O QUE PENSAR? | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

quinta-feira, 19 de novembro de 2015 - 16:36Autódromos, F-1

O QUE PENSAR?

SÃO PAULO (não sei bem) – Conheço Tamas Rohonyi há anos e gosto muito dele. É o organizador do GP do Brasil há décadas, e já tivemos alguns arranca-rabos por conta de coisas que escrevi sobre a corrida de Interlagos em anos passados. Mas nunca faltou algo essencial da parte dele: respeito.

Por isso, respeito muito a posição que o promotor externou sobre a F-1 no Brasil em entrevista ao Grande Prêmio. Segundo Tamas, a corrida vem dando prejuízo porque as empresas que patrocinam o evento têm cada vez menos dinheiro para gastar, e os custos para sua realização só aumentam.

Não duvido. A F-1 é um evento caro, mesmo. O promotor usa exemplos de GPs em outros países, como Rússia, Abu Dhabi, China e Cingapura, que contam com fortes investimentos dos governos locais. Algo que não acontece aqui, embora a Prefeitura gaste todos os anos alguns bons milhões para montar e desmontar arquibancadas, e também esteja gastando para adequar o autódromo às exigências da categoria.

É tudo verdade. O que não quer dizer que seja correto. Apesar das vantagens que uma cidade aufere quando sedia uma competição esportiva de porte, é preciso ter em vista que qualquer evento desses tem caráter privado. São vendidos ingressos, camarotes, placas de publicidade, direitos de transmissão etc. Tudo isso compõe a receita que deverá ser contraposta às despesas — que são muitas, incluindo a taxa que o organizador tem de pagar a Bernie Ecclestone para ter o direito de fazer uma corrida. No final de tudo, se a conta ficou no azul, ótimo. Se ficou no vermelho, é preciso entender o que aconteceu.

Se tem tanta gente interessada em entrar no calendário, é porque de alguma forma esse negócio dá lucro. Não fosse assim, Tamas não estaria há tanto tempo à frente do GP — há alguns anos, a Globo comprou sua empresa e passou a ser, na prática, a promotora da corrida. Segundo Tamas, ela tem subsidiado o GP.

Acho que “subsídio” não é palavra que se aplica, neste caso. A Globo está pagando o que tem de pagar para fazer um evento que é dela, e com o qual gera receita para, teoricamente, arcar com as despesas e colocar algum no bolso. Se essa fórmula não está mais dando certo, vai ser preciso rever seu modelo de negócios, buscar dinheiro em outros lugares, dar um jeito de fazer do GP um evento sustentável, de alguma forma.

Mas é na iniciativa privada, no deus mercado, que a Globo terá de procurar suas saídas. E não pedindo dinheiro para governo, qualquer governo, sob a alegação de que o evento gera receitas para a cidade e ela, portanto, precisa ajudar a pagar a conta.

Essa conta já está sendo paga com a simples existência do autódromo, que é público, custa caro na sua manutenção e passa por obras todos os anos para atender ao que a FIA pede — Globo e FOM não ajudam nas despesas, e nem tinham de ajudar, mesmo. Mas quando fecham Interlagos para seu evento particular, aí passa a ser problema delas. O governo entra com a pista, cuida das arquibancadas e olhe lá. Não fosse o poder público, nem haveria uma pista para correr. E não faz sentido que sua participação vá além disso.

É o capitalismo, Tamas. Que você conhece bem.

269595_558537_gp_brasil_de_f1_corrida_em_interlagos_beto_issa___2015.11.15__1_

46 comentários

  1. disse:

    Não sei se 2011 ou 12, com o Rodrigo Lombardi fui a Interlagos ver a montagem das equipes, e depois fomos dar um abraço no amigo Chico Rosa. Nessas estava numa das salas da administração um cliente da Oficina do Lombardi, que o chamou para sentar e bater papo. Resumo da ópera: Era advogado da Globo, estava lá para cumprir formalidades, e que a Globo não estava mais a fins de investir todo ano R$ 40 M. no GP Brasil.
    Fernando Haddad com “suas alianças” políticas na SPTuris mostra que está vendido para tentar reeleição, busca de um poder em troca do seu caráter.

