero os valores daquilo que se chama de direita absolutamente desprezíveis. Basta dar uma olhada nos expoentes de cada corrente de pensamento político. A direita hoje tem Bolsonaro e Feliciano, por exemplo. Ou Reinaldo Azevedo, Lobão e Roger do Ultraje. Dá para pensar como esses caras sobre qualquer assunto? Dá para concordar com eles? Não, em hipótese alguma. Pessoas como essas eu não respeito, mesmo. E tendo a não respeitar quem compactua de suas ideias, ainda que parcialmente. Sim, sou apaixonado por aquilo que defendo. Qual é o mal nisso? Por que hoje, no Brasil, idiotas podem defender apaixonadamente pensamentos de direita e o mesmo não é aceito quando se trata de defender a esquerda? Por que tenho de achar legal imbecis hostilizarem políticos do PT em hospitais, restaurantes, aeroportos e livrarias? Isso é aceitável? Por que tenho de respeitar quem defende ideias homofóbicas, preconceituosas, racistas e segregacionistas? Você não vai encontrar defensores dessas aberrações entre aqueles que militam na esquerda. Mas encontra aos montes na direita. Só isso seria suficiente para abominar tal linha de pensamento político. Eu jamais dividiria a mesma passeata com um militar acusado de tortura e assassinato. Jamais vestiria a mesma camisa de um evangélico fundamentalista que não aceita que duas pessoas do mesmo sexo possam se amar e viver juntas. Tenho meus princípios, e um lado. Defendo-os com paixão, sim. E por que isso atrapalharia minha vida? Porque não rezo pela cartilha conservadora, reacionária, antiquada, elitista da direita brasileira? Sendo bem sincero, quero que a direita se foda. Não respeito a direita brasileira porque ela defende o indefensável. Simples.

Marcos – Certa vez você disse no Twitter que daria um tiro na cabeça se os simuladores e as competições virtuais tivessem futuramente um teor profissional. Com tantos bons exemplos, como GT Academy e eles sendo utilizados por diversos Coachs, por que você pensa isto? É desinformação ou realmente é contra?
RESPOSTA – Talvez eu tenha exagerado, e esse programa da Nissan me desmente, de certa forma — acharam uns caras bons. Mas já falo dele. Antes, devo dizer que também acho exagerado afirmar que um cara que sabe brincar de videogame automaticamente será um bom piloto. Os simuladores são ótimos e cada vez mais precisos, mas não substituem a realidade. Voltando ao GT Academy (veja vídeo abaixo), eles selecionam gente entre 8 milhões de candidatos. Veja bem: 8 milhões. Se você pegar 8 milhões de advogados, provavelmente vai encontrar dois ou três que saibam pilotar carros, se tiver a chance de incluí-los num programa de aprendizado com tempo, professores e equipamento para tal. Se buscar caras capazes de guiar automóveis de corrida entre 8 milhões de engenheiros, também vai acabar achando dois ou três. O uso do PlayStation é apenas um ponto de partida para algo que vai além do videogame. Alguns desses selecionados se saem muito mal, inclusive, quando são colocados em carros de verdade. Outros se saem bem, já que são orientados por profissionais preparados. Talvez fossem bons se nunca tivessem jogado videogame, também. A única vantagem é que não partem do zero, chegam com algum conhecimento teórico de acerto de carro, noção de traçado etc. Videogame não é uma fábrica de talentos. Mas pode produzir alguns resultados. O que não significa que se você é o fodão do F-1 Plus Manager Mother Fucker será também capaz de sentar a bunda num carro de corrida de verdade e fazer o mesmo. No fundo, é um projeto de marketing muito bem-sucedido e com pouca chance de dar errado porque, de novo, se você usar um videogame para selecionar dois ou três entre 8 milhões, é bem provável que ensine esses dois ou três a pilotarem carros. Sejam eles atletas de videogame, garçons, jornalistas, arquitetos, analistas de sistema ou cozinheiros.


Rodrigo – Você se diverte malhando a F1 sem critério ou argumento sólido ou é só por sacanagem mesmo?
RESPOSTA – Não entendi bem se é uma pergunta ou uma crítica. Eu me divirto escrevendo sobre Fórmula 1, seja para falar bem, seja para falar mal. Se meus argumentos não são sólidos, sugiro que leia outros colunistas, ou escreva para você mesmo.

Clóvis – Flávio, tua visão de jornalismo me motiva muito. Te pergunto se você pensa em lançar um livro em algum momento da tua vida, contado histórias pessoais. E segundo: Quantos carros você tem? E pra finalizar: O que você e Fábio Seixas fizeram em Ímola??
RESPOSTA – Já lancei um livro, “O Boto do Reno”, que pode ser encontrado em sebos virtuais. Eu tenho para vender, se quiser. Já falei dos carros. E já falei de Imola.

Márcio Rezende – Flávio, sou admirador do teu estilo de escrever e de seu modo de ver o mundo, Concordo em quase tudo com você. Mas queria saber se teu amor ao comunismo é realmente como demonstra ou não, porque acho muito utópico acreditar em um sistema em que todos tem que cumprir com usa obrigação pessoal para que o todo funcione.
RESPOSTA – Nunca tinha lido uma definição de comunismo tão… diferente. Bem, já falei sobre minhas posições políticas várias vezes. É só procurar nas perguntas anteriores.

Raphael Paiva – Olá Flavio! Primeiramente, gostaria de parabenizar você por essa iniciativa… muito legal isso… Quanto à pergunta, acho que ela é um pouco polêmica… mas vamos lá… Lembro que certa vez você fez um post sobre a morte do Ayrton Senna detalhando fatos que ocorreram naquele dia… Se não estou enganado, foi nos 20 anos da morte dele… enfim… ao ler aquele post, me pareceu existir dois Flavio Gomes bem diferentes: um antes e um depois da morte do Senna. E é exatamente isso que me leva à pergunta. Após a morte do Senna você, de certa forma, mudou a maneira de encarar a fórmula 1, principalmente no que diz respeito à torcer por pilotos Brasileiros? Um grande abraço meu querido!
RESPOSTA – Não, acho que sua impressão é falsa. Sou o mesmo de antes, no geral. “After changes upon changes we are more or less the same”. O episódio mudou o rumo de minha carreira profissional, mas não foi a única vez que minha carreira mudou de rumo. Depois disso aconteceu várias vezes, por motivos diversos. Portanto, não divido minha vida em a.S. e d.S., como muita gente faz, inclusive – e acho meio ridículo. No que diz respeito à minha visão da F-1, muito menos. Jamais torci para os pilotos brasileiros, nem para os alemães, ingleses, canadenses ou finlandeses. Não é minha função torcer. Só torço, de verdade, para a Portuguesa. O resto, em qualquer esporte, não me interessa. Não faz diferença se o campeão é jamaicano, chileno ou lituano. De verdade, para mim tanto faz. Torcer é para torcedor. O jornalista que torce distorce, se é que você me entende. Acho a torcida desmedida por brasileiros na imprensa nacional uma coisa vergonhosa e constrangedora. Soube que ontem no “Fantástico” o título de Hamilton foi tratado como uma façanha de um cara que “igualou Senna”. Blergh. Mas reconheço que é assim em alguns outros países, também. Itália, Espanha e na maioria da América Latina, por exemplo. E, da mesma forma, acho vergonhoso e constrangedor. Nosso papel, do jornalista, não é esse. O jornalista que torce demais é um mau jornalista. Porque ele passa ao leitor/ouvinte/telespectador uma visão distorcida da realidade. Desculpe a repetição dos verbos — torcer e distorcer –, mas é que eles são realmente necessários nessa discussão. Como não torço para ninguém, muito menos por razões nacionalistas, não distorço a realidade. Em resumo é isso.

