P2, E MERECIDO | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016 - 0:10#69, Classic Cup

P2, E MERECIDO

voyaginhofev01

SÃO PAULO (vem mais) – Depois coloco os vídeos, que esse troço dá trabalho para editar. Odeio vídeos por causa da edição. Não existe nada mais chato. Mas isso não importa. Importa o segundo lugar que o Bon Voyage conseguiu sábado na Turismo N entre os dez carros da categoria — incluindo a turma de motores a ar, igualmente 1.6.

E foi segundo-segundo, mesmo, passando na pista os que estavam na minha frente depois de uma classificação muito ruim — sétimo na categoria, 21º na geral. Não pudemos treinar na sexta por causa da chuva e fomos para o treino que definia o grid com um carburador novo ainda não testado.

Putz. Saí do box e o diabo do carrinho não chegava a 5 mil giros. Parei imediatamente e os mágicos da LF — Nenê, Toninho, Léo e Marcônio — trocaram o carburador em minutos, e deu tempo de fazer uma voltinha ridícula em 2min15s417 para pelo menos não largar em último. As perspectivas eram tenebrosas.

Mas aí o Nenê, meu chefe de equipe e guru, resolveu ver o que o carro tinha de errado e inscrevemos o #69 na Força Livre. Ele foi para a classificação e fez uma volta em 2min13s353. O cara pilota de verdade, não é como eu. Mas sacou que faltava velocidade de reta, nossa quinta marcha era inútil e tínhamos problemas crônicos de freio — por isso seguro muito o carro no câmbio, mas como não tinha referência nenhuma de outro freio, achei que era assim mesmo.

Não era. Espetamos pastilhas novas, mais macias, e fui para a corrida. Na volta de instalação e na de apresentação, queimei freio do jeito que dava. Pastilha nova é foda.

Largamos bem, quatro posições ganhas, e todas da turma da minha categoria. Aí, na terceira volta, entrou o safety-car — batida do Doktor Arnaldo Faerman. Foi quando começaram minhas agruras. Tinha um Gol branco na minha frente, #333, o mesmo que me passou sob bandeira vermelha na prova de abertura, em janeiro. Mas era outro piloto — o carro foi alugado.

Eu estava em terceiro na nossa categoria. À frente do Gol, o Voyage vermelho do Silvio Bellucci liderando. Mas o cara do Gol não encostava no pelotão. Andava devagar, eu fazendo sinal para ele avançar e grudar nos demais, e nada. Foram três voltas assim, e finalmente, na abertura da terceira — a última com o safety-car à frente –, chegamos no pelotão e fizemos a volta toda em fila indiana. Não entendi a lerdeza do Gol, mas tudo bem. Como acabamos encostando nos caras da frente, teria a chance de, na relargada, tentar algo.

Só que quando apontamos na Junção, na subida para o Café, prontos para a relargada, o cara tirou o pé de novo. O pelotão começou a desgarrar, e eu não podia passar sob bandeira amarela. O cara do Gol dividiu o grid em dois: do líder até o Voyage do Bellucci, um buraco de uns dez carros, e ele à frente do segundo pelotão, lerdo, incompreensível, estragando a corrida de todo mundo atrás dele.

Relargamos e o sujeito imediatamente entrou nos boxes. Acabou minha prova. O Voyage vermelho já tinha quase uma reta de vantagem. Ele me tirou a chance de, pelo menos, brigar pela vitória. No vídeo dá para ver direitinho. Fiquei muito puto.

Daí até o fim corri sozinho. Quando terminou a prova, fui até os boxes do rapaz para saber por que ele tinha feito aquilo. Irônico, disse que estava quebrado. Perguntei, então, por que não tinha parado antes, em vez de levar o carro até a relargada e parar na minha frente sabendo que eu não podia passar sob regime de safety-car. Ele fez uma gracinha qualquer e perguntei se ele era bobo, ou namorado do cara do Voyage.

Seguiu-se um bate-boca ríspido. Mandei o cara tomar no cu e ele me chamou de “piloto de fim de semana” (todos somos, a não ser que tenha corrida de terça ou quarta-feira) e “comunistinha de merda”. Aí saquei que o boçal, por alguma razão, não gosta de mim — deve ler o blog, me segue nessas merdas de redes sociais — e fez de propósito. Xinguei-o mais algumas vezes, usando repertório vasto, virei as costas e fui ao pódio receber meu troféu.

Essas coisas enchem bem o saco. Aparecem uns anexos nessas corridas que a gente não sabe de onde vêm, nem para onde vão. Por mim, que vão para a puta que pariu. Mas que não venham estragar a corrida de ninguém. Uma coisa é cometer um erro e bater. Acontece. Já aconteceu comigo, como vítima e culpado. São mais de 13 anos na Classic e nunca — nunca mesmo — tive qualquer desentendimento com outro piloto na pista. A única treta em que me envolvi foi num briefing, com um tonto que desrespeitou nosso diretor de prova, o Ernesto Costa e Silva.

