MENU

terça-feira, 29 de novembro de 2016 - 19:20FOX, Futebol

DE COMO UMA KOMBI AZUL SALVOU NOSSAS VIDAS

SÃO PAULO – A manhã seguia seu curso, cada um dentro de seu casulo, uns com pressa, outros não.

Eu tinha pressa porque nessas horas parece que é preciso correr, como se correndo fosse possível evitar o que já aconteceu.

Então entrei na avenida correndo, para chegar logo, e lá no meio daquele mar de carros e ônibus e motos e caminhões vi uma Kombi azul.

Ela rodava num ritmo que me parecia diferente do dos outros, do meu e de todos, supus até em silêncio. Olhava para a frente pelo parabrisa embaçado e só via a distância aquela Kombi azul, um mancha cinza entre nós, e decidi que era atrás dela que deveria ir.

Aonde me levaria, não sabia. Eu tinha um destino, mas dele abri mão. Fui atrás da Kombi azul porque, ainda que fosse impossível enxergar o que havia lá dentro, para mim ela transportava o que eu acreditava ser a ordem natural das coisas.

Tudo o que buscava naquela Kombi azul era isso, a ordem natural das coisas. Queria segui-la pelo tempo que fosse preciso, para que em algum momento ela chegasse a algum lugar, e de lá eu pudesse retornar, e depois ir de novo, e a vida continuaria assim, sempre atrás da Kombi azul e seu ir e vir, indo e voltando. Assim deve ser a vida, ir e voltar.

Pelas tantas, ela subiu a rampa que eu também deveria subir, isso me animou, o caminho é esse mesmo, fui atrás, mas no instante seguinte, eis que a Kombi azul desapareceu.

Então fiquei aflito, muito aflito, porque a ordem natural das coisas foi quebrada, como posso voltar na hora de voltar se não sei direito aonde estou indo?

Aquela Kombi azul, no entanto, quando sumiu, me mandou um recado. Vá, filho, encontre o seu destino por si, porque não há uma ordem natural das coisas, não adianta me seguir, aliás, não há exatamente um destino, há muitos caminhos, escolha-os, percorra-os, até a hora de chegar.

E quando chega?, perguntei, e ela já não estava mais lá para responder.

Então entendi que aquela Kombi azul silenciosa e vagarosa desvaneceu-se para que minha hora, e a de todos aqueles que talvez sem saber também estavam atrás dela, não chegasse antes do tempo, que há um tempo para tudo.

Cheguei onde devia chegar, fui e voltei, mas eles, não. Em algum momento da vida, o caminho escolhido levará ao desconhecido — e isso não deve ser de todo mau, ao menos é nisso que a maioria das pessoas crê.

PJ, Mario, Vitu, Deva, Rodrigo, Jumelo, os meninos da Chape e todos que entraram naquele avião não tiveram a chance de, antes, receber aviso generoso de uma Kombi azul, que condescendeu comigo por alguma razão – talvez a minha pequenez. Mergulharam no desconhecido porque nunca buscaram a ordem natural das coisas, e sim a grandeza delas e da vida.

Encontraram, depois de fazer suas escolhas e percorrer seus caminhos.

Não devemos temer o desconhecido. Em algum momento, vamos conhecê-lo. Seja seguindo uma Kombi azul, seja entrando num avião.

65 comentários

  1. Mauro Sousa disse:

    Meus sentimentos a você Flavio e a todos da Fox Sports.

  2. Marco Cordobe disse:

    Flavio:
    Mais um grande texto. Infelizmente nunca se sabe a hora ou de que forma termina nossa trajetória aqui neste planeta. Sentimentos a todas as famílias.
    Abraços e sorte.