Togliatti-s

Palmiro Togliatti, que dá nome à cidade da Lada

Romanista Ferrarista 46 – Olá Flavio! pelo que entendi, você conhece muito bem a Itália. 1) você sabe que a Fiat um papel fundamental na “motorização” da Russia, onde contruiu a fabrica da teve Lada (em Togliattigrad) que comercializou o Zhiguli (Fiat 124). Porque nunca menciona quando fala da Lada? 2) você é um jornalista muito bem sucedido, famoso e reconhecido no Brasil. Na Italia você teria um reconhecimento 10 vezes maior, pelo mesmo motivo pelo qual o Piquet tem um caminhão de amigos e admiradores na Itália, em proporção muito, muito, muito mais do que aqui. É só assistir um video dele numa entrevista com o Zermiani para identificar isto com clareza. Sobre o Piquet, mas principalmente sobre você, poderia “opinar sobre esta minha opinião”? Concorda ou não tem nada a ver? Grazie mille pela oportunidade!
RESPOSTA – Sim, conheço bem a Itália e adoro o país. Sim, claro que sei que o projeto do nosso Laika é o mesmo do Fiat 124 que os italianos venderam para a URSS em troca de aço. Venderam inclusive maquinário e ferramental. Sim, claro que sei que Togliatti, a cidade onde foi instalada a Lada, recebeu esse nome em homenagem a importante dirigente comunista italiano, Palmiro Togliatti. A cidade, inclusive, não existia. Foi erguida para a instalação da fábrica. Mas não preciso falar disso toda vez que citar a Lada, preciso? Creio que é episódio bem conhecido de quem entende da história da indústria automobilística mundial. E a Lada melhorou bem o 124, diga-se. Sobre a segunda parte da pergunta, não sei bem o que dizer. Acho que tenho o reconhecimento que mereço, nem mais, nem menos. A realidade brasileira é diferente da italiana. Não é algo que me incomode – ser mais ou menos famoso. Eu ando na rua sem ser importunado, pego ônibus e metrô, tenho uma vida absolutamente normal. Ainda bem. Quanto ao Piquet, concordo que ele pode ser mais reconhecido na Itália do que aqui. Mas isso tem a ver com a cultura esportiva dos italianos, que é bem diferente da dos brasileiros.

Fernando – Flávio, tudo bem?? Não sei se já perguntaram aqui, mas lá vai: Porque você parou de correr com o Lada na Classic?? Você pretende voltar a correr com outro carro que não seja um Lada?? Pergunto isso, pois curtia muito as descrições suas de antes e depois das corridas, principalmente os vídeos. Curto muito seu trabalho. Grande abraço.
RESPOSTA – Quando aposentei o Meianov, expliquei as razões neste post aqui. Não tenho resposta ainda para sua segunda pergunta. O campeonato mudou muito, o autódromo está funcionando precariamente, ainda não sei o que vou fazer.

DANIEL ROCHA MACHADO – Vc tem algo contra motovelocidade? poxa, coloca mais post sobre assunto.. Como esse mundo ta virando gay né? Um grande VIVA à homofobia!
RESPOSTA – Absolutamente nada. Nenhum site dá tanto espaço para a MotoGP quando o Grande Prêmio. Temos uma jornalista que praticamente se dedica a isso com exclusividade. Mas não dá para falar de tudo. Nesta semana, por exemplo, o assunto esquentou com a briga Rossi x Márquez. E postei sobre isso. O fim de sua pergunta é de uma estupidez atroz. Publico apenas para que as pessoas saibam como você é idiota. Aproveito para informar que você será bloqueado no blog. Cretino.

Rafael Bilibio – Gomes, eu também trabalho com geração de conteúdo para internet e tenho muita curiosidade da estrutura do Grande Prêmio. Como está o mercado de publicidade para vocês na “crise”? Que tipo de receitas o GP arrecada, só publicidade ou algum outro tipo? Ao que você atribui o sucesso do GP (além é claro, da qualidade do conteúdo)? Suas receitas mensais vem mais como colaborador da Fox ou mais do GP? (Não o valor, mas o percentual)…São curiosidades de tenho de um segmento na qual me espelho muito em você.
RESPOSTA – Não falo sobre dinheiro. Apenas digo que o Grande Prêmio passou por bons e maus momentos, e estamos nos virando. O sucesso decorre exclusivamente do trabalho que fazemos, que é sério e de qualidade. A equipe é muito boa.

Mateus Gomes – Além da F1, qual outra categoria do automobilismo ou motovelocidade vc acompanha de perto? Do tipo que acorda na madruga para ver a etapa do Japão por exemplo? Qual figura do jornalismo seja ele esportivo ou não, vc admira e/ou procura se espelhar?
RESPOSTA – Acompanho tudo, uai. Sobre ídolos no jornalismo, acho que já respondi anteriormente. Não tenho muitos. Admiro em especial dois com quem trabalhei, Matinas Suzuki Jr., na “Folha”, e José Trajano, na ESPN Brasil.

Silvana Castro – Se vc não fosse jornalista vc faria o quê???? Se não fosse torcedor da Lusa torceria pra quem??? Quem são seus jornalistas preferidos??? E qual a matéria que gostaria de fazer???
RESPOSTA – Acho que gostaria de ser arquiteto. Se não fosse torcedor da Lusa, não gostaria de futebol. Já respondi, sobre jornalistas. Por fim, tem um monte de assunto que me interessa. Para não te deixar sem resposta, gostaria de fazer uma série de reportagens sobre o que chamo de “futebol de raiz” pelo Brasil. Fora do circuito dos grandes times, da Série A, das arenas, dessa merda toda.

Carlos – Qual um carro clássico que você gostaria de ter em sua coleção?
RESPOSTA – Já respondi, não? Vários, mas se não me engano elegi um DKW F102 em pergunta anterior.

