DANS LA RUE (4) | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

domingo, 29 de maio de 2016 - 11:30F-1

DANS LA RUE (4)

mon16b

SÃO PAULO (c0mecem) - Na quinta-feira, Hamilton deu a letra. Ao usar os pneus ultramacios, alegadamente grudentos e aderentes e velocíssimos e pouco resistentes, o inglês comentou: eles são legais, mas duros demais.

Aí, no GP de Mônaco que acabou agora há pouco, o cara enfia uma sequência de 47 voltas com uma borracha que, na melhor das hipóteses, deveria durar 20. E ganha a corrida.

Nada como um dia após o outro.

Ontem, Comandante Amilton apareceu na foto dos três primeiros do grid com cara de quem tinha perdido um parente. Os problemas técnicos no Q3 quase impediram-no de fazer uma volta rápida. Ainda conseguiu um terceirinho suado. Ao lado dele, aparecia um sorridente Ricciardo, feliz da vida com sua pole, a primeira da carreira, justo onde ela é mais importante.

Hoje, a foto do pódio chique de Monte Carlo tinha os dois — e mais um espetacular Pérez. Lewis, agora, saltitante e contente como não se via desde o ano passado. O australiano, por sua vez, triste como nunca se viu. Foi a primeira vitória de Hamilton no ano, a segunda em Mônaco. E a 44ª da carreira.

mon16d

Aquele sorriso cheio de dentes de Ricciardo desapareceu porque a Red Bull acabou com sua corrida num pit stop. Foram mais de 13s parado nos boxes, esperando pelos pneus. Isso não se faz. Não em Mônaco. A equipe não estava pronta para a parada. “Não fui para a troca por minha conta. Me chamaram para o pit stop. Então, deveriam estar prontos. É foda. Isso machuca”, falou. Traduzi “it sucks” por “é foda”. Acho que não está muito longe do que ele quis dizer.

Foi um bom GP de Mônaco, este. Começou com frio e chuva, o que é sempre legal nas ruas do Principado — 17ºC, bem gelado. Pena que a F-1 insiste com essa bobagem de, no molhado, largar atrás do safety-car. Só quando o spray já era mais do que aceitável e os pilotos, pelo rádio, perguntavam quanto tempo ia durar aquela palhaçada, é que a corrida teve o início autorizado de verdade. Foi na oitava volta.

Estavam todos com pneus para chuva intensa, por determinação da direção de prova. Mas foi só largar que Magnussen correu para os boxes e colocou os intermediários. Dava, tranquilo — apesar do acidente de Palmer, que aquaplanou na reta dos boxes e foi parar no guard-rail. Mas para quem tinha muito a perder, era melhor alguma cautela. Assim, lá na frente Ricciardo disparou na ponta e começou a abrir de Rosberguinho, sem pensar em trocar pneus. Lento, o alemão segurava Hamilton num ritmo inexplicável. Virava tempos cerca de 3s piores que o piloto da Red Bull.

O segundo a bater, sozinho e de forma melancólica na Loews, foi Raikkonen. Ficou com a asa presa debaixo do carro e abandonou, na décima volta. Na 13ª, Ricardão já tinha 8s8 sobre Rosberg. Então, Vettel, que estava em quarto, abriu em definitivo a sessão de troca de pneus. Foi para os boxes e tacou os intermediários. O resto foi na balada. Mas nem todos.

O pessoal mais à frente e imediatamente atrás de Sebastian achou melhor ficar do jeito que estava. Na dúvida, sei lá… Volta 16, e Hamilton passa Rosberg na subida do Cassino como se o companheiro estivesse parado. A equipe pediu para que ele deixasse o companheiro ir embora. “Não sei o que tinha meu carro”, resmungou o alemão. Na 17ª, os seis primeiros se mantinham com pneus “wet”: Ricciardo, Hamilton, Rosberg, Sainz Jr., Pérez e Massa. O brasileiro segurava um trenzinho que tinha Vettel de locomotiva, o primeiro com intermediários.

E é claro que nessas condições de pista meio úmida e meio molhada e meio seca tem gente que se destaca e gente que faz uma cagada atrás da outra. Comecemos com Kvyat. Afemaria. Primeiro, o coitado teve de trocar o volante antes mesmo de largar de verdade. Perdeu uma volta. Aí, conseguiu bater em Magnussen na Rascasse. Era retardatário, o russo. Ridículo. Desse jeito, vai ser rebaixado para a GP2. E se reclamar, vai parar no kart de novo.