  2. Simão disse:

    FG se o evento agora é promovido pela Globo acho que é “contra senso” a prória prmotora deixar de transmitir treinos e até corrida. Se o negócio é dela, por que então não divulgar ainda mais??? Acho que erram na estratégia.Deixar a transmissão apenas para o canal pago (SPORTV) é limitar a audiência. Afinal a maioria do povão não tem TV a cabo. Acho muito estranho tudo isso!!!! Seria só incompetência mesmo ou tem boi na linha???

  3. Rafael Vieira disse:

    É de cair o cú da bunda uma noticia dessas. A prefeitura mobiliza um caminhão de dinheiro pra atender as necessidades desse evento, trabalha pra ajustar o autódromo como nunca visto antes nesse país, ai vem o rapaz que lucrou a vida toda reclamar que não está bom para ele? Faça me o favor.

    Seria bom houvesse, mas não acredito muito, alguma coisa no papel quanto a ressarcimento dos cofres públicos caso o moço que organiza dê pra traz com o evento nos próximos 10 anos.

    Fazer um evento desse é claro que não é barato nem simples, mas que a F1 no Brasil é uma M…. para os fãs não tenha duvida. Já estive em alguns GPs fora de Interlagos e essa organização atual não manja nada de evento, captação e fidelização de publico, não que eu saiba algo, mas eles poderiam visitar alguns GPs mundo a fora, tirar a bunda do Paddock Club e ir dar umas voltas nas instalações do grande publico pra ver como e que as coisas são feitas.

    Mas pensando bem tb, quem sabe se esse moço der pra trás alguém melhor não resolve assumir a bagaça. Vamos pensar no provérbio Chinês da Vaquinha.

  4. Winston disse:

    Concordo com tudo que o FG falou.
    O problema é que a F1 esta um saco, o produto esta horroroso, esses carros são um porre, para a Globo segurar um evento com menos de 10% de audiência fica difícil. Será que ninguém pode jogar esses carros no lixo e trazer de volta os carros de 2008?

  5. Thiago disse:

    Eu acho que nunca se pode desconsiderar os ganhos da cidade. Rede hoteleira, serviços, todo o dinheiro movimentado, e isso sendo revertido em ganhos com o ISS pra prefeitura. Do lado do investimento público, aparemente a coisa compensa da forma como está (disponibilizar / manter o autódromo).

    Com relação ao discurso do prejuízo, tem uma cara de mimimi calculado pra conseguir aporte de dinheiro público, a famosa socialização do prejuízo.

    Bom texto.

  6. Luiz disse:

    Quanto será que foi o custo daquele longínquo GP Brasil, quanto custava um carro de F1! Quanto custava um michê? Quanto custava o ingresso? Resposta: Baratinho, tem que ver que comparando, era melhor, que mesmo infinitamente mais barato era infinitamente melhor. É a grana que ergue e em seguida destrói tudo pela frente.

    • disse:

      Vou dar um número de 1973: No GP Brasil, como a Souza Cruz via Marca Hollywood estava já pensando em voar mais alto, e não interessava patrocinar Luizinho Pereira Bueno no GP, Antonio Carlos Scavone conseguiu com a Globo a verba para alugarem uma Surtees e Luizinho correr. 50 mil dólares..

  7. Ricardo disse:

    Fala pra ele pedir pro Itaú ou pro Bradesco, que estão voando nessa “crise”!

  8. Diego - Floripa/SC disse:

    Mais um choro para a gente financiar isso, absurdo.

  9. Alexandre Quintão disse:

    Você é torto. Mas, escreve linhas certas…

  10. Eduardo disse:

    Legal Flávio! Por um segundo achei que você fosse defender o financiamento público.
    Excelente argumentação!

  11. Xavier disse:

    Concordo 100 por cento, Flávio. E é engraçado essa turma da Globo e cia. que vivem dizendo que o estado tem que ser “mínimo”, que tem que entregar para a iniciativa privada administrar,pedir grana a prefeitura.