Marconi Lima Teixeira – Por que você acha o Galvão Bueno incomparável? Ele é ufanista demais?
RESPOSTA – Onde eu disse “incomparável”? Acho o Galvão ótimo. Ufanista, sim. Mas quase todos narradores são.

Bruno – Se voce fosse um chefe de equipe de f1 e pudesse contratar qualquer piloto, de qualquer geração (morto ou vivo), quem vc conrataria para ser seu primeiro e segundo piloto e por que?
RESPOSTA – De novo, acho que já respondi. E, salvo engano, elegi Gilles Villeneuve e Nelson Piquet.

diretasjajorge

Foto histórica do amigo Jorge Araújo no comício das Diretas na Sé, em 1984: um amador não faz isso

Harry BSB – O fotojornalismo está morrendo por causa do Iphone e demais celulares? O que vc acha de algumas empresas de comunicação que estão diminuindo a quantidade de fotojornalistas? O que vc acha de empresas de comunicação que estão obrigando os jornalistas a tirarem suas próprias fotografias? Sua empresa tem fotojornalista???
RESPOSTA – O ofício certamente sofreu algumas mudanças com a popularização das máquinas digitais e das câmeras nos celulares. Mas não acho que isso vai matar o fotojornalista. A foto jornalística demanda algum preparo, talento, noção da profissão. Não é todo mundo que sabe fazer uma foto boa. Acho que as empresas cometem um gigantesco equívoco ao dispensar os bons profissionais, que se assemelham a artistas em alguns casos. Conheci (e trabalhei com) vários. Excepcionais. Acho que usar os meios tecnológicos à disposição não é um pecado em si. Um jornalista de texto pode tirar uma foto, também. Não tem problema. Assim como um repórter fotográfico pode escrever um texto. Um não exclui o outro. Mas certamente uma foto de alguém mais experiente e preparado vai ficar melhor que uma foto tirada por alguém que é apenas um curioso no assunto. No Grande Prêmio usamos, sim, fotos tiradas por profissionais.

Marcelo – Comparação absurda! Não se compara cheiro de perfume com cheio de merda, e boca do Galvão é pura bosta, fede muito!!! Galvão é Chato, inconveniente, prepotente, arrogante e imbecíl! Sempre quer ser o dono da verdade, arruma confusão com todo mundo(se não for do jeito dele, ele frita o cara). No trabalho, o Gomes sempre foi extremamente profissional e ponderado nas palavras. Em termos de conhecimento esportivo, Flávio ganha de goleada! Gomes 10 x 1 Chatão *Leva 1 ponto por caridade!!! Gomes mostra a realidade, Galvão sempre quer mostrar um ‘mundo maravilhoso’ que não existe. Nunca o esportista brasileiro vai estar erraro. Ghatão é o eterno mau perdedor, e a pachecada vai na balada, o que não falta é mimimi quando perdem.
RESPOSTA – Publico apenas porque jurei que ia publicar tudo. Não concordo com uma palavra que esse cara aí escreveu. Inclusive perdendo a chance de perguntar alguma coisa. É uma idiotice completa usar este espaço para ficar xingando os outros. Tonto.

Para ler as outras postagens da série, clique aqui.

110 comentários

  1. Raphael disse:

    Eu ri do maluco que malhou o Galvão hahahaha

  2. O Fábio Seixas parecendo o Daniel Ricciardo ahahahaha

  3. Jammal disse:

    Flavio, meu caro, tô adorando esta que já é a maior e mais demorada entrevista coletiva do mundo. Gosto, especialmente, das suas respostas sobre política, porque compartilho o mesmo pensamento que você. Mas não escrevo tão bem quanto você. Por isso, como seu leitor diário de anos, peço que você escreva um post amarrando tudo que escreveu sobre política nas respostas desta coletiva. Pelos comentários aqui, percebo que há muita gente de esquerda que, como eu, tem amigos coxinhas para quem gostaria de enviar um texto claro e provocador como o seu. Obrigado!

  4. Gabriel P. disse:

    È Flávio
    Essa gente da direita não compreende e não quer entender que todos os seres humanos tem os mesmos direitos.
    Continuam não aceitando que pobres tenham carros, viagem de avião ou conheçam outros paises.
    Não se conformam com até quem pensa politicamente diferente tenha sequer os mesmos gostos ou preferencias.
    Acham que só ricos e quem é de direita pode gostar de corrida de carros e/ou outros esportes.
    Quem é pobre ou de esquerda, so tem um direito, que é servir a elite, os ricos e nada mais..
    Por fim, FHC pode ser milionário, mesmo que tenha feito ilegalidades.
    E Lula não. Nasceu pobre, foi operário e assim deve morrer.
    .

  5. BK disse:

    Exite uma reportagem bem interessante comparando o Lada com o Fiat que mostra as melhorias e adaptações feitas pelo russos para a produção do Lada, quem se interessar…

    http://totalcarmagazine.com/classicandbeloved/2014/04/29/fiat_124_vs_lada_shiguli_1200/

  6. Anselmo Coyote disse:

    Começo a ler a “Entrevista com o blogueiro” e antes de começar a esquentar as turbinas ou, quem sabe, a fumaça azul atingir altura que me permita vê-la pelo retrovisor, deparo com essa pergunta. Já imagino o merecido soco no estômago ou no baixo ventre em forma de resposta. E ele vem, no mesmo tom da pergunta. O que há para comentar se é exatamente o que eu penso, o que eu sou?
    Putz, eu penso, que categoria,que clareza de idéias. Se preferisse desenhar não teria sido tão explícito. É isso.

    O que eu posso dizer é que se a direita brasileira fosse só merecedora de um “foda-se” estaria de bom tamanho. O problema é que ela nos envergonha.

    Não podemos nem dizer aos nossos filhos, ainda jovens, ou a um estrangeiro, seja ele argentino, uruguaio, estadunidense, europeu ou asiático, que há no país um debate de idéias entre direita e esquerda simplesmente porque a direita não tem idéias, não tem uma linha moral ou um sistema orgânico e coerente. É apenas a avidez pelo dinheiro através do poder e nada mais.

