MENU

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016 - 18:36F-1

LARGUS, RAPIDIUS, LINDIUS

SÃO PAULO (vai ficar legal, isso aí) – 2017 será um ano bacana. A FIA vai manter os motores desnecessários, OK, mas pelo menos decidiu mexer bastante nos carros. Isso significa que todo mundo sai de uma folha em branco para desenhar seus modelos da próxima temporada, e podem ter certeza que todas as equipes já estão com o regulamento na mão. Ele prevê carros mais largos, rápidos e bonitos. Como se sabe, “altius, fortius, citius” é o lema das Olimpíadas. No caso da F-1, adota-se um novo.

Pneus também serão mais largos. Com asas maiores e carros mais encorpados, com aerodinâmica mais eficiente, espera-se que sejam cerca de 3s por volta mais velozes que os deste ano. É algo que agrada os pilotos, claro. Mas, sobretudo, a nós, pobres mortais, que veremos pneusões, asonas e carrões.

Medidas novas significam uma dificuldade enorme para projetar carros de corrida tão sofisticados quanto os de F-1. Será preciso estabelecer um programa de testes dos novos pneus, que também mudam completamente o comportamento das baratas. Outra novidade é a decisão tomada de instituir uma proteção para a cabeça do piloto. Por enquanto, o que está valendo é o “halo” proposto pela Mercedes, mas a entidade está aberta a novas propostas.

E junto com a nova classificação, que deve sair já neste ano (e passei a gostar, de ontem para hoje), inventaram também um prêmio de “Piloto do Dia”, clone do “Fan Boost” da Fórmula E, para “interagir” com as pessoas pela internet. Coloco entre aspas porque me parece mais ideia de jerico de algum velhote que escutou a palavra e não sabe direito o que ela significa. No caso da E, a interação resulta em algo — mais potência para os eleitos com os votos via smartphones ou computadores usarem na segunda parte da corrida e tentarem uma ultrapassagem, ou uma defesa de posição. No caso da F-1, falaram apenas em “interagir” — descobriram que a internet existe. O que vai ganhar o piloto do dia, não tenho ideia.

Mas estão se mexendo, enfim.

31 comentários

  1. voulembrar disse:

    O bico da force india é o mais bonito de todos… possante.

  2. Marcelo Araujo disse:

    Estou com o Hamilton nessa.
    O mais importante, além das modificações no chassi e pneus, é a redução no peso dos carros. Quanto mais pesados (e ainda irão aumentar o peso) mais difícil para os pneus.
    Me lembro bem que na década de 90 os carros pesavam 540 kg, com o piloto. Hoje pesam 702 kg e irão para 722kg. Realmente não dá para entender o porquê desse aumento de peso, uma vez que hoje em dia a tecnologia disponível possibilita a construção de carros muito mais resistentes e leves.
    Espero que a FIA preste muita atenção ao que o Hamilton está dizendo.

  3. Marino disse:

    Estou com o CARLOS PEREIRA, missivista aí acima: Tilkodromos são muito chatos e sem graça. Corridas em Bahreim, Abu Dhabi, e outras tantas são ridiculas.. Não sou imbecil para saber que o que manda é a grana, Mas, poderiam voltar com o reabastecimento, acabar com a exclusividade no fornecimento dos pneus. Cada um calça o que quer: Pirelli, GoodYear, Michelin, Bridgestone, Continental, e por aí vai. Consequentemente, cada qual escolhe os conjuntos que irão usar, na prova e na hora que quiserem, ou seja, não tem que usar o duro, o médio e o mole obrigatoriamente.
    A última: eu achava interessante aquela classificação que o sujeito dava tres voltas, uma pra aquecer, a pra marcar tempo e aquela pra voltar pro box. acho mais legal que essa que está sobre a mesa. Abraços a todos.

  4. Thiago Moyses disse:

    O novo sistema de classificação não vai ficar na mesma e fica melhor ainda com as regras dos pneus – e suas limitações. Equipes podem gastar tudo que tem no Q1, forçando as mais rápidas a gastar também.. o ultra macio é muito, mas muito mais veloz que os macios, nem a equipe mais rápida consegue tirar a diferença para a equipe mais lenta. Quem gastar 2 jogos para tentar classificar do Q1 para o Q2e fracassar ainda terá jogo extra para corrida, quem gastar um jogo no Q1 pode gastar mais 2 no Q2 e ter menos pneus extras para a corrida, pior se for para o Q3, mesmo sendo uma Mercedes, pois elas se enfrentam.. Não esqueçam que os dois carros da mesma equipe se enfrentam no Q3 queimando toda borracha.. Então quem cai no Q3 e larga atrás com certeza terá muito mais jogos de pneus, e com compostos bem diferentes e com a possibilidade das equipes escolherem jogos diferentes, podemos ter nanicos com boas estratégias superando grandes equipes.

