DICA DO DIA | Blog do Flavio Gomes | F1, Automobilismo e Esporte em geral
MENU

quinta-feira, 30 de março de 2017 - 19:18Museus & coleções

DICA DO DIA

SÃO PAULO (coisa fofa) – Ando meio apaixonado por Chevette, e neste vídeo aqui o Alexandre Badolato conta a história do carrinho, com detalhes muito interessantes — vocês sabiam que foi o primeiro carro mundial da GM, e que, incrivelmente, foi lançado aqui antes de em qualquer outro país?

O vídeo tem o mérito nada desprezível de apresentar aquele que pode ter sido o primeiro Chevette de todos. Badolato, maior colecionador de Dodges do Brasil — quiçá do mundo –, anda numa “fase Chevrolet”. Pelo que entendi, adicionou recentemente o Chevette ao seu acervo. Ele pertencia à coleção da GM que, por sua vez, era cedida em comodato no Museu da Ulbra, fechado alguns anos atrás. Os carros do museu foram leiloados e estão espalhados por várias coleções. A GM pegou os seus de volta e também leiloou tudo.

Folgo em saber que este Chevette foi parar em ótimas mãos. Aliás, não só ele. Badolato arrematou também o primeiro Corsa fabricado no Brasil. O vídeo está aqui, e conta a história do museu da GM que acabou não saindo do papel. Esse cara merece aplausos de pé.

23 comentários

  1. Alex disse:

    Eu gostava do chevette hatch na versão que foi fabricada entre 79 e 82. Alguns anos mais tarde meu irmão adquiriu um chevette 83 que, infelizmente, era péssimo e, não ficou claro até que ponto o problema era com aquele carro especificamente ou com o modelo chevette de um modo geral. Pelos comentários elogiosos, parece que é a primeira opção.

  2. Fernando disse:

    Acompanho o Alexandre no canal do Youtube, realmente sua coleção é de invejar, fora que o cara é uma enciclopédia automotiva, pois sabe a história detalhada de cada carro de sua coleção. Um dia gostaria muito de conhecer tanto o Alexandre, como sua coleção. Grande abraço.

  3. Chico disse:

    Cara…
    É arqueologia automotiva pura!
    Precisávamos de um canal no YouTube, sobre isso. Incrível!

  4. Edison disse:

    Os caras que testavam carros diziam que o chassi merecia um motor mais potente´, será verdade?

  5. Rodrigo Moraes disse:

    Carrinho ótimo, o Chevette. Pior que vou ter que vender minha Chevy 500 seminova, mas é por um bom motivo, esposa grávida…

  6. Alexandre Badolato disse:

    Valeu Flávio,
    Muito obrigado pelas palavras …
    Estou fazendo alguns ajustes na estrutura física da coleção, assim que me ajeitar gostaria que vc fosse conhecer o projeto …
    Abraços
    Badolato

  7. Reinaldo disse:

    Muito legal. O trabalho que o Badolato faz é de extrema importância: preservação da nossa história automobilística. Ele criou um magnífica coleção, de exemplares tão raros quanto originais, que que não para de crescer.

    Ainda por cima, é um grande cara. Gosto muito dele.

  8. Thiago disse:

    O que eu mais gosto nos vídeos do Badolato é que ele se preocupa em apresentar o carro e contar a história do modelo. Não tem gopro, não fica lendo roteiro, é ele e a câmera, como se estivesse conversando com você, ele fala “cara” no singular mesmo, é uma conversa direta. Talvez ele nem perceba isso tudo, mas faz toda a diferença.

  9. murilo medeiros disse:

    Acompanho o canal do Badolato no Youtube há anos. Cara gente fina, vídeos interessantíssimos, não apenas mostra os carros, como conta a história de forma detalhada. De um tempo pra cá ele diversificou bastante a coleção, tem vídeo de quase tudo que ele comprou no canal.

