NÃO MUDA | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

sexta-feira, 25 de março de 2016 - 19:43F-1

NÃO MUDA

SÃO PAULO (na chuva) – Está tudo muito zoado. Depois de decidirem, na Austrália, retomar o formato de classificação usado até o ano passado, as equipes acabaram resolvendo, junto aos dirigentes da FIA e da FOM, manter a “dança das cadeiras” no Bahrein. Vai ser dada uma nova chance ao modelo, que se revelou um fiasco em Melbourne — especialmente no Q3.

Depois a audiência cai e ninguém entende… Falando nisso, parece que no Brasil caiu muito. Ricardo Feltrin conta no UOL que a Globo perdeu 50% do público que tinha na F-1 em uma década.

29 comentários

  1. Joao disse:

    Não discuto o fato da F1 estar mais chata e atraindo menos gente.

    Mas as TVs precisam melhorar o sistema de medição de audiência. Muita gente acompanha pela internet e esse povo não tem sido contabilizado. Minha esposa, por exemplo, acompanha a novela das 9 direto no site da Globo. Mas apesar de acompanhar sempre, ela não entra na estatística das pessoas que acompanham a novela.

    E outra, a transmissão da corrida precisa ser inovada. Hoje da pra ter acesso tudo que é informação no celular enquanto vê as imagens na TV. Não precisamos mais que o Galvão nos fale tudo.

  2. gustavo disse:

    e vai cair mais ainda dependendo de mim pois deixei de assistir a Globo em função de seu apoio ao golpe.

  3. JAL disse:

    A F1 vem perdendo fãs ao redor do mundo, não somente aqui no Brasil. Não tenho dados para analisar tal fenômeno, mas acredito (achismo mesmo) que seja em função de atualmente existirem mil outras opções concorrendo com a F1. Na época em que a TV aberta era a única opção e com poucos canais, mesmo alguem n~ão tão fã de automobilismo, acaba vendo uma corrida. Atualmente tem TV paga, Internet, etc etc. pra quem não se liga tanto em F1.
    Alem de tudo isso, ainda existe a complexidade da F1 atual, mil regras, que mudam praticamente todos os anos… para um “torcedor comum”, daqueles que não é um entusiasta da F1 mas apenas gosta de ver corridas, a F1 se tornou muito difícil de entender.
    E pra finalizar, ainda tem a pachecada da Globo, que de forma irresponsável e incompetente, ainda teima em achar que brasileiro é otário e fica insistindo (Galvão) em falar do Senna a cada 5 minutos tentando convencer o povo de que um novo Messias virá em breve e que o Senna via Deus em cada curva. Enfim, uma pachecada lamentável.
    Tentaram de todas as formas provar para o brasileiro que Barrichello, Massa ou qualquer piloto brasileiro (sem demérito) que tenha entrado na F1, seria em breve um novo Senna. O povo cansou de tanto bla bla bla e taí o resultado.
    Transmitir algo via TV onde todos estão vendo e tentar vender algo que não é visto é irresponsabilidade jornalistica (algo praticado por muitas TVs). A Globo faz isso…. tem sempre algum tarado berrando que o Massa vai ganhar, que o Nasr é um fenômeno, etc e talz.
    Portanto, F1 no mundo já não é nenhuma novidade e nem tão atrativa (inclusive para novos pilotos), e no Brasil, onde o povo tem mania de assistir somente esportes onde existe um brasileiro vencendo, já era. Pois acho muito improvável que algum brasileiro consiga se tornar vencedor na F1 atual, com a realidade pífia de nosso automobilismo local.

  4. Garlet disse:

    Caiu porque o brasileiro em geral (os que pararam de assistir), queriam ver um brasileiro vencendo, não importo como o que ou onde. Os que estão assistindo são entusiastas, globalizados, que curtem tecnologia, design, e não se importam com nacionalidade de piloto. Aliás , porque eu sou obrigado a torcer por filho de banqueiro ou empresário bem sucedido, só porque é brasileiro? Eu torço pra quem eu quiser. Hoje torço pro Vettel, amanhã para o Verstappen, ou posso torcer para o SAinz, qual o problema vivemos em um mundo globalizado a segunda guerra mundial já acabou…….. e faz tempo,…………..

  5. João Henrique Costa Neto disse:

    Lógico que perdeu público… perdeu por não passar os treinos devidamente, perdeu por serem corridas madrugadais… perdeu no uso de tecnologia na transmissao, como uso de plataformas de celular para acompanhar o reginaldo leme ja que é necessário criar novos fãs … perdeu pela falta de identificacao com as pistas, ja que muitos sabiam traçados de cor… mudou tudo… a competição ainda ficou disputada… mas a importância dada ao público só reduziu…

  6. Cláudio F1 disse:

    Tomara que dessa vez entreguem mais jogos extras de pneus para o Q3, justamente para o pessoal poder ficar o máximo de tempo na pista, pois, senão mudarem absolutamente nada do que foi feito na Austrália, um novo fracasso já está garantido.