Enfim, já foi. Fechei a corrida a 10s do Bellucci, que provavelmente venceria mesmo se o goiaba do Gol não tivesse feito a babaquice que fez. Na geral, 12º — um bom resultado. Minha melhor volta foi registrada em 2min14s055, longe dos 2min12s2 que esse carro já virou. Mais tarde, o Nenê correu com ele na Força Livre e fez sua melhor volta em 2min13s716, 0s339 mais rápido que eu. Portanto, meu desempenho esteve longe de ser um desastre, ao contrário.

A vitória na geral ficou com o imbatível Puma do Denísio Casarini, da GTS. Fábio Coelho ganhou na TS de Passat (final emocionante, 0s120 à frente do Antonio Chambel), Erick Grosso levou na TL com Fiat 147 e o Bellucci faturou na Turismo N. Saí feliz com o segundo lugar, mas meio contrariado com o bate-boca. Não gosto dessas coisas. Mas, também, não se deve ficar quieto quando alguém te sacaneia na pista. Para quem corre, não existe nada mais abominável do que uma sacanagem deliberada. A gente percebe. Não tem bobo nesse negócio.

39 comentários

  1. Fernando disse:

    Flávio, tenho alguns vídeos da corrida, se quiser posso te enviar ok. A filmagem foi feita pelo celular e não são de qualidade, até porque o único ponto da pista disponível para o publico ver foi no ”S’ do Senna, mas dá pra ter um pouco de noção. Abraços.

  2. João disse:

    Parece chororo do Rubinho, bota o video ai pra gente ver se foi tudo isso msm.

  3. Cesar Lauria disse:

    Uma vez fui na oficina do Ricardo Malanga e ele me disse que teve muuitos problemas com o senhor, que você tinha inveja da puma dele.

  4. Thiago Azevedo disse:

    O cara foi antiético. Só um imbecil vê graça nisso.
    Mesmo correndo esporadicamente, rola punição, sim. A punição seria quando ele se inscrevesse.
    Bom saber que o Bon Voyage vai bem! Aos poucos vocês vão se acertando e andando cada vez mais forte.

  5. Paulo disse:

    Caro Flávio, acabo de ler sua postagem e entendo a sua frustração com o ocorrido ao final da corrida. Acabo de passar por semelhante situação. Na manifestação coxinha de agora pouco, acabei passando dos limites porque um manifestante (eles acham que são…) ficou batendo lata até acordar meu filho de 6 meses! Ok, temos que aceitar, é democracia e tudo mais, mas é sacanagem acordarem um bebe, sei lá… Talvez eu esteja exagerando, talvez se eu fosse coxinha nem ligaria e até acharia legal meu filho ser acordado pela tal “manifestação democrática” alienada. Que celebrem sua ignorância. Mas meu filho, ainda, não tem nada a ver com isso. Fiquei puto e mandei o cara enfiar a panela naquele lugar… mas não foi uma atitude legal. Abraços.

  6. Garlet disse:

    Uma pessoa que faz isso não é piloto, deve ter até mesmo algum problema psicológico, mental, então você não deveria sentir raiva, porque não é uma pessoal normal e não merece isso. Sinta pena.

  7. mario aquino disse:

    Em toda ou qualquer situação da vida, seja em negócios, esporte e até na vida pessoal, sempre encontraremos homens com a atitude de moleques, não importando a idade cronológica, aos 60 anos no alto de sua senilidade continuarão sendo moleques. Muito difícil encontrar homens cientes de sua maturidade.

  8. Davi disse:

    Esse é o tipo do cara que não consegue se sobressair por ser bom e aí faz uma babaquice dessa com um cara conhecido – como o Flávio Gomes -, para ter minutos de fama.
    Mas concordo que o regulamento não deveria autorizar a largada se os carros não estivessem próximos.

    • Hélio disse:

      É o que um amigo meu chamava de “sindrome do Pequeno Poder”, quando o sujeito percebe que não tem capacidade de ser melhor, tenta derrubar os outros (ou criar dificuldades) pra sentir superior, que tem algum poder. Geralmente vc vê isso em quem foi muito pisado na vida… tenha dó dele e esqueça, pq não vai mudar.

  9. tevez disse:

    Comunistinha di merda? Sacanagem!

  10. Sergio Balbino disse:

    Flávio, eu discordo pra caralho de seu posicionamento político. Mas você ser de esquerda, direita, lado, centro ou o caralho a quatro é direito seu e as pessoas tem que respeitar. Discordar sim, desrespeitar e sacanear deliberadamente como o cara do Gol fez com você é foda. As pessoas misturam demais as coisas, tá louco…

    E eu nem xingaria, Já dava uma no pé do ouvido do imbecil.