    “Flavio, espero que considere minha questão de forma respeitosa, pois te respeito bastante. Noto que sua visão política é de esquerda, a qual não sigo. Me aparenta que você expõe sua visão política de maneira apaixonada demais, como se torcesse por uma linha política assim como um fanático torce por um time de futebol, às vezes não respeitando quem tem visão diferente ou, simplesmente, não é de esquerda nem de direita. Você é realmente assim como eu o vejo? Caso realmente seja, não acha que isso pode atrapalhar sua vida (não em ser de esquerda, mas defendê-la cegamente)? Adoro seu trabalho e seu blog, mas passo reto por tópicos quando vêm assuntos políticos. Abraços e obrigado pela oportunidade.
    RESPOSTA – Sim, obviamente sou de esquerda, porque considero os valores daquilo que se chama de direita absolutamente desprezíveis. Basta dar uma olhada nos expoentes de cada corrente de pensamento político. A direita hoje tem Bolsonaro e Feliciano, por exemplo. Ou Reinaldo Azevedo, Lobão e Roger do Ultraje. Dá para pensar como esses caras sobre qualquer assunto? Dá para concordar com eles? Não, em hipótese alguma. Pessoas como essas eu não respeito, mesmo. E tendo a não respeitar quem compactua de suas ideias, ainda que parcialmente. Sim, sou apaixonado por aquilo que defendo. Qual é o mal nisso? Por que hoje, no Brasil, idiotas podem defender apaixonadamente pensamentos de direita e o mesmo não é aceito quando se trata de defender a esquerda? Por que tenho de achar legal imbecis hostilizarem políticos do PT em hospitais, restaurantes, aeroportos e livrarias? Isso é aceitável? Por que tenho de respeitar quem defende ideias homofóbicas, preconceituosas, racistas e segregacionistas? Você não vai encontrar defensores dessas aberrações entre aqueles que militam na esquerda. Mas encontra aos montes na direita. Só isso seria suficiente para abominar tal linha de pensamento político. Eu jamais dividiria a mesma passeata com um militar acusado de tortura e assassinato. Jamais vestiria a mesma camisa de um evangélico fundamentalista que não aceita que duas pessoas do mesmo sexo possam se amar e viver juntas. Tenho meus princípios, e um lado. Defendo-os com paixão, sim. E por que isso atrapalharia minha vida? Porque não rezo pela cartilha conservadora, reacionária, antiquada, elitista da direita brasileira? Sendo bem sincero, quero que a direita se foda. Não respeito a direita brasileira porque ela defende o indefensável. Simples.”

    Abraço.

    • Diego Sampaio disse:

      Não estamos sós! Um foda-se bem dito resume bem nossa opinião sobre essa corja direitista. FG como sempre, cirúrgico à frente do teclado, transcrevendo de maneira clara para bom entendedor que não temos porque concordar e subtermermo-nos à esta corja que não aceita debate, sabem apenas agredir, verbal ou muitas vezes fisicamente, quem não compartilha dessas coisas que são tudo, menos ideias.

    • Prezados Flavio Gomes e Anselmo Coyote.
      Peço-lhes licença para reproduzir o texto acima em meu “Brog do Zé” http://www.josecarlosratier.blogspot.com.br
      Resposta maravilhosa e comentário à altura!
      Muito obrigado, mesmo!!!
      Zécarlos

    • Rogério disse:

      Eu não sou de direita, nem de esquerda, muito pelo contrario. Sou a favor da honestidade, da decência, das pessoas viverem dignamente de seus salarios, terem saude, educação, segurança, etc…
      O que me incomoda nestas discussões é que se sou contra este governo, automaticamente sou taxado de direitista ou de PSDBista.
      Por que se critico Dilma estou automaticamente defendendo o FHC? Não é possivel eu ser contra Dilma E FHC???
      Por que quando digo que sou contra a ideologia atual do PT sou automaticamente taxado como BURGUÊS, mesmo sendo filho de uma costureira que foi abandonada por meu pai (vendedor de peças de automovel) quando tinha meros 6 anos de idade, sendo trabalhador desde meus 14 anos e com um pequeno patrimonio TOTALMENTE conquistado com o suor do meu trabalho? Eu não preciso comungar com a cartilha petista para ser SOCIALISTA.
      FG, essa ideia dessa “entrevista” foi realmente sensacional! Parabéns !

  7. lincoln falcão disse:

    “E, da mesma forma, acho vergonhoso e constrangedor. Nosso papel, do jornalista, não é esse. O jornalista que torce demais é um mau jornalista. Porque ele passa ao leitor/ouvinte/telespectador uma visão distorcida da realidade.”

  8. juli boschetti NP disse:

    feliz aniversário #LULA70!! A pessoa que mais retirou gente da fome e miséria em todo o mundo!! nem ghandi, nem Jesus conseguiram esta proeza. LULA, SIM, MERECE UM NOBEL DA PAZ!!

  9. genaro crescendo disse:

    o que tem de retardado de direita impressiona, não??? direitada homofóbica, corrupta, preconceituosa e que nem se toca que não é rica e fica fazendo o papel de idiota manipulados pelos, esses sim, ricos. Gente como os filhos do Roberto Marinho, donos da Folha, Estadão, ZH, VEJA, etc.. babacas que não se tocam que melhoraram de vida nos últimos 13 anos, mas o ódio cego não os permite ver isso. Ficam brabos porque negros e domésticas hoje podem visitar parentes, ter a mesma TV em casa, e ( o que mais dá raiva neles) podem viajar para o exterior!!! Isso que nem eles podiam viajar para o exterior. Mas os babacas de direita, eleitores do PSDB, Bolsonaro, Pastor Malafaia, Eduardo Cunha, preferem voltar ao tempo que não viajavam desde que os pobres voltem à senzala!!!

    • Francês disse:

      Tem um documentário da BBC, Além do cidadão Kane, que mostra algumas coisitas podres desse nosso país. FBI, EUA, Ditadura Militar, Globo, Roberto Marinho, Collor, não está tudo lá mas esclarece. Principalmente porque nos anos 60 a saúde e a educação no país foram destruídas, ao mesmo tempo que a globo implantou torres de televisão cobrindo 99% do país. Pessoal esquece das doações da era FHC, e faltou pouco para os EUA botarem a mão na petrobrás, já tinha até nome, Petrobrax. A crise no Brasil é intelectual. E a elite é burra, se acha demais, mas está a serviço dos bancos. O problema é a elite burra, essa é a pior. E essa direita poder, que esqueceu do povo. FHC esqueceu do povo. A direita quer é o caos. Porque no caos os banqueiros tomam conta de tudo. É no caos que os espertos se dão bem.

