MENU

quarta-feira, 23 de novembro de 2016 - 20:20Kombi & cia.

KOMBIS DO DIA

SÃO PAULO (sem problemas) – E não é que tem um ragazzo na Itália enchendo as burras comprando Kombis no Brasil e reformando lá? O negócio fica pertinho de Florença, como conta esta reportagem que me mandaram pelo Twitter. O cara tem site, é só visitar.[ para ter uma ideia dos preços — todo em euros, claro.

Ao contrário de muita gente que torce o nariz para esse êxodo de Velhas Senhoras — eu mesmo, no passado, achava meio foda –, hoje penso que não há mal nenhum. Importante é que sejam preservadas, bem cuidadas, reverenciadas por onde passarem. Se isso acontece no Brasil ou na Groenlândia, tanto faz. A gente também importa carros. Clássicos circulam pelo mundo inteiro, independentemente de suas nacionalidades.

Claro que esse interesse de europeus, japoneses e americanos por Kombis está fazendo com que seus preços, no Brasil, disparem. Mas como foram feitas muitas aqui, dá para comprar, ainda. De todos os tipos e modelos. E essa disparada de preços é bem relativa, porque há muita oferta. No fundo, quem está ganhando dinheiro com Kombi é quem está negociando com o exterior, e não quem tem uma ou duas para vender.

Então, que elas se espalhem pelo mundo, produzindo sorrisos e lembranças.

8433138464_3203449bf4_k

4 comentários

  1. César disse:

    Na atual conjuntura, as chances de salvação são melhores lá fora do que aqui.

  2. Luciano Ferreira de Pinho disse:

    É meio chato vê-las sair do Brasil, mas por outro lado, no exterior elas são geralmente melhor cuidadas e valorizadas no aspecto histórico e sentimental. Que sejam preservadas, onde quer que estejam!
    P.S.: não dá para criticar o êxodo de carros nacionais e ao mesmo tempo aplaudir quando alguém importa caro qualquer carro norte-americano dos anos 80, com estilo de gosto duvidoso e consumo estratosférico… pelo mesmo preço da impotarção da restauração de DUAS Kombi.

  3. Renato de Mello Machado disse:

    Eu também tinha o mesmo pensamento, negativo sobre venda de carro antigo para o exterior.Depois parei para pensar e vi quê não faz sentido isso pois as vezes, vão ser até bem mantidas,restauradas,peças boas do Brasil mesmo, vendidas lá fora mais barato,dono com bom poder de compra e deixam de ficar ao relento esperando restauração quê nunca vai ser feita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>