Entre a turminha que fazia bonito estava Verstappinho. Largou dos boxes e começou a passar o povo sem negociar muito, chegando à zona de pontos com menos de um terço de prova.

Àquela altura da corrida, volta 23, os pneus intermediários eram claramente mais velozes que os “wet”. Ricciardo, mesmo assim, se mantinha na ponta com 11s de vantagem para Hamilton, que por sua vez já tinha enfiado mais de 30s em Rosberg. Aí o líder parou. Colocou os “inter” e Lewis assumiu a ponta. Nosso simpático marsupial voltou em segundo, 8s4 atrás do inglês da Mercedes. Como Hamilton teria de parar, estava tudo sob controle.

Como era natural, Lewis começou a virar tempos muito altos com os pneus errados. Ricciardo foi chegando. Na volta 28, já não havia mais diferença. A estratégia de Hamilton e da Mercedes era claríssima. Saiu o sol, a pista estava secando. Não dava ainda para “slicks”. Mas Lewis iria esticar o uso dos “wet” até onde desse para, na parada, colocar “slicks”. Economizaria, assim, um pit stop. Não passaria pelos intermediários, como todo mundo fez (Wehrlein foi esse que adotou essa estratégia, mas chegou lá atrás).

O primeiro a espetar pneus para pista seca foi Ericsson, na volta 31. Hamilton fez o mesmo na sequência. Segurou Ricciardo como dava, porque lá ninguém passa mesmo, e fez sua parada única.

Única? Pô, o cara colocou ultramacios! Não chegaria nunca ao final da corrida com aquele jogo de pneus!

Chegou.

Todo mundo tirou os intermediários para colocar “slicks”, e as escolhas foram bem sortidas. Teve gente de ultramacio, gente de supermacio, gente de macio. Cada um acreditando no que quisesse, ninguém a fim de parar de novo, obviamente. Ricciardo parou na volta seguinte. Sem Hamilton na sua frente, acelerou loucamente para poder fazer seu pit stop e voltar em primeiro. Iria dar certo, tinha até algum tempinho de sobra.

Só que, aí, a Red Bull estragou tudo. Quando o australiano parou, os pneus traseiros preparados estavam errados. Na confusão, ficou mais de 13s parado e quando saiu do pitlane viu Hamilton alegremente passando em primeiro. Faltavam 46 voltas. Sua única esperança seria uma nova parada de Lewis, porque passar, na marra, seria muito difícil. Em tempo: Ricciardo colocou supermacios, que aguentariam sem maiores problemas até o final.

Ricardão tinha um carro mais rápido. Encostava, mas tinha de aliviar de vez em quanto para não detonar a borracha. Quem não aliviou foi seu parceiro Verstappinho, que já em nono se empolgou demais e bateu sozinho no Cassino. Foi na volta 35. Uma no cravo, outra na ferradura. Bom para aprender. E ele aprende, podem ter certeza.

As posições da volta 37, do primeiro ao décimo, ficaram praticamente inalteradas até o final: Hamilton, Ricciardo, Pérez, Vettel, Alonso, Rosberg, Hülkenberg, Sainz Jr., Button e Gutiérrez. Para não dizer que nada aconteceu, Hulk ganhou a posição de Nico nos últimos metros da última volta e Guti-Guti perdeu seu pontinho para Massa no fim. A Williams, como se esperava, teve uma performance patética.

Apesar disso, houve bons momentos nessa segunda metade seca do GP. Ricciardo ficou na cola de Hamilton o tempo todo. O agora desolado canguru até que tentava alguma coisa. Esteve perto de passar num ligeiro erro de Lewis na saída do Túnel, mas o inglês fechou a porta, Daniel xingou, e ficou por isso mesmo. Depois da 55ª volta ele já tinha clara noção de que o inglês não iria parar de novo e seguiria até a quadriculada com os ultramacios. Aí é que ficou triste de vez. Desistiu.

Teve também uma presepada sauberiana, na volta 50. A equipe suíça mandou Nasr abrir caminho para Ericsson — estavam em 15° e 16° –, mas o brasileiro, com razão, não quis nem saber. Na Rascasse, o sueco tentou o impossível e os dois, claro, bateram. Marcus pediu desculpas. Nasr ficou puto. Um desastre. A Sauber é um desastre.

