MENU

quarta-feira, 20 de julho de 2016 - 11:42F-1

ADEUS, SAUBER

sauberpeterfim

SÃO PAULO (fez muito) – Estranho dizer “tchau” no dia em que, na verdade, a Sauber garantiu sua sobrevivência dando “hello” a um grupo financeiro suíço que assumiu o controle da equipe de Hinwil. Longbow Finance é a empresa que salvou o time da extinção. Não tenho a menor ideia de quem se trata. Grupos financeiros não são propriamente novidade na F-1. Outro dia mesmo um deles comprou a Renault, transformou-a e Lotus, deu certo por um tempo, depois caíram fora. Genii, lembram? Coisa recente. A Renault pegou de volta.

Esses conglomerados de gente engravatada que vive de mexer com o dinheiro dos outros nada têm a ver com o esporte e nele enxergam uma possibilidade de fazer negócios, apenas. Se dão certo, seguem em frente. Se não dão, tiram o time de campo e partem para outra. É a lógica capitalista. Por ela, nenhuma equipe de competições teria nascido. Corrida não é exatamente um bom negócio, na sua origem. Pode se transformar, até. Mas, na maioria das vezes, se equilibra mal e porcamente e depende de decisões políticas e apaixonadas de grandes empresas e empresários. Uma das máximas do meio é: para ficar milionário com automobilismo, basta ser bilionário. Algo assim.

O “adeus” do título lá em cima pode ser acrescido de um “a”, a Sauber, Peter, o fundador e garagista que fez do sobrenome uma equipe, ou de um “à”, à Sauber, a equipe. Sem crase, um adeus ao vetusto e austero Peter. Com crase, um adeus à equipe, que deixa de ser o que é para se tornar ativo de um grupo de financistas.

É uma boa notícia, a venda? Num primeiro momento, claro. Afinal, era isso, ou fechar as portas. A longo prazo, impossível dizer. Grupos financeiros, insisto, não têm compromisso algum com esporte nenhum. Seu compromisso é exclusivamente com dinheiro. Seria muito, mas muito melhor, se o Grupo Fiat assumisse a bronca usando a marca Alfa Romeo, como se especulou há algum tempo. Na verdade, houve conversas sérias nesse sentido, mas no fim a negociação não evoluiu, e não me perguntem por quê. Mas é fácil adivinhar as razões. Montadoras de automóveis, hoje, também têm financistas engravatados no comando. Devem ter achado que era um mau negócio.

E por que um grupo como esse Longbow se mete com corridas, se elas são um mau negócio? Fui procurar informações sobre a empresa, sediada na pequena Lutry, minúscula cidade medieval de dez mil habitantes no Cantão de Vaud, lado francês da Suíça, onde em 1984 foram encontrados 24 menires durante as escavações para a construção de um estacionamento subterrâneo.

Menir é aquilo que o Obelix carrega o tempo todo, e nunca soube, nem saberei, para que serve. Mas menires existem, os de Lutry estão aí para não me deixar mentir. Num desses sites sobre mercado financeiro mundial, encontrei a seguinte descrição das atividades da nova dona da Sauber: “Gestion financière, administrative et comptable de fortunes, participations, titres, valeurs mobilières et immobilières ou autres investissements”.

Não é preciso traduzir nada. Resta apenas torcer que os caras curtam essa parada de carrinhos de corrida, que consigam investidores entre os afortunados com quem mantêm relações, que preservem os empregos na fábrica e, sobretudo, o espírito de Peter Sauber. Que foi aposentado compulsoriamente e, a partir de hoje, desconfio, nem credencial vai ter mais para entrar nos autódromos.

28 comentários

  1. João Ferreira disse:

    É uma pena que os visionários como Peter Sauber estão ficando velhos e de fora da Formula 1…uma pena.

  2. Rafael disse:

    Grande Sauber! Teve grandes pilotos! Alesi, Jacques Villeneuve, Raikkonen, Kubica e Kobayashi!

    Kubica de BMW Sauber era demais! Lembro da vitória dele em Montreal como se fosse hoje, estava lá na pista… emocionante!