  12. carlos lima disse:

    Texto ótimo! Argumentação inquestionável, mais lúcida, impossível. Parabéns, escriba.
    O leitor agradece. Bravo!

  13. Paulo disse:

    E faz sentido que a prefeitura mantenha o autódromo?

    O estado quer fazer de tudo.

  14. Chupez Alonso disse:

    Tremenda cara de pau desse organizador.

    Sou totalmente contra o governo patrocinar qualquer atleta de elite ou qualquer evento de elite. Favor não confundir com “da elite”. Me refiro a atletas de ponta.

    Um absurdo por exemplo o Banco do Brasil, que tem participação pública patrocinar a Sauber para o Nars correr. Ele que se vire para arrumar patrocínio de empresa privada.

    E se as empresas privadas têm cada vez menos dinheiro para gastar, será o governo a ter cada vez mais? Na crise em que estamos? Já não bastou a Copa?

    Qualquer ação do governo tem que visar o bem público. O governo tem que investir no social. Promover todos os esportes nas escolas públicas. Investir na formação dos jovens.

    Fazer corrida para a Globo enricar?

    Fala sério.

    Se o GP do Brasil não dá lucro, phoda-se. Cancele como fez a Alemanha.

    Automobilismo é “esporte” de rico.

    Esse cidadão perdeu uma ótima oportunidade de ficar calado.

    • Gabriel P. disse:

      Governos patrocinam atletas e esporte em todos lugares do mundo e tem obrigação de fazerem isso.
      Mas no Brasil nem é esse o caso, por aqui se fossemos depender e patrocínio privado, não teríamos nenhum esporte (não é só automobilismo), não teríamos quase nada em termos de cultura e muito menos em pesquisas sejam elas, tecnológicas, ou medicinais. Na agricultura ainda estaríamos na idade média.
      E tudo isso por que o empresário Brasileiro não investe em nada, odeia gastar um centavo sequer em algo que não lhe dê lucro imediato,
      Em todos esses anos de F1,, alguém já viu o nome de alguma empresa privada Brasileira estampada em algum carro ou equipe ?

      • Giovanni disse:

        Itaipava patrocinou a Brawn em 2009, junto ao Barrichello.

        BMC patrocinou o carro do Barrichello em 2012, na Indy.

        Barrichello tinha estampado a “Caras” no capacete.

        Diniz durante a passagem da F1 com a Brastemp (a Parmalat é italiana)

        Massa com o Guaraná Antarctica.

      • Flavio Gomes disse:

        Itaipava só meteu uns adesivos em Interlagos. BMC, melhor você procurar conhecer a história do banco. “Caras” é de uma editora argentina. As coisas da Forti Corse e das outras equipes do Diniz eram acordos dessas empresas com o Pão de Açúcar. O guaraná não estava no carro, era da cota (pequena) de patrocinadores pessoais que os pilotos da Ferrari podem ter.

      • Giovanni disse:

        Sem considerar os PAItrocínios como:

        Zonta (Supermercados Condor do pai)
        Nelsinho e Pedro Piquet (Autrotrac)

      • Atenágoras Souza Silva disse:

        Flávio, a BMC de que o Gabriel falou é a Brasil Máquinas, não o banco BMC.

        Um grande abraço do fundo do meu coração vermelho de outubro de 1917,
        Atenágoras Souza Silva.

      • Flavio Gomes disse:

        Verdade. Desculpe a nossa falha. Quem leu “banco” aí em cima, esquece.

    • Winston disse:

      E a Caixa patrocinar todos os clubes de futebol? Um absurdo total!

  15. MarceloPOA disse:

    Muito Bom. Os empresários do automobilismo brasileiro, metidos a rico, nesta horas mostram que na verdade sucumbem e só são o que são porque tem muito dinheiro público na jogada. Mas na hora de falar em capitalismo, são extremamente a favor de estado mínimo.

  16. Lucas disse:

    Ótimo texto, Flávio!