Um pouco mais à frente, Alonso era a locomotiva da vez. Em quinto, puxava o trem com os vagões Rosberguinho, Hulk e Sainz Idade — todos a menos de 1s um do outro. Mas ninguém cometia erros, e ninguém arriscava muito. A prova seguia num ritmo divertido e de expectativas otimistas, com muita coisa podendo acontecer, claro. Afinal, era Mônaco, tinha um pouquinho de água fora do traçado, sabe como é. Mas, na real, pouca coisa acontecendo. Sabe como é.

As últimas voltas ganharam um pouco em tensão com alguns pingos começando a cair aqui e ali. Mas essa nova chuva só apertou mesmo na última volta, atrapalhando aqueles que ainda tinham alguns quilômetros a percorrer — depois que os primeiros colocados receberam a bandeirada. A saber: Rosberg, que perdeu o sexto lugar para Hülkenberg praticamente na linha de chegada.

mon16a

No pódio, a primeira pessoa que Hamilton cumprimentou foi Justin Bieber. Confesso que, na minha ignorância do mundo das celebridades, tive de perguntar à namorada quem era aquele moleque loirinho que a segurança deixou passar. “Justin Bieber, ué!”, ela disse. “Certeza?”, perguntei. Recebi, de volta, um olhar de desaprovação justificado por conta de minha ignorância musical e artística. O rapaz é bem famoso.

Mas fiquei, mesmo, com pena do tristonho Ricciardo. Duas corridas seguidas que poderia ter vencido, mas por responsabilidade do time acabou não levando. É dura a vida. Até o mais radiante dos sorrisos, às vezes, tem de ser recolhido para reflexão. Tadinho.

Bem, o resultado claramente dá uma animada no campeonato. Rosberg tinha 43 pontos de vantagem para Hamilton, quase duas vitórias, e agora são 24 — menos que uma. É a hora de mostrar que tem a cabeça no lugar e que não vai se deixar abater por conta de um resultado ruim.

Porque se deixar, dança.

202 comentários

  1. Marcelo disse:

    Você tem namorada ? Sempre achei que fosse um de nós !

  2. LUIZ disse:

    Flavio, estou pior do que voce pois so descobri agora que li sua materia….lol

  3. Giovanni disse:

    Luis Roberto: um puxa-saco do Galvão Bueno, que tenta copiá-lo e ao forçar exageradamente, consegue ser pior do que o dono do saco.

    Justin Bieber: também não sabia quem ele era (na hora, fiquei pensando: “mas quem é esse gurizinho que tanto filmam?”). Só depois do Hamilton dar um gole de champagne pro guri que, relacionando a vida superficial de celebridade dos dois me ajudou a lembrar de Justin Bieber. E sim, eles são bem parecidos.

  4. Brabham-5 disse:

    Não se incomode de não ter reconhecido o Justin Bieber.
    Ele é “celebridade”, de fato.
    Mas desconhecimento musical e artístico e coisa de quem compra CD e ingresso para assistir/ouvir o Justin Bieber.
    Que em matéria de qualidade musical e arte, Justin Bieber não tem nada a ver com nada disso.
    A corrida foi um saco, bandeiras amarelas demais, safety car, CHUVA e falta de ponto de ultrapassagem nessas condições para Vettel chegar entre os 3 primeiros para a briga e mais ainda para o Ricciardo ter como ultrapassar Hamilton nas voltas finais.
    Acho que é mais fácil fazer tantas voltas com o pneu ultra-macio quando se está correndo num dia chuvoso, clima bem ameno em temperatura ambiente e numa pista truncada. Queria ver se Hamilton teria essa “manha” toda em tantas voltas com esse pneu, se fosse num dia quente de verão, sol inclemente na cabeça (na borracha e no asfalto) e numa pista com mais espaço para ultrapassagem. Ricciardo teria engolido sem mastigar a Mercedes com Hamilton e tudo.
    Ricciardo foi injustiçado e tem toda razão de ficar puto, principalmente com a chefia dos boxes da RBR.
    Alguém ali poderia ir parar na STR depois dessa.

  5. Paulo Fonseca disse:

    Prezado F&G : Domingo teve chororó em Mônaco , sacanearam Ricardo e Narss. Comandante Hamilton fez um corrida com muita classe com estilo vai virar o jogo aposto duas pizzas com você .