  3. Daniel T. disse:

    Triste, Chapecó cidade que vivo, cidade que nasci! Chapecoense, sempre foi e é meu time. Equipe de jornalistas sempre acompanhei nas transmissões da Chapecoense, referente a equipe FOX, tratavam a Chapecoense com mais carinho, aqui sempre foi esse comentário. Triste, triste, muito triste. A bandeira da esperança e da paz (verde e branca) precisou ficar preta (luto), para transmitir uma grande mensagem para o mundo. Conquistaram o mundo como verdadeiros campeões, conquistaram o coração de cada um. Vamos todos nós, um pouquinho por dia lembrar dessa bandeira e construir a paz. Que Deus receba todas essas pessoas que foram morar no céu com todo o amor possível, e muito obrigado por deixarem esses bons viverem conosco um período de nossas vidas. Como Chapecoense, quero agradecer a todos, por tudo, tudo o que fizeram em nossos corações! As pessoas do mundo inteiro, obrigado por cada lágrima de consideração e respeito a essa grande tragédia.

  4. Marino disse:

    Vá, filho, encontre o seu destino por si, porque não há uma ordem natural das coisas, não adianta me seguir, aliás, não há exatamente um destino, há muitos caminhos, escolha-os, percorra-os, até a hora de chegar.
    Estupendo para dizer o mínimo. Uma das coisas mais verdadeiras que eu já li. Me dê licença de repassar isso aos meus filhos. Dá para imaginar o que voce está sentindo com tantas perdas de pessoas raras e caras para voce. Abraços e muito obrigado mais uma vez.

  5. Osvando disse:

    NAO FOI UMA KOMBI AZUL OU VERMELHA FOI DEUSSSSS

  6. marcos andre RJ disse:

    Nossos sentimentos e um forte abraço a toda família FOX, só quem já teve a triste experiência de perder um amigo de trabalho sabe o que é.
    E pelo que tudo indica nossos compatriotas foram assassinados por um ganancioso irresponsável.

  7. César disse:

    …Não me siga, também estou perdido.

  8. Silvestre Zanon disse:

    Palavras belas e doces. Caraca….onde está meu lenço?

  9. Marcelo Foresti disse:

    O sedã branco fez hora extra ontem……
    abs,

  10. Thiago Malta disse:

    Gratidão pelo texto Flávio, nele encontrei algum conforto depois de toda essa tragédia.

  11. Alessandro disse:

    Sonhos
    Vinte e nove de novembro de dois mil e dezesseis,quantos sonhos de foram com a queda do avião que levava infinitos sonhos de vários corações,como não imaginar a alegria de todos os integrantes,sejam do clube ou dos profissionais de imprensa que sempre sonharam estar vivendo aquilo.
    Sim senhores sonho de todos,como não se emocionar e sentir essa dor mesmo sem conhecer pessoalmente nenhuma daquelas pessoas,mas saber que elas partilharam em algum momento da vida delas dos mesmos sonhos de quase todos que gostam de esporte e mais particularmente do nosso querido futebol.
    Sim sonhos, quem de nós que nunca nos pegamos quando criança sonhando em ser jogador de futebol e conforme vamos crescendo e nos damos conta da nossa falta de habilidade para ser jogador e pensamos como estar nesse meio tão lúdico e encantador.E só vemos o lado bom das coisas,imagino quanto sufoco que passam para poder exercer esse serviço.Não consigo imaginar um só profissional que trabalhe com esporte que nunca sonhou em ser um no meio dos seus ídolos,suponho que seja isso que os levam a caminhar nesse caminho.
    Como não sonhar em estar sempre lidando com uma paixão e não poder se expressar nestes tempos de patrulha por redes nem tanto sociais,por isso imagino a dor dos profissionais que perderam amigos nesta tragédia,é aquele amigo que você podia zoar durante os jogos ou na resenha depois dos jogos,nas vezes que tem que meio que clandestinamente apresentar o futebol a seus filhos(quantos tem que se esconder para poder levar os filhos ao estádio sem paracer uma “afronta” aos haters;quem nunca experimentou que experimente essa sensação única que é levar seu herdeiro para o celeiro de emoções que é uma partida de futebol,as amizades que pulam as barreiras da instituições em que trabalham,que as redes “não-sociais” querem transformar em rivais.
    Redes sociais,que belo instrumento para nós temos contato mais de perto com as pessoas,quem de nós que nos aproximamos de pessoas que nem conhecemos por meio das redes,embora esteja cada dia mais difícil de utilizá-las e nesse dia de dor fomos atingidos mais de perto por essa dor,por esse aperto no coração de saber de tantos sonhos ficaram pelo caminho.
    Deu vontade de abraçar cada profissional que perdeu um amigo e teve que seguir na cobertura da tragédia.
    Que não deixemos esses sonhos