  10. Zé Clemente disse:

    Comprei na semana passada um Xsara em ótimo estado. Carro velho, muito bom, confortável, etc etc.
    Vou me desfazer do meu Chevelho e já com saudades dele.
    Acho que o Chevette deve ser o melhor carro do mundo. O meu é o melhor que tive na vida. Quando comprei, ha 20 anos, um dia precisei tirar o cabeçote e afinal acabei tirando o motor inteiro e dei uma revisão geral. Motor alcool 1.6.
    Há 20 anos esse carro tem a mesma bomba de combustivel. Já chegou a ficar parado por mais de 3 meses e mesmo assim a bendita funciona normalmente.
    As peças são baratas. Não queima uma gota de oleo. Não suja o carter. O comando já estava meio gasto e continua do mesmo jeito. Nunca quebrou correia embora a engrenagem do virabrequim esteja já meio no osso.
    Posso viajar com esse carro para onde bem entender. Vou e volto sem problemas.
    E a posição de dirigir é boa o suficiente para dirigir horas seguidas sem dor nas costas.
    Só precisa cuidar porque é um carro fraco de suspensão.
    Mas é facilmente o melhor carro que tive na vida. Melhor até que um Opala 6 automatico que comprei logo depois do Chevette.
    Vou sentir falta dele.

  11. Renato de Mello Machado disse:

    Eu também,estou de amores pelo Chevette e até um Dodge Polara, se pintar.Principalmente o Chevette, quê com a tração traseira abre as portas para muitas maldades.Esses dias estava folheando, minha MOTOR3 com a reportagem muito bem explicada do JLV, sobre a construção do chepala,e aí vem você falar de Chevette.

  12. Olá Flávio! Não sei onde enviar e-mail para você, Me perdoe por usar este espaço. Deixo aqui um link (mas não precisa publicar o comentário) caso tenha interesse em publicar, Eu achei fantástico o “raduno do Ape”. Segue: http://www.gazzetta.it/Passione-Motori/Moto/30-03-2017/euroape-2017-piu-grande-raduno-scena-codroipo-190394082300.shtml.
    Obrigado e parabéns pelo seu excepcional trabalho!

  13. Marcos Santos disse:

    Aprendi a dirigir num Chevette 76 prata de meu pai. Carrinho forte, saudades.

  14. Paulo Roberto Ariano disse:

    1973. Encomendei um na Concessionária GM Pereira Barreto de S. Paulo, mediante um módico depósito. Uns 60 dias depois me chamam para receber o carro. Um lindo Chevette Bordô, Surpresa, veio com os 4 freios a tambor. Não queria o carro. mas a procura era tanta que paguei, deixei lá e em 4 ou 5 dias revenderam para mim, com um bom lucro de uns 30%. Em 1973 havia fila de espera de meses por qualquer carro. Cobravam ágio descaradamente. Eu também cobrei. E nunca andei em um Chevette que fosse meu.

  15. Joao OLiveira disse:

    Me lembro de ter ido com meu pai à revendedora Pereira Barreto em Moema reclamar do volante torto, isso em 1973. Meu pai só se conformou que era uma característica do Chevette após o vendedor mostrar vários outros carros. A coluna de direção do Chevette era montada em diagonal em relação ao painel, o braço direito sempre ficava um pouco mais flexionado.

  16. Thiago disse:

    Flavio, boa noite.

    Sem querer saber quanto o cara pagou no Corsa, mas sei lá, chutando um valor aproximado de um carro como esse, que ainda não sei se pode ser chamado de antigo, mas claro que é um item de coleção, você poderia dar um chute de valor?

    Uns R$ 25 mil reais? Pouco mais? Menos? Apenas por curiosidade mesmo.

    Abraços e valeu.

  17. Filipe Fernandes disse:

    Em Portugal era Opel Kadett, concorrente direto do Ford Escort, Fiat 128, Datsun 1200 e Toyota Corolla.

  18. Wilson disse:

    Chevette, carrinho apaixonante…. comprei um 74 usado e com dó vendi alguns anos depois para o antigo dono !!!!!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>