  6. Leandro Batista disse:

    A parte negativa do dia mesmo foi a transmissão péssima do Luis Roberto. Não é a dele. Os que ainda se aventuram a acordar 09:00 da manhã de um domingo cinzento para ver uma F1 cada vez mais sem emoção e plastificada são os que realmente gostam de automobilismo e tem inteligencia suficiente para saber o que está acontecendo de fato na corrida. Gritar no microfone a cada fina tirada nos guardrails de Monte Carlo não dá mais emoção a corrida.
    Aliás, honestamente, sou um dos que esperam realmente que as transmissões de F1 sejam feitas pela TV a Cabo. Ao menos poderemos acompanhar mais dos bastidores antes de cada GP e as coletivas e entrevistas que ocorrem depois em vez de um mero repeteco da chegada dos pilotos no pit lane seguido por um pódio e créditos passando no momento da champagne.

    • Luciano disse:

      Concordo, aturar o Luiz Roberto narrando é dose pra leão. Agora passar pra sportv não melhora nada. O tal do Sérgio Maurício é muito ruim.
      O melhor de todos, apesar dos pesares, ainda é o Galvão Bueno. O cara sabe muito.
      A corrida foi boa, Monaco é assim mesmo, correr no fio da navalha, frase nova, não é corrida pra se esperar muitas ultrapassagens mas sim grandes disputas e às vezes batidas por falta de atenção, né MiniMax!?!?

  7. Tevez disse:

    Kvyat ficou louco…Gritou com tudo mundo no Motorhome…Quero ir embora daqui..

  8. Ronald disse:

    Eu achei primeiramente que aquele moleque era o Eminem….kkkk
    Depois, até fiquei desconfiado que era o Justin Bieber mesmo.

  9. ms disse:

    Hamilton parece necessitar se ver em situações críticas (ver por ex. seu companheiro de equipe se distanciar na pontuação do campeonato) pra só então “partir pras cabeças” e iniciar sua reação no campeonato como aconteceu nesse GP de mônaco…..e como nico rosberg já monstrou no passado que não tem estrutura emocional e “força mental” pra suportar pressões estando em situações críticas sem se desestabilizar e começar a fazer lambanças na pista, pra mim, depois dessa ultima corrida, o campeonato começa a cair no colo de Hamilton…..

  10. Tales Guimarães disse:

    Sou fã de primeira hora do Hamilton. Desde quando ele, como estreante, embolsou o Alonso. Mostrando talento e velocidade dos poucos foras de série que passaram pela F1. Porém, ali naquele primeiro ano, já não foi campeão por falta de controle emocional. Com duas cagadas básicas. E teria a marca de único campeão na temporada de estréia.

    E as amizades vida loka que ele cultiva, como este retardado do JB por exemplo, são mais uma explicação da pouca questão que ele faz em ter uma postura de piloto atleta, comprometido com a carreira de quem quer ser multi campeão. Que seja feliz assim.

  11. Marcelo Dalbelles disse:

    A F1 está tão insossa que se estivesse chovendo como em 1984 ou em 1997 nem teria corrida!

  12. Acarloz disse:

    O troféu deveria ser entregue pros mecânicos da Red Bull.

  13. Guilherme Zahn disse:

    Pergunta que não quer calar: nesse mundo em que qualquer aguinha chama safety-car, pra quê servem os “extremes”? Só pra rodar atrás do safety-car? Porque ontem, por exemplo, já tinha gente colocando os intermediários na mesma hora em que o safety-car saiu…

  14. Pedro Araújo disse:

    vamos lá, meu povo, a corrida de Mônaco serve muito mais pelo sadismo de ver a turma se espremendo naqueles corredores do que pelo aspecto esportivo do evento como um todo.

    porque só em mônaco aquela cortada de pista do Hamilton seria deixada de lado pelos comissários. se o cara fosse punido (situação normal em qualquer outro circuito) isso iria influenciar completamente o resultado. preferiram não mexer no vespeiro, muito ruim essa “dilatação” das regras.

    mas como isso foi muito pouco perto da cagada da red bull, que foi o que realmente tirou a vitória do Riccardo, menos mal.

    mas pra mim o merecedor da vitória de hoje ainda seria o Riccardo, mesmo com a boa apresentação do Hamilton.

    no mais, acho que a Pirelli deu tomé nesses tais ultra macios. pegou os super macios, raspou o vermelho e pintou de rosa no lugar.

    pelo menos a próxima corrida é em montreal. competição no sentido completo da palavra.