  12. Armando F. Inácio disse:

    Excelente texto, Flavinho! Como vc mesmo se auto elogia, realmente vc é o melhor texto desse país, sem dúvida. Me desculpe pela intimidade em chamá-lo assim, mas é que apesar de vc não me conhecer, para mim é como se vc, o Benja, o Pascoal, o Sormani, o Mano fossem meus grandes amigos. Há mais de 1 ano não perco um dia o Fox Sports Radio, e quando posso assisto também o Expediente, pois também devido as circunstâncias de mercado, há 2 anos passei a trabalhar em casa, o que me permite poder assisti-los sempre. E apesar de acompanhar também o seu blog há muitos anos, pois sou fã de automobilismo, confesso que não sou de fazer comentários, porém hoje, diante de uma notícia tão chocante, senti que gostaria de expressar a minha tristeza pela perda desses “garotos” que estavam tão felizes e empolgados por estarem na final de um campeonato importante pela primeira vez, depois de muita luta, fazendo com que a pequena Chapecó/SC ficasse conhecida no mundo inteiro.
    E o que dizer então, sobre o PJ com seus comentários precisos, o Vitú sempre com seu bom humor, o Mário Sérgio, grande craque que eu tive o prazer de ver jogar, e agora como comentarista, sempre deixando o Benja de cabelo em pé, com seus comentários sarcásticos, porém quando falava sério, era fácil perceber o quanto entendia do assunto…
    Dá um “nó” na garganta quando percebemos que nunca mais os veremos ali na TV, bem perto da gente, práticamente na nossa sala de estar!!
    Pois é…, infelizmente eles se foram, é um momento muito triste, e de muita dor, para as famílias, e amigos, mas foi o momento deles partirem, assim como nós algum dia também partiremos…
    E se é difícil para nós que os assistíamos através de uma simples tela de TV, e já nos sentíamos seus amigos mais próximos, eu imagino como deve estar sendo difícil para todos vcs…
    Meus sinceros sentimentos à todos vcs da FOX Sports, e também as famílias de todos aqueles que perderam a vida nesse dia trágico…
    Que Deus possa confortar, e levar paz ao coração de todos…

  13. Fabio disse:

    Belo texto !, e o avião foi rumo ao azul infinito (céu).

  14. Boca disse:

    Meus sinceros sentimentos.

    Força a você e a todos que fazem a FOXSPORTS!

  15. periferia disse:

    Vejo o FSR todos os dias…….gostava muito do Vitu……o cinismo do Mario…..principalmente em relação ao mundo do futebol………acho que devemos passar pelo luto e a dor da perda….porém é importante buscar os culpados…..aparentemente não foi um acidente……se foi uma pane seca deixa de ser um acidente e passa a ser homicídio.. …..quem contratou a empresa pirata ? ……..quem foi o responsável pela logística ?………foi apenas uma questão financeira?……..por que não um vôo direto entre Brasil e Colômbia mesmo com sobra de lugares?………..ninguém estranhou que a empresa tinha apenas um avião e o dono da empresa era o piloto1? …….uma empresa como a Fox não deveria enviar seus funcionários em vôo de carreira?………são perguntas necessárias……o Brasil é o país do jeitinho……..dessa vez o jeitinho acabou com as vidas de dezenas de pessoas…..espero que algo assim sirva para ajudar……fazer que equipes tenham um cuidado maior com o transporte……que empresas de comunicação cuide de seus funcionários……nao faça deles bagagens e nao tentem colocar pessoas em qualquer ”BOQUINHA”.
    desejo paz a todos.