    Ok, não faria isto, mas que daria uma vontade de soltar a mão na cara do idiota, o se daria,,,

  11. Luis feipe disse:

    Comunisitinha, esse Gol ta virando na sua vida igual aquele caminhao do filme Encurralado, o primeiro do Spilberg

  12. Paulo Fonseca disse:

    Prezado F&G : Agora o bon Voyage, começa a ter uma melhora, aos poucos você vai arrumar a quinta marcha, já melhorou com a troca das pastilhas,por favor, troca o fluído do freio, O segundo lugar é um resultado sensacional de bom, você andou solto na pista, ganhou milhas com seu carro. Agora em sua narrativa sobre o Piloto do Gol, o cara é sim um BABACA, muleque irresponsável.

  13. Alvaro Ferreira disse:

    Vira e mexe aparece um babaca desses nas corridas. Topei com vários na pista, mas eles somem na poeira, FG. São uns recalcados que têm prazer em atrapalhar os outros, deve ser patológico. Não fazem ideia do que seja esporte e fair play.

  14. Raphael disse:

    Impressionante como está cheio de babacas nesse mundo. É em todo lugar.

  15. Rubergil Jr disse:

    Que piloto babaca, esse do Gol. Mesmo que não goste do Flavio, isso não dá o direito de atrapalhar a corrida de ninguém.

  16. disse:

    Exemplo para a Direção de prova ficar esperta e na próxima dar bandeira preta ainda com safety, é só o fiscal de pista avisar pelo rádio.

  17. Heraclito disse:

    Tá difícil, agora não se pode nem sonhar com um mundo melhor, o babaca por uma questão pessoal, prejudica um monte de gente que está atrás dele, simples assim, um babaca.

  18. Gus disse:

    Sempre existem os otários que nada fazem de bom no esporte, estão lá apenas para irritar que está verdadeiramente comprometido.

  19. Fabricio C. Leite disse:

    Bom dia Flávio.
    Fui no domingo com meus dois filhos e mais 3 amigos deles de escola. Adoraram o evento como um todo e principalmente os clássicos. Esperava ver você correndo domingo mas só vi o Voyage no fundo da garagem, aconteceu algo?
    Abraços.

  20. Joca disse:

    Uma empurradinha seguida de dois ou três toques as vezes ajuda. Não esquecer de fazer o gesto de me desculpe foi mal.

  21. guest disse:

    Bom que o Bon Voyage vai melhorando a cada prova. Muito bacana que você “pegou a mão” dele, virar quase no mesmo tempo do Finotti não é brincadeira!

    Quanto ao sujeito, não há diferença ideológica que justifique prejudicar a vários competidores numa corrida qualquer (ainda mais numa “não eleitoral”)… isso é mero pretexto, isso é uma demonstração de como é o seu caráter.

  22. Alexandre disse:

    Xingar não adianta nada a não ser fazer outras pessoas que estão ali ouvi-los, você deveria fazer uma reclamação formal na direção de prova, para que o mesmo fosse julgado e punido se necessário, punição pode incluir até multa também, isso faz as pessoas mudarem, pense nisso, e mudando de assunto você tentou usar o banheiro do Autódromo, será que tem alguém que vai acompanhar essa pouca vergonha que virou essa reforma.

    • Flavio Gomes disse:

      Punido como? O cara abandonou.

      • Victor disse:

        Suspensão, multa… não tá gravado em vídeo?
        Tb me dá raiva ver gente com a mente pequena assim.

      • marcelo disse:

        18.4 Em caso de incidente envolvendo dois ou mais veículos, onde, após o
        ocorrido um ou mais veículos não retornem para a pista, ou que implique na
        impossibilidade de punição eficaz durante a corrida, será aplicada uma punição
        para o piloto ou pilotos na próxima etapa do campeonato em que participar. Se
        a punição para o incidente for:
        a – advertência = na próxima etapa o piloto já larga advertido;
        b – drive through = na próxima etapa o piloto perde 10 posições do grid de
        largada;
        c – exclusão = na próxima etapa o piloto larga em último lugar do grid de
        largada.

      • Flavio Gomes disse:

        Bem que ele merecia. Mas o cara aluga carro, não corre em todas. Não estou preocupado com campeonato, pontos etc. Fiquei puto com o que aconteceu na corrida, fui pedir explicações civilizadamente, batemos boca, fim de história.

  23. Edward Fernandes disse:

    Na Classic não existe a distancia máxima obrigatória entre um competidor e o imediatamente à frente?

  24. Adelson disse:

    Caro Gomov, parabéns pelo P2 e ñ leve a mal a sugestão que faço-”o auge do meu egoísmo é querer ajudar” já bem cantou Raul; mas quanto a ficar” puto nas calças” lembro-me da proposta do quiroga que fala na ”divina indiferença” em relação a um possível dano causado por outrem, ou outra: o” ódio contido” de que me falou um mestre;sentir o ódio, mas contido já que ”A vingança é de Deus” – é bíblico, e Deus promete vingança …Talvez voçe ñ precisse de nada disso, tem recursos suficiente para seu bem estar, mas em todo caso fica a sugesta, e ñ careçe de publicar esse comentário. Escrevo isso por acompanhar e admirar seu trabalho apesar das diferenças, mas também pelas afinidades.” Por falar nisso seus comentários sobre formula 1 continuam indispensáveis. Abraços .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>