  15. Gabriel P. disse:

    Bom, uma coisa ficou clara.
    Quem faz “previsões” sobre duração de pneus, acerta tanto quanto quem fala de chuva.
    As Mercedes já não são as mesmas, quando não é Hamilton, é Rosberg que quebra.
    De resto parece que as Ferraris (ou melhor, Vettel) terá de brigar com as RBR pelo resto do campeonato.
    Como todos já sabem a transmissão na Globo que já era uma porcaria, piora a cada dia. Mas o pior é não termos nenhuma outra emissora com competência para transmitir F1. Aliás, nenhuma tem competência para nada,

  16. A Sauber está Falida e no Fundo do Poço, mas ainda assim os seus pilotos praticam o Fogo Amigo Suicida. Vai Entender! Pelo menos no Fogo Amigo Suicida a Sauber já divide o Status com a Mercedes. Kkkkk

  17. Sandro Karam disse:

    Parece que a Marguerita do Vettel está sofrendo de ejaculação precoce. Segundo ele, na quinta feira ainda, esses pneus eram como o coito de um coelho

  18. paulo disse:

    hamilton por mais que os comentarista da globo torçam contra ´é o piloto melhor da atualidade terão que engolir.

  19. Kkkkez Alonso disse:

    E o Amonso voltou!!!

    Voltou a ficar imediatamente atrás do Ve44el como sempre fez!!!

    Chuuuuuupa Viceonso!

    10 anos sendo entubado and counting…

    Tetra é Luxo!

    Allez Mão!

    • Kkkk! disse:

      Foi mesmo, corridaça do alemão xiliquento, que deve estar agradecendo ter trocado de equipe, já que a Ferrari evoluiu muito, ao contrário da Redbull. Alonso coitado, não fez nada.
      #SQN!
      Hahahaha, chupa torcedorzinho de piloto mediano, kkkkkkk!

    • Amaral disse:

      Putz. Não gostar de um piloto e comentar de forma parcial é uma coisa. Agora, ser um mala pesada sem alça e sem rodinhas é algo totalmente diferente. Essa história já ficou sem graça há muito tempo. Depois o dono do blog xinga, esculacha, passa o rodo, bloqueia e bane o sujeito e vem o mimimi. Banir é pouco pra malas dessa espécie.

  20. Danilo A. disse:

    Eu diria que é um traço de bom gosto artístico não ter a mínima ideia de quem é Justin Bieber.

  21. cesar disse:

    O pior dessa corrida disparado foi o luiz roberto! tenho certeza que para nos amantes da f1 foi uma das maiores torturas ouvir esse cara na transmissão hoje! quando não der pro locutor oficial não puder transmitir que ponha o cleber machado, ou sergio mauricio… ate a mariana Becker, pois o cara ultrapassa o insuportável!!! Nasser, esse eh cabra macho!!! nada de capacho! gostei!

    • Ricardo disse:

      Concordo totalmente, estava osso de acompanhar a transmissão com a locução do Luiz Roberto, tentando achar emoção onde não existia. Não torço contra o Hamilton, vitória para quem merece, mas a presepada da Red Bull com o Ricciardo foi de amargar.

    • Sandro Karam disse:

      Já comentei muito no Twitter marcando até a Globo, mas não tem jeito. A prova pode ser a mais emocionante de todas mas parece que ele tá narrando um enterro. E não perde a mania de chamar carrinho. “Pra vocês irem decorando, o carrinho vermelho é a Ferrari, os carrinhos prateados são as Mercedez. Vai pra lá
      #clebermachadonaF1

    • Tiago disse:

      Esse Luis Roberto é pior mesmo.

      O Galvão é malão e o Luis Roberto tenta aumentar e não presta a atenção na corrida.

      A narração do Cléber Machado na TV aberta é bem melhor mesmo.

    • Moy disse:

      Ainda mais quando falava da troca dos “pineus”.

  22. Cristiano Ferreira disse:

    Corrida excelente do Hamilton em segurar o carro por tanto tempo com uma pista praticamente seca usando pneus de chuva que se desgastam muito mais nessas condições.

    Só acho que faltou muita coerência na aplicação das regras por parte dos fiscais de corrida. O Hamilton cortou a chicane e ganhou tempo em relação ao Ricciardo, que iria fazer a ultrapassagem e ganhou uma fechada, ou seja foi prejudicado em favor de alguém que cortou caminho, enquanto ele realizou o traçado normal.