  3. Fábio Luiz disse:

    A tendência com essa mudança é que todas as peças novas, se houverem, sejam colocadas primeiro no carro do Ericsson, e depois no do Nasr, que por sinal nesta temporada está tomando uma lavada do sueco, que está longe de ser gênio, colocou a culpa no chassi do início do ano e a Monisha veio a público dizer que o chassi foi examinado pela equipe e não encontraram defeito algum, acho que ele deve seriamente tentar mudar de ares enquanto ainda tem o Banco do Brasil bancando, porque como piloto é bem mediano.

    • Rogério disse:

      Monisha falou que o chassi estava bom justamente depois do Felipe ter criticado a equipe. No começo da temporada ele estava ficando a mais de um segundo atrás do Ericsson, isso jamais aconteceu antes, nem depois da troca do chassi. Quanto a “lavada”, o cenário tem mudado, o Nasr tem feito excelentes apresentações, deixando o sueco lá atrás, já está, inclusive, colado nele no campeonato (mesmo sem pontos, considerando as posições de chegada). Quanto ao Ericsson ser ruim, também discordo, o cara só andou em carro sofrível, o coloquem em um carro competitivo e verás que ele daria caldo em muito novato badalado tipo Kvyat e Sainz. Quanto ao Nasr ser mediano, também discordo, dá uma pesquisada em seu histórico e assista algumas de suas ultrapassagens na F3, GP2 e até na F-1 que verás que o garoto é consistente, só lhe falta uma boa oportunidade.

  4. Felipe Fugazi disse:

    Notícia em um sonho utópico de um torcedor.
    Peter Sauber anuncia saída da F-1:

    O simpático helvético Peter Sauber anuncia sua saída da F-1.
    Cansado da soberba da categoria máxima ele decidiu retornar ao Endurance.
    Ano que vem ele competirá no WEC.
    Com qual motor?
    Ele foi até a antiga parceira Mercedes e perguntou se eles ainda tinham alguns barulhento s V8 2,4.
    Ao saber que a Mercedes ainda tinha ele disse:
    “Vejam bem mein Freund, a Audi que é alemã tem na prateleira alguns troféus de Le Mans.
    A também alemã Porsche que voltou a Sarthe já enfileirou dois canecos.
    Porque não vir pra festa?.”
    Seria a primeira equipe privada em condições de fazer algo realmente grande na LMP1.

    • luigi disse:

      Eu acho que você esta sonhando com a saída da Mercedes da F1 ,pois a Mercedes em Sarthe ,não e´muito feliz ,costuma levantar voos ,não desejados . Em 1955 quando ocorreu o maior acidente da história do automobilismo , diga-se de passagem que não por culpa de Pierre Levegh e sim pela manobra de Hawthorn na parada de box ,jogando Lance MacKlin para mais a esquerda onde vinha o caro da Mercedes com mais de 180 KM /h de diferença de velocidade em relação ao Austin Healey com sua traseira tipo “rampa de lançamento” (na minha opinião ,foi uma vitória indigna da Jaguar pois foi justamente este carro que venceu a prova , sou fan dos Jaguares da época ,mas esta é uma mancha no curriculum vitorioso da marca ,deveriam ter tido a mesma dignidade da equipe Mercedes pois foram co-autores da tragédia). Bem ,mas voltando ao seu sonho ;talvez este seja o seu verdadeiro desejo secreto ,a saída da Mercedes da F 1 , assim talvez os Ferraristas fiéis ,tenham mais sorte em ver a marca de Maranello ter mais chances de ser campeã novamente. Pois com Mercedes na disputa ,desde os anos trinta ,que italianos são fregueses .( Buhááá´, buhaááá´, buhaáá´,eu como a maioria dos italianos choramos pois sabemos a verdade e a realidade .)

  5. Bruno WEnson disse:

    Não, Flávio. Esse desplante não podem cometer com ele. Não dar credencial pra quem foi protagonista desse Circo por mais de vinte anos… Não acredito que fariam.
    Mas… Estivesses lá por muito tempo também. Conheces bem o pessoal. Não posso duvidar do que falar, nesses casos.

  6. Zéduardo disse:

    Parece que tinham vários interessados mas o que estava complicado é que a Monisha Kaltenborn insistiu que só tinha negocio se ela continuase como CEO e tb os salários na região onde fica a Sauber são dos mais altos da Europa

  7. Ricardo Talarico disse:

    Como “… autres investissements”, leia-se “lavagè de dinherô.”