  5. Eduardo disse:

    Essa proteção para cabeça com cara de tiras de Havaianas é feia demais.

  6. Alex disse:

    vão fazer carros alegóricos para despistar a questão principal que é trocar esses motores de enceradeira..

    E como vai ser mais bonito com essas tiras de chinelo havaiana no cockpit??

    F-1 em queda livre e sem paraquedas!!

  7. Cenzi disse:

    Mais aerodinâmica? Putz… Aí volta a dificuldade para as ultrapassagens, como era antes de 2009. Fico impressionado com a falta de capacidade dessa gente em adotar medidas simples e eficientes, o que seria plenamente possível.
    Quanto ao “piloto do dia”, decerto vai ganhar o mesmo que ganha o piloto que anota a volta mais rápida durante uma corrida.
    Esses caras se esforçam pra perder público…

  8. luigi disse:

    Espero que pelo menos parem com o papo babaca de “Contenção de Gastos ” uma vez que se joga quase tudo que se tem hoje , no lixo e partem para um projeto novo que tem custos altíssimos , e sem testes é roleta russa ,quem acertar o projeto se dará bem e quem errar ficara lá atras ,como a McLaren e Honda que não tem acertado a mão nestes últimos anos ,apesar de seu histórico vitorioso.
    Uma outra observação é quanto a largura , os carros de hoje já são bastante largos ,aumentar ainda mais esta largura ,só vai dificultar ultrapassagens onde ainda hoje é possível (autódromos que não sejam Tilkhdromos ) e impossibilitar de vez nos famigerados “Passa ninguém ” do apadrinhado de tio Bernie .
    Só resta esperar no que vai dar , mas o histórico é de que quanto mais mechem no regulamento mais caca fazem e o automobilismo como esporte ,pelo menos a F 1 ,já não é como até o final dos anos 80 onde carros e pilotos tinham que formar um conjunto vencedor para serem campeões . Hoje um bom piloto tem que ter a sorte de achar um carro bom nascido de um projeto absolutamente feliz, para poder ser campeão ,pois sem testes não ha como melhorar um projeto que de inicio não se mostrou muito bom . não acredito que por melhor que sejam os simuladores ,testes de pista sejam dispensáveis ,se assim fosse ,projetos de novos aviões não gastariam milhares de horas de voo reais ,apesar de todas as horas em simuladores de ultima geração . Ainda bem que vivi no tempo que Piloto , Engenheiros e Mecânicos formavam uma equipe e trabalhavam juntos para melhorar o carro quando não “bem nascido ” ,pois hoje em dia me parece que o piloto não passa de um Motorista de Privilegiado que usa da melhor maneira o carro que lhe é dado , e se ele for bom ,pode ganhar corrida ,mas se não for ,por melhor que seja o piloto ,só disputara posições de intermediárias para traz.
    Bem : quem viver verá se pelo menos desta vez , acertam nas diretivas os ricos ,sofisticados e arrogantes dirigentes da cada vez mais cara ,sofisticada ,luxuosa e chata ,moderna F 1 ,pós anos 2010.

  9. Ricardo Talarico disse:

    No caso do “rainha por um dia”, talvez fosse uma idéia dar um jogo de pneus a mais para o piloto escolhido.

  10. Leonardo disse:

    O “piloto do dia” deveria ganhar pelo menos uma posição a mais na largada da corrida seguinte…

  11. guest disse:

    Carros mais largos? As pistas também serão alargadas?

  12. Rodrigo Vilas disse:

    Vai ganhar um motorádio no final da corrida.

  13. Bruno de Melo disse:

    Todas as vezes que eu vejo F1 aumentando ainda mais aerodinâmica, mais desanima. O problema de não conseguir andar próximo do carro da frente tende a piorar ainda mais. Mais downforce para quem está de cara para o vento, carro péssimo de quem está atrás. Enquanto não mudarem isso aí, esquece. F1 vai precisar de outros DRS, um novo Kers etc.

    • Fabricio disse:

      Concordo… e não precisa de mta coisa pra facilitar as ultrapassagens, basta simplificar a asa dianteira

    • Demetrius disse:

      Não concordo. Aumentar os níveis de downforce não significa necessariamente que os carros vão ter mais dificuldade para ultrapassar. Depende de onde está vindo este aumento de downforce e, pelo que sei, ele vem do novo difusor e das novas especificações para o assoalho e largura do carro.

      Inclusive, nesta proposta técnica para 2017 consta que a asa dianteira será simplificada justamente para diminuir a dificuldade de um carro em seguir o outro. Vale lembrar tambem que a asa traseira será mais baixa, o que tambem gera menos turbulência para quem vem atrás.

      Essas mudanças, juntas com o aumento da largura dos pneus, que aumentará muito o conjunto aderência-estabilidade-tração do carro, tende a fazer os carros de 2017 muito mais fáceis de ultrapassar.

