MENU

quarta-feira, 16 de novembro de 2016 - 19:36Autódromos, One question

HEIN?

SÃO PAULO (tá) - O prefeito eleito de São Paulo acha que Abu Dhabi pode ser exemplo para a gestão de Interlagos.

De onde essa gente tira essas ideias?

56 comentários

  1. Paulo Pinto disse:

    De onde essa gente tira essas ideias? Dos contos das Arábias!

  2. Quejo disse:

    O pior mesmo é que o brasileiro pseudo-entendido quer que privatize tudo, mas acha isso ou aquilo caro demais. Quer que privatize o metrô mas quer ter passe livre. Reclama do SUS mas mete o pau nos preços dos planos de saúde. Ah, e se as vendas das empresa estiverem em baixa o Governo é que tem que achar formas de incentivar o consumo…. Há há há!

    Façamos uma experiência: se o Flávio “privatizar” o acesso ao blog por uma semana, quantos o visitarão?

  3. Eduardo Britto disse:

    Sou paulistano há 53 anos, classe média baixa, fãzão de Emerson, Piquet e Senna, e NUNCA tive dinheiro pra assistir sequer uma corrida de F-1 em Interlagos. Portanto considero aquela área um espaço público muito descutível… A privatização é algo que me interessa, se desincumbir a prefeitura de gastar um real naquela área. Só tem que impedir a construção excessiva (fiquei bobo de ver a quantidade de prédio em volta na transmissão da última corrida) e implantar um belo parque aberto à população.

  4. Fabio Wilson Dias disse:

    Abu Dhabi não é “estatal”?? Do governo dos Xeiques??

  5. Gabriel P. disse:

    Coxinhas, Elite e empresários ricos, sempre acharam que o Brasil é deles, que o dinheiro publico deve ser usado para construir o que eles vão usufruir faturando.
    Povo no Brasil só serve para pagar imposto e ser explorado pela Elite.
    Aliás, deveria ter leis proibindo vender, privatizar e sequer conceder qualquer espaço ou edificação pública feita com dinheiro do povo para iniciativa privada explorar.
    Os serviços e produtos do empresariado nacional são de péssima qualidade, e só não são piores que os públicos porque são eles que os sustentam.
    E Flávio
    É isso mesmo, essa gente mal mora aqui ou conhece o Brasil, neste caso S.Paulo, Por isso vem sempre com idéias imbecis, fora de lugar e de jerico.

  6. Casagrande disse:

    O que me chateia não é o futuro prefeito, que é um abastado, ter essas idéias.
    O que me chateia é pobre achar que isso é bom, que tem que ser assim mesmo, etc, etc.
    Quero só ver quando ele começar a cobrar pelo uso do Ibirapuera e outros parques da cidade.

  7. Luiz Fernando disse:

    Se empresários pensassem como jornalistas, talvez vocês não tivessem onde trabalhar…

  8. Paulo Leite disse:

    Vocês esperneiram contra o coxinha-eleito por quê ? O PSDB é isso ai desde o primeiro dia de fundação dessa maravilha de partido.. Vendem (repassam, no dicionário tucano), patrimônio e serviços públicos para a maravilha privada. Olhem ao redor, energia, telefone, pedágio, pontes, o reciclador de bosta, tudo tem o dedo tucano. A meta maior do tucanato é privatizar o ar que tu respiras.

  9. Felipe Souza disse:

    Minha preocupação com “novos empreendimentos imobiliários” são os novos moradores começarem a reclamar do barulho e pedir pela desativação do autódromo, como no AIC.

  10. Ernesto Gomes disse:

    Bom, o mundo é regido pelo “dinheiro”, A Petrobras tá pulando fora da F1, o BB não vai tardar a pular fora também. Interlagos está na mira!
    F1 no Brasil será um conto, uma lenda, assim como foram as épocas aéreas da MotoGP e Indy, circuitos aqui e acolá! A festa acabou, não temos nada feito pela CBA (nem campeonatos, divisões de acesso e etc), e como sempre foi usado o cash publico para tal, podem anotar (não querendo ser o arauto do apocalipse) a festa acabou e o ultimo apaga a luz.

  11. Emerson disse:

    Pode até tentar. Mas Abu Dhabi não tem o que existe aqui: brasileiros! Nunca será sequer parecido.

  12. Murillo disse:

    O cara vive em outra realidade, não tem a miníma noção do que é Interlagos. Ou melhor, não tem noção do que é SP. Vejam bem o que botaram na prefeitura, pqp.