  16. Banana Joe disse:

    Sempre que ocorrem tragédias desse tipo se emocionamos pela perda de tantas vidas, na maioria muito jovens.
    Moro em SC e tenho grandes amigos em Chapecó o que torna a coisa ainda mais próxima embora nenhum de meus conhecidos tenha embarcado no fatídico vôo.
    Mas o mais curioso nesse caso é como o pessoal da imprensa nos parece estranhamente próximo. Sou fã da FOX Sports e principalmente do programa do Benja e a morte do Vitu, do Clemant e do próprio Mario Sérgio foram especialmente sentidas, como se fossem amigos, próximos, aqueles caras com quem a gente vai tomar um cerveja no bar de vez em quando assistindo a um jogo.
    Muito triste.
    Que descansem em paz, todos.

  17. Eduardo Britto disse:

    Você segue o trem azul, o Sol na cabeça… Sim, ´é isso…

  18. Ricardo disse:

    Belo texto Flavio,muita paz e força para todos vocês da fox e de Chapeco.
    Sinto que perdi grandes companheiros que farão muita falta p o esporte brasileiro.
    abs.

  19. Jairo Mouzzez disse:

    Que tragédia!
    Realmente uma grande tragédia se abateu sobre o Brasil. O corajoso time da Chapecoense não conseguiu chegar ao destino e sucumbiu numa dessas surpresas ingratas que a vida nos arruma…
    Triste ver tanta gente que lutava junto por um mesmo objetivo sucumbindo junto.
    Engraçado como a gente se afeiçoa também aos que diariamente nos invadem diariamente pela TV. Como não rir aos montes do Mário Sérgio Pontes de Paiva fazendo coraçãozinho pro Flavinho no FSR? Como não rir das tiradas do Benja com o Vitú e o PJ. Como não se emocionar com a narração do Deva? Era impossível!

    Deixo aqui minhas condolências a todos os amigos e familiares dos atletas, dirigentes, jornalistas, comissão técnica e tripulantes do avião.

    Quanto à Kombi, muito bem colocado, Flávio.
    Nunca saberemos que dia estaremos nela. Mas não podemos deixar de viver nossas vidas normalmente, buscar a felicidade ou fazer história (no caso do time da Chapecoense e dos que ajudaram a escrever ou contar aquela história) com medo de estar na Kombi. Inevitavelmente, um dia, todos nós estaremos nela.

    #ForçaChape

  20. Gilmar Pereira disse:

    Belo texto. O dia foi de enorme consternação e perplexidade. Meus mais sinceros sentimentos a você e à família Fox. #VamosChapê

  21. carlos lima disse:

    Caro escriba, o leitor agradece por tão belo texto. Bravo!

  22. Zé Alonso Muchon disse:

    Minha sincera solidariedade a vocês da Fox que perderam (entre outros grandes parceiros) Vitu e P.J, que transmitiam confiabilidade em seus trabalhos, para mim eram profissionais de qualidade e de sensibilidade jornalística incomparáveis. Meus sentimentos. – E o seu texto é o melhor do Brasil..