  7. Guilherme Bezerra disse:

    Além da Globo não colaborar, a própria categoria passa por um mau momento técnico e esportivo. Além disso, a seca de vitórias brasileiras ajuda ainda mais a massa, a galera do oba oba, que só gosta de ver brasileiro vencendo, debandar. Quem assiste F1 hoje, é porque realmente gosta. Essa fase infeliz pela qual a F1 passa, selecionou o seu público. Eu, pessoalmente, detesto estes carros, estes motores, detesto Kers, odeio DRS mas continuo assistindo porque gosto mesmo desse negócio. É isso, a audiência de hoje, é do público que gosta de verdade da F1.

  8. edubassan disse:

    Críticar é fácil, mas qual a saída para essa queda vertiginosa na audiência? Não acredito que isso está ocorrendo apenas por conta da má gestão dos administradores do esporte. Na minha humilde visão de fã, parece razoável reconhecer a realidade que o universo do entretenimento mudou muito nos últimos anos. A F1, enquanto produto, entrenta mais concorrência e, sem um piloto nacional em evidência, qualquer país tem mais dificuldade em vendê-lo. Mas e aí, o que fazer? Nessa condição, atualmente, qual a saída para quem não detém autonomia sobre a qualidade ou os rumos da categoria em crise, mas tem a mercadoria nas mãos para vendê-la e, claro, interesse em seu sucesso? Me parece relativamente mais simples do que parece: publicidade!

    A Globo deveria desenvolver um plano estratégico mais audacioso para voltar a atrair o interesse do público. Além de buscar novos parceiros comerciais para bancarem uma nova grade de programas além dos GPs ou alguns quadros do dominical Esporte Espetacular, deveria ser honesta e vender as reais virtudes de seu produto. Não adianta iludir o povo com a idéia que nossos pilotos têm chances de sucesso na categoria, pois ao perceber a enganação, as pessoas logo abandonarão o interesse.

    A Globo deve prometer o que pode entregar: um entretenimento muito interessante, mesmo sem um compatriota protagonista no momento. Precisa mudar finalmente sua abordagem editorial e investir em seu produto vendendo-o com honestidade e atender a demanda que, sim, existe! Brasileiro gosta de carro e tecnologia, então que o canal explore isso! Chega de ufanismo pacheco!

  9. Fernando Kesnault disse:

    Compreensivel, por dois motivos: 1 – a falta de competividade da categoria, virou um desfile que ta facil saber quem vai ganhar, e 2 – a propria emissora nao ajuda, com um grupo chato que comenta e narra, além de nao haver renovação em programas e conteudos referentes a essa categoria.

  10. Calzado disse:

    Acho que manter a dança das cadeiras no Q1 e no Q2 e o Q3 no tradicional vai ficar legal.

  11. Celio ferreira disse:

    O novo sistema é bom , e da exposição para todos os carros , na volta da degola.
    No Q3 , falta a Pirelli dar um jogo a mais de pneus, para que tenham chance iguais,
    porque não foram a pista na hora da degola para ter um bom pneu pra largada.
    Na verdade no Q3 , achei um pouco de má vontade dos pilotos , principalmente
    de Rosberg.

  12. Thiago Sabino disse:

    A TV, como um todo, perde audiência. Isso é fato. O Feltrin, falando isso, parece que descobriu a roda , a pólvora e a bola na mesma tacada.

    Todos os canais perderam audiência, e vão continuar perdendo. Precisa ser gênio pra saber o porquê? As outras formas de mídia substituíram a TV em parte. O tal do “on demand” já é a síntese suficiente do que acontece. A TV – como conhecemos – ainda é um método convencional e engessado. Programação em horário rígido e tal…. As vezes passa um programa que o cara quer assistir, mas tá trabalhando, enfim…

    Migra pro conteúdo flexível – que adapta-se ao horário dele – e buenas.

    A F-1, além dessa perda de audência do veículo televisão, sofre pela falta de brasileiros como ponteiros. Ainda estamos numa ressaca razoavelmente recente da época de ouro. O brasileiro é , em regra geral , um “modinha”: só se interessa quando tem holofote, quando tem brasileiro se dando bem, quando tem visibilidade.

    Nos anos 80, demos as cartas em metade da década na F-1. Isso ainda provoca uma ressaca….

    Piquet saiu em 91, Ayrton morreu, Rubinho não segurou o rojão que a Globo e a opinião pública lhe deu, o Felipe ia bem, poderia ter tido um título…. mas…

    Não sei se ele tivesse sido campeão naquele ano, se iria reverter…. precisamos engrenar uma série de títulos. Aì o brasileiro médio volta a achar “graça” na coisa, e pelo menos um pouco desse buraco é tampado….

    Se ano que vem ainda tiver F-1 na TV aberta, que nos demos por satisfeitos viu…

  13. Moy disse:

    Não entendo como nenhuma emissora assume as transmissões da MotoGP e/ou DTM, dentre outras categorias de sucesso internacional.
    A Globo tb é dona delas por aqui?