  13. Marques Goron R. da Silva disse:

    Enquanto isso a cidade de São Paulo continua imunda, insegura e abandonada à própria sorte, pois o alcaide zumbi está mais preocupado com seu futuro escritório de advocacia do que fazer algo que preste nos seus últimos dias na cadeira de Prefeito…

  14. Rogerio disse:

    Gosto muito do blog mas quando surge política a mente esquerdista mimimi do Flávio já faz ele distorcer tudo o que foi dito e levantar a bandeira do contra, do golpe, do não vai dar certo rsrsrs. Mas beleza, o mundo seria muito mais chato sem opiniões diferentes.
    A ideia é boa sim. Ninguém quer por construções mirabolantes igual as de Abu Dhabi. Não exagera. Ele disse “modelo de gestão”. O cara só quis dizer em deixar o espaço útil para todos e que gere renda. Algo totalmente possível. Interlagos tem pouquíssimos eventos.
    Engraçado que uma hora o Flávio fala ser contra o dinheiro público bancar obra em Interlagos porque é usado só por alguns eventos privados, depois diz ser contra a iniciativa privada bancar o autódromo e fecha dizendo que usar dinheiro público para construir museus e espaços para o público em geral também é sonho. Poxa o que é certo então?
    Sou contra a privatização mas se ocorrer a única preocupação e pressão a ser feita é que exista algum tipo de contrato que determine a manutenção do autódromo pelos próximos 50 anos ou até mesmo vitalício, sei lá, e se não cuidarem volta para o Estado.
    F1 nunca vai ser bancada por investimento privado no Brasil porque não existe nada que gere tanto lucro que justifique pagar os milhões que Bernie pede. Ai sempre vai ter que ter dinheiro público ou mudança vinda da própria F1. Então pelo menos realizar mudanças para salvar o autódromo deve ser consideradas ou vocês acham que depois que a F1 sair de lá o autódromo irá durar quantos anos mais sendo usado apenas por uma pequena fração da sociedade?

  15. Anselmo Coyote disse:

    “De onde essa gente tira essas ideias?”
    Uai… do mundo brega-fantástico em que eles vivem.
    Abs.

  16. Guilherme disse:

    Complementando o assunto do Maracanã…os clubes pagam valores astronômicos pelos direitos de imagem dos jogadores e não usam para quase nada!

    A realização constante de palestras de ídolos do passado, técnicos de futebol, jornalistas com a participação de jogadores atuais geraria interesse muito grande, certamente seria atração de visitantes da cidade.

    A volta da chegada do Papai Noel ao Maracanã, eventos de dia das crianças com presença de jogadores.

    Enfim, os clubes precisam utilizar o direito de imagem, por que pagam tão caro, para gerar rendas efetivas a seus caixas. Reaproximar seus jogadores ao público, tirá-los deste crescente isolamento notado nos últimos anos

  17. Guilherme disse:

    Olá Flavio, sua fissurado em velocidade, tenho 42 e acompanho F1 desde o campeonato do Alan Jones, fico muito triste sempre que vejo a destruição do autodromo do Rio. A reta, onde delirei com as aceleradas de Valentino Rossi, agora tem uma piscina, é inacreditável! Mas acho que a solução esteja na iniciativa privada, o Estado precisa cuidar de hospitais, escolas antes.

    O Maracanã está no mesmo caso, espero que pensem bem antes de destruírem mais um importante patrimônio mundial, que encontrem uma forma de viabilizá-lo sem ter que destruí-lo.

    Minha sugestão é que fosse transformado numa “Cidade do Futebol”. Assim como o Barcelona fatura diariamente com suas visitas, independente de ter ou não jogo, o Estádio deveria ter fluxo diário de visitantes. O museu que já existe, mas não desperta paixões, é necessário usar a paixão pelos clubes para gerar esse fluxo.

    Na minha visão, suas áreas comuns deveriam ser destinadas aos clubes do Rio para que criassem atrações permanentes, museus, lojas, restaurantes, brinquedos etc (estilo Chelsea).
    Pensando mais longe, transmissão de jogos importantes em telões com Futebol Fest, treinos de clubes cariocas. Enfim, transformar a visita ao Maracanã em uma experiência. O futebol gera muitos empregos e pode gerar muitos mais.

    Por que não alugar os camarotes do Maracanã para empresas fazerem reuniões com seus funcioários?? Já são feitos casamentos…
    Valeu!!
    abraço

  18. alexandre perlini campos disse:

    Como sempre falo, eu quero ver a grande mídia que vive de automobilismo mostrar que a reforma não acaba nunca, que ainda tem muita coisa inacabada, mal feita, que as competições nacionais e regionais simplesmente são ignoradas e desrespeitadas, a Globo não mostra porque o evento é dela, outros não mostram porque estão ligados ao evento… e o dinheiro vai sumindo sem o autódromo ficar pronto, sem podermos usá-lo, sem ninguém investigar.

  19. Rodrigo Caliman disse:

    Foram promessas que mataram Jacarepaguá. A cada vez que colocavam a mão lá juravam que o autódromo seria mantido ou que seria construído em outro lugar. Eis o que sobrou: NADA!