      Mas, como sempre, torcedor de F1 é um povinho chato, nem se informa direito e já sai atirando para tudo quanto é lado.

    • Giovanni disse:

      Verdade… É só impor regras que limitem a ocorrência da turbulência no carro que vem atrás, pois isso é gerado propositalmente e ninguém fala.

  14. Luis disse:

    Eu duvido. Os carros na verdade serão cheios de degraus e serão conhecidos como as “pirâmides maias”.

  15. Observador Antunes disse:

    2 ponderações:
    1. O novo sistema de treino, vai trazer todos pra pista no inicio, mas estabelecidos os primeiros tempos as disputas serao apenas com os proximo da degola. Talvez não funcione.

    2. As alteraçoes são interessantes para bagunçar as equipes, mas o aumento de velocidade e tempo por aerodinamica, faz com que as ultrapassagens sejam mais dofoceis (por conta da turbulência ao se aproximar dos carros da frente), ainda que o tamanho dos peneus possam ajudar a diminuir a importancia da turbulencia!
    Gostaria de ver uma f1 com mais aderencia mecanica que downforce aerodinâmico para ter corridas com mais ultrapassagens. (sem usobde drs, que tira parte da graça)

    Abraços.

  16. Deixar os carros mais rápidos é sempre uma boa ideia.

    Quanto a nova regra pra classificação, a ideia é boa. Mas acho que é incompatível com a regra de pneus.

    O mais lento não poderá ficar tentando voltas e mais voltas pra escapar da degola porque não terá pneu suficiente pra isso.
    Imagino que, no fim das contas, não mudará muito a dinâmica por conta disso.

  17. Silas Rafael disse:

    Passa ano chega ano, o interesse da F1 diminui no mundo. Tanto que temos carros totalmente “nus” salvo a raras exceções. Deixar os carros mais atraentes, mudar o treino classificatório, serão novidade bem vindas. O que vai estragar é esse tal de “Halo”, é para proteger a cabeça do piloto, então cobre tudo de um vez, sem frescura.

  18. Tudo muito bem, 2017 promete mas… Para a proteção da cabeça dos pilotos tinha que escolher a solução mais feia de todas???

  19. Fernando Carvalho disse:

    Concordo com o Massa… vai virar o caos para todos os pilotos/equipes …para o público pode até dar “são tantas emoções “..he he he…..vida que segue

  20. Carlos Pereira disse:

    Com os carros mais legais e bonitos, só falta circuitos melhores. Essas modificações que estão fazendo com circuitos clássicos, e as aberrações dos Tilkodromos, estragam demais o automobilismo. Depois de terem desconfigurado Interlagos, Osterreichring, Zandvoort, Hockenheim e adotarem bobagens como Barhein, Abu Dhabi, Cingapura … a qualidade das corridas pioraram muito.

  21. Alberto Lopes disse:

    Embora tenha sido dito que o novo formato de classificação seria estilo “dança das cadeiras”, não há afirmação de que todos os pilotos terão de marcar tempo a cada 90 segundos.

    Então, a pergunta é: os tempos dos pilotos serão zerados a cada 90 segundos, ou quem fizer um tempo bom terá seu tempo garantido dando lhe a possibilidade de voltar à pista somente quando sentir necessidade?

    • Luiz disse:

      Pelo que se deu a entender, os tempos serão zerados como hj em dia, ao final dos Q1 e Q2. Durante esse tempo, quem virou uma volta monstruosa pode voltar pros bodes e esperar a próxima fase

      • Giovanni disse:

        Pois é, foi o que eu entendi também, Ou seja, enquanto todo mundo vai estar se matando e desgastando equipamento, a Mercedes vai se guardar pro TOP 5. E toda limpinha, vai dominar com ainda maior facilidade.

  22. Paulo disse:

    Novo sistema de qualificação, agora mais essa… Será que agora vai??? Tomara que volte a ficar bom, mesmo. Quem gosta de F1 torce mais é por isso mesmo. Pergunta, Flávio, você com suas fontes e o pessoal do Grande Prêmio: tudo isso tem a ver com um (me parece) cansaço e vontade dos grandes pilotos da atualidade de simplesmente se aposentarem e desistir da F1? Vettel, Alonso e companhia?

  23. P disse:

    Novo sistema de qualificação, agora mais essa… Será que agora vai??? Tomara que volte a ficar bom, mesmo. Quem gosta de F1 torce mais é por isso mesmo. Pergunta, Flávio, você com suas fontes e o pessoal do Grande Prêmio: tudo isso tem a ver com um (me parece) cansaço e vontade dos grandes pilotos da atualidade de simplesmente se aposentarem e desistir da F1? Vettel, Alonso e companhia?

Deixe uma resposta para luigi Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>