MENU

domingo, 26 de março de 2017 - 22:55Automobilismo brasileiro

GUARANÁ

SÃO PAULO  - Alfredo Guaraná Menezes morreu na manhã de hoje em São Paulo. Ele estava internado no Hospital das Clínicas e se preparava para um transplante de fígado. Tinha 64 anos.

Guaraná foi o maior rival de Piquet nos anos 70, conta Rodrigo Mattar em seu blog, assumindo o posto do tricampeão mundial na histórica equipe Gledson, pela qual conquistaria o bicampeonato na Super Vê, em 1977 e 1978. Teve também uma épica participação nas 24 Horas de Le Mans de 1978, chegando em segundo na sua categoria, correndo com Marinho Amaral e Paulo Gomes.

Façamos um minuto de silêncio em sua memória.

guaranamen

Alfredo Guaraná Menezes (1952-2017) em foto de Rodrigo Berton

17 comentários

  1. Farid Salim Junior disse:

    Por ter ficado sem pc por um tempo e, por não ter saco para digitar no celular, fiquei algum tempo sem seguir o blog… E, ao abrir hoje, leio isso… Triste, muito triste!
    Guaraná foi um dos melhores pilotos brasileiros de todos os tempos! Rápido e consistente, combativo e leal. Não sei de nenhum piloto que tenha reclamado de atitude desleal dele em uma corrida.
    Quando foi campeão em 77, na Fórmula Super Vê, era o melhor piloto brasileiro correndo no País. E, tinha o mais belo carro e o mais belo capacete também!
    Tive o prazer de conhecê-lo pessoalmente e, apreciar sua gentileza, seu bom humor e, até de sua tristeza por não ter conseguido correr na Europa, como fizeram pilotos contemporâneos, como o Piquet, o Serra, o José pedro Chateaubriand, Maurício Sandro Sala, entre outros.
    Como um cara assim faz falta! Deixa um vazio enorme! Vá em paz, Guaraná!!!

    • Farid Salim Junior disse:

      Só corrigindo, Guaraná fez parte do grupo que foi em 78 correr nas 24 horas de Le Mans, junto com Marinho e Paulão, para homenagear o Moco e, fizeram bonito em Sarthe, chegando em sétimo na geral, e em segundo lugar na categoria em que competiram – o grupo 5. Aliás, onde está esse carro hoje? É um Porsche lindo!

  2. Fabio Luís Giordani disse:

    Mais um ídolo de nossa infância e juventude que se foi. Eram tempos que a sensibilidade do piloto contava para se acertar o carro. E Se o cidadão não colocasse a mão na graxa não participava nem de corrida de carrinho de super mercado. Descanse em paz Alfredão.

  3. Lago disse:

    Cara, que pena. Este é grande, e continuará grande, pois poucos enfiaram tanto tempo no Piquet quanto ele. Sem demérito alguma a Piquet. Ambos gigantes do automobilismo. Esteja em paz, e com DEUS, Alfredo.

  4. Que Deus te ilumine Guaraná na sua passagem pro andar de cima,

  5. Marcos Abreu Ferreira disse:

    Um minuto acelerando um 6 cilindros em linha ou um V8 a uns 5.000RPMs para homenagear Alfredo Guaraná Menezes.

  6. Clayton Moura Belo disse:

    Lembro da reportagem na Revista 4Rodas: Guaraná (com os usuais óculos-aviador), Paulão e Marinho-DKW… Putz, é flórida a gente ver que nossos ídolos não são imortais! Meus pêsames à sua família e minha eterna admiração, Guaraná.

  7. Robertom disse:

    Piquet, seu maior rival na Super Ve e que não costuma elogiar os adversários, declarou “Foi o piloto mais rápido que já vi guiar”.

  8. Paulo F. disse:

    Minha lembrança é dele pilotando um Fusca.
    RIP!

  9. Roberto Pedreira disse:

    Quando era moleque queira ser Guaraná Menezes, Castro Prado ou Moco, três grandes perdas.

  10. sidney disse:

    Andava muito em Interlagos…

  11. marcos andre RJ disse:

    Por tudo o que fez, pela “aventura”, no bom sentido em Le mans, pela sua luta para viver. O mestre Guaraná merece mais que um minuto.

  12. Donizete disse:

    Tocava como ninguém na super V – ( Equipe Gledson – Fabrica de roupas ) de Polar ou Heve .Grande piloto de uma geração que além de Piquet , tinha o Fabio Souto Maior , Alex Dias Ribeiro , Ingo e tantos outros .

  13. Zé Clemente disse:

    Que perda, que tristeza. O Guaraná era um cara muito cordial, uma pessoa amável, alegre. A ultima vez que vi o Guaraná foi na Camara Municipal, quando pedi o seu cartão. Eu queria uma carteira de piloto e queria fazer o curso com ele. Estava entusiasmado com a idéia de ser aluno de um mestre de pilotagem dos fórmulas. Infelizmente não tive como cumprir com o meu desejo. E não terei mais.
    Na época achei que ele estava muito magro, mas como sempre foi magro não imaginei um problema de saúde.
    Estamos perdendo nossos maiores ídolos. Ao Guaraná não basta um minuto de silencio, mas ao menos uma volta completa.
    Fica em paz campeão. Voce foi um grande cara.

  14. Renato de Mello Machado disse:

    Encarnava, o automobilismo dos anos 70 como ninguém.Safra boa o Brasil tinha, os caras podiam e tinham capacidade de pilotar, um F-1 Fácil..Meus pêsames,e um minuto é pouco, vou ficar o dia todo em silêncio.

  15. ags disse:

    Esse andou como poucos no circuito de Gyn…era de carros e pilotos..e não como hj.. bolhas..e filhinho de papai…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>