  23. Clayton Moura Belo disse:

    (NOTA: Prezado F.G. “Gomov”, antes de postar esse comentário, gostaria de dizer que tentei enviá-lo “em particular”! Tentei os e-mails que, supus, poderiam ser seus: fg@uol, flaviogomes@uol, flavio.gomes@grandepremio, grandepremio@grandepremio… e tantas outras suposições que minha vã imaginação permitiu. Mas a mensagem sempre vinha com um “Undelivered mail returned to sender”. Assim, senti-me na NECESSIDADE, quase que uma obrigação de dividir e de transmitir a você algumas sensações que me ocorreram ao longo do dia. Então, recorri ao seu sempre acolhedor blog… Não sei se você terá tempo disponível para ler todo meu comentário. Mas tenho a CERTEZA de que uma rápida olhadela irá chamar sua atenção e, mesmo assim sendo, meu objetivo terá sido atingido) A rotina de todas as manhãs de trabalho repete-se. Às 06h30min da manhã passando pela mesma curva da Pedreira, escutando a mesma rádio de sempre, na mesma marcha de sempre, com a mesma audição desligada de sempre. Dezenas, talvez centenas de notícias vão ao longo dessa rotina e desse trajeto, sem que eu tenha capacidade e memória de repeti-las alguns quilômetros à frente. Mas neste dia penúltimo de novembro algo não usual estava sendo noticiado. A notícia chamou minha atenção por se tratar de outro acidente aéreo. Sempre chama atenção! Joelmir Betting escreveu: “Um Boeing caindo de vez em quando chama mais atençao que um teco-teco caindo todos os dias”, ao comentar sobre a calamidade das estradas brasileiras. Havia sido assim naquele 31 de outubro de 1996 (TAM-402), dia em que me preparava para minha formatura em engenharia. Acidentes aéreos sempre foram uma das minhas áreas de interesse. Enquanto engenheiro, porque envolvem um grande número de vítimas. Porque são uma demonstração fática das falhas da minha profissão. Porque demonstram o quanto deve ser responsável o profissional engenheiro no exercício da sua profissão (falarei mais sobre essa responsabilidade profissional). A notícia seguia, falando sobre “time de futebol brasileiro”. Opa! Diminui a marcha na Hugo Simas, concentrando minha audição. A notícia seguiu, falando: “no acidente estavam os jogadores e alguns membros da comissão técnica da Chapecoense, uma equipe de esportes da Rede Globo e uma equipe de esportes do Canal Fox…” – Puta merda – de automático em voz clara e nítida exclamei. Porra, justo agora? Quando um time pequeno do nosso interior (era o LEICESTER do Brasil) despontava, talvez sinalizando aos grandes times o caminho da austeridade e seriedade que tanto faltam a alguns clubes “grandes”. Que tragédia! Peraí!!! Canal Fox??? Que loucura, ôrra meu!!! Eu sigo o Canal Fox nas minhas incursões buscando as coberturas automobilísticas. Automobilísticas??? C-A-R-A-L-H-O !!! O Flávio Gomes é do Canal Fox!!! Ele não cobre futebol!!! Espera um pouco: ele cobriu um pouco da copa e as olimpíadas… Então, para minha segurança e dos demais motoristas, UM MILÉSIMO DE SEGUNDO após todos esses pensamentos e palavrões terem sido ditos, estacionei o carro. A notícia falava de um general colombiano dizendo que ninguém sobreviveu, depois disse os nomes de algumas pessoas a bordo: Caio Júnior (ex-vizinho no velho prédio que morei há uns 30 anos atrás, ex-glorioso Paraná Clube), Mário Sérgio (acho que seu primeiro time como foi treinador foi o meu Coringão), o Deva (que narrou o “milagre da chape”), tantos outros… E assim foi, ao longo do dia, buscando detalhes, buscando informações, acessando o blog “em branco”… Mas, eu sabia: F.G. estaria vivo! Ele vai postar no seu blog de frequência infalível! E aí, percebi tantas coisas que haviam passado de soslaio… Percebi quantos jovens se foram neste acidente… percebi quantos da mesma idade que nós, cinquentões, passaram… percebi o quanto é volátil essa nossa presença nessa dimensão… percebi a intensidade da dor das famílias enlutadas… percebi a dor dos colegas de trabalho destes que seguiram para o “desconhecido”… percebi, também, a minha pequenez!!! Mas, também percebi a importância em ser responsável naquilo que se escolheu fazer: de políticos a padres, de jornalistas a médicos, de carrinheiros a engenheiros. Nossas responsabilidades refletem diretamente no quanto somos capazes de modificar e interferir na vida daqueles que estão subindo a rampa do “desconhecido” conosco! Meus pêsames, Flávio Gomes, pela perda de colegas tão próximos!!! Meus pêsames a todos aqueles que, de um modo ou outro, estão enlutados por este trágico acidente. Obrigado, F.G., pela sua responsabilidade profissional EXEMPLAR e que foi capaz de aliviar minha dor e a de tantos outros brasileiros. VOCÊ É FODA!!!