      • Ricardo disse:

        Sou fã do FG mas acho que a polarização onde a esquerda é ótima, só tem intelectuais e a direita é burra é levar ao extremo a ideologia, quase fundamentalista neste caso. Sou de direita, empresário bem-sucedido, não vendo nada para o Governo onde só tem corrupto e tanto faz de direita como de esquerda. Poderia muito bem pegar meu dinheiro e dar uma de intelectual de esquerda tomando café em Paris. Mas não, invisto aqui, gero empregos, pago impostos regularmente, remunero muito bem meus funcionários, aceito a diversidade de idéias, gêneros e tantas outras mais e fico indignado quando leio que a elite é burra é isso ou aquilo. Claro que poderia simplesmente ignorar ou não ler os textos sobre automobilismo do FG por conta de sua posição política mas não. Respeito principalmente sua competência e sua inteligência ao escrever sobre automobilismo e o elogio sempre por isso. Fico estupefato apenas com declarações absolutamente rancorosas e ate mesmo preconceituosas contra a direita, generalizando, estigmatizando e isso certamente não reflete muito a frase onde se diz que não se aceita o evangélico fundamentalista ou quem não reconhece a união entre pessoa do mesmo sexo. Sou de direita sim mas não sou burro nem idiota muito pelo contrário. Respeite a diversidade em todos os aspectos inclusive os ideológicos.

  10. Andre disse:

    Quanta “tontera”!!!!

  11. Bruno disse:

    Flávio, como faço para comprar seu livro ?

  12. Leandro Batista disse:

    Sobre os simuladores, é loucura achar que um sujeito que pilota muito num video game o fará na vida real. No video game não tem downforce. Não da pra sentir o carro como extensão do seu corpo. É a mesma coisa que levar um piloto de Flight Simulator para pousar um 747. Ou um craque do Fifa sei-la-oque para jogar uma partida de futebol.

  13. Johelmyr disse:

    Boa tarde Flávio.
    Consegue me enviar o livro “O Boto do Reno”???
    Se sim, apenas me passe os dados para depósito e o valor no e-mail johelmyr@gmail.com.

  14. Leonardo Koerich disse:

    Sua resposta sobre o posicionamento a esquerda foi uma das respostas mais claras, simples e brilhantes que já li. Várias vezes respondi a mesma pergunta e não me recordo de conseguir transmitir meu sentimento, quanto a esquerda vs. direita, com tal clareza e objetividade.
    Não quero nunca esquecer dessa resposta. Copiei e colei (com a devida citação) na minha página do facebook. Quem sabe assim pessoas, em especial familiares, parem de me encher o saco e entendam o que sinto em relação a direita.
    Obrigado por por em palavras o que eu não conseguia.

  15. JONAS JORGE disse:

    O pior de tudo é que as pessoas acham que podem vir no site que é do Flavio Gomes, falar abobrinha e ainda dizer que ele não pode mandar aqui. Pra quem não sacou, não é porque você pode postar aqui que esse espaço é terra de ninguém. O site é do cara, e devemos respeitar o espaço dele.

  16. JONAS JORGE disse:

    Flavio, falando em atrocidades, há 40 anos “suicidaram” Vladimir Herzog em 25/10/1975. Mencione, por favor, para que não esqueçam e que nos esforcemos para que não se repita. Temo demais a combinação de liberalismo e concentração de poderes, e não vejo algo promissor nos que dizem “oposicionistas” do atual governo, assim como temo aos que acreditam que o capitalismo pode chegar à ilusão do mercado de concorrência perfeita quando o que realmente acontece é tendência ao monopólio e ao monopsônio (vide Souza Cruz). Sendo sincero, prefiro um monopólio do Estado do que um monopólio nas mãos de estrangeiros.

  17. Max disse:

    Acho interessante a pessoa ser comunista e ter uma coleção de mais de 30 carros, que funcionam, inclusive, enquanto milhões de trabalhadores dependem de ônibus e trens lotados para se locomover.

    Divisão de renda para quê? Viva a democracia!

    A mesma que permite um ser deplorável como o Collor ter também sua coleção de carros.

    Fico imaginando quantas bicicletas poderiam ser compradas e doadas se todos vendessem o que não precisam ter.

  18. Saima disse:

    Fiquei um tempo sem acompanhar o blog e nao mandei minha pergunta. Pena. Mas procuro sempre ler, pois FG escreve com excelência. E no mar de imbecilidade que nos rodeia, este blog é uma ilha de sensatez e realidade – o homem defende sua opiniăo e pronto. Não é que eu concorde com ele em tudo, isso não importa. Apenas não posso deixar de louvar sua capacidade. E, admito, quanto tem post sobre política, vou até a cozinha, pego um copo de refrigerante, faço pipoca e rio muito alto com os comentários da “corjinha” e as respostas implacáveis do FG!!

  19. Luciano disse:

    É difícil concordar com um cara tipo o Roger, do Ultraje, porque ele ganha o dinheiro dele, com o trabalho dele, sem depender de cabide de empregos. Como você, acredito que também o faça. É mais fácil defender uma esquerda que se vendeu à direita, que loteou o governo, que buscou apoio no Collor, no Maluf, no Renan Calheiros e até no Cunha. É fácil ser esquerda quando se é sustentado pela direita. Hipocrisia é a palavra mais certa pra hoje.

  20. Diego Santos disse:

    Essa coletiva foi uma dos coisas mais legais que já rolaram nesse blog, do qual sou leitor há um bom tempo… Mas penso que ela foi sub-aproveitada pelos leitores… Obviamente houve perguntas muito bacanas, como a do Daniel Augusto, a do Harry BSB e outras, mas é muito chato ver que uma grande parte delas (senão a maioria) resumiu-se a ataques políticos de gente raivosinha ou à defesa do “mito” de Ayrton Senna… Isso pra não mencionar alguns beócios como o do “viva a homofobia”…

  21. YouCan disse:

    Marcelo fez esta pergunta ao Flávio Gomes, e obteve a resposta que segue:

    Marcelo – Comparação absurda! Não se compara cheiro de perfume com cheio de merda, e boca do Galvão é pura bosta, fede muito!!! Galvão é Chato, inconveniente, prepotente, arrogante e imbecíl! Sempre quer ser o dono da verdade, arruma confusão com todo mundo(se não for do jeito dele, ele frita o cara). No trabalho, o Gomes sempre foi extremamente profissional e ponderado nas palavras. Em termos de conhecimento esportivo, Flávio ganha de goleada! Gomes 10 x 1 Chatão *Leva 1 ponto por caridade!!! Gomes mostra a realidade, Galvão sempre quer mostrar um ‘mundo maravilhoso’ que não existe. Nunca o esportista brasileiro vai estar erraro. Ghatão é o eterno mau perdedor, e a pachecada vai na balada, o que não falta é mimimi quando perdem.
    RESPOSTA – Publico apenas porque jurei que ia publicar tudo. Não concordo com uma palavra que esse cara aí escreveu. Inclusive perdendo a chance de perguntar alguma coisa. É uma idiotice completa usar este espaço para ficar xingando os outros. Tonto.

    É uma idiotice ficar xingando os outros – mas voce pode né ditador ?

    • Leandro Batista disse:

      Discordo quando o cara disse que o Galvao nao manja porra nenhuma de esporte. Um cara nao pode chegar aonde chegou sem ter o menor conhecimento sobre o assunto, no caso dele, o esporte. O que irrita no Galvao é o pachequismo exacerbado.

