MENU

terça-feira, 10 de maio de 2016 - 19:51Sem categoria

802: LÁ, NUNCA FUI

Por AMÉRICO TEIXEIRA JUNIOR

Eu nunca fui ao 802. Oportunidades e convites não faltaram, mas nunca visitei o conjunto 802 da Paulista, 807.

Mas você, leitor, não tem no seu coração aquele lugar que, embora nunca tenha lá estado, é como se pudesse chamá-lo de seu?

Muita gente nunca foi a Monza, por exemplo, mas é como se lá vivesse, tamanha é a familiaridade com todo e qualquer pedacinho do circuito, sua estrutura, história e magia. O conjunto 802 se encaixa, para mim, nesse caso.

O café da máquina às vezes quebrada, de fato, nunca o tomei. Também nunca me sentei naquela cadeira amarela esquisita e nem toquei nas miniaturas de carros soviéticos que predominavam na prateleira em meio aos troféus do Flavio.

Não, nada disso aconteceu.

Apesar disso, mesmo distante, mas em função da imensa parceria profissional e afetiva, conheci cada ponto do escritório de uma maneira muito particular e, quem sabe, numa intensidade que nem todos os que lá estiveram puderam sentir.

Senti a emoção de cada furo de reportagem produzido pela equipe, compartilhei investigações, angustiei-me com dificuldades, sugeri soluções, critiquei conteúdo, recebi encorajamento, fui alvo de demonstrações de amizade que só as lágrimas podem traduzir, ajudei no que pude, atrapalhei sem querer e muito, muito mais.

Enfim, vivi muitas das emoções que transbordavam daquele espaço de 28 metros quadrados e me atingiam, como uma onda, onde quer que eu estivesse.

Sim, nunca estive no 802, mas é como se sempre lá estivesse estado. Não sei se me faço entender, mas é assim que sinto.

Não, não cometerei o mesmo erro. Assim que possível, e logo,visitarei o novo endereço. Um local privilegiado, sem dúvida. Afinal, quem tem o privilégio de trabalhar em pleno museu de carros históricos?

No Lada Laika branco eu já andei. Quem sabe o Flavio não me leva para dar uma voltinha no Trabant azul claro?

americo802* Convite feito. Américo Teixeira Junior, sem exageros, é um dos maiores e mais éticos jornalistas que conheci na vida. Tê-lo como parceiro é uma honra — e uma chance de receber aulas diárias do ofício. Texto brilhante, apurações rigorosas, princípios imutáveis… Se um dia me perguntassem quem eu gostaria de ser quando crescesse, acho que diria que queria ser o Américo. Pena que já cresci.

OK, não muito.

6 comentários

  1. Thiago disse:

    Eu fui três vezes ao 802!

    Ouvia o finado (acho que finado) fórmula Jovem Pan, e ganhei três prêmios:

    - Uma camiseta do Ricardo Mauricio, quando corria em categorias menores;
    - Um Boné autografado do André Ribeiro;
    - Um anuário Automotor, primeira ou segunda edição!

    Lembro das miniaturas, lindas!

  2. Diego - Floripa/SC disse:

    O Américo é fera, mais um furo para o público sobre o novo endereço…hehe

    Estes textos estão demais, acompanho tudo faz 10 anos e vou acompanhar sempre o blog e site.

  3. Pedro Araújo disse:

    … e o Américo faz jus à tradição, adiantando pequenos detalhes sobre a nova base da Warmup…

  4. Agora sim vou escrever.

    Sei exatamente o que é isso, conhecer ou sentir o lugar sem nunca ter ido. É claro que não se compara com a experiência in loco, mas server para nos dar uma ideia.

    Comecei a ler o Grande Prêmio no início dos anos 2000. Ei lia os textos do Flavio bem antes do blog, e em algum lugar ele disse que tinha uns press-releases antigos que ele aproveitava como rascunho, virava do lado contrário e metia na impressora. Achei um crime, isso. Mandei um e-mail e simplesmente pedi alguns press-releases, já que ele estava jogando fora mesmo. Qual não foi minha supresa, ele me respondeu e pediu meu endereço. Mandei, e solicitei que mandasse por Sedex a cobrar. O Flavio respondeu algo como “não precisa pagar, eu mando na boa, mas não acostuma nem espalha, senão enlouqueço com os pedidos”.

    Pois foi assim que recebi um envelope de papel pardo com o endereço Av. Paulista 807 conjunto 802, remetente Flavio Gomes, com uns press-releases da Williams. Eu pedi que fossem da Williams.

    O Flavio disse em um post aí para baixo que colocava algumas pessoas em seu radar, mas como leitor eu o coloquei em meu radar, não só ele mas toda Agência Warm Up, que desde sempre prezam por bom material. Estive na Av. Paulista várias vezes depois, a trabalho, fiquei muito tentado em conhecer pessoalmente o endereço mas acabei não indo. Acho que por vergonha, sei lá, não sou o tipo de entrar onde não se é convidado.

    Acho que como o Americo, não cometeria esse erro novamente.

    • Pedro Araújo disse:

      que legal a história, Aliandro!

      eu lembro mesmo do Gomes falando sobre essa coisa de usar press release antigo de equipes como rascunho, mas não tive essa sua sacada de pedir um. o Gomes foi sábio em pedir pra não espalhar pro resto de nós…

      sempre que ia a SP estava nos arredores do 807/802, se soubesse na época daria um jeito de conhecer a sala, mesmo não sendo jornalista ou não tendo nada pra resolver profissionalmente com a equipe da Warmup…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>