  24. Chapez Alonso disse:

    São por essas e outras que o mundo não é justo.

    Há alguns anos, cinco ex-presidentes do Brasil e suas respectivas corjas de políticos viajaram juntos para o funeral de Nelson Mandela.

    E não faltou combustível no avião deles.

    Hoje, setenta e um trabalhadores. Batalhadores. Sonhadores. Vencedores.

    Subiram da D, pra C, pra B, pra A, para conquistar a América.

    Subiram tanto que chegaram ao céu.

  25. Atenágoras Souza Silva disse:

    Não acompanho futebol (ainda que eu torça para o Livorno), e só descobri que havia um time-sensação chamado Chapecoense no sábado, conversando sobre futebol, sua evolução e relação com política com um corinthiano na festa de aniversário do meu irmão.
    Mesmo assim, achei o seu texto emocionante.

    Um grande abraço do fundo do meu coração vermelho de outubro de 1917,
    Atenágoras Souza Silva.

  26. perna quebrada disse:

    De repente lembrei desse vídeo que assisti da Monja Coen…
    Pra quem quiser, vale dar uma olhada…
    https://www.youtube.com/watch?v=40jqgX3L_7U
    (não se deixe levar apenas pelo título do vídeo, ele é muito melhor do que parece)

  27. Renato RRE disse:

    Gomes.. Devido estas crises recentes, tive que fechar o escritório… com isso passei a trabalhar em casa e por ter uma televisão ao meu lado, passei a acompanhar diariamente programas esportivos… Rapidamente descobri o FoxSportRadio e passei a assistir diariamente assim como o ExpedienteFutebol que é bem na hora que meu filho chega da escola e assim vamos tomar café juntos. Acordei hoje com a notícia da queda do avião da Chape… fiquei atônito! Mesmo Rubro Negro (Flamengo) tinha muita simpatia (muita mesmo) por aquele time e bem como também já tinha ido a Chapecó e gostado da cidade. Porém quando informaram quem mais estava no voo… Caí no chão. Vitu, PJ, Mario Sérgio, Deva…. Passei o dia me pegando chorando em alguns momentos… como assistir a Fox novamente e esses caras que eu tanto gostava não estarão mais lá?… Ouvir o Benja chamando do Paulo Julio Clement no rio… Chamar o Vitu e tirar onda com ele tomando água de coco em Natal… rir com as tiradas do Mario Sérgio.. ouvir as narrações do Deva… Se eu que estou aqui do outro lado da telinha e fiquei assim, imagino vocês que estavam sempre com estes caras.
    Muita FORÇA a toda a equipe da FoxSports. Muitas vibrações positivas e que Deus ilumine as famílias deles! Grande abraço!!

  28. Felipe Pimentel disse:

    Foi como eu perdesse alguém muito intimo, um amigo ou irmão… Muito triste. Força a Fox Sports e à quem faz esse canal.

  29. disse:

    Acompanhei desde a madrugada, a internet nos traz uma outra realidade nestes momentos. Sai a tarde com uma camiseta verde dentro da minha íntima homenagem, e vi nas ruas muitos assim, parecíamos velhos conhecidos em troca de olhares. Vamos em frente. sem medo do imprevisto.