      • Robertom disse:

        Se V. quer assistir a uma boa narração do Galvão, procure no You Tube alguma corrida do início dos anos 80.
        Podemos dizer que ele piora a cada prova que faz, sua competência diminui proporcionalmente ao seu poder e $uce$$0.
        Frequentemente se perde, erra, persiste no erro, fala o tempo inteiro mesmo sem ter informações sobre o que acontece, sempre tenta demonstrar seu “infinito conhecimento”, o que muitas vezes apenas confirma seus erros, é repetitivo, interrompe os comentaristas e repórteres para falar algo irrelevante mostrando sua total prepotência, além de ser irritantemente super-ultra ufanista.
        Em resumo, tornou-se, Muito Ruim !

  22. Daniel Baron disse:

    Acompanho o blog há uns 3 anos, li todos os posts desde então mas nunca fiz um comentário. Acho que essa pergunta do leitor é uma das coisas mais bacanas que você fez até hoje, eu acompanho você no twitter para ter um “relacionamento” mais pessoal com esse grande jornalista que tanto estimo. Apesar de não precisar desse comentário, continue nesse caminho, vc é um dos poucos que falam o que pensam e não tem rabo preso com ninguém. Me identifico muito com suas ideias. Grande abraço

  23. Luc Monteiro disse:

    Sobre a mudança de rumos na carreira, eu diria que Ayrton Senna e o Grêmio de Futebol (aportuguesei) Porto-Alegrense lhe tiveram o mesmo peso. Ou não?

  24. Eduardo Alves disse:

    https://www.youtube.com/watch?v=chMytInEYqE
    Bom dia Flavio. Não sei se vc já comentou alguma coisa aqui sobre essas teorias do acidente do Senna. Se não, diz qual tua opinião. Eu tenho interesse sobre teorias da conspiração, mas acho que existe muita fantasia tbm. Abraços.

    • Flavio Gomes disse:

      Tenha dó, vai.

    • Robertom disse:

      Senna mandou aumentar o comprimento da coluna de direção porque tinha pouco espaço para as mãos entre o volante e o painel.
      Por estar longe da fábrica, a equipe fez uma solda comum, fora dos padrões de segurança, e a coluna rompeu-se junto a solda quando ele passou por uma emenda no asfalto antes da Tamburello.
      Quando ele virou o volante nada aconteceu, o carro CLARAMENTE SAIU DA PISTA EM TRAJETÓRIA RETILÍNIA,.
      Ele apenas pode reduzir 3 marchas e frear, diminuindo a velocidade de +- 330 Km/h para +- 200 Km/h no momento do choque contra o muro.
      A dupla Bernie/Mosley agiu rápido para proteger o amigo Frank Willams e a Organização do GP de um processo, sumiram as imagens on-board , ECU e peças diversas.
      A conspiração ocorreu depois, apenas para encobrir e invalidar as provas do acidente.
      Nunca saberemos se o Newey envolveu-se diretamente nesta modificação da coluna de direção, mas existe a certeza que houve negligência total na operação de soldagem.
      As conversas sobre suicídio, conspiração são ridículas !

  25. sandro disse:

    É incrível, leio muito o seu Blog, leio todos os dias quando fala de carros, fala de suas viagens, de suas corridas e gosto especialmente quando fala de seus carros, mas quando fala de política você é uma criança, é tudo ou nada, o cara tem que ser de esquerda ou você não gosta e o bloqueia, você não é um cara que pode-se conversar sobre política porque deve ser um chato. Não pense assim, tenho 49 anos e pra mim não existe esquerda ou direita,. pra mim existem boas ideias dos dois lados onde pode-se juntar tudo e separar apenas o que é bom. Votei em Lula em seu primeiro mandato e nunca antes havia votado no PT e veja o que está acontecendo. Pense e não fique com pensamentos fixos, não use Antolhos. Grande abraço.

    • J Fernando disse:

      Você leu as perguntas e respostas identificando as pessoas ou considera todas uma só?
      O Fernando Passos discordou com toda educação da opção política do blogueiro e teve uma resposta também educada e sincera. Em nenhum momento o blogueiro disse que ele seria bloqueado.
      Já Daniel Rocha Machado deu um viva à homofobia. Foi bloqueado. Você concorda com Daniel?

      • sandro disse:

        J. Fernando, Não generalizo e nunca o farei, me referi às críticas e aplausos ao Blogueiro com toda eduzação também, quanto a homofobia existem em vários aspectos, no meu caso tenho aversão aos que se sentem donos do mundo seja lá no que for, não precisa fechar a paulista com “beijaços” pra dizer que é gay e adora ser gay, sou hetero e não fico por ai mostrando nos cantos da cidade, ou mesmo 20 pessoas fecharem ruas atrapalhando centenas de milhares que precisam ir trabalhar e dizem que estão “nos seus direitos”, como dizem “cada um no seu quadrado” e seguimos em frente sem atrapalhar a vida alheia e pensamento de ninguém, apenas isso.

  26. OZZMAIR disse:

    Pra mim pouco importa como o Galvão Bueno é ou deixa de ser, mas uma coisa ficou bem clara no domingo, com a transmissão sendo feita pelo SporTV, o Reginaldo Leme fica bem mais solto. Se bem que, aparentemente, o Sérgio Maurício parece ser um cara muito bacana.

    Um abraço!!!

    • Betocam disse:

      Ozzmair, o Sérgio Maurício pode até ser bacana, mas é muito ruim. Não acerta uma. Não presta atenção na corrida, só dá bola fora e grita pra cacete (irritante). Já o Reginaldo, UM MONSTRO. Sabe tudo.

  27. Thiago Leal disse:

    Vou colocar sua foto com o narigudo (e com o Galvão) na minha capa do Facebook!

  28. Daniel disse:

    “Por que tenho de respeitar quem defende ideias homofóbicas, preconceituosas, racistas e segregacionistas?” Engraçado… a esquerda costuma se alinhar automaticamente com o fundamentalismo islâmico, que defende tais ideias com louvor. Por que a esquerda defende quem enforca homossexuais, segrega mulheres, crucifica cristãos e, de maneira geral, prega a morte de infiéis?

    • Flavio Gomes disse:

      De onde você tirou isso? O fato de ser judeu não te dá o direito de sair mentindo e falando merda por aí. A esquerda não se alia a fundamentalismo islâmico nenhum. Ela pode ser crítica ao governo de Israel (e não ao povo judeu). Também sou. Também acho a política de Israel uma bosta, segregacionista e violenta. Mas não misturo as coisas. Não ataco os judeus por aquilo que o Estado israelense faz. São coisas bem diferentes. Agora vá encher o saco de outro.

