MENU

segunda-feira, 21 de novembro de 2016 - 21:07F-1

SEM BANCO, COM ERICSSON

SÃO PAULO (olá) – Antes de mais nada, explicações — sempre acho que devo explicações à blogaiada. O blog ficou zerado no fim de semana por motivos de encontro da família no interior. Ficou zerado hoje porque gravamos duas edições do “Fox Nitro” — uma delas para o fim do ano. Agora vamos tirar o atraso.

Começando com notícia veiculada no sábado pela “Folha de S.Paulo”, dando conta de que o Banco do Brasil não vai mais colocar dinheiro na Sauber. A situação de Felipe Nasr, portanto, passa a ser muito delicada. Mesmo a equipe dizendo que não precisa de dinheiro, é óbvio que precisa. E tem piloto com a bolsa cheia, Gutiérrez, que inclusive já defendeu o time.

Hoje, a Sauber confirmou a permanência de Ericsson. Assim, restam três vagas para 2017: duas na Manor e uma na equipe suíça. Wehrlein deve ficar onde está. O outro cockpit da neo-nanica está à disposição de quem chegar com um punhado de dólares. Pode ser Nasr? Pode, mas considero um retrocesso. E se seu principal patrocinador não quer mais investir na Sauber, não teria por que fazê-lo num time de visibilidade quase nula.

Sei não. Pode ser que o Brasil fique sem piloto na F-1 no ano que vem.

23 comentários

  1. andre disse:

    Sem brasileiros no ano que vem, não teremos mais outros na F1, como ocorre com a MotoGP.
    Será o fim de uma era.
    Chega de F1. Uma categoria totalmente sem qualquer competitividade. Na época do Senna eu já achava um absurdo somente um ou dois pilotos conquistarem tudo.
    F-E é a bola da vez.

  2. Paulo Pinto disse:

    Nasr, até agora, tem feito a parte dele dentro do possível. Se não conseguir ficar na categoria, sairá com a certeza do dever cumprido e com o recorde de piloto brasileiro mais bem pontuado em sua estréia.

  3. André Lima disse:

    Na semana do gp do Brasil, ouvi gente falando em R$ 50 milhões por esta vaga na Sauber… se for verdade, mesmo se não vivêssemos numa crise mundial seria um absurdo… por um valor desses o cara tinha que ser titular na Mercedes…

  4. Fern Kesnault disse:

    Como se diz, brasileiros sao sempre atrasados, pensam somente numa categoria que anda patinando ha tempos…nao percebe que ha tantas outras melhores pelo mundo e pilotos brasileiros melhores inclusive que esse “nasr”, como Pipo Derani, Cesar Ramos, e uma nova promessa do Turismo para quem sabe as categorias GTs pelo mundo: Felipe Fraga…

    Mas tudo depende de visão, algo que nem mesmo a midia esportiva e mais especificamente, de automobilismo desse país consegue (ou nao quer mesmo) enxergar; e assim, vamos navegando lentamente no destino pelo mundo…

  5. Ron disse:

    A situação do Nasr está indo de mal a pior:
    - a estória do BB que não seguiria com o patrocínio e juntou agora com o fechamento de agências no país (a CEF parece que vai embarcar nessa também);
    - os outros que têm mais dinheiro (Gutiérrez) ou indicação (Wehrlein).
    Se ele sobrar na dança das cadeiras, será que haverá transmissão na tv aberta ano que vem?
    Só de brincadeira, teria um jeito dele conseguir ficar: fazer um acordo com a equipe para permanecer caso ele conseguisse fazer a Sauber também passar a Renault na tabela de construtores. Imaginando que a equipe topasse isso, creio que se os pilotos da Renault não marcassem ponto em Abu Dhabi, Nasr precisaria de um 7o. lugar (as equipes empatariam em 8 a 8 e a Sauber ganharia no desempate: a 9a posição dele no Brasil contra dois 10os da Renault). Ok, agora é hora de acordar para a realidade.

  6. Amaral disse:

    Do jeito que a coisa vai, já não consigo prever mais nada. Acho que veremos 2017 pelo amor à F-1, pois, se quisermos ver brasileiros, veremos a Indy ou a F-E.
    Mas, pensando bem, faz todo o sentido cortar patrocínio. Um breve lampejo de coerência onde ela se torna cada vez mais ausente. E há vida fora da F-1, podemos – e devemos – aprender isso.
    E, sim, você tem vida fora do blog. Antes de jornalista, blogueiro e piloto, você é gente. Aproveite com todas as forças!

    • Cesar disse:

      Bem isso que você escreveu, por amor a F1. Não assisto qualquer esporte porque tem brasileiro disputando . Assisto porque gosto. Então para mim não muda nada a permanência ou não do Felipe.
      Mas o amor a F1 está complicado. rsss

  7. ags disse:

    Vai e vem,,,[
    Sem brazuca.. o F1 vai e vem..
    Depois.. é muito bom doar uma Phuta grana pra um ze repolho..e não faz nenhum sentido..
    Melhor o BB levantar as calças..pois vem ai o maior roubo desde Cabral..eu falo do Pedro.. pois BNDS.BB.. vai extremecer o pais em 2017..vem uma chuva de maracutaias e olhe…cuidado para não sobrar para o tal pilot…
    Alguem lembra do Café do Brasil que bancou o Raul nos tempos d a F1..e WEC,lembra no rolo que deu…Pois..vem pancão para o piloto de Taguatinga….Podem esperar..