  8. Zéduardo disse:

    A Longbow é o braço financeiro do grupo Tetra Pak (gigante de embalagens) o qual é de propriedade de Suecos que já patrocinam o Marcus Ericsson.

  9. José Marinho disse:

    Provavelmente o nome Sauber desapareça, é o mais provavel, e como fica a situação do Nars?

  10. Pedro Perez disse:

    Para um cara apaixonado pelo automobilismo como o seu Peter deve ser um tipo de morte mesmo!

  11. É a segunda vez que Peter se aposenta, certo?

  12. Flávio Pripas Edelstein disse:

    Vc está coberto de razão! Tanto a F1 quanto outras categorias de esporte a motor nada tem a ver com dinheiro. Basta olhar a história, as marcas nas carrocerias, nos capacetes, nos marcações, nos guardrails, nos bonés e até na luvas pra nos darmos conta que foi o comunismo que fez do esporte a motor o que ele é. Thanks Karl!

  13. Caio Maranho disse:

    Prezado Flávio, boa tarde.

    Coloco toda a culpa da derrocada da Sauber na Monisha, a mesma não tem o jeito para levar a equipe para aonde o Peter levou de 1993 até 2006, quando a equipe foi adquirida pela BMW, quando retomou como Sauber se mostrou bem competitiva, porém com a entrada dela como diretora da equipe só houve derrocada, falta de investimentos no carro e a papagaiada de ter quatro pilotos sob contrato para uma mesma temporada, visando arrancar grana dos pilotos pra apagar incêndio.

    • pedro araujo disse:

      premissa falsa. a sauber teve umas 2 temporadas muito boas sob a administracao da monisha, tendo o kobayashi e o peres como pilotos.

      e nao da pra afirmar que as decisoes erradas de longo prazo tenham sido responsabilidade dela

  14. Alessandro Silva disse:

    Peter Sauber vai deixar saudades no meio. Sempre o vi com bons olhos. Simpático garagista.
    Mas mudando de saco pra mala: Como vão vão ficar os carros? Muda a pintura? Entra o logo da Longbow em algum lugar? Quero saber da pintura das baratas!

  15. tuta santos disse:

    Minha suspeita da utilidade do menir? Larga um de pé no meio de uma via romana e ela vira mão dupla!

  16. joel lima disse:

    Se o mundo tivesse que começar do zero hoje e quem mandasse fossem esses engravatados, a espécie humana se acabaria antes sequer de aprender a criar o fogo. O exemplo da Lótus-Geni é perfeito = pegaram um time do zero, literalmente só com o nome, contrataram Kimi, dois anos longe da f-1, e o que pareceria que seria um fiasco completo para ambos foi uma das melhores coisas que aconteceram com a f-1 = o ressurgir de um nome fundamental do que é a F1 = a Lótus (lembro de uma revista dos anos 70 em que a Lótus era chamada de a Ferrari negra ). Quem não se emocionou vendo Kimi vencendo com uma lótus negra em abu-dabi – e se tornando talvez o único, não tenho certeza, piloto a vencer guiando McLaren, Ferrari e Lótus? Uma temporada espetacular de kimi em 2012 e muito boa em 2013 – mas com um final que já anunciava o balde de água fria que viria = kimi nem disputa as corridas finais por não ter sido pago o que lhe deviam. Os engravatados brincaram, ganharam dinheiro e projeção e decidiram sair sem nem razão para isso. Imagino que se estivesse na mão de gente como Sauber, a Lotus estaria até hoje com Kimi e talvez disputando título. É o dinheiro pelo dinheiro. Investiu 1 e ganhou 100, continua; no outro ano investiu 1 e ganhou 90, já larga, não interessa mais.

  17. Pdr Rms disse:

    “Gestion financière, administrative et comptable de fortunes, participations, titres, valeurs mobilières et immobilières ou autres investissements”

    Tradução para o português: lavagem de dinheiro de empresários provenientes da Rússia, China ou Oriente Médio.

  18. Marques Goron R. da Silva disse:

    “Gestion financière, administrative et comptable de fortunes, participations, titres, valeurs mobilières et immobilières ou autres investissements”.
    Uma maneira mais requintada de escrever “lavagem de dinheiro do crime organizado…”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>