    • JONAS JORGE disse:

      Vá a Dubai. Capitalismo e islamismo radical unidos de modo indissociável para extorquir quem inventar de pisar lá (vide trabalhadores explorados e turistas), e financiar ações terroristas. De onde você acha que vêm o dinheiro do terrorismo? E outra, estados alinhados com políticas de economias centralmente planejadas em geral não são estados teocráticos, pois estados teocráticos tendem ao liberalismo econômico.

  29. Apm disse:

    Apenas por curiosidade quantas mulheres fizeram perguntas?

  30. Marcos disse:

    Caraca, parece que você e o Seixas tinham uns 15 anos naquela foto.

  31. Rogerio disse:

    Eu fico cada dia mais assustado com os comentarios que leio em algumas reportagens e duas perguntas que você colocou aí em cima confirmam a miha teoria de que o mundo está se “imbecilizando” dia à dia.
    É inacreditavel a que ponto consegue chegar a idiotice do ser humano.

  32. hermes disse:

    Eu estava na Livraria Cultura e também xinguei o suplicy, que de bobo só tem a cara.

  33. Joca disse:

    A Mirian Dutra da foto é aquela do caso FHC?

  34. antonio seabra disse:

    Flavio,

    Excelente escolha de pilotos para o seu team hipotetico.

    Gilles, um dos mais rapidos de todos, senão o mais rapido, e seguramente, a maior habilidade natural que já sentou a bunda num F1. . Era, também seguramente, o mais ousado.

    Piquet, rapidissimo (vejam o Piquet do inicio de carreira, 79-84, e não deposi do declinio natural com a idade. Nao esqueçamos que nao conhecemos o declinio do Senna, pela morte prematura, mas acompanhamos o declino do Schumacher e de varios outros, com o passar dos anos. Nao considerar a perda de velocidade depois de 86, pós acidente de Imola), e mais o que isso, um piloto completo: acertador de carros, estrategista, sabia fazer escolhas, bom negociador, focado.

  35. Pedro Henrique disse:

    Você já fumou maconha? é contra ou favor da liberaração das drogas?

  36. Rafael disse:

    Adoro o seu blog Flávio, mas suas respostas quanto à política….sinceramente. Aliás, nunca pública ou responde aos meus posts. Mas tudo bem. Democracia é isso. Diferente disque ânsia esquerda pratica. Porque pregar macios e fazer outra é típico da ala socialista/comunista que existe. A pergunta do outro leitor sobre os melhores países com IDH é interessante. Mas claro que você não irá responder. Abraço

  37. Edson Lanfredi disse:

    Devia tomar umas aulas de civilidade com a Milly Lacombe.

    Não é que você não respeita quem é de direita. Você não respeita quem discorda de você.

  38. Eduardo disse:

    Flavio,

    Porque não tem mais F1 em Ímola?

    ABS.

  39. Daniel Augusto disse:

    Flavio, boa noite.

    Obrigado por ter respondido minha pergunta sobre a logística das viagens. Um abraço.

  40. Paulo Freitas disse:

    Sobre a defesa apaixonada dos “valores da esquerda” faço um desafio: citar quais dos países entre os 20 melhores IDH seguem a cartilha que voçê defende. Me refiro à cartilha comunista.

    • Flavio Gomes disse:

      Antes me cite 20 pessoas decentes de direita.

      • Paulo disse:

        Bush… pai e filho eheheh, Fernando Collor, Nixon, só pessoas boas…

        esquerda vagabunda…
        Ulisses Guimarães, Jesus Cristo,… Zilda Arns…

      • Fabio disse:

        Flávio, às vezes quando leio suas passagens pelo tema político e o embate ideológico direita X esquerda, percebo que quando te questionam sobre as falhas da esquerda, você responde dizendo que a direita é uma merda, referindo-se aos “expoentes” que realmente são decrépitos – Bolsonaro, Feliciano and friends. Contudo, quando as pessoas te questionam, estão querendo se referir a você (de certa forma) ser cego ou omisso quando se trata das merdas da esquerda, em especial de um governo que começou na esquerda e terminou/nará na Papuda. O fato do Bolsonaro existir, do mensalão mineiro existir, do trensalão existir, da emenda da reeleição ter sido comprada, não dá direito ao Petrolão existir e ficar impune. Se foi um erro não punir lá atrás, não quer dizer que não se pode mais punir agora. E, quanto ao aspecto econômico do governo papudista, parece cada dia mais óbvio os erros da equipe mantego-econômica. Isso não quer dizer que o oposto é totalmente correto, é claro! E quando o pessoal te questiona se o comunismo é bom, é porque Coreia do Norte não é bom exemplo de nada né? Ou é? Isto não siginifica tirar os méritos que houveram no sistema soviético, em que pese (na minha opinião) o sistema capitalista ser melhor desde que (e aqui reside o problema) o ser humano não seja essa porra invejosa e doentia que é, e que é a causa dos males sociais que nos assolam. Por fim, lendo aquela definição de comunismo que um leitor seu escreveu, realmente é a mais diferente que já li, e para mim é a mais verdadeira, embora utópica, pelo fato de que o ser humano não é nem busca a perfeição moral que aquela definição exige. Um abraço!

      • Raul Neto disse:

        Existe País descente?

    • Fernando disse:

      Vou pegar carona por aqui se me permite Paulo. Sobre a pergunta de Fernando Passos. Concordo com tudo o que você pensa sobre a direita retrógrada, mas ele também perguntou sobre as pessoas de “centro” e você se omitiu. Muitos dos “pecados” da direita também são/foram cometidos pela esquerda, defender apaixonadamente certas coisas feitas pela esquerda no decorrer da história me parece simplesmente compactuar crimes.

      Defender governos autoritários, achar que tutelar os cidadãos é correto, afirmar que devem ser controlados, hum, me parecem valores de direita, não combinam com você.

      Perdão, mas fingir que não existe “centro” e escolher um dos lados criminosos – e no caso da pergunta – com tanta paixão, me parece incoerente. Sejamos de esquerda ou direta, ou melhor, de centro-esquerda ou centro-direita, mas sem paixões, há criminosos em todos os extremos. Abraço.