  8. Leo disse:

    Finalmente o BB acabou com essa aberração que é colocar grana na F1 nas condições atuais da economia. Agora só falta a Petrobrás….

  9. Flavio Almeida disse:

    O cara faz um milagre e marca 2 pontos levando um prêmio significativo para as finanças da equipe. A diretora da equipe que estava presente na corrida “ligou para dar os parabéns” segundo as palavras do Nasr….quer dizer não o procurou pessoalmente e muito menos saiu na foto com a equipe e o piloto comemorando os pontos….dias depois um diretor técnico vem e declara “os pontos não influenciam no futuro da equipe que já estava garantido..”

    Tá na cara que o Nasr já era para Sauber…..

  10. Zé Maria disse:

    Recadinhos para o Nasr:
    “Tchau, querido!”
    “Perdeu, playboy!”
    Complementando com alguns exemplos:

    Webber, primeiro Minardi, depois Jaguar e continuou na Red Bull.
    Barrichello, Jordan, Stewart, Ferrari, BAR Honda, Brawn, Williams.
    Massa, Sauber, Ferrari, Williams.
    Raikkonen, Sauber, McLaren, Ferrari, Lotus, Ferrari.
    Alonso, Minardi, Renault, McLaren, Renault, Ferrari, McLaren.
    Schumacher, Jordan, Benetton, Ferrari, Mercedes.
    Piquet, Ensign, McLaren (BS), Brabham, Williams, Lotus, Benetton.
    Senna, Toleman, Lotus, McLaren, Williams.
    Hill, Brabham, Williams, Arrows, Jordan.

    E tem trocentos outros exemplos de caras que entraram, fizeram o nome e partiram para voos mais altos, agora o Nasr pelo 3º ano nessa draga de Sauber, ainda por cima comandada pela Monisha “Van der Garde”?!
    #falasééério!
    “Escroque-Car” lavanderia de laboratório farmacêutico tá de bom tamanho para ele, daí vai fazer companhia para o outro playboyzinho Xandinho Negrão.

  11. Renato de Mello Machado disse:

    Eu não sou contra, o patrocínio do Nasr pelo banco e sim botar dinheiro na Sauber dirigida por aquela pessoa desonesta e sem ética.Quanto ao Ericsson fez a parte dele,agora cabe o Nasr com o quê tem arrumar algo para fazer,e já faltam poucas vagas.

    • Victor disse:

      E qual equipe é dirigida por alguém etico e honesto nessa F1? Para de viver no mundo da lua, cara.

      • Renato de Mello Machado disse:

        Sim meu querido,antes de tudo não estamos em guerra. Lembre -se disso.E qual equipe assinou com dois pilotos, ao mesmo tempo criando um imbróglio danado?Você vê os donos de equipes,fazendo das suas sim mas existe uma linha e quem passa essa linha, já é mau caráter agindo de má fé.Isso você não vê habitualmente na F1,Indy.Stock Cars,Nascar pois eles tem seu nome a zelar.Ser competitivo não significa ser mau caráter.

  12. claudio disse:

    Seria uma lástima ficar sem brasileiro na F1, não por patriotismo porque isso seria idiotice, mas por quebrar uma longa tradição.
    Só quero fazer um retoque aqui viu fg e demais colegas deste blog, eu disse com todas as letras que era contra o bb e a pretrobrais injetarem dinherio na F1. Bem , pensando melhor, o bb não deve mesmo colocar nosso suado dinheiro de correntistas nem do erario publico na fornalha da F1 pois o bb tem uma projeção minuscula no exterior e nao faz sentido, é melhor patriocinar esportistas que atuam dentro do brasil, mas não time de futebol, please. Agora me parece interessante e justificavel no caso da pretrobrais, pra ela é interessante ter projeção internacional, mas penso que ela deva ser um patrocinador secundário e nao o principal, viu!!!
    Penso que talvez seja mais barato formar uma equipe brasileira, tipo força inde, quem sabe uma brasrace ou brteam ou coisa assim, motorzinho basico da mercedes, e mesmo que seja nanica é melhor que nada, acho que foi um disperdicio a coperaçucar não ter dado certo, que pena, agora por outro lado entretanto devemos ter maximo de cuidado com a malandragem, tem gente que pega um caminhao de dinheiro, embolsa mais da metade, faz um projeto meia boca bem enfeitado e dane-se o mundo, conhecedmos bem essa historia, de qualquer forma tai minha opiniao!

    • Fábio Peres disse:

      Para se fazer uma equipe brasileira na F1 precisamos de dinheiro, que não virá de investidores privados (novela e programa de variedades dão mais visibilidade, para a Globo e para quem vende os produtos).

    • Itamar disse:

      Não vejo mal em BB e Petrobras investir em F1. Afinal, o nome mesmo diz: investimento. Coloca-se um dinheiro e espera-se um rendimento. Se os analistas calculam que vale a pena, que se invista. Se não tem dinheiro ou se não se espera muito lucro, não investe. Simples.

  13. Celio ferreira disse:

    É o Massa cantou a bola no GP Brasil , podemos ficar sem piloto em 2017.
    Bóra todo mundo torcer pelo MAX……

  14. Zé Alonso disse:

    e o Banco do Brasil começa a ser trucidado pelo temerário “governo”.

  15. Gustavo disse:

    Faz diferença ter, ou não, brasileiro na F-1?

    A MotoGP, por exemplo, não tem brasileiro e é uma categoria muito mais interessante que a F-1 nos dias de hoje.

Deixe uma resposta para Flavio Almeida Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>