    Na própria corrida mesmo houveram casos de pilotos que tiveram que devolver a posição no mesmo ponto, salvo engano foram os casos de Bottas e Gutierrez ou Rosberg, não lembro.

    Sei que não se tratou de ganhar posição, mas de fato o Hamilton cortou parte do traçado e foi beneficiado com isso.

    • Leandro Batista disse:

      Só complementando, todos os devolveram a posição estavam atrás e fizeram a ultrapassagem ao cortar a chicane. No caso do Lewis, ele não poderia devolver algo que não lhe foi tomado. Quando cortou a chicane, o Ricciardo estava atrás do inglês.

      • Cristiano Ferreira disse:

        Como eu disse, no meu comentario, eu sei que ele não tomou nada, mas ele ia perder a posição por causa do erro na chicane e só não perdeu pela fechada brusca que ele deu no Ricciardo depois.

        Alias, essa fechada foi depois que o Ricciardo já tinha colocado as rodas do carro de lado, o que pela regra o Lewis seria obrigado a ceder espaço para o Ricciardo colocar o carro lado a lado.

        Resumindo, foi a mesma coisa que aconteceu em Barcelona e foi a mesma coisa que ele fez em relação ao Rosberg por lá e que muita gente saiu a favor dele em detrimento do Rosberg, só que domingo ele fez o papel do Rosberg.

        Atitude errada dos comissários de corrida na minha opinião por não terem dado sequer uma punição de tempo nele, e digo mais, se tivesse sido o Ricciardo que tivesse feito isso com ele, o Hamilton teria acabado com a corrida dos dois naquele momento.

      • Rinaldi disse:

        Mas ganhou tempo enquanto Ricciardo estava nos boxes fazendo assim uma volta mais veloz, se não fosse aquele corte provavelmente a Red Bull teria voltado na frente. Hamilton é sempre protegidinho, deveria ter tomado 5 seg após a corrida ou drive through durante.

      • Cristiano Ferreira disse:

        Sim a falha de comunicação da Red Bull foi a maior vilã por ter tirado uma vitória certa de Ricciardo, que mesmo com o erro quase saiu na frente ainda.

        Mas mesmo assim, ainda acho que o Hamilton deveria ter tomado uns 5 segundos de punição pela fechada, o que certamente apimentaria ainda mais a corrida.

  23. Marcos Marcheti disse:

    Na minha opinião o Ricardo tremeu na luta pela liderança. Ele lembrou do pau que tomou do Felipinho lá mesmo em Mônaco!!! Felipinho o verdadeiro Rei de Mônaco.

  24. Sebastião Ribeiro disse:

    Acho que o dono das latinhas deveria mandar o sr Helmut passar uma temporada na toro rosso para aprender um pouco mais…!

  25. Celio ferreira disse:

    Monaco é a pista que divide os homens dos meninos e Max continua menino.
    Red Bull ….que puta cagada, lascou o Ricardão
    A corrida marcou a virada de Hamilton no campeonato.
    Em pista travada a Williams não deveria nem ir….
    E a Ferrari nem lembra mais o que é vencer em Monaco!!!!!
    Onde não depende de motor , a Honda apareceu né Alonso…

    • luigi disse:

      Na verdade Celio ,eu acho que a Rossa di Maranello não lembra mais como se faz um caro vencedor desde que voltou a ser puramente italiana as vitórias que eventualmente teve foram mais que puramente ocasionais . O Vettel deve estar “P” da vida com sigo mesmo pela burrada que fez trocando uma equipe bem dirigida por uma ,muito tradicional mas mal dirigida e a já um bom tempo .
      A Ferrari foi vencida pela equipe de um fabricante de energéticos ,anos seguidos ,então é até lucro ser vencida pelo fabricante de uns dos carros mais conceituados do planeta e da competente engenharia automobilística alemã . Rossa di Maranello ,por enquanto terceira força do campeonato, e voltando a andar atras do fabricante de energéticos.(Piange poveri Ferraristi !)

    • Paulo Pinto disse:

      Separar homens dos meninos? Spa.

  26. Eduardo disse:

    É estranho que entre 22 pilotos só 3 estavam contentes no final (Hamilton, Perez e Alonso), é fácil explicar a durabilidade dos pneus, zero aderência, zero desgaste.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>