  14. Alvaro Ferreira disse:

    Já que não deu certo, mantém o formato?!?!?!
    Caraca, a F1 tá parecendo o futebol brasileiro! Mantém os quadrilheiros da CBF, o Dunga como técnico (técnico?), o David Luiz como zagueiro…. Parece coisa de inteligência maligna, tipo: F#%¨$&ode logo com essa porra toda!

  15. @lemao disse:

    Eu gostei da nova classificação.
    Acho que se der mais um ou dois jogos de pneus para o Q3 os pilotos vão para a pista.

  16. Brabham-5 disse:

    Deveria haver uma campanha dos fãs de F1 e NINGUÉM comprar ingresso para os treinos de Sábado, até voltar a ser como era no ano passado.

  17. Alessandro Neri disse:

    Natural. A F1 já há mais de uma década é muito ruim. Uma caricatura grotesca e de mau gosto do que foi um dia. Nos anos 70 e 80 era algo além do simples esporte. Era algo mágico e intangível. Quem viu viu. Continua no presente impondo um ritmo forte e constante para o seu ocaso. Enquanto isso a MOTOGP……

  18. Rileudo disse:

    Dizem que uma pessoa é louca, quando esta repete a ação e espera resultado distinto…Se vai repetir por completo o modelo de treino classificatório de Melbourne…então estão todos loucos…porque o Q3 continuará a ser o anticlímax…Mude o Q3 e teremos um treino fascinante.

  19. Gabriel P. disse:

    Com a porcaria da transmissão da Globo, se não fosse a unica TV no Brasil a transmitir, audiência já seria ZERO
    Mas fazer o quê, se o resto das outras emissoras são incompetentes e covardes. .

  20. Órfão de JPA disse:

    Acho que em muito pouco tem teremos a F1 somente na TV fechada.

  21. Celso Okubaro disse:

    Aproveitando o post, poderiam mudar tudo de novo. Explico: já que querem bagunçar a classificação poderiam fazer o Q1 eliminar 1 piloto de cada equipe.

    Aquele que bater seu companheiro de equipe poderá disputar a pole. Cairiam 11 pilotos.

    O Q2 serviria para classificar do décimo segundo ao vigésimo segundo.

    O Q3 do pole ao décimo primeiro.

    Cada equipe economizaria jogos de uma sessão que não existiria mais.

    Inicialmente seria uma briga interna entre os pilotos.

    Na corrida seria uma emoção a mais, pois carros bons largariam lá atrás.

  22. Celso Okubaro disse:

    O dia que acordarem e a Fórmula 1 descobrir a internet, verão que o interesse existe, o que mudou é a forma como acessamos o que nos interessa.

  23. Leandro Giannetti disse:

    Acredito que o que acontece na Globo é algo normal hoje em dia, a concorrência com outras mídias diminuiu a atenção para a TV, mas boa parte desta perda de audiência se deve a frutos que ela plantou e agora está colhendo, explico: ao invés dela vender o esporte F-1 ou automobilismo, ela vendeu “patriotismo”, brasileiro vencendo e agora que não há nenhum “herói nacional”, vê o público criado procurando outras coisas mais interessantes, já que o “Brasil” não vai ganhar. Lembro de quando ela transmitiu a Moto GP… foi só o Alex Barros deixar de ter chances de vitória ou de ser campeão que ela deixou de transmitir.

    Pra mim então, a culpa não é somente das outras mídias ou entretenimento, mas sim desta “criação” dela própria.

  24. Luis felipe disse:

    A Globo nao ajuda mas ta lá… Sinceramente, viramos alienigenas

  25. Rafael P Chinini disse:

    não vejo grande salvação no futuro da F1.
    e eles não ajudam em nada!

  26. AS disse:

    A transmissao da Globo é sofrível, se vc tem oportunidade de assistir pela tv inglesa ou mesmo pela NBC sports USA entenderá… Pessoal competente e sem aquela coisa de fazer carnaval com tudo… irritante. Aliado a tudo isso tem a coisa do brasileiro que nao gosta de esporte… gosta de ser campeao. … Pelo andar da carruagem o Massa parando e ninguém aparecendo… acaba.

    Bem-aventurados os jornalistas esportivos da terra tupiniquim.

  27. JR disse:

    A globo também não ajuda…
    Eu nos GPs que acontecem de madrugada, normalmente assisto só a corrida. Porém, devido a mudança do formato da classificação, eu iria sim assistir pela globo, se eles tivessem a decência de passar ela inteira. Porém, alguém da plim plim achou mais interessante colocar só o q3 entre 2 filmes da sessão corujão as duas da matina.

  28. clodoaldo disse:

    não parece ser um fenomeno brasileiro a velocidade sempre causa fascinio nas pessoas basta ver o sucesso da moto gp mundial endurece turismo como dtm alemao super gt japones aqui essa categorias são pouco conhecidas mas tem publico cativo e se renova ao contrario da f1 que esta perdendo fãs ue vai mingunado a cada ano

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>