  17. Sergio Miami disse:

    Amigos, moro em Miami e asisti a corrida, especificamente do Brasil, parte na NBCSp e parte na Univision. Ou seja tenho a visao do exterior relativo a corrida. O trabalho de transmissao eh otimo, uma hora antes ha uma mesa redonda e 30 minutos antes entram ao vivo com entrevistas, comentarios, etc.. da cidade mesmo quase nada exceto algumas imagens aereas iniciais e o monumento do ipiranga (sem creditos). Assim entendo que a transmissao nao ajuda em nada o turismo e nao divulga em nada a cidade exceto por falar o nome dela (caso isso seja muito ok, mas ej soh isso). Ta na cara a corrida da prejuizo.. aind amais vale a pena pagar tao caro para ficar numa arquibancada tubular com assento de madeira? nem no estadio do Bragantino deve ser mais assim.. bye bye F1, sao paulo nao precisa de voce.. o grande medo eh que a Globo vai bater eh na porta dos governos, que morrendo de medo vao abrir os cofres como sempre.. a Globo.. seguira com seu lucro com seus patrocinadores.. ou manda tudo para Sportv..

  18. Fernando disse:

    Saiu uma matéria hoje no grande prêmio dizendo que o sr hamilton está atacando mais um piloto, dessa vez o vettel. Acho que o sr hamilton esqueceu que ele só ganhou em 2014 e 2015 por causa do carro, além disso tem um companheiro de equipe horrível. Acho que ele esqueceu também que ele entregou um campeonato ganho em 2007 e ganhou 2008 em um campeonato manchado pela corrida fraudada de Cingapura. Corrida manipulada não deveria valer, tinha que ter sido excluída do campeonato, corrida na qual teve interferencia direta no campeonato. Massa não é um piloto genial mas foi o campeão de 2008. Alonso também nunca teve um companheiro forte e quando está tendo agora, está tomando uma surra do button. Então quem tem que provar algo é o hamilton e não o vettel. O hamilton anda bebendo demais e falando muita bobagem..

  19. Saulo Agostinho disse:

    Resumindo, o lucro é privado e o prejuízo é estatal.

    Fácil. Assim até eu.

  20. Fernando Monteiro disse:

    Muito bem dito Flávio, nesse negócio todo o governo entra com o principal, o autódromo – que é público – que fica à disposição da Globo e da FOM durante o evento. Se não dá lucro, se a conta não fecha no azul, que não tenha corrida, simples assim, ninguém vai morrer por isso. O que não pode é o governo paulista botar dinheiro para compensar as contas que não fecham. O que não pode, com uma grave crise hídrica, com falta d’água para todos os lados, o governo paulista gastar rios de dinheiro com coisas que não são importantes para as pessoas.

  21. Thiago Azevedo disse:

    E a exemplo do que aconteceu em Curitiba, não é difícil imaginar que um dia Interlagos se transforme em algum loteamento.
    Basta entrar um prefeito que não goste de corridas e cresça os olhos na grana, que isso pode acontecer.
    No país do futebol, automobilismo sempre será minoria. Uma minoria sem força.
    Minoria no Brasil pula miúdo e a tendência é só piorar – vide os projetos de leis do nosso congresso.

    O autódromo continuar existindo já é um baita subsídio do Estado.

    • Robertom disse:

      É um caso totalmente diferente, o AIC é privado, a empresa dona de 50% está em situação financeira delicada e precisa vender.
      Interlagos é da prefeitura, muita grana é gasta todos os anos na reforma, é a alegria dos políticos de todos os partidos em todos os tempos, uma teta que ninguém (dos políticos) quer largar e muito menos extinguir.

      • Thiago Azevedo disse:

        Robertom,

        Você esta certo quanto ao Autódromo de Pinhais ser privado.
        O negócio é que automobilismo dificilmente dá retorno, mesmo. Ao menos no Brasil. Aí esta o risco dos autódromos públicos.

        Por mais que os autódromos sejam oportunidades para políticos safados ganharem dinheiro, isso não garante que eles não sejam destruídos. É só uma questão de oportunidade. Jacarepaguá que o diga. Rolou uma grana lascada com as olimpíadas e o templo já era.
        Também, o automobilismo anda tão em baixa que os cariocas destruiriam a pista até para fazer quadra de futivôlei (é assim que se escreve?).