  20. Ze Ruela disse:

    O autodromo na mao do Estado e no modelo atual forca a prefeitura a gastar com manutencao e investir num patrimonio nao essencial e que eh tratado como bem privado. Eh necessario um novo modelo, independente se o com o Estado a frente ou nao.. Como esta eh um sorvedouro de dinheiro publico para beneficio de muito poucos.

  21. Luis disse:

    Provavelmente da Revista Caras.

  22. valter disse:

    Tenho uma solução para o autodromo de Interlagos; Construir galpões para os milionarios paulistanos e demais brasileiros abonados alugarem e assim terem espaço para guardarem suas coleções de automoveis com direito a usar a pista. Construir um complexo de oficinas, bares tematicos, lojas de peças, roupas, boates, parques, etc. Geraria varios empregos com salarios de fome pagos por colecionadores de carros. Poderiam batizar seus galpões com nomes suigeneris, tais como: Sala da Justiça, Comando Intergalatico, Cave Blue, Cavern Club, etc.

  23. Ricardo Cardoso disse:

    Li essa falácia do recém eleito e achei de uma besteira sem tamanho. Ele não oferece argumentos pra justificar a privatização. E até parece que tá fazendo fila pra comprar o autódromo e mantê-lo intacto…

  24. Rafael disse:

    Na primeira oportunidade esses caras vão lotear aquilo tudo!!
    Em pouco tempo aquilo vai estar cheio de prédios neoclássicos, com o pessoal usando suéter no pescoço.

  25. Edison disse:

    Qualquer que fosse a proposta ou comentário dele você seria contra. Sugira algo!

    • Flavio Gomes disse:

      Que cuide daquilo como o que é: patrimônio público.

      • Roberto disse:

        O estado nunca entregou o autódromo em perfeitas condições. Seja o asfalto, ou arquibancadas, ou pit lane, tanto que dessa vez colocaram vcs em um bunker sem explicações plausíveis. O dever do estado é fiscalizar e manter a integridade, não de construir ou administrar detalhes que não tem competência por ser distante do povo e doa usuários.

      • Fernando disse:

        Isto não foi uma resposta. Patrimônio público geralmente pode ser vendido, o dinheiro resultante também é patrimônio público. Patrimônio público pode apenas ser administrado pela iniciativa privada. Patrimônio público pode ser concedido temporariamente. Patrimônio público pode ser privatizado. Patrimônio público pode ser doado. Enfim, patrimônio público pode ser administrado pelo governo. Todas estes modelos de administração podem dar lucro ou prejuízo. Não é o modelo de administração que garante o sucesso da empreitada, é a capacidade e competência do gestor. No caso de Interlagos, um autódromo em um país com automobilismo falido eu não vejo possibilidade de sucesso, a não ser diversificando seu uso.

      • Flavio Gomes disse:

        Manda uma proposta lá.

      • TJ disse:

        Não há patrimônio, nem dinheiro públicos. Existe patrimônio e dinheiro do contribuinte.

  26. Roberto Lopes disse:

    E por que não? Estive ano passado na Yas Marina, pra andar de F-3000 em plena quarta-feira de manhã. O complexo “vive” independente do horário, associado ao Parque da Ferrari. Mas dentro do complexo do autódromo existem empresas que alugam veículos de várias categorias, existe um calendário de uso para Track days (semanais), restaurantes, Hotel., lojas além do Kartódromo. A pista de Interlagos além de histórica é fantástica. Eu e muitos outros pagaríamos para andar lá. Gerar empregos, receita… O autódromo só é cuidado pra F-1 ou pra uma eventual etapa da Stock e olhe lá…

    • Flavio Gomes disse:

      Se você quiser andar lá, pode. Paga, vai num dos eventos programados, divirta-se. Não é proibido.

      • Francisco Meireles disse:

        Só queria entender o seguinte: se é pago, como é público?
        Entendo como público qualquer espaço que seja gratuito à toda a população. Alguém paga para fazer cooper no Parque Ibirapuera?

    • Fernando disse:

      Exato Roberto, o problema é que ninguém faz a menor ideia de como Yas Marina é administrado, o negócio é falar do que não sabe, se for prá falar mal vale… Esta semana eu vou tentar me hospedar em algum hotel dentro de Interlagos, jantar em algum dos seus belos restaurantes, fazer algumas compras, assistir algum espetáculo artístico, talvez um show, me divertir nos parques e se der tempo, bem, pago e tento dar algumas voltas com algum dos carros que Interlagos tem disponíveis para rodar. Sonho né? Mas poderia ser verdade.