  30. Ah Flávio, eu sempre ouço falar da qualidade dos seus textos, mas nunca tinha parado para lê-los em seu blog… Emocionante!
    Desde a criação do FSRadio eu assisto todos os dias, a perda de vocês tbm parece a minha. Sinto-me como membro dessa família que vcs criaram.. Não deixem que essa grande tragédia acabem com o que vcs fazem de melhor, jornalismo de verdade!
    Parabéns pelo texto! Força, todos estamos juntos com vcs nessa!

  31. Alex disse:

    Eu admirava muito o Mário Sérgio. Sei que foi um extraordinário jogador, mas só peguei o final de sua carreira. O que, afortunadamente, pude acompanhar bem foi sua trajetória como comentarista, desde que começou na tv bandeirantes lá no final dos anos 80….Independente de se concordar ou não, suas opiniões eram sempre significativas, era um cara inteligente, educado, sabia colocar suas idéias com elegância, se expressava bem. Fará muita falta! Como todos os outros aliás.

  32. Renato de Mello Machado disse:

    Meus pesar, aos familiares pelo passamento de seus entes queridos. Ainda quê eu andasse pelo vale da sombra da morte não temeria mal algum, porque tu estás comigo,.a tua vara e seu cajado me consolam.

  33. Paulo Pinto disse:

    O insondável Destino não se atrasa e nem se adianta.

  34. Mistral disse:

    Flávio e a todos que me lêem.

    Quer uma sugestão, ousadamente? Hoje a noite abrace bastante sua esposa e seus filhos e entes queridos. Amanhã, ou no dia em que você for fazer o programa, dê um abraço apertado em seus colegas. Tire fotos com eles. Idem para todos nós, em casa, no trabalho, na escola. Façam isto, porque não sabemos mesmo o que nos espera. Temos de aproveitar apascentando os ânimos e distribuindo calor humano. É nestes momentos que o conselho de “amar o próximo como a ti mesmo” adquire relevo, relevância e retumbância.

  35. Carlos disse:

    Quanta juventude perdida…
    Porém, o lado humano tem surpreendido. Não sigo o futebol com afinco, mas, é emocionante a comoção e vontade de colaborar dos mais variados clubes, daqui e do exterior.
    O desejo do time adversário em proclamar o time campeão é algo que nunca imaginei ver na vida! Força Chape, e a todos que estão sofrendo nesse momento…

  36. S. disse:

    Você ia embarcar nesse voo, Flavio?

  37. Herivelton lima araujo disse:

    Sem palavras para dizer o tamanho da tristeza com esse acontecimento. Ver pessoas que de alguma forma fazia um pouco de parte do cotidiano da gente mesmo sendo de longe de um outro lado de uma tela falando, comentando e narrado aqui que gostamos que o futebol.

  38. Leo disse:

    Não que seja relevante a alguém além de mim, mas tenho uma relação de amor e ódio com Santa Catarina. Sou paulista de pai e catarinense de mãe. Nasci aqui e cresci lá. Lá conheci minha companheira de vida, aqui passamos a viver juntos. Em 1991 meus pais decidiram trocar SP por SC. Fomos para o Sul, em uma pequena cidade no oeste de SC. Foi lá vivi aquele momento em que a criança descobre o mundo real. Imagine você, era uma cidade perdida no meio do belo Oeste catarinense em 1991. Não havia muito o que fazer além de ler, brincar e andar de bicicleta a tarde inteira. A TV pegava com algum chiado pela parabólica e em tempos de telefonia estatal, nem telefone conseguimos instalar em casa. Os bancos sequer tinham caixa eletrônico. Era como viver os anos 70 nos anos 1990.