    • Palestra Itália disse:

      Esquerda não se resume a comunismo norte coreano meu caro. Por exemplo, social democracia é uma vertente política de esquerda mais moderada, e tem profunda influencia na formação da sociedade moderna na Europa ocidental e do que se conhece com estado de bem estar social (Que nada mais são do que políticas sociais que visam melhorar as condições de vida dos mais pobres, e que é tão execrada atualmente no Brasil). Suécia, Noruega, Finlândia, França, Alemanha (que com certeza estão entre os 20 melhores IDHs) são alguns exemplos de países com grande influência da social democracia. A Suécia é conhecida nos EUA como “paraíso socialista”, tamanha é a igualdade social e as políticas sociais.
      Então, respondendo sua pergunta, diria que em praticamente todos melhores IDH´s do mundo os partidos de esquerda estão ou estiveram no poder e ajudaram a formar essas sociedades como as conhecemos hoje
      Essa geração de leitores do Rodrigo Constantino precisa se informar melhor…

      • Diego Santos disse:

        Brilhante… Sintetizou em poucas linhas aquilo que a gente já sabe há tempos…

        Dureza é a gente passar anos buscando informação e conhecimento por conta própria e ter que perder tempo explicando tudo didaticamente pra turminha do Olavo de Carvalho… Dá uma preguiça desgraçada, viu…

      • Fernando disse:

        Perfeito comentário, mas esta esquerda de que fala não é a que se instalou por aqui. Simplesmente porque não geramos renda suficiente para bancar o estado do bem estar social.

        Aconteceu com Portugal, com a Grécia, só prá citar dois exemplos óbvios.

        Se essa fosse a intenção – não acredito – ainda assim esta esquerda não conseguiria. Não há renda, não há produtividade, investimento nem infraestrutura, somos pobres, é fato.

        Seria uma cretinice ignorar o sucesso da esquerda moderada e realmente humanista que conseguiu sobreviver na Europa, em países antigos e geralmente pequenos. Na realidade seria um sonho se o mundo todo pudesse ser assim, infelizmente não é.

        Aqui esta semente foi plantada – não importa com qual intenção – em solo infértil, e agora estamos retrocedendo, em muitos aspectos, e parece que o motivo é simples: trata-se de política insustentável em países pobres, com elites – principalmente as políticas – ética e moralmente desprezíveis.

      • Fabio disse:

        Concordo. Por isso voto no Partido da Social Democracia Brasileira. De esquerda não é mesmo? ou daí é direita??

  41. Elvys disse:

    Uma palavra define a direita brasileira representada pelas figuras que você mencionou em sua resposta (me recuso a repetir os nomes): primitiva. Simplesmente não dá para discutir com qualquer que idolatre essas figuras. Se ainda fossem inspirados por liberal letrado, vá lá….

  42. carlos lima disse:

    Flavio, estimado escriba, o leitor agradece pelo que aprende com a sinceridade e integridade da sua rica verve.

    Bravo!

  43. O melhor é a palavra final: tonto. kkkk

  44. Professor disse:

    Texto por telefone…desculpe os erros

  45. Professor disse:

    Fora dos planos, perdi o momento de perguntar, sei lá, faltou criatividade, mas sempre que falo em alguém que escreve bem cito vc. Vou fazer uma pergunta aqui, sabendo que a possibilidade de haver uma resposta é pequena, pois abriria grave precedente para mais perguntas etc. A sua forma de escrever é acadêmica ou vc percebeu que poderia melhorar as estruturas gramaticais ou jornalisticas? Cara seu texto é incrívelmente justo, perfeito, limpo. Aprendeu sozinho? Fale sobre o ” escrever” para a mulekada ( mulecada) que quer ser jornalista.

  46. Clayton Moura Belo disse:

    Caro “Vladi Drakul Gomov”, agora que você respondeu minhas perguntas e eu já tive meus quinze segundos de fama, vou comentar estas últimas respostas, afinal as carapuças de “cretino” e “lerdo” me serviram. Não faz muita diferença meu comentário, mas, se pudesse resumir o espírito de seu blog em um único verbete, usaria a palavra “identidade” para definir o GRANDE PRÊMIO. A essência de sua personalidade está neste seu empreendimento! Conhecer (virtualmente) a pessoa de Flávio Gomes e depreender que ela não está disrupta com o profissional-torcedor-jornalista-professor-comunista-ateu-ranzinza-bem-humorado-cosmopolita Flávio Gomes é confortante. Principalmente, quando o mundo carece de autenticidade e esbanja falsidade!!! Vi a verdade em todas suas respostas. Achei, pelo esforço e pela coragem, um empreendimento beirando o sobrenatural este “Entrevista com o vampiro”. Por todas as respostas até aqui dadas, sinto-me tranquilo ao sentir que vou ter esse blog para ler, ver e ouvir durante, ainda, muuuuuuuuiiiiiiiiitttttttttooooooooooo tempo!!! E, faça-me um favor: continue escrevendo (ou seja lá em qual mídia for, expressando-se) até o penúltimo suspiro nesta dimensão! Você pode até não admitir (pode achar “piegas”, “puxa-saquismo”, “algum-outro-adjetivo/substantivo/pronome oblíquo”), mas já melhorou um pouco o mundo em que vive e de algumas pessoas que o compartilham contigo. Faz escola! Por tão simples que possa ser, valeu, Vladi Drakul Gomov!!!

    • Flavio Gomes disse:

      Muito obrigado.

    • Clayton,

      abri os comentarios para agradecer o FG, não somente pelas respostas a mim fornecida, mas principalmente pelos motivos que voce sintetizou muito melhor do que eu, com o meu portitalianosemcorretorhortografico, faria.

      … me senti tão bem que não posso não lhe pedir um favor… responda ao PROFESSOR!!!!!! #fgrespondaaoprofessor. Vou abrir uma petição.

      Então muito obrigado FG, me senti muito honrado em ter suas respostas… e com certeza a Lada melhorou o 124!!!

      • Clayton Moura Belo disse:

        Rsrsrs… Caríssimo RomanistaFerrarista 46!!! Pode deixar. A propósito, também sou ferrarista (e considero Vettel o melhor piloto alemão que a Ferrari já teve; melhor até do que Von Trips e Schumacher. Vamos dar tempo ao tempo…) e fiz promessa para “Padim Ciço”, “Iemanjá” e “Senhor do Bonfim” para VR46 levar o título na Comunidade Valenciana: para o bem do motociclismo, para coroar uma carreira não menos que brilhante, pelo bem da indústria das duas rodas (já reparou quantos moto-boys têm adesivo “46″?). Não vou polemizar quanto ao acidente em Sepang. Marques tem o potencial de se tornar um grande gênio e colar seu nome junto ao de Agostini e Valentino nas galerias… mas vai precisar daquele amadurecimento que só o tempo (com sangue, suor e lágrimas) dá. Por enquanto, Marc, respeita os mais velhos: é bom, todos gostamos e faz um bem danado pros dentes!!! Abraços! (clayton.mourabelo@hotmail.com)

  47. emerson57 disse:

    Senhores Flavio Gomes e Fernando Passos,
    Informo que achei tão relevante a resposta dada à pergunta acima que (sem autorização!) recortei, grampeei e colei no blog do Luis Nassif .
    http://jornalggn.com.br/noticia/clipping-do-dia-735

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>