      • Robertom disse:

        O AIC dá lucro.
        Autódromos, Estádios e Ginásios de Esporte e Parques públicos não existem para dar retorno ou lucro, se assim fosse todos deveriam ser fechados e vendidos.
        Os “caras” já estavam de olho em Jacarepaguá há mais de 20 anos, pegaram um pedaço (setor norte) com a desculpa do Pan, como surgiu a excelente oportunidade da Olimpíada, os expertos (Políticos, Dirigentes Esportivos e Incorporadores) se apoderaram de um bem público.

  22. Geraldo disse:

    E olha que as obras ainda nem terminaram. Interlagos foi modificado só visando a F1. E graças a ela, o autódromo se mantém. Automobilismo nacional? Pra que, mero detalhe….

  23. Celio Ferreira disse:

    Quando houve o problema de novo contrato de Monza , que ainda corre perigo de não ter corrida ano que vem , eu escrevi no meu comentário na época que estranhava que o nosso país tendo os problemas que tem ,
    ter um grande premio de F1 , com os custos exorbitantes que se tem para
    a corrida. Na verdade o que todos reclamam ( |talianos, Alemães , etc..)
    é a alta taxa cobrada por Bernie , que fura qualquer orçamento de um GP
    agora com as audiências que está tendo a F1 , a Globo está financiando
    um produto que está deficitário no seu espetáculo , como dinheiro não
    nasce em arvore , algo tem que ser feito.

  24. Coisinha disse:

    Absolutamente correto.
    Dinheiro público? Francamente Dona Rede Globo….se a F1 não está atraindo seu público (e por consequência seus patrocinadores) vai bater na porta do Bernie, não na da Prefeitura.

  25. Itamar disse:

    Concordo com tudo. Adoro o autódromo de Interlagos, faz parte de minha infância. Lembro de ver uma corrida, nos anos 70/80, sei lá, entrando por um buraco na cerca. Saudades. Mas meu pai, que mora nos arredores ainda, sempre disse que preferia um estádio de futebol no local. Eu não.

  26. AS disse:

    O famoso “mercado” no BR nao existe… Assim como muitos estudam e sonham com empregos públicos e seus maravilhosos beneficios, empresas, empreiteiras, bancos vivem a espreita de um emprestimo “super-bacana” (BNDES), da construçao de uma avenida, de uma estrada, de um estádio, de um viaduto que leva mais rapido pro transito do outro lado e por aí vai.

    Se o Estado nao patrocina, nao banca… nada existe. Lembro que mesmo Interlagos qdo voltou em 90 foi muito em parte da grande participaçao da prefeitura.

    E continuamos a plantar, furar, cavar o chao abençoado… Um dia que o chão se encher, o bicho vai pegar.

  27. Alessandro Neri disse:

    O grande drama para a Globo é que as audiencias, não só da etapa brasileira, são pífias e caem ano após ano.

  28. Rogério Calsavara disse:

    Concordo com tudo! Eu não quero que Interlagos perca o ser GP, mas se for para colocar ainda mais dinheiro público nisso que perca!

  29. luis felipe disse:

    Perfeito. Lembro uma vez que você disse , acho que foi recentemente, nesta interminável ENTREVISTA COM BLOGUEIRO, enfim, que se uma empresa dá prejuízo, e você deu o exemplo da Vale, pra que vende-la? como foi, e não tentar adequa-la ao azul contábil. O mesmo SERVE para a Globo, GP de Interlagos, o escambau…Se virem, porque jeito tem, mas longe da esfera do dinheiro de impostos. Não quiseram tanto isso?….No fundo é aquela máxima do individualizar os lucros e socializar os prejuizos, concorda?

  30. Rafael Chinini disse:

    seria de matar…gastar uma puta grana com essa obra de Interlagos para se adequar, e agora cancelar a corrida! kkkk
    a primeira coisa que fazem é facil, subir o preço dos ingressos, oq pode ser um tiro no pé! um dos mais caros do mundo provavelmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>