      • Flavio Gomes disse:

        Você mora no Brasil, rapaz. Quer isso, vai pra Abu Dhabi. Porque também não vai encontrar nada parecido em Suzuka, ou Silverstone, ou Paul Ricard, ou Sepang, nem mesmo em Indianápolis.

      • Fernando disse:

        Eu sei como são as coisas no Brasil sim meu querido guri – sou muito mais velho que vc -, conheci Interlagos antes de vc, sei que a maioria dos autódromos ao redor do mundo não são como Yas Marina.

        Muitos passam por dificuldades, o automobilismo esta morrendo – toda a indústria automobilística passa por dificuldades -, mas quando alguém, e não precisava ser o “coxinha”, aparece com alguma ideia fora da “cartilha” é detonado antes que se faça uma análise séria da proposta em si. Digo, quase tudo pode ser adaptado à realidade vigente, a nossa realidade, apenas isso. O que não quer dizer que eu ache viável, mas toda proposta deve ser analisada com seriedade.

        Se vc que vive automobilismo e jornalismo não sabe dar uma solução para Interlagos porque eu saberia? E respondendo a outra lá de cima: eu entendo que o automobilismo brasileiro acabou, e logo depois acabará no mundo todo, pelo menos os modelos atuais. A minha proposta? Construir um enorme hospital, escolas de primeiro mundo, áreas e equipamento de lazer para o povo, comércio, além de um enorme conjunto de habitação popular, porque é do que o povo precisa, e porque infelizmente o automobilismo não significa mais nada para o cidadão comum. Da prá fazer uma cidade lá dentro. Se for possível, que se mantenha a pista.

        E Jacarepaguá? Quem reclamou do fim de Jacarepaguá? Alguns jornalistas especializados, importantes, apenas isso, e apenas antes, porque depois aderiram alegremente às Olimpíadas. Quero ver o que dirão quando aquilo virar um cemitério.

        A questão, e vc sabe, é o dinheiro. Não há dinheiro público pra se fazer o que deve ser feito lá, não haverá interesse privado também, pelo menos pelo autódromo, apenas como autódromo. A maioria dos comentários – excluídos os engajadinhos que só falam entre si – é de desesperança, acredito que a maioria pensa que não há solução para Interlagos, e parecem estar certos. Abraço.

  27. Danilo Candido Azevedo da Silva disse:

    Abu Dhabi deve ser onde ele comprou os últimos suéteres para pendurar no pescoço…

  28. Willians Thiago disse:

    FG discordo totalmente das idéias do Dória em relação a Interlagos,mas se o Haddad tivesse sido reeleito e dissesse a mesma coisa vc não iria polemizar certo ?

    Imparcialidade e coerência meu caro, abraço

    • Flavio Gomes disse:

      1) Não foi reeleito. 2) Não disse as mesmas coisas. 3) Está adivinhando o que eu faria se tivesse acontecido o que não aconteceu. Como é que alguém pode ser tão ridículo a ponto de especular do jeito que você especulou?

    • pedro araujo disse:

      o Gomes meteu o cacete na nova localização da sala de imprensa de interlagos, portanto taí uma polêmica.

      a turma do willians (espero que tenha sido um mistyping este N no nome) usa muito disso: conclusões baseadas em suposições e generalizações equivocadas. sem falar, claro, nas premissas falsas.

      é tão fácil desmontar argumentos dessa turma que às vezes dá até tédio.

      • Willians Thiago disse:

        Não, Pedro não vou polemizar em relação a sala de imprensa pq nunca estive lá, confio no relato do FG sendo ele um purista como sou e imagino que vc tambem seja. Pego no pé do viés politico que o FG usa, veja vc implicou até com a grafia (inventada de ultima hora…rs pelo meu saudoso Pai), outra eu não fiz conclusão alguma, observe que eu utilizei as palavras “tivesse e “dissesse” agora quer brincar de desmontar argumentos ? Imagino que vc possa frequentar este espaço sem precisar advogar pro FG neh…abraço querido

    • TJ disse:

      Perfeito. Se vocês viram o Doria no Roda Viva (uns 15 dias atrás), perguntado sobre o programa em relação à cracolândia. Respondeu Doria, se o jornalista achava sucesso um programa que iniciou com 1 cracolândia e agora tem 6. Foi além, perguntou se o interlocutor venderia este projeto como um sucesso….cri cri cri.
      Não sei o que vai dar, mas preparado ele é.

  29. Evandro disse:

    Do suéter, com certeza. =P

  30. Flavio, o link tá mandando para a Maxicar.
    Li a notícia do Grande Prêmio e se ele fizer o que entende pelo modelo de Abu Dhabi (mais corridas, museu e empreendimentos imobiliários harmonizados com o circuito, com acesso gratuito pela população) acho uma boa. Só não pode mexer no traçado ou privatizar de forma que impeça a competição amadora no circuito que já é pouca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>