    Foi lá que conheci a Chapecoense, e descobri que havia uma terceira torcida além de Grêmio e Inter (sim, a influência do RS é fortíssima por aquelas bandas). Meu pai adorou o time e até hoje torce por ele, assim como o Taubaté, o BEC e o Voltaço, que aprendeu a gostar morando nessas cidades. Depois fomos para a outra ponta do estado, onde passei a adolescência, descobri um lado mais duro da vida, desenvolvi o lado inflamado dessa relação com SC. Mas foi lá que conheci os outros times locais — JEC, Avaí, Figueira, Criciúma.

    No início da década passada todos esses times saíram de SC e começaram a ganhar o Brasil. Tornaram-se times grandes, disputando a primeira divisão do brasileirão, chegando longe na Copa do Brasil. Até mesmo o minúsculo Atlético Hermann Aichinger, mais conhecido como Atlético de Ibirama era citado semanalmente pela ESPN e pela poderosa Rede Globo. Mesmo não ligando muito para o futebol, dava uma pontinha de orgulho ver todos aqueles times chegando junto e derrubando figurões dos grandes centros.

    Quando me dei conta, SC tinha mais times na Série A que RS, MG, PR e RJ. Vejam vocês: a pequena Santa Catarina só estava atrás do gigante SP na elite do futebol brasileiro.

    Santa Catarina é um lugar incomum, não tem identidade forte, nunca elegeu um presidente (Nereu chegou meio sem querer e logo saiu), e só foi o centro das atenções do país nos trágicos momentos em que ficou coberta por água e lama. Com a ascensão do futebol “bariga”verde (como fala o pessoal do Oeste) o estado virou notícia por suas realizações.

    A maior delas aconteceria amanhã. A primeira final internacional de uma cidadezinha quase desconhecida até cinco ou dez anos atrás e esquecida até mesmo por mim, que tanto gostava dela quando criança.

    Mas em vez disso, agora tudo o que restou foi o quase. O título que quase veio, a mudança que quase aconteceu, a alegria que quase tivemos, o sonho que quase se realizou.

    • JP disse:

      Não entendi o motivo do “ódio” à SC no seu texto, se era por causa do lugar inóspito, se era por causa do povo. Não ficou claro pra mim.
      Do mais, a imagem que tenho do povo do oeste de SC é de uma gente super trabalhadora, da terra, ligada à agropecuária. É aquele “sinhozinho” que com a ajuda da sua família vive da terra, é aquela família bem tradicional que vive de maneira frugal. E em cima disso a cidade cresceu e se desenvolveu.

      • GArlet disse:

        Também não entendi o motivo do ódio. O fato é que aqui a descendÊncia de europeus é muito forte. Sou do oeste de SC tb, e sou descendente de italianos do Vêmetto e russo. Tenho orgulho de SC. O OESTE é uma região riquíssima, a que mais se desenvolve no estado. Enfim tenho orgulho de ser Catarinense.

  39. Charles disse:

    A hora é de pesar, não é de especular isso ou aquilo mas, se em vez de entrar num avião, você entrar numa Kombi azul de verdade, e ela der pane seca, ou de motor, você dá seta e vai para o acostamento, simples assim, só neste ponto que eu discordo Flávio, no mais, condolências a todos os amigos e familiares que perderam seus entes queridos.

  40. Fausto disse:

    Emocionante ! Belo texto !!

  41. Bruno disse:

    Um texto muito emocionante, parabéns.

    Os últimos meses da minha vida não tem sido dos melhores e minha maior alegria tem sido assistir boa parte dessas feras no Fox Sports Rádio. Não sei como vai ser agora, sinto como se tivesse perdido amigos daqueles com quem você compartilha o almoço, sabe?

    Só tenho a desejar força a você, aos seus companheiros de emissora e às famílias de todas as vítimas.

  42. Celio ferreira disse:

    SEM PALAVRAS….

  43. Marcelo Saldanha da Silva disse:

    Claro Flávio gostei muito dessa sua singela homenagem, infelizmente, aos seus colegas da Fox Sport, princialmente aos que integravam com você